Voar é um desejo que começa em criança!

domingo, 30 de setembro de 2012

Especial de Domingo

O Sargento Aviador na FAB
Os antecedentes são curiosos. Os oficiais de turmas mais recentes, com poucas exceções, desconhecem o assunto que, cada vez mais distante, apaga-se da memória coletiva. O INCAER - Instituto Histórico Cultural da Aeronáutica, em 2011, teve a satisfação de receber a visita especial da Sra Anézia dos Campos Paranhos, viúva do 1º Tenente-Aviador Paulo Cezar de Lima Paranhos e, dessa conversa, tivemos acesso a documentos e imagens referentes a essa curiosidade histórica que se encerrou na década de 1960. A saga começa com o primeiro aviador do Exército, Ten KIRK, que “tomou aulas de aviação” no Aeroclube, em 1912, e que foi, posteriormente, designado para compor a Comissão que escolheria o campo adequado para a instrução aérea do Exército Brasileiro. Começava-se a delinear a ideia de dotar o Exército com a arma da aviação. Assim, a Fazenda dos Afonsos foi escolhida para futura sede da Escola Brasileira de Aviação (EAB).
É o primeiro capítulo da história sem par dos Afonsos. Nesse Campo, inicia-se a instrução de voo para os militares do Exército. Já na Escola de Aviação Militar (EAM), conforme o carimbo em sua caderneta de voo, o Cabo Aluno Aviador Paranhos teve a oportunidade de solar com maestria, treinado pelo seu instrutor, Tenente Neiva, em 1939. Não era propriamente uma novidade, pois tivemos sargentos, soldados e cabos aviadores em 1920, sob a égide da Missão Militar Francesa, formados na segunda turma, nos Afonsos. A novidade seria a brilhante carreira que o Cabo Paranhos viria a construir na Força Aérea que se delineava. Em 1941, no governo de Getúlio Vargas, criava-se o Ministério da Aeronáutica. Em consequência, os militares aviadores da Marinha e do Exército foram transferidos para a nova arma, assim como todos os especialistas em aviação e o material aeronáutico. O novo Ministério recebeu, entre tantos militares, um quadro singular, já em extinção, de apenas 21 componentes de pilotos aviadores (Q. PL. AV), os militares graduados do Exército! Seus nomes estão citados na página 110 do 3º Volume da História Geral da Aeronáutica Brasileira. Ali podemos ver o do 3º Sargento Paulo Cezar de Lima Paranhos. Paranhos nasceu em Belém, no Estado do Pará, em 20/03/1917, filho de João Agapito da Silva Paranhos e Amélia Pereira Lima Paranhos. Entrou para servir no Exército e, como 2º Cabo Piloto, iniciou a instrução de voo, tendo solado na aeronave biplano Muniz-M9, em 14 de junho de 1940, com 11 horas de voo e 70 pousos. Já formado e promovido a 3º Sargento, foi transferido da 8ª Região Militar do Exército, para o recém-formado Ministério da Aeronáutica, devido à sua especialização como Sargento-Aviador. Inicialmente, foi prestar serviço como instrutor de voo, nos aeroclubes do Pará e, em seguida, no aeroclube do Piauí, com o objetivo de acelerar a formação de aviadores civis, por causa da 2ª Grande Guerra que assolava o planeta. Em agosto de 1941, Paranhos começa a concorrer aos voos do CAN e teve o seu requerimento para cursar a escola de oficiais indeferido por ter idade superior à prevista no regulamento. Serviu na Base Aérea do Galeão e, em seguida, foi transferido para a Fábrica de Aeronaves do Galeão e, mais tarde, para a Base Aérea de Santa Cruz. Retornou ao Galeão, transferido para o 2º Grupo de Transporte, onde solou o C-47 em 31 de dezembro de 1951, em “boas condições de treinamento”.
No Esquadrão, trabalhou em todos os setores daquela Unidade Aérea. Durante sua vida de profissional, voou com diversos tripulantes, dentre os quais destacamos, a partir de suas cadernetas de voo, os seguintes oficiais que viriam a ocupar altos cargos na Força Aérea Brasileira: Cel Serpa, Ten Cel Araripe, Maj Burnier, Cap Magalhães Mota, Cap Paulo Victor, Cap Lebre, Cap Délio, Cap Montenegro, Cap Becker, Cap Protázio, Cap Rodopiano, Ten Pavan, Ten Palermo, Ten Faria Lima e Ten Barata. Em 1958, Paranhos foi escolhido para realizar curso de aeronave no exterior e trasladar os SA-16 Albatroz para o Brasil.
A chegada dos aviões, que inauguravam uma nova fase da Busca e Salvamento para o país, foi noticiada com ênfase nos jornais da época. Segundo a Sra. Anésia, sua viúva, ele se orgulhava muito de ter recebido essa missão, juntamente com os demais oficiais aviadores que compunham as tripulações. Durante seus voos no CAN, realizou diversas missões para o exterior, que também foram notícia na imprensa nacional. O repórter Manoel Villas Boas noticiava a respeito de sua viagem de La Paz para o Rio, pelo Correio: 

“O Correio Aéreo Nacional cobre todo o Brasil e presta relevantes serviços a países vizinhos...Proveitosos treinos para nossos aviadores, nas suas travessias sobre os Andes...Dirigido pelos Majores Fausto Gerpe Wunder... que foram auxiliados pelos Sub-Oficial Aviador Paulo Paranhos e pelos sargentos Nivaldo da Silva...”  

Em reconhecimento por seu desempenho profissional e contribuição inquestionável aos voos do CAN, foi escolhido para realizar missão no exterior, com dois anos de duração, na Guiana Francesa, onde assumiu a Chefia do posto CAN em Caiena, capital daquele país. Paranhos casou-se com a Srª Anésia de Campos Paranhos em 1942 e tiveram dois filhos, o Capitão-de-Mar-e-Guerra Fuzileiro Naval Mauro Cezar de Campos Paranhos, que, entre suas diversas especialidades, é observador aéreo da Marinha do Brasil, e Maria Amélia Paranhos Araujo, casada com o Comandante Helius Ferreira Araújo, piloto da VARIG, diretor de empresa aérea e major-aviador da Reserva da FAB (Aspirante de 1962). Paulo Cezar de Lima Paranhos passou para reserva como 1º Tenente-Aviador e faleceu em 1966, após vida laboriosa e intensa, desbravando o espaço aéreo brasileiro, levando as asas do CAN aos remotos campos de pouso. Representou a FAB em importante missão no exterior e ajudou a construir os laços de nacionalidade do nosso país. Deixa sua assinatura laboriosa em capítulo único, na história da aeronáutica brasileira. 

Autor: Marco Aurélio de Mattos, Coronel-Aviador da Reserva, chefe da Divisão de Comunicação Social do INCAER 

Fonte: INCAER

sábado, 29 de setembro de 2012

Tráfego Aéreo

Brasil e Portugal estabelecem acordo em gerenciamento de tráfego aéreo
A Nav Portugal e o DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, provedor de serviços de navegação aérea no Brasil, ajustaram acordo para troca de informações técnicas e operacionais em gerenciamento de tráfego aéreo, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias do setor. A assinatura do acordo ocorreu no dia 25 de setembro de 2012, em Buenos Aires, durante a Conferência Latino Americana e Caribenha da Organização de Serviços de Navegação Aérea Civil (CANSO). O acordo é caracterizado por abrir uma nova fronteira para a cooperação e adicionará valores para a segurança da aviação nos dois países e na área de Atlântico Sul. 

Fonte:http://www.airtrafficmanagement.net

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Aeronaves

Helicóptero EC725 completa mil horas de voo
Os novos helicópteros EC-725 das Forças Armadas completam mil horas de voo no Brasil.As quatro primeiras aeronaves entregues às Forças Armadas brasileiras completaram mil horas de voo. O projeto de aquisição, conduzido pelo Comando da Aeronáutica, prevê a entrega de 50 helicópteros deste modelo para as três Forças (Exército, Marinha e Força Aérea) com transferência de tecnologia e produção de componentes no Brasil. As três primeiras unidades foram entregues em dezembro de 2010 pelo consórcio Helibrás/Eurocopter. Na FAB, o EC725 foi designado H-36 e está em operação no 1°/8° GAV, de Belém (PA). O EC725 é um helicóptero biturbina de porte médio de 11 toneladas com capacidade para decolar com até 29 combatentes equipados. Desenvolvido pela européia Eurocopter, o projeto inclui tecnologias como monitores LCD na cabine e um sistema de controle automático de voo.

Fonte: Agência Força Aérea

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Videoteca Ninja

O Dirigível Hindenburg
 Drama que buscou reconstituir os fatos que marcaram o desastre com o famoso dirigível Hindenburg - a maior aeronave construída até aquele ano, 1937, e que pegou fogo e foi destruída ao pousar em Nova Jersey. O filme dramatiza o episódio criando a hipótese de sabotagem, quando sabe-se que o acidente ocorreu por causa de uma faísca elétrica que fez explodir o tanque com toneladas de hidrogênio.

The Hindenburg - EUA - 1975
Direção: Robert Wise
Elenco: George C. Scott, Anne Bancroft, William Atherton, Roy Thinnes, Gig Young, Burgess Meredith, Charles Durning.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Nas Asas da História da FAB

FAAP apresenta mostra sobre a FAB
Entre os dias 28 de setembro e 25 de outubro, a FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) - Rua Alagoas 903 - Higienópolis- São Paulo, será sede da mostra retrospectiva: Nas Asas da História da Força Aérea Brasileira. Em 20 de janeiro de 1941, pelo decreto 2.961, foi criado pelo governo Vargas o Ministério da Aeronáutica (atual Comando da Aeronáutica) e seu braço militar, as Forças Aéreas Nacionais, que foi a 1º designação da Força Aérea Brasileira – FAB. Foram então reunidos os meios que compunham as aviações da Marinha e do Exército, além do Departamento de Aeronáutica civil- D.A.C., o qual pertencia ao Ministério de Viação e Obras Públicas. A atuação marcante do Ministro Salgado Filho, primeiro civil a comandar o então Ministério da Aeronáutica, homem com extraordinária habilidade política e grande capacidade de trabalho, foi capaz de organizar e reaparelhar a FAB, num período em que o mundo estava em guerra, além de ter criado e enviado para a Itália o 1º Grupo de Caça – 1º G.Av.Ca., e a 1º Esquadrilha de Ligação e Observação – 1º E.L.O., que sempre será motivo de orgulho para todos nós brasileiros. Para contar essas e outras histórias, o pesquisador Hermelindo Lopes Filho realiza na FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) a mostra retrospectiva: “Nas Asas da História da Força Aérea Brasileira – FAB”. A mostra reúne objetos, maquetes de aviões da aviação militar, naval e da FAB, além de livros, jornais de época, documentos e painéis com fotografias e textos, e que retratam esses 71 anos de história. A mostra terá a maquete do sofisticado avião cargueiro KC-390 em desenvolvimento pela Embraer e, ainda as maquetes dos foguetes e caças dos programas: Espacial brasileiro e FX2.

Ficha Técnica:
Período: 28 setembro a 26 de outubro.
Horários:
Terças a sextas - de 10:00 - 20:00
Sábados, domingos e feriados - de 13:00 - 17:00
Segunda: não abre (inclusive feriados)
Entrada franca.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Recreio

FAB lança concurso de desenho
Se você quer ganhar um capacete da Esquadrilha da Fumaça autografado pelos pilotos, participe do 1º Concurso Cultural de Desenho da Força Aérea Brasileira (FAB), lançado no dia 24 de setembro de 2012, pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica. Crianças de até 12 anos poderão enviar seus desenhos com o tema “a Força Aérea na minha vida” para fan page oficial da FAB e concorrer a prêmios. A promoção é válida de 24 de setembro a 10 de outubro de 2012.Os três desenhos mais “curtidos” na fan page oficial da FAB no Facebook irão ganhar, respectivamente, os seguintes prêmios da Esquadrilha da Fumaça: um capacete usado pelos pilotos, uma maquete da aeronave Tucano e kits com brindes, entre outros prêmios. 

Veja o regulamento: Agência Força Aérea

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Aeroclubes

Aeroclube de Guaratinguetá
O Aeroclube de Guaratinguetá foi fundado em 15 de julho de 1940.Ainda em meio a Segunda Guerra Mundial falava-se muito em aviação. Getúlio Vargas, que governava o país na época era um entusiasta. Intelectuais criaram inclusive uma campanha de divulgação com o apelo “Dêem asas ao Brasil”. Pegando carona na ideia, as alunas da Escola Normal “Conselheiro Rodrigues Alves”, incentivadas por professores desenvolveram uma campanha similar intitulada “Campanha de Aviação- Asas para Guaratinguetá e Pilotos para o Brasil”. As estudantes vendiam o V de Vitória (era período de Guerra na Europa) feito de fitas verde e amarela por mil réis. O objetivo era angariar fundos para que a instituição, recém criada, pudesse entrar em operação. Em duas semanas foram arrecadados o suficiente para a compra de dois aviões, que receberam os nomes de “Comendador Rodrigues Alves” e “Frei Galvão”.O Aeroclube de Guaratinguetá(SP) oferece aos seus alunos e associados operações nos períodos diurno e noturno. Conta com a facilidade de hangares e alojamento para alunos e pilotos. A proximidade de Guaratinguetá com outros aeroportos que são referência na região do Vale do Paraíba facilitam a instrução. 

Saiba mais: (12) 3122-2500   www.aeroclubeguara.com.br

domingo, 23 de setembro de 2012

Especial de Domingo

Há duas semanas das eleições municipais reproduzimos hoje uma excelente iniciativa dos Escoteiros do Brasil: O Pacto Escoteiro.
Um belo exemplo para ser incentivado e seguido.
Boa leitura.
Bom domingo!


Histórico
O Pacto Escoteiro é uma proposta dos Escoteiros do Brasil para apresentar o Escotismo, suas principais características e necessidades, com o objetivo de permitir o engajamento de forças políticas em prol do Movimento Escoteiro. Destina-se aos candidatos(as) a prefeitos(as) e vereadores(as) das eleições municipais de 2012, para que incorporem, em suas plataformas eleitorais, as demandas do Escotismo. Além disso, nessa primeira edição, procura-se fazer um levantamento da força política dos escoteiros em nosso país. O fundador do Escotismo, o inglês Baden-Powell ao falar sobre o futuro do Movimento Escoteiro disse que este terá um efeito vital e de longo alcance pelo mundo afora a favor da causa da paz. Que este Pacto seja uma pequena parcela deste grande objetivo.

Introdução
O Movimento Escoteiro, reunindo mais de 30 milhões de membros em todo o mundo, tem como propósito contribuir com a formação integral de crianças e jovens, auxiliando-os a desenvolver suas potencialidades físicas, intelectuais, sociais, afetivas e espirituais, oferecendo-lhes um ambiente fraterno, onde a convivência é orientada por princípios claramente definidos, que resultem em pessoas felizes, dispostas a contribuir para a construção de um mundo melhor e exercer um papel ativo em suas comunidades. A forma pela qual o Escotismo alcança seu propósito fundamenta-se em um Programa Educacional próprio, que utiliza a participação em atividades atraentes e variadas para, pela experiência pessoal vivenciada por cada criança ou jovem, favorecer a aquisição de valores que nortearão a conduta e as atitudes de cada um.

Escotismo no Brasil
A União dos Escoteiros do Brasil, Escoteiros do Brasil, fundada em 4 de novembro de 1924, é uma sociedade civil de âmbito nacional, de direito privado e sem fins lucrativos, de caráter educacional, cultural, beneficente e filantrópico que congrega os Grupos de Escoteiros no Brasil. Hoje existem aproximadamente 80.000 escoteiros filiados à Escoteiros do Brasil. A União dos Escoteiros do Brasil é filiada à Organização Mundial do Movimento Escoteiro (WOSM). Os Escoteiros do Brasil tem reconhecimento de Utilidade Pública Federal pelo Decreto n° 3.297 de 11/07/1917, reiterada pelo Decreto n° 5.497 de 23/07/1928 e como Instituição de Educação Extra-Escolar e Órgão Máximo do Escotismo Brasileiro pelo Decreto-Lei n° 8.828 de 24/01/1946.

Contexto
O Escotismo contribui para a formação de cidadãos responsáveis que compreendem a dimensão política da vida em sociedade e que desempenham um papel construtivo na comunidade. Como movimento educativo, não se envolve nas disputas político-partidárias. Entretanto, os princípios em que se baseiam o Movimento Escoteiro orientam as opções políticas pessoais dos seus membros, e a formação de cidadãos responsáveis, participantes e úteis em sua comunidade exige que estejam atentos à realidade política. Os escoteiros, desde jovens, são incentivados a serem leais ao seu país e amarem sua terra natal, seu povo e sua cultura; em harmonia com a promoção da paz, sem hostilidades entre classes sociais ou entre nações. A fraternidade mundial é promovida entre os jovens e difunde-se a ideia de cooperação mundial entre países e organizações.



Propostas
Convidamos a assinar o Pacto pelo Escotismo todos os candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Legislativas municipais e apresentamos para o debate as seguintes propostas:

1. MANTER POSTURA E CONDUTA ÉTICA
Ter uma atuação parlamentar em estrita observância da ética, da transparência, do respeito ao bem público e dos valores da Promessa Escoteira;

2. FORTALECER A EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL
Encorajar o Poder Público a apoiar organizações e programas de educação não-formal, contribuindo para a educação mais ampla e construção de um futuro sustentável;

3. APOIAR O JOVEM NA TOMADA DE DECISÃO
Valorizar a participação ativa dos jovens nos processos de decisão, apoiar a criação/fortalecimento dos Conselhos Municipais de Juventude, a realização de conferências municipais e da abertura de outros canais de diálogo e participação da juventude, como câmaras temáticas e grupos de trabalho, assegurando a aplicação das demandas apresentadas e aprovadas nestes espaços;

4. APOIAR POLITICAMENTE DEMANDAS E PROJETOS ESCOTEIROS
Propor projetos de lei com base nas demandas originadas pelos Escoteiros do Brasil, articular a sua tramitação e aprovação;

5. AUXILIAR NA INSERÇÃO EM CONSELHOS DE GOVERNANÇA
Recomendar o Movimento Escoteiro para ocupação dos espaços de definição de políticas públicas junto aos Conselhos Municipais, Regionais e Nacionais pertinentes, reforçando e dando visibilidade a contribuição do Escotismo para a juventude brasileira;

6. COLABORAR COM A DIVULGAÇÃO DO MOVIMENTO ESCOTEIRO
Contribuir para a formação da opinião pública e intervir a respeito de determinados temas de interesse do Escotismo Brasileiro, a partir de pronunciamentos em plenário, convocação de audiências públicas e comissões parlamentares ou executivas.

Carta Compromisso
Eu,___, candidato(a) pelo Partido___, ao cargo de___, do município de___, no estado___, caso seja eleito(a), assumo o compromisso de apoiar politicamente os Escoteiros do Brasil, implementando as propostas apresentadas no documento anexo(vide itens acima). [Local], [Data], [Nome],[Assinatura], [Grupo Escoteiro],[Contato do Grupo] 
Assim que assinado, este documento deve ser enviado para institucional@escoteiros.org.br

Saiba mais:Escoteiros do Brasil

sábado, 22 de setembro de 2012

Tráfego Aéreo

Brasil capacita controladores paraguaios
Terminou, no dia 18 de setembro de 2012, a missão internacional do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Foz do Iguaçu (DTCEA-FI), para capacitar quatro controladores paraguaios como instrutores e disseminadores dos serviços de controle de tráfego aéreo com uso de radares. O Paraguai atualmente é o único país da América do Sul que ainda não utiliza radares nos seus serviços de controle de tráfego aéreo. A Missão Técnica Aeronáutica Brasileira, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o CINDACTA ll e o DTCEA-FI participaram desse intercâmbio. Desde o dia 23 de julho, os instrutores do Controle de Aproximação de Foz do Iguaçu (APP-FI) trabalharam para transmitir aos alunos paraguaios conhecimentos dos serviços de controle com uso do radar. 

Fonte: Agência Força Aérea

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Fim de Semana Aéreo

Campo de Marte abre portões neste final de semana
O Campo de Marte, em São Paulo, SP, abre seus portões neste final de semana, 22 e 23 de setembro de 2012, para a população conhecer mais sobre as atividades da Força Aérea Brasileira (FAB). A Esquadrilha da Fumaça fará três apresentações e estão previstos ainda shows do cantor Leonardo e outras atrações musicais, como a Banda da Base Aérea de São Paulo. A programação é gratuita e ocorre das 9 às 17 horas. Os visitantes conhecerão aeronaves da FAB, como o caça F-5EM e o C-105 Amazonas. O Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo instalará um console para mostrar como é realizado o controle de tráfego de aviões e helicópteros sobre a cidade. 

Fonte: Agência Força Aérea

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pioneiros

20 de setembro: nascimento de Eduardo Gomes
Eduardo Gomes, nascido em Petrópolis, RJ, no dia 20 de setembro de 1896, foi um aviador, militar e político brasileiro. É o patrono da FAB - Força Aérea Brasileira. Foi ministro da Aeronáutica por duas vezes, no governo Café Filho (1954-1955) e no governo castelo Branco (1965-1967).Trabalhou na criação do Correio Aéreo Militar, atual CAN – Correio Aéreo Nacional. Entre suas ações políticas, em 1935, comandou o 1º Regimento de Aviação contra o levante conhecido como Intentona Comunista. Em 1945 e em 1950, foi candidato a presidente da República. Em 1941, com a criação do Ministério da Aeronáutica, foi promovido a brigadeiro. Participou da organização e construção das Bases Aéreas que iriam desempenhar importante papel no esforço dos aliados na Segunda Guerra Mundial.


Mensagem do Comandante da Aeronáutica

NASCIMENTO DO PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

NA ANTIGUIDADE GREGA, BERÇO DOS IDEAIS DEMOCRÁTICOS, OS GRANDES FILÓSOFOS ALICERÇAVAM SUAS LIDERANÇAS À FRENTE DA SOCIEDADE ATENIENSE, TANTO AO BUSCAREM INCESSANTEMENTE O APRIMORAMENTO DO CONHECIMENTO HUMANO, COMO AO CULTUAREM, DE FORMA IRRESTRITA, A LIBERDADE DO PENSAMENTO.ESSES MESMOS PRINCÍPIOS NORTEARAM A AGUERRIDA TRAJETÓRIA DO PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA, O MARECHAL EDUARDO GOMES, VISIONÁRIO SOBREVIVENTE DO FORTE DE COPACABANA, PARA O QUAL – SÓ A LIBERDADE CRIA VALORES ESTAVÉIS; SÓ A EDUCAÇÃO REDIME, ORIENTA E COMANDA.HOJE, AO PASSAR EM REVISTA À TROPA NO INOLVIDÁVEL CAMPOS DOS AFONSOS, ASSEGURO A PERPETUAÇÃO DESSAS LÍDIMAS VIRTUDES, PRESENTES EM TODA A HISTÓRIA DA AERONÁUTICA BRASILEIRA, TESTEMUNHANDO A INABALÁVEL ALTIVEZ E GARBO DAQUELES QUE, ORGULHOSAMENTE, ENVERGAM HÁ 71 ANOS O AZUL DOS CÉUS DO NOSSO VALOROSO BRASIL.PAÍS, CUJOS ESFORÇOS PARA A SEDIMENTAÇÃO DA UNIÃO NACIONAL, DEVERAM-SE, EM LARGA MEDIDA, ÀS ABNEGADAS INICIATIVAS EMPREENDIDAS POR HOMENS DO QUILATE DO NOSSO PATRONO, QUE ALÉM DE PRECURSOR DO CORREIO AÉREO NACIONAL, REVELOU-SE UM ILIBADO HOMEM PÚBLICO, DEFENSOR DOS MAIS PUROS PRINCÍPIOS DEMOCRÁTICOS E CONSTITUCIONAIS.MESMO SEM A ALMEJADA VITÓRIA NOS PLEITOS, A VOCAÇÃO DE ESTADISTA NATO FICAVA PATENTE NO SEU PREMONITÓRIO COMUNICADO AO PÚBLICO, APÓS O ANÚNCIO DO RESULTADO DAS ELEIÇÕES DE 1945:“SEJAMOS VIGILANTES NO AMOR À LIBERDADE... MUITAS SÃO AS SURPRESAS QUE DESVIAM OS POVOS DO SEU RUMO ESPONTÂNEO; ELAS, PORÉM, SÓ PRODUZIRÃO EFEITOS DURADOUROS SE OS DEMOCRATAS TRANSIGIREM COM SUA FÉ.”AINDA QUE A FÉ DESTE LÍDER NACIONAL NÃO TENHA SIDO, INTEGRALMENTE, ORIENTADA À VIDA PÚBLICA, SUAS MANIFESTAÇÕES NO ÂMBITO DO PODER AEROESPACIAL BRASILEIRO REVELARIAM-SE SÓLIDAS E PERENES.ENTRE TÃO RICAS CONTRIBUIÇÕES, SEU INSIGNE LABOR EM PROL DA AERONÁUTICA REMONTA À CONCEPÇÃO DOUTRINÁRIA PARA A CRIAÇÃO DO NOSSO MINISTÉRIO. JÁ SE DIMENSIONAVA O VULTO DO LEGADO, QUE AQUELE JOVEM “TENENTE” DA DÉCADA DE VINTE OFERTARIA ÀS GERAÇÕES FUTURAS.CONSOLIDADO O VICEJAR DA ARMA AÉREA INDEPENDENTE, O JOVEM BRIGADEIRO, JÁ COMO COMANDANTE DA SEGUNDA ZONA AÉREA, ENFRENTARIA A DESAFIADORA MISSÃO DE GERENCIAR O HERCÚLEO SUPORTE LOGÍSTICO ÀS FORÇAS ALIADAS, OPERANDO NO NORDESTE BRASILEIRO, CONTRA OS AMEAÇADORES SUBMARINOS DO EIXO.NASCIA SOB SEUS AUSPÍCIOS, OUTRO LENDÁRIO “CAMPO DE POUSOS” DE NOSSA FORÇA AÉREA – O TRAMPOLIM DA VITÓRIA.CONQUISTADO O TRIUNFO NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL, O MILITAR E O HOMEM PÚBLICO MESCLARIAM-SE NA PERSONALIDADE DO ETERNO CIDADÃO DE PETRÓPOLIS.FORJAVA-SE, AO LONGO DE AGITADOS PERÍODOS DA HISTÓRIA NACIONAL, O ÍCONE MILITAR QUE SERIA CONHECIDO POR SUAS INABALÁVEIS RETIDÃO DE CARÁTER, IDEALISMO E, ACIMA DE TUDO, INEQUÍVOCO AMOR À PÁTRIA.AMOR INCONDICIONAL AO BEM COMUM, REFLETIDO INCLUSIVE NA ESFERA PESSOAL, AO DEDICAR-SE, INTEIRAMENTE, AO BEM DE NOSSA INSTITUIÇÃO, E AO MANTER UMA DISCRETA ROTINA DE DOAÇÕES ÀS OBRAS DE CARIDADE. GANHAVA VIDA A MÁXIMA DE QUE – O EXEMPLO É A MAIS PODEROSA RETÓRICA.MODELO QUE CONTINUA INSPIRANDO HOMENS E MULHERES DA NOSSA AERONÁUTICA, AO OBJETIVAREM, COMO SEU PATRONO, A HARMÔNICA FUSÃO ENTRE O TRADICIONALISMO DA CARREIRA DAS ARMAS E A MODERNIDADE NECESSÁRIA AO EMPREGO DO VETOR AÉREO.HERDEIROS DE EDUARDO GOMES,ESTA OBSTINADA BUSCA DA HARMONIA ENTRE O ANTIGO E O MODERNO REPRESENTA, AO COMEMORARMOS HOJE O NASCIMENTO DO PATRONO DA FORÇA AÉREA, O CERNE DO OFÍCIO MILITAR DA ATUALIDADE.POIS DE UM LADO ESTÃO AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA O AUTÊNTICO LÍDER MILITAR – CORAGEM DE ATITUDES, AUTORIDADE MORAL, RESPONSABILIDADE E ESPÍRITO PÚBLICO – ENQUANTO DO OUTRO, EVIDENCIAMOS A LIBERDADE DE AÇÃO, COMO FORÇA MOTRIZ DO APRIMORAMENTO DOUTRINÁRIO DA CASERNA.INSPIRADOS NESTES MILENARES PRECEITOS FILOSÓFICOS, MANTENHAMOS ACESA A MESMA CENTELHA, PRESENTE NOS 85 ANOS DE VIDA, DAQUELE QUE COMANDOU A FORÇA AÉREA BRASILEIRA COM O OLHAR DE UM ESTADISTA E O CORAÇÃO DE UM JOVEM TENENTE.QUE A FÉ EM DEUS PERPETUE-SE NA HISTÓRIA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA!

Brasília, 20 de setembro de 2012.

Tenente-Brigadeiro-do-Ar JUNITI SAITO

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Aeroportos

Viracopos será o maior aeroporto da América Latina
Com a meta de entregar a primeira fase de obras de ampliação em maio de 2014, a Concessionária Aeroporto Brasil Viracopos anunciou que vai adiantar a entrega da segunda pista do aeroporto para 2017, seis anos antes da previsão inicial. O grupo pretende investir R$ 8,4 bilhões na área durante os 30 anos de contrato, tornando o aeroporto de Campinas, o maior da América Latina, atendendo a um fluxo de 80 milhões de passageiros por ano.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Educação

Medicina Aeroespacial
O Centro de Instrução Especializada da Aeronáutica (CIEAR) realizou (14/09) cerimônia de encerramento do Curso de Especialização em Medicina Aeroespacial (CEMAE), que teve a duração de 60 dias letivos e certificou 63 oficiais médicos, sendo 57 da Força Aérea Brasileira, 1 da Marinha do Brasil e 5 alunos estrangeiros, representantes do Equador, Panamá, República Dominicana e Venezuela. O encerramento do curso contou com a presença do Brigadeiro Médico Jorge Rebello Ferreira, Subdiretor de Logística da Diretora de Saúde da Aeronáutica (DIRSA), e autoridades militares do Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE), do CIEAR, da DIRSA e do Comando Geral do Pessoal (COMGEP).

Fonte: CIEAR

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Espaço

Foguete brasileiro foi lançado com sucesso na Noruega
Foi lançado, com sucesso, no dia 13 de setembro de 2012, o foguete brasileiro VS-30/Orion V07, transportando a carga útil denominada HIFIRE 3. O evento foi realizado no Centro de Lançamento de Andoya, na Noruega. O foguete atingiu a altitude de 345 quilômetros. O experimento HIFIRE faz parte do programa “Hypersonic International Flight Research Experimentation Program”, liderado pela NASA, AFRL e o Australia's Defence Science and Technology Organisation (DSTO). O Brasil participará de mais 02 lançamentos, com o HIFIRE 4 e 7, empregando os foguetes VSB-30 V12 e V13, programados para junho e dezembro de 2013, respectivamente. O foguete é produto do IAE – Instituto de Aeronáutica e Espaço, localizado em São José dos Campos, SP, no campus do DCTA – Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial.

Fonte: IAE

domingo, 16 de setembro de 2012

Especial de Domingo

A carta abaixo foi selecionada no Sentando a Pua!, excelente espaço com a História da Aviação Militar Brasileira na Segunda Guerra Mundial. Seu texto, com quase 12 anos, continua atual e, certamente, traduz o sentimento de todas as crianças e jovens do Brasil que tenham a oportunidade de conhecer nossa extraordinária história. Vale como um convite a reflexão, do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - para a importância de levar à juventude - sempre - os esforços de nossa brava gente, que lutou para garantir um país melhor, um mundo melhor! 
Bom domingo! 


 Carta da Mariana

Colégio Brigadeiro Newton Braga
Rio de Janeiro, 21 de novembro de 2000
Aluna: Mariana Cardozo Simas - Turma 806
Redação sobre o filme Senta a Pua!

Senta a Pua!
Estamos no ano 2000.
Tenho 14 anos de idade.
Um dia, como outro qualquer, a escola nos fez um convite; assistir a um filme; um documentário sobre a 2ª guerra mundial.
Devo confessar que foi apenas um pretexto para passar uma tarde fora.
Quando a fita foi passando, sem dar conta, foi tomando a minha atenção.
Eram depoimentos de homens que, a princípio, me pareciam comuns, como o meu avô.
Aqueles senhores contavam histórias, vividas por eles, com a voz presa e lágrimas nos olhos.
As lembranças eram relatadas de tal forma, que eu podia vê-las em seus rostos.
Como se neles, outra fita estivesse sendo projetada.
Como mágica. Falavam das missões, dos riscos, dos medos.
Quanto aos medos o que mais me impressionou nos relatos, foi o fato de que, muito mais do que temer a morte, eles temiam a necessidade de matar.
Alguns contaram como viram amigos serem feridos, mutilados e mortos.
Mal podia tirar os olhos da tela, e muitas vezes me transportava a 1944, como se pudesse protegê-los, caso lá estivesse.
Ao término do filme, saímos do cinema maravilhados.
Nossos comentários eram unânimes: "me amarrei...", "chocante", "muito bom"...
Não sabíamos que a surpresa maior estaria do lado de fora.
Eram alguns dos militares que fizeram parte do filme, ao vivo e a cores, falando com os alunos, respondendo a perguntas, com a mesma emoção que eu havia visto no filme.
A emoção tomou conta de mim de tal forma que corri até eles e pedi autógrafos como uma "tiete" de uma banda de rock.
Eles eram exatamente o que eu vi no filme, senhores, velhinhos, vovozinhos, que provocaram em mim um desejo enorme de abraçá-los, acariciar suas cabeças branquinhas e lhes dizer:
Agora está tudo bem, você voltou, está em casa, eu vou cuidar de você, não precisa mais chorar, e sim ter orgulho por ter cumprido seu dever, representando bravamente seu país. Sei que as cicatrizes do corpo e da alma jamais sumirão, mas sejam felizes, porque hoje, no ano 2000, alguém de apenas 14 anos, na humilde pretensão de amenizar de alguma forma as tristes lembranças, tem o orgulho de poder dizer a todos vocês muito obrigada, o Brasil se orgulha de vocês.

sábado, 15 de setembro de 2012

Esquadrilha da Fumaça

Circuito Cívico - EDA
Os oito aviões T-27 Tucano e mais o C-105 Amazonas que está apoiando a Fumaça no Circuito Cívico pousaram no dia 14 de setembro, às 11 horas, no Aerporto Internacional Santos Dumont de Foz do Iguaçu/PR. Na recepção muitos órgãos de imprensa estavam presentes e foi realizada uma entrevista coletiva com um dos pilotos que falou sobre a programação para esses dias. A equipe ficará até domingo, 16, quando parte para Toledo/PR. A última vez que estivemos em Foz do Iguaçu foi no ano de 2004, por isso estamos ansiosos para a demonstração que acontece hoje, dia 15, às 16h30, no Gramadão da Vila A. Imperdível!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Berlim Air Show

Evento reúne 270 aeronaves
A feira International Air Show Berlin 2012, de 11 a 16 de setembro, na capital da Alemanha, reúne 270 aeronaves. O evento reúne mais de 1200 expositores de 46 países, entre fabricantes de aeronaves, fornecedores e prestadores de serviço para a indústria aeronáutica. Entre as atrações estão o Airbus 380, a maior aeronave comercial do mundo, jatos militares e aviões esportivos.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Biblioteca Ninja

AVIÕES INCRÍVEIS
O céu é o limite com esta visão arrojada e arrebatadora dos marcos de nossas conquistas do espaço aéreo.Um texto animado e imagens empolgantes registram a competição para voar mais longe, mais alto, mais rápido, e descreve os pioneiros e máquinas que alavancaram as fronteiras da tecnologia.Para trazer esta aventura extraordinária à vida, cinco aviões marcantes, desde o antigo monoplano de Blériot até o legendário 'Bell X-1', são representados por modelos voadores reais para tornar este livro uma visão prática, empolgante e original na história da aviação.Um ótimo presente para a garotada a partir de 05 anos.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Educação

Reproduzimos hoje um artigo publicado no último dia 9/9/12, no jornal O Vale, de autoria de Ozires Silva, grande brasileiro que sempre se manifesta pelo fortalecimento da educação.
Boa leitura!

Transformação pela educação
Recentes publicações econômicas estão apresentando manchetes preocupantes e que não nos colocam em vantagem na posição que o mundo global nos reserva entre as nações de maior sucesso. Assim, as indicações levam-nos a pensar que teremos participação menor no contexto das previsões de analistas internacionais. Ou, o que em nada ajuda, a de um país no seu sempre padrão do passado de ‘em desenvolvimento’. Ou seja, ganhando um quinhão menor da prosperidade internacional. As notícias são de nossa quase impossibilidade de nos compararmos com os aumentos de produtividade e de ocupação do mercado de produtos ou de serviços mundiais, os quais parecem sempre estar ocupados pelos tradicionais ‘desenvolvidos' ou, em particular, pelos novos emergentes, entre os quais se destacam a Coreia do Sul e a China. Cabe pergunta sobre razões do motivo de isso estar acontecendo. Consultando quadros de estatísticas do IBGE, constatamos a natural preocupação de verificar uma queda, desde o início dos anos 2000, nas matrículas e nas graduações em quase todos os níveis da educação nacional. As empresas brasileiras de tecnologia mais avançada já estão procurando recrutar talentosos colaboradores no exterior por falta de profissionais locais suficientemente qualificados. E os produtos modernos se apresentam cada vez mais complexos tanto para serem projetados como fabricados, requerendo especialistas de maiores níveis de preparação. Portanto, a resposta à pergunta feita certamente tem base no que estamos oferecendo para melhor educar e preparar os jovens brasileiros para competir no mercado mundial, crescentemente competente. Nas competições internacionais sobre cultura e educação, emergem quadros de insuficiência dos estudantes brasileiros e abundam comentários sobre falta de talentos humanos qualificados até para atender números de vagas disponíveis nas empresas. A Coreia do Sul, em contrapartida, aparece no mercado internacional como país apaixonado pela educação, numa associação entre pais preocupados e autoridades procurando satisfazer a incrível e contínua demanda por saber. Os alunos coreanos dos cursos fundamentais são considerados os melhores nas disputas das competições internacionais. A pergunta é direta: serão eles superdotados? Nada disso, apenas tiveram oportunidades de estudar em boas escolas de qualidade diferenciada que usam e contam com métodos e processos de ensino também melhores. É fato constatado que a Coreia não apenas investe mais e melhor em educação do que o Brasil,como também continua a fazer uso mais eficiente do dinheiro. Os coreanos gastam duas vezes mais na formação de um universitário do que na de um aluno de ensino fundamental, o que é proporção equilibrada para padrões internacionais. No Brasil,um universitário custa muito mais caro.  Parece que aqui gastamos pouco com ensino fundamental e muito com setor universitário. Há 50 anos, a Coreia estava sendo destruída por guerra civil que dividiu o país ao meio, deixou um milhão de mortos e a maior parte da população na miséria. Um em cada três coreanos era analfabeto. Hoje, oito em cada dez habitantes chegam às universidades. Os esforços para mudar o quadro iniciaram-se na década de 70. Em trinta anos, o quadro virou e surpreende que o pequeno país, não dispondo de matérias primas, hoje está em todos os países, tendo seus produtos ganhando aceitação no mundo inteiro. Na China não é diferente. Os produtos chineses que estão em praticamente todas esquinas das cidades brasileiras já não são aqueles que se dizia no passado como algo de qualidade inferior. Nos produtos da moderna economia chinesa ficam claros padrões de acabamento e de adequação ao uso embutidos no que estão produzindo para abastecer as prateleiras do mundo. Podemos estar certos de que todo esse sucesso passa pela base de educação diferenciada e eficaz. Temos que nos preocupar com novos padrões para formar os brasileiros do futuro, pois se nada fizermos ficaremos fora da transformação possível e necessária

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Tecnologia

Projetado avião em forma de estrela ninja que gira no ar
Cientistas americanos trabalham no projeto de um avião que, com uma forma parecida a uma estrela ninja, pode girar 90 graus no ar para voar de lado e alcançar assim velocidades supersônicas capazes de fazer o trajeto Nova York-Tóquio em quatro horas. "É um avião bidirecional, que respeita o meio ambiente com consumo eficiente, é economicamente viável e capaz de transportar passageiros a velocidades supersônicas", resumiu à Agência Efe o professor de engenharia aeroespacial Ge-Chen Zha, da Universidade de Miami, responsável pelo projeto futurista. A fuselagem dos aviões convencionais é composta de um compartimento em forma de tubo, para passageiros e mercadorias, e de duas longas asas inseridas aos lados, de forma simétrica sobre o eixo longitudinal, que ajudam o aparelho a se elevar. "Na hora de alcançar velocidades supersônicas (superiores aos 1.225 km/h do som), este modelo não é muito eficiente em termos energéticos, e ainda provoca uma grande explosão ao romper a barreira do som", explicou Zha.

Desenho revolucionário
Segundo o cientista, o segredo de seu revolucionário design - que conta com duas cabines de pilotagem e parece saído da saga "Guerra nas Estrelas "- é que ele é simétrico tanto pelo eixo longitudinal como pelo transversal e pode girar sobre si mesmo durante o voo para tirar proveito aerodinâmico de ambas as posições. Ao decolar, o avião é mais largo que comprido e se eleva com facilidade. Uma vez no ar, se põe "de lado", os motores giram e os aerofólios se estiram, de modo que o que eram as asas passam a ser o corpo do avião e sua largura e oposição ao vento diminuem consideravelmente. "É projetado para ser mais silencioso, mais rápido e muito mais eficiente do que outros aviões supersônicos", comentou Zha, ressaltando que seu modelo poderia consumir 30% menos que outros aparelhos do tipo. Este design futurista de avião bidirecional foi merecedor de um empréstimo de US$ 100 mil da Nasa (agência espacial americana), que tem um programa para ajudar a financiar projetos que possam representar grandes avanços em inovação e uma potencial transformação das missões espaciais.

Fonte: http://economia.uol.com.br

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Carreiras na Aviação

Novaer abrirá 1500 empregos em Santa Catarina
A indústria aeronáutica Novaer Craft, que se instalará em Santa Catarina, deverá empregar, em dois anos, 400 profissionais diretos e gerar aproximadamente 1.500 empregos indiretos em toda a sua cadeia produtiva. Um protocolo de intenções foi assinado entre a empresa e o governo catarinense. Para produzir 120 aviões por ano em Santa Catarina serão construídos dois centros: um de desenvolvimento de projetos na Grande Florianópolis e outros de fabricação e montagem da aeronave em Lages. A ideia é que a instalação da empresa seja uma espécie de âncora para o início de um polo tecnológico aeroespacial em Santa Catarina.


domingo, 9 de setembro de 2012

Especial de Domingo

A fantasia no lugar da ciência
Muitos projetos de aeronaves careciam de mínima base científica e, não obstante, seus autores envidavam esforços obstinados para demonstrar sua viabilidade e obter recursos para sua construção. Alguns conseguiram alguma repercussão na imprensa e a apreciação de seus trabalhos por comissões governamentais, criadas para julgar seus pedidos de financiamento. Em 1888, João Autto de Magalhães Castro concebeu um estranho engenho, cuja forma assemelhava-se a uma combinação de pássaro e peixe, denominado Sistema ornycthoide.

Relatório e desenho do aerostato denominado 21 de abril, datado de 15 de fevereiro de 1890.
Fonte: Arquivo nacional

Em 1890, o mineiro Leopoldo Silva solicitou patente do Aerostato 21 de abril. Nascido em 1849, agricultor da cidade de Cantagalo, no Rio de Janeiro, Silva apresentou um modelo de linhas singelas. Na verdade, seu maior interesse residia na possibilidade de exploração comercial da navegação aérea. Silva foi o primeiro brasileiro a pensar na organização de uma companhia de transporte aéreo. Para construir a “Sociedade Particular de Navegação Aérea”, ele tencionava emitir ações ao portador no valor de 100 mil réis cada, prometendo aumentar seu valor, caso fossem bem sucedidas as experiências que teria iniciado com o balão dirigível Cruzeiro do Sul, outra denominação para o mesmo aparelho objeto do pedido da patente de 1890. No ano seguinte, Silva solicitou e obteve patente de seu engenho na Alemanha, seguindo o costume, corrente entre os inventores brasileiros da época, de pedir privilégio de invenção em países estrangeiros. Mas tudo era imaginação. Em 1892, acometido de uma doença fulminante, Leopoldo Silva falecia.

Em 1890, Leopoldo Silva emitiu ações ao portador para captar recursos para a construção de seu dirigível Cruzeiro do Sul. Fonte: Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro.

Nesse mesmo ano Miguel Velez apresenta outro projeto fantástico: o aerostato dirigível Trem Velez, que combinaria as características de um balão e de um trem. O engenho seria suspenso no ar por gás, contido em um envelope, como num balão, mas seria dirigido por trilhos suspensos no ar, como um trem.

Memorial descritivo de um sistema de navegação aérea de 20 de setembro de 1890.
Fonte: Arquivo Nacional

Em 1901, o alferes de infantaria do Exército, Paulino Júlio de Almeida Nuro, solicitou patente de um bizarro engenho denominado Volátil Bartholomeu de Gusmão, uma fantástica máquina em forma de pássaro.

Pedido de patente do bizarro engenho denominado Volátil Bartholomeu de Gusmão, uma combinação de dirigível com ornitópteros. Fonte: Arquivo Nacional – documento n.º 3.500.

Na passagem do século, continuavam a surgir projetos de dirigíveis. Em 1901, Carlos Rostaing Lisboa apresentou o projeto de um dirigível denominado Brasil. Nascido em 1880, Lisboa contava com apenas 21 anos quando depositou seu pedido de patente. Seguindo o exemplo de diversos inventores, solicitou e obteve patente em diversos países como a Alemanha e a Rússia.

Desenho explicativo do pedido de patente da aeronave Brasil, projetada por Carlos Lisboa, datado de 1902.
Fonte: Arquivo Nacional – documento n.º 3.252

Seguindo a praxe dos inventores, Carlos Lisboa patenteou seu projeto em diversos países. Esta é a patente russa do engenho denominado Brasil. Fonte: Museu Aeroespacial

Outro militar que concebeu aeronaves fantásticas foi o Tenente Sayão Lobato. Em fins de 1903, ele solicitou o privilégio de um estranho engenho: um dirigível cujo invólucro tinha a forma de um peixe, e a barca a de uma embarcação sobre rodas dotadas de complexas engrenagens.

Pedido de patente de 1903. Esse bizarro engenho foi imaginado pelo tenente Sayão Lobato. Fonte: Arquivo Nacional – documento n.º 5.830

Gastão Madeira foi um dos primeiros brasileiros a projetar aeronaves. Já em 1888, aos 19 anos de idade, iniciava seus estudos e observações sobre voo das aves. Madeira combatia a opção pelos aparelhos mais leves do que o ar, julgando que a solução da navegação aérea residiria em engenhos mais pesados do que o ar, a exemplo dos pássaros. Para ele a dedução das leis básicas da aerodinâmica só poderia ocorrer a partir da observação do voo dos pássaros, devendo-se fazer convergir os esforços para esse fim. Os aparelhos mais leves do que o ar estariam em desacordo com a natureza.

O dirigível concebido por Gastão Madeira em 1890.
Fonte: Arquivo Nacional

Por outro lado, o Capitão José da Luz, veterano da guerra do Paraguai, voou num balão esférico livre em 1906, em Recife.

Fonte: Vencendo o Azul

sábado, 8 de setembro de 2012

EMCA de Asas Abertas

EMCA abre inscrições para processo seletivo
Na próxima segunda-feira, dia 10de setembro, a Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas (EMCA), de Taubaté-SP, abre inscrições para seu processo seletivo. A escola forma técnicos em manutenção aeronáutica e seu curso tem duração de dois anos. Em seus oito anos de existência, a EMCA formou 285 alunos em 6 turmas. Sob o lema "Você tem que merecer estar aqui", o índice de aprovação dos alunos nas avaliações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) é de 86% – o mais alto do país. Atualmente, os alunos da EMCA realizam um estágio de 450 horas no Batalhão de Manutenção e Suprimento da Aviação do Exército – acompanhando atividades de manutenção de helicópteros – bem como em empresas civis de aviação. Durante o curso, há várias visitas a empresas (as últimas foram Embraer e Helibras) e eventos de aviação. Também são realizadas palestras e atividades esportivas. Para mostrar estes e outros aspectos da escola, um grupo de alunos está organizando o open house "EMCA de Asas Abertas". O evento acontecerá no dia 14 de setembro, sexta-feira, a partir das 9h. A EMCA estará aberta ao público em geral, mas o foco está nos alunos do terceiro ano do Ensino Médio – que já poderão retirar o edital e os formulários para inscrição. A entrada é franca e não é necessário reservar. A EMCA fica na rua Tomé Portes Del Rey, 507, na Vila São José, próximo à EMEF Dom José Antônio do Couto, ao lado da antiga Casa do Menor, na rua dos museus, e ao lado da Escola Técnica Estadual Dr. Geraldo Alckmin – Fundação Paula Souza. O telefone da EMCA é (12) 36087579 e o e-mail emcataubate@yahoo.com.br 

Contatos/saiba mais: edu_oliveira@live.com / (12) 97082524 / http://blogdoastronomo.wordpress.com

Enviado por Eduardo Oliveira - estudante de manutenção aeronáutica e mecatrônica, astrônomo amador e professor.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Datas Especiais

No Dia da Independência, FAB faz desfiles terrestre e aéreo em Brasília
Além da passagem de tropas terrestres e do show aéreo da Esquadrilha da Fumaça, trinta e seis aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) sobrevoam a Esplanada dos Ministérios neste 7 de setembro de 2012, como parte das comemorações do Dia da Independência em Brasília (DF). São helicópteros e aviões de caça, transporte, treinamento, patrulha marítima e reconhecimento que participam da festa cívica, demonstrando amor à Pátria. Do desfile, participam 360 militares da Força Aérea Brasileira, incluindo um grupamento feminino em homenagem aos 30 anos da presença da mulher na FAB e cadetes da Academia da Força Aérea (AFA). 

Fonte: Agência Força Aérea

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

EMBRAER

KC390 já tem definições de engenharia
Entre 20 e 29 de agosto de 2012, a equipe de desenvolvimento do avião KC-390 reuniu-se com militares da FAB para a Revisão Preliminar do Projeto, quando foram apresentadas as soluções de engenharia adotadas pela Embraer para a estrutura e os diversos sistemas da aeronave. Em março de 2013, um novo encontro irá congelar a configuração do KC-390 e liberar os desenhos de produção, última fase antes da construção dos protótipos. Durante o encontro de revisão, a equipe de especialistas da Embraer demonstrou a maturidade do projeto a partir dos componentes e interfaces que já estão definidos. Isso inclui a cabine de pilotagem, que tem um simulador de engenharia pronto. Militares da FAB, como a Tenente Aviadora Joyce Conceição, já puderam conhecer como será a cabine do KC-390. O novo avião deverá fazer seu voo inaugural em 2014, e as primeiras entregas para a FAB estão programadas para 2016. O KC-390 irá substituir os C-130 Hércules em missões de transporte e reabastecimento em voo. 

Fonte: Agência Força Aérea

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Carreiras na Aviação

Controlador de tráfego aéreo
Com a missão de manter o tráfego de aviões em ordem (e consequentemente prevenir acidentes), os controladores de tráfego aéreo ficam ligados 24 horas por dia, sete dias por semana no que rola nos céus do Brasil. “Essa é uma profissão que exige uma visão pontual, raciocínio e tomadas de decisão rápidas o tempo todo”, afirma o capitão Paulo Sérgio de Jesus Barcellos, chefe da seção de instrução e atualização técnica do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea e presidente da junta de julgamentos da Aeronáutica. Por conta disso, neste tipo de função, jornadas de trabalho superiores a oito horas são vetadas. Mais de (cerca de) duas horas desempenhando a mesma função, também. Desta forma, todos os dias, as equipes que atuam nas torres de controle dos aeroportos, nos centros de controle de aproximação e nos centros de controle de área dividem seu trabalho em três turnos de 8 horas cada – que são revezados pela equipe. Neste período, descontadas as horas de descanso, o controlador de tráfego aéreo faz um revezamento de funções. “Dependendo do número de recursos humanos disponível, ele pode trabalhar, por exemplo, duas horas como controlador, ter um período de descanso, depois como assistente de controlador e, por fim, como coordenador”, afirma o capitão Barcellos. “Ao final de uma jornada de três sequências de oito horas, o controlador tem uma folga”, conta. Que pode ser durante o fim de semana, feriados ou dias úteis mesmo.

Fonte: http://exame.abril.com.br

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Volta ao Mundo

Brasileiro conclui volta ao mundo em monomotor
O piloto brasileiro Walter Toledo, de 20 anos, chegou no Aeroporto Campos dos Amarais, em Campinas (SP), na manhã do dia primeiro de setembro de 2012, após completar sua volta ao mundo com um monomotor. Ele espera ser reconhecido pelo livro dos recordes "Guinness World Records" como o mais jovem a realizar o feito. Toledo iniciou a viagem em 3 de julho. "Missão cumprida, graças a Deus consegui trazer o recorde para o nosso país", comemorou o piloto. O jovem foi recebido por cerca de 150 pessoas, entre amigos e familiares.

Livro dos Recordes 
A expedição "Brasil Voando Alto" durou 60 dias, mas o comandante concluiu o trajeto definido pelo livro dos recordes no dia 25 de agosto, quando pousou em Miami (EUA). Durante o percurso, Toledo percorreu 40,8 mil quilômetros e passou por 37 aeroportos de 12 países. Além disso, foram necessários 8,9 mil litros de combustível para 126 horas de voo, superar a burocracia do governo russo para abastecer a aeronave, além de aguardar pela passagem do furacão Isaac para retornar ao Brasil. "Se não fossem estes problemas, poderia ter concluído a expedição com 20 dias a menos, talvez. Mas não tem problema, estamos muito felizes", falou Toledo. O comandante reuniu imagens de GPS, registros de voo, carimbos nos passaportes dos países que passou, além de vídeos e fotografias produzidos por um amigo e vai apresentar o material à equipe do 'Guinness World Records', onde o projeto já foi inscrito, para buscar a confirmação do novo recorde.

Fonte: http://g1.globo.com 

Saiba mais: blog do NINJA – Núcleo Infantojuvenil de Aviação de 06/07/2012

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Força Aérea Brasileira

FAB faz atendimentos médicos para população amazônica
A FAB – Força Aérea Brasileira, por intermédio do CAN – Correio Aéreo Nacional, na linha CAN Juruá-Solimões, concluída na segunda quinzena de agosto de 2012, realizou quase 900 atendimentos médicos à população ribeirinha e distribuiu aproximadamente 100 quilos de medicamentos, como analgésicos, antibióticos, antiparasitários, além da coleta de preventivos ginecológicos. Foram 16 horas de voo na qual foram atendidos os municípios de Anori, Itamarati, Envira, Ipixuna e São Paulo de Olivença, no Amazonas. A rota partiu da Base Aérea de Manaus (BAMN) numa aeronave C-98A (Grand Caravan) do Esquadrão Cobra (7º ETA) com os conhecidos “Anjos da Amazônia”, uma equipe composta por um clínico geral, um pediatra, um ginecologista, uma dermatologista e um enfermeiro. Os pacientes foram antecipadamente triados pelos municípios por meio de suas secretarias de saúde, após contato prévio e planejamento do Sétimo Serviço Regional de Saúde (SERSA VII), visando otimizar os resultados, na medida que dá atenção aos pacientes que realmente necessitam de atendimento especializado. A escolha da rota foi baseada em critérios técnicos e humanitários, tentando atender a municípios que, mesmo com o fim da maior enchente da história, ainda sofrem com os efeitos da subida das águas. A distância do conforto de casa, o calor de quase 40°C nessa época do ano, as pistas muitas vezes não bem preparadas e a falta de estrutura quase sempre presentes são as grandes dificuldades encontradas. As linhas CAN são fruto da coordenação e apoio do VII COMAR, SUSAM (Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas) e Prefeituras dos municípios atendidos e têm caráter humanitário. Os militares que servem na Amazônia testemunham, rotineiramente, em missões como essa, a ansiedade e a alegria com que são recebidos pelas populações ribeirinhas. 

Fonte: Agência Força Aérea

domingo, 2 de setembro de 2012

Especial de Domingo

José do Patrocínio e o Dirigível Santa Cruz
Nascido em Campos, Estado do Rio de Janeiro, a 9 de outubro de 1853, José do Patrocínio tornou-se conhecido por sua participação na campanha abolicionista. Jornalista, orador de talento e político, Patrocínio dedicou os últimos anos de sua vida ao projeto e construção de dirigíveis.


Aos 15 anos de idade deixou sua cidade natal seguindo para a Capital do Império. Uma vez no Rio de Janeiro, conseguiu um emprego na Santa Casa de Misericórdia e graças a sua vivacidade, tornou-se aprendiz de farmácia. Em 1872, aos dezenove anos de idade, entrou para a Faculdade de Medicina, onde, dois anos mais tarde, formou-se em farmácia. Mas, por falta de capital para abrir um estabelecimento próprio, ingressou no jornalismo, profissão que exerceria até a morte.


Como jornalista, tomou posição a favor de Júlio César Ribeiro de Souza, quando este contestou a originalidade do projeto do dirigível La France, concebido pelos militares franceses Renard e Krebb. Patrocínio lembrou que o inventor brasileiro não tivera mais do que uma centena de contos de réis para efetuar suas experiências, enquanto os franceses haviam podido contar com quantias mais de 10 vezes superiores.


Proclamada a República, inicia-se um período de dificuldade para Patrocínio, que se opunha ao novo regime. Em 1892, ele foi deportado para o Amazonas, sendo anistiado meses mais tarde. No ano seguinte, irrompendo a Revolta da Armada, Patrocínio escondeu-se para fugir à prisão. Durante esse retiro, deteve-se sobre uma idéia que o assaltava desde o primeiro ano da faculdade: voar num balão.

Desenhos acima integram o memorial descritivo do aeróstato Santa Cruz(1902). 
 Fonte: Arquivo Nacional 

 Em 1897, a normalidade política já voltara ao país, e Patrocínio dedicava-se ao projeto de um dirigível. Com a ajuda de um amigo, Magalhães Viégas, chefe de fundição do Arsenal da Marinha, trabalhava nos fins de semana no projeto. Na virada do século, o balão era o principal preocupação de Patrocínio. Em 1901, o projeto estava pronto. O inventor batizou sua aeronave de Santa Cruz. O aparelho traria algumas inovações: a estrutura seria de alumínio e a barca e o invólucro formariam um todo rígido e integrado.

O Presidente da República Campos Salles visita o hangar onde José do Patrocínio tentava construir o dirigível Santa Cruz. 
 Fonte: Museé de L`Air Le Bourget 

No projeto, Patrocínio pretendia utilizar simultaneamente conceituais dos aparelhos mais leves e mais pesados do que o ar. O balão contaria com asas e um invólucro contendo hidrogênio ou gás de iluminação bem como balonetes de ar quente para provocar a ascensão do aparelho. Em meados de 1901, Patrocínio instalava um hangar no bairro de São Cristóvão para a construção do aparelho. Mas em 12 de dezembro uma violenta tempestade se abatia sobre o Rio de Janeiro, destruindo o hangar e deixando um saldo de dois mortos e cinco feridos. Em 1902, Patrocínio voltava ao trabalho decidido a concluir o balão e anunciando para 7 de setembro, data nacional, o seu primeiro voo. O inventor sonhava uma viagem do Rio de Janeiro a Santos, terra de Bartholomeu de Gusmão, levando consigo seu amigo o poeta Olavo Bilac. Mas os meses passavam e a construção do dirigível não evoluía. Nem mesmo a visita ao hangar do Presidente da Republica, Campos Salles, resultou em recursos financeiros para a construção do balão. Uma emenda de autoria de Nilo Peçanha era apresentada no Congresso, propondo um auxílio de 40 contos de réis a Patrocínio e Augusto Severo dessem continuidade a suas experiências. Mas a emenda recebeu violenta oposição de Barbosa Lima, que lembrou as posições de Patrocínio contrárias a Floriano Peixoto. A realidade caminhava em sentido diverso dos planos do inventor que, naquele ano, contraía tuberculose. Doente e sem recursos, Patrocínio recebeu a visita do poeta e amigo Olavo Bilac, que o encontrou vivendo em extrema penúria. Para tentar realizar seu projeto, Patrocínio havia vendido sua casa e seu jornal, e morava num pequeno cômodo ao lado do hangar. Bilac o descreve “magro, esquelético, com olhos encovados no fundo das órbitas”. Consciente da gravidade de sua doença, Patrocínio tinha esperança de viver mais um ano para concluir o balão e "voar longe! Respirando o ar de Deus, o grande ar virgem das alturas”. Mas a morte chegou primeiro, aproximando o inventor do perfil trágico dos poetas românticos de sua época, muitos deles seus amigos, na sua obstinação solitária de construir um dirigível.

sábado, 1 de setembro de 2012

Carreiras na Aviação

Piloto de avião e Comissário de bordo
Entre diversas profissões ou atividades que requerem horários diferenciados para seu exercício, a redatora Talita Abrantes, de Exame.com, relacionou médicos, jornalistas, operadores de plataformas de petróleo, controladores de tráfego aéreo, piloto e comissários de bordo. Diz o texto de Talita: “É sexta-feira começar, para muitos profissionais por aí iniciarem uma espécie de contagem regressiva coletiva para o fim de semana. Mas, Brasil afora, muita gente raramente irá participar deste tipo de movimento. Em algumas profissões, a ideia de sábado e domingo como sinônimo de dias de folga é ficção ou história de um reino muito, muito distante. Horário comercial então? Nem pensar.” Em 15 anos de carreira como comissária de bordo da TAM, Alessandra Costa (ou comissária Tamiza) passou apenas quatro natais ou réveillons com a família. Os outros onze foram a bordo de um avião. O que para muita gente pode ser significado de pesar (e reclamação), para ela é satisfação. “Como nós, muitas vezes, o passageiro também está longe da família nestas datas. É gratificante atendê-lo nestas ocasiões”, afirma. Foi bem na virada do ano de 2008 para 2009, em uma decolagem em Paris, que o comandante Euler de Souza teve um dos momentos mais marcantes de sua carreira. “Fizemos uma curva em direção à Torre Eiffel e, neste momento, começou a queima de fogos”, conta. “Se tivesse cronometrado não teria dado tão certo”. Por lei, a jornada de trabalho de um aeronauta varia de acordo com o tipo de tripulação que ele integra. Essas jornadas variam de 11 a 20 horas. O período de repouso correlato de 12 a 24 horas – dependendo do tipo de jornada que o profissional desempenhou. Se estiver longe de casa, o tripulante tem direito a acomodações e transporte para o aeroporto. São nestes períodos, afirmam os dois profissionais, que é possível, sim, conhecer o mundo. Geralmente, a escala de voos do mês é entregue para a tripulação do avião nos últimos dias do mês anterior. “Nossa vida é desregrada, mas é programada”, afirma o comandante. No mínimo, os aeronautas têm direito a oito folgas por mês. Destas, pelo menos duas devem ser juntas e cair em um fim de semana. “Quem trabalha em avião nasceu para isso”, diz a comissária Tamiza. “Às vezes, tem o aniversário de alguém e você não pode ir, é triste, mas você tem que ser resiliente. A profissão tem muitos ganhos: a cidade está com aquele trânsito e você de folga, tem a cultura e o conhecimento de outros países”.

Fonte: http://exame.abril.com.br