Voar é um desejo que começa em criança!

sábado, 31 de outubro de 2015

Embraer

Embraer entregou 51 aeronaves no 3º trimestre de 2015
Destaques do desempenho da Embraer no terceiro trimestre de 2015, segundo dados divulgados pela empresa:

- No 3º trimestre de 2015 (3T15), a Embraer entregou 21 aeronaves comerciais e 30 executivas (21 jatos leves e nove grandes). No acumulado dos primeiros nove meses de 2015 (9M15), foram entregues 68 aeronaves comerciais e 75 executivas (57 jatos leves e 18 grandes);

- Durante o 3T15, a Companhia anunciou 20 pedidos firmes para a atual geração dos jatos comerciais E-Jets, totalizando 146 pedidos firmes neste ano para ambas as gerações dos E-Jets;

- A relação entre o número de pedidos recebidos versus o número de aeronaves entregues (book-to-bill) do segmento de Aviação Comercial ficou acima de dois nos primeiros nove meses de 2015;

- A carteira de pedidos firmes (backlog) terminou o trimestre em US$ 22,8 bilhões, ante US$ 22,9 bilhões no 2T15 e US$ 20,9 bilhões no final de 2014;

- Como resultado das entregas de aeronaves, bem como da receita do negócio de Defesa & Segurança, a Receita líquida atingiu R$ 4.577,3 milhões no 3T15, representando crescimento de 62% quando comparada ao mesmo período do ano anterior;

- As margens EBIT e EBITDA atingiram 6,7% e 12,5%, respectivamente, no 3T15, crescendo em relação às margens de 5,6% e 11,0%, respectivamente, do 3T14;

- O prejuízo líquido atribuído aos acionistas da Embraer foi de R$ 387,7 milhões e o Prejuízo por ação foi de R$ 0,5318 no 3T15. Excluídos o Imposto de renda e contribuição social diferidos, o Lucro líquido ajustado foi de R$ 255,1 milhões ou R$ 0,3499 por ação;

- A Embraer teve um Uso livre de caixa de R$ 528,9 milhões durante o 3T15;

- A Embraer reitera todas suas estimativas financeiras e de entregas para 2015.

Fonte: Embraer

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Bandeirante no Ar


Vídeo histórico retratando a produção e o primeiro voo do Bandeirante, aeronave que abriu os céus do mundo para a indústria aeronáutica brasileira e motivou a criação da Embraer.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

AeroDesign 2015

Estudantes do Brasil e exterior competem com projetos de pequenas aeronaves
Evento prossegue até da 01/11 em São José os Campos (SP), no DCTA

Começa hoje, quinta-feira, 29 de outubro de 2015, e prossegue até o dia 01 de novembro a 17ª Competição SAE Brasil AeroDesign, a ser realizada no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos (SP). Estão inscritas 95 equipes, sendo 89 do Brasil, cinco da Venezuela e uma do México. Para participar da competição, as equipes, que somam aproximadamente cerca de 1,3 mil participantes – entre estudantes, professores orientadores e pilotos –, oriundos de 71 instituições de ensino superior do Brasil e Exterior, devem projetar e construir pequenos aviões radiocontrolados segundo o regulamento da SAE BRASIL. “Os programas estudantis da SAE BRASIL são uma experiência extracurricular que faz diferença na formação do engenheiro, pois introduzem a aplicação prática e sistêmica da tecnologia, desafiam a criatividade e a inovação, além de estimular o trabalho em equipe”, afirma o engenheiro Frank Sowade, presidente da SAE BRASIL.

Categorias
A competição abrange três categorias: Classe Regular, Classe Advanced e Classe Micro. Entre as novidades do regulamento de 2015 está a distância máxima de decolagem, de 70m, independentemente da categoria. Este limite será utilizado pela primeira vez na competição, representando o maior limite de toda história da SAE BRASIL AeroDesign. Na Classe Regular, as aeronaves poderão transportar qualquer tipo de material como carga útil, exceto chumbo, e deverão respeitar uma limitação de área projetada. Será permitida apenas aeronave monomotora, equipada com motor selecionado entre os quatro indicados no regulamento. Na Classe Advanced, os aviões também poderão transportar qualquer tipo de material como carga útil, exceto chumbo. A única restrição de projeto é o peso vazio da aeronave, que não poderá exceder 3kg. A escolha do tipo de motor (combustão ou elétrico) e do número de motores é totalmente livre. Nesta edição, como estímulo ao uso de motores elétricos, a bateria poderá ser considerada como carga útil. Na Classe Micro, as aeronaves deverão transportar bolas de tênis em compartimento fechado, não podendo estar presas entre si. Todos os aviões deverão carregar a mesma carga em todos os voos: 43 bolinhas. A pontuação de voo será dada de acordo com o peso vazio da aeronave e o número de voos realizados com sucesso. Para esta categoria não existem restrições de geometria ou do número de motores, todos elétricos, porém a equipe deverá ser capaz de transportar a aeronave desmontada em caixa de 0,175m³. As avaliações serão realizadas em duas etapas: Competição de Projeto e Competição de Voo, conforme o regulamento baseado em desafios reais enfrentados pela indústria aeronáutica e disponível no site da SAE BRASIL – www.saebrasil.org.br. Ao final do evento, duas equipes da Classe Regular, uma da Advanced e uma da Classe Micro, que obtiverem as melhores as pontuações, ganharão o direito de representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2016, nos Estados Unidos. Organizado pela Seção Regional São José dos Campos, da SAE BRASIL, o Projeto AeroDesign é um programa de fins educacionais que tem como principal objetivo propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes e futuros profissionais da engenharia da mobilidade, por meio de aplicações práticas e da competição entre equipes, formadas por estudantes de graduação e pós-graduação de Engenharia, Física e Tecnologia relacionada à mobilidade.

Videoteca NINJA

Ser Aviador

Vídeo do FAB TV mostra animação do poema "Ser Aviador", de autoria do Tenente-Coronel Aviador José Marcio de Almeida (Piloto de Patrulha e Transporte da FAB) com narração de Nilson Gonçalves.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Espaço

Barreira do Inferno completa 50 anos
O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), responsável, junto com o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), pelo lançamento e rastreio de engenhos espaciais no Brasil, completou 50 anos no dia 12 de outubro de 2015. Nesse período, a unidade, localizada em Parnamirim (RN), serviu como base de onde foram lançados aproximadamente 3 mil foguetes e rastreados mais de duzentos veículos espaciais lançados a partir da Guiana Francesa, entre eles os foguetes Ariane, Soyuz e Vega. Para marcar o jubileu de ouro, o CLBI recebeu a medalha Ordem do Mérito Aeronáutico (OMA), comenda concedida a pessoas e instituições que prestam serviços relevantes à sociedade brasileira e à Aeronáutica.

Fonte: FAB

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Navegação Aérea

Brasil será pioneiro em evento sobre conceito de informações aeronáuticas SWIM
O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), da Força Aérea Brasileira (FAB), representará o Brasil, em parceria com empresas nacionais, na Demonstração Mini Global II. Essa é a primeira vez que o Brasil participa efetivamente do evento, que tem como objetivo colocar em prática um novo Conceito, o SWIM - Sistema de Gerenciamento Global de Informações, com protocolo único, que contém informações aeronáuticas, de voo e meteorológicas. As atividades são promovidas pela Federal Aviation Administration (FAA) e estão programadas para ocorrer em abril de 2016, em Daytona Beach, Flórida, Estados Unidos. O projeto Mini Global faz parte do programa norte-americano NextGen (Next Generation Air Transportation System) - semelhante ao SIRIUS brasileiro -, e tem o objetivo de mostrar como diversos provedores de serviços de navegação aérea (ANSPs) e os profissionais de diversas áreas envolvidos podem compartilhar informações comuns de forma eficiente para melhorar seu planejamento estratégico e agilizar as operações. Para isso, são utilizados cenários simulados de submissão de plano de voo, informação de posicionamento de aeronaves, publicações de NOTAM (Aviso aos Aeronavegantes) e de boletins meteorológicos. Por exemplo, pode ser realizada uma simulação de uma decolagem do Brasil para os Estados Unidos, utilizando o novo conceito e todas as informações inerentes a ele. O Brasil adquirirá conhecimento e experiência para desenvolver o SWIM no país e atuar efetivamente nas definições a serem estabelecidas pela ICAO. O conceito ainda é uma novidade no mundo inteiro. O Brasil será o país pioneiro da América do Sul a participar do evento. A Demonstração Mini Global I ocorreu em setembro de 2014. Além dos Estados Unidos, os países participantes foram: Austrália, Singapura, Canadá, Coreia do Sul, Japão, Portugal e Tailândia. Como observadores, estiveram presentes também: Colômbia, Emirados Árabes e uma equipe do programa europeu SESAR.

Fonte: FAB

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Ozires Silva

Nesta segunda-feira, mais um texto de Ozires Silva para nossa reflexão.
Boa semana!

EDUCAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO


Poucos, entre os brasileiros, podem ter na cabeça sobre o quanto a Educação é importante para o desenvolvimento econômico das suas cidades e do país. Mas sugiro que pensemos um pouco, pois quem desenvolve um país não é o governo, é o povo, dizem os exemplos de países de sucesso. Para tanto, temos de falar de povo educado e transformado pela Educação em cidadãos competentes e competitivos, que possam vencer no mundo.

Em 1876, Nikolas August Otto, alemão de nascimento, conseguiu fazer funcionar, pela primeira vez, o motor a combustão interna, partindo da ideia de usar ciclos sucessivos de pistões para a produção de energia. Estava inventando motor que revolucionou a propulsão mecânica, hoje instalado em praticamente todos os veículos. Ou seja, falamos sobre o motor do seu automóvel de hoje.

No final dos anos 90 do século XIX, Alberto Santos Dumont, nosso conterrâneo brasileiro, viu esse motor numa exposição em Paris e imaginou que aquela pequena máquina, relativamente leve, poderia ser instalada em balões. Imaginou que uma hélice colocada no eixo poderia propelir no ar uma máquina aérea. Em 19 de outubro de 1901, pela primeira vez no mundo conseguiu ganhar o Prêmio Deutsch, decolando com seu Dirigível 6, de Saint Cloud, circulando a Torre Eiffel e retornando ao ponto de partida num tempo inferior a 30 minutos. Estava inventada a dirigibilidade aérea.

Hoje, graças à Guerra Fria, Estados Unidos e Rússia, com a criação dos satélites geoestacionários temos as telecomunicações internacionais e instantâneas, que revolucionaram o mundo moderno, em todas as atividades que conhecemos.

Em meados dos anos 60, um pequeno grupo de engenheiros do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), de São José dos Campos, imaginou que aviões menores e mais robustos poderiam ocupar o espaço deixado para trás pelas novas aeronaves a jato, cada vez maiores. Criaram um avião, o Bandeirante, que se tornou prova do conceito que seria solução viável na Aviação Regional, então inexistente. Hoje, a indústria aeronáutica brasileira, com base em concepções e tecnologias locais, exporta aviões comerciais para todo o mundo, tornando o Brasil um dos importantes países no setor. 

No começo dos anos 90, Joaquim Coutinho Neto e Fátima Mrue buscavam selecionar um tipo de matéria-prima para fazer próteses artificiais que pudessem substituir esôfagos humanos naturais, funcionando como alternativa para doenças do aparelho digestivo. Tentaram o látex, seiva das seringueiras, descobrindo proteína que torna possível intensificar vascularização sanguínea nas áreas aonde o produto é aplicado, abrindo espaço para a regeneração celular ou tecidual. Hoje, há produtos que são importantes para cura de feridas de difícil cicatrização e mesmo de pés diabéticos, evitando amputações generalizadas.

O que move estes homens e mulheres que, estimulados pela busca do desconhecido, tornem-se capazes de criar, produzir novos conhecimentos e chegar a descobertas que mudam nossas vidas? 

Novidades e inovações aparecem a todo momento. São criadas por pessoas educadas e inquietas, capazes e observadoras, gerando resultados imensos e capazes de influenciar toda uma região, país ou mesmo o mundo. O importante é que precisam existir e ter sucesso. Pelo menos dois requisitos são necessários: sólida e competente base educacional, além de ambientes econômicos favoráveis, constituídos de centros de pesquisas e de conhecimento, desenvolvidos e equipados, criando possibilidades para que produtos de laboratório possam chegar à produção.

Na atualidade, o denominador é sempre o mesmo. Sociedades abertas educadas, livres para pensar e construir, apoiadas por mecanismos que possam gerar recursos financeiros e capitais de risco, buscando perscrutar o futuro, inovam para o futuro.

E, com base em conhecimentos crescentes, abrir perspectivas para melhoria da vida de imensos contingentes humanos que vivem abaixo da linha de pobreza. Para isso, precisamos investir, e muito, em Educação.

E não é somente uma obrigação do governo, mas também dos pais e dos cidadãos.

Uma tarefa que compete a todos!

Texto: Ozires Silva - engenheiro aeronáutico e fundador da Embraer.

Fonte: O Vale

domingo, 25 de outubro de 2015

Especial de Domingo

Na última semana, toda publicação do Blog do Ninja foi iniciada com a lembrança de que estávamos na Semana da Asa. Hoje, detalhando o tema, reproduzimos uma entrevista da aviadora Anésia Pinheiro Machado (1904-1999), publicada no jornal A Noite, do Rio de Janeiro, em 16 de outubro de 1954.
Boa leitura.
Bom domingo!

O espírito pioneiro de Santos Dumont e o progresso da aviação no Brasil

"Para mim, tem um significado especial as homenagens prestadas, durante a Semana da Asa, ao grande brasileiro", diz a aviadora Anésia Pinheiro Machado
Como surgiu a ideia da comemoração da Semana

Anésia Pinheiro Machado

Anésia Pinheiro Machado, conhecida aviadora brasileira, membro de numerosas associações aeronáuticas e portadora de vários títulos e condecorações, falando à reportagem do jornal A Noite, a propósito da comemoração da Semana da Asa, a iniciar-se amanhã (17/10/1954), disse que jamais faltou às homenagens que durante ela são prestadas à Santos Dumont. 

Às festas posso faltar - acrescentou - mas não à solenidade em que é homenageado aquele grande brasileiro, pois essa solenidade tem, para mim, um significado especial:

É que conheci Santos Dumont e dele recebi não só as primeiras palavras de louvor e de incentivo, quando em setembro de 1922, fiz o meu voo São Paulo-Rio, como também uma lembrança que conservo como verdadeira relíquia, uma medalha com a imagem de São Bento, igual a que sempre o acompanhava e lhe fora oferecida pela Princesa Isabel.


Como surgiu a ideia da Semana da Asa

Anésia Pinheiro Machado conta como surgiu a ideia da Semana da Asa


A ideia da instituição dessa Semana brotou em 1934, por ocasião do 1º Congresso de Aeronáutica. Sua concretização, no entanto, só ocorreu no ano seguinte, por iniciativa da Comissão de Turismo Aéreo do Touring Clube do Brasil. A partir de então, pode-se verificar o grande impulso que nossa aviação vem tendo.

Santos Dumont, gênio sempre lebrado

A Semana da Asa, criada com a finalidade de estimular o desenvolvimento da mentalidade aeronáutica em nossa terra - continuou a aviadora - sempre inclui, em suas comemorações, uma parte cultural, visando, principalmente, a juventude, mas não é esquecida a nossa aviação atual, nem são esquecidos os pilotos civis.


Durante a Semana é exaltado o trabalho de nossos pioneiros e a figura do genial Santos Dumont é sempre lembrada e homenageada, inclusive por meio de uma romaria ao monumento sob o qual repousam seus restos mortais e que reproduz fielmente o monumento com que a França consagrou nosso patrício.

O Dia do Aviador
A oficialização da Semana da Asa e do Dia do Aviador - disse ainda Anésia Pinheiro Machado - é fruto do trabalho da Comissão de Turismo Aéreo, que reúne entre seus membros aviadores civis e militares, jornalistas e personalidades destacadas de organizações nacionais. Para o Dia do Aviador foi escolhido o 23 de outubro, porque nessa data, em 1906, em Paris, Santos Dumont realizava seu memorável voo.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Datas Especiais


SEMANA DA ASA - 2015
 

23 de outubro
Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira
No Dia do Aviador cultiva-se a memória de uma das mais valiosas figuras históricas do mundo: Alberto Santos Dumont, um brasileiro reconhecido e condecorado em vários países. Esse gênio criativo nasceu em 20 de julho de 1873, em Palmira, hoje chamada Santos Dumont, em Minas Gerais. Ele viu pela primeira vez um balão cativo (preso ao chão) numa feira, na cidade de São Paulo, em 1888. Na França, buscou realizar seus sonhos e conseguiu, em 22 de março de 1898, sua primeira ascensão aerostática. Depois de várias experiências com aparelhos que eram metade avião, metade balão, Santos Dumont obteve o êxito de ser o primeiro a efetivamente decolar e pousar um aparelho com propulsão mecânica própria. Foi em 23 de outubro de 1906 que Santos Dumont deu ao mundo a primeira demonstração pública de voo num "mais pesado que o ar", pilotando o 14-Bis.

Por sua importância, a data foi escolhida para comemorar o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.
Viva o 23 de Outubro!!
Viva o brasileiro Alberto Santos Dumont!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Turma do Fabinho


SEMANA DA ASA - 2015
 

Nesta animação, a Turma do Fabinho canta o Hino dos Aviadores e a Canção do Especialista. Vamos compartilhar com a garotada!

Datas Especiais


SEMANA DA ASA - 2015
 

22 de outubro
Dia do Paraquedista
O Dia do Paraquedista é comemorado em 22 de Outubro em homenagem a Andrews Jacques Garnerin. Em 1797, baseando-se em um modelo aerodinâmico de Leonardo Da Vinci, Garnerin saltou de um balão a 600 metros de altura e imortalizou-se como a primeira pessoa a saltar de paraquedas. O equipamento só foi aperfeiçoado no século XIX. O salto com paraquedas a partir de um avião só aconteceu em 1912, uma iniciativa do capitão do exército norte-americano Alverty Berry. No Brasil, a entidade que congrega os praticantes dessa modalidade aerodesportiva, no meio civil, é a Confederação Brasileira de Paraquedismo. No âmbito militar, Exército, Marinha e Aeronáutica mantém, além de equipes de competição, tropas regulares aptas a realizar incursões para fins de combate ou resgate.

Saiba mais: www.cbpq.org.br

Concurso para sargentos da FAB


SEMANA DA ASA - 2015
 

FAB reabre inscrições para técnico de nível médio

Site do processo seletivo volta ao ar

O Comando da Aeronáutica reabriu na última quarta-feira, 21 de outubro de 2015, as inscrições para o exame de seleção do Quadro de Sargentos da Reserva de 2ª Classe Convocados (QSCON 2016). Os interessados poderão se inscrever pela internet até o dia 29 de outubro de 2015. A organização do processo seletivo informa que o candidato deve preencher todos os itens do formulário de inscrição e só em seguida clicar no botão "enviar inscrição". O candidato poderá imprimir o comprovante de inscrição. Os interessados que tiveram as inscrições confirmadas antes da suspensão do processo seletivo irão receber um e-mail de validação no prazo de 48 horas. Caso o e-mail não seja enviado, significa que o registro não foi computado e o candidato deverá realizar a inscrição novamente.

Atenção
Todos deverão ler a Portaria 6.065 -T/DSM de 20 de outubro de 2015, que retifica o aviso de convocação disponível no site. São oferecidas mais de 500 vagas para unidades da FAB em todo o Brasil. As vagas são destinadas aos candidatos com nível técnico nas áreas de administração, arrumador, comunicações, eletrônica, eletricidade, enfermagem, informática, laboratório, motorista, obras, pavimentação, radiologia e topografia. Os requisitos específicos, carga horária dos cursos técnicos exigidos e demais informações podem ser consultados no aviso de convocação. A seleção será constituída das seguintes etapas:
Inscrição;
Avaliação Curricular;
Concentração Inicial;
Inspeção de Saúde Inicial (INSPSAU);
Concentração Final e
Habilitação à Incorporação.
Ao ser incorporado, o candidato será incluído no Quadro de Sargentos da Reserva de 2ª Classe Convocados (QSCon) e implicará na inclusão no Corpo de Graduados da Reserva da Aeronáutica. O candidato civil, depois de incorporado, realizará o Estágio de Adaptação para Praças (EAP) que se destina a preparar os incorporados às condições peculiares do Serviço Militar Temporário e ao exercício das demais atividades militares das áreas profissionais em que atuarão. O EAP terá duração total de doze meses. O candidato que seja militar da ativa ou da reserva não remunerada, que não tenha pertencido ao QSCon, também realizará o estágio.

Clique: Inscrições            Portaria 6.065

Saiba mais: Blog do NINJA de 16/10/2015 

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Godofredo Vidal e a Semana da Asa

A Semana da Asa foi idealizada por Godofredo Vidal e viabilizada pela Comissão de Turismo Aéreo do Touring Club do Brasil,  em 1935. Relembramos hoje um pouco da trajetória deste grande brasileiro, que tanto contribuiu para o fortalecimento da aviação no país.

SEMANA DA ASA - 2015
 


No dia 28 de abril de 1938, o Major Aviador Godofredo Vidal, o Tenente Coronel Aviador Vasco Alves Secco e o Primeiro Sargento Telegrafista Jayme Janeiro Rodrigues, na época servindo no 5º Regimento de Aviação, atual CINDACTA II, em Curitiba, oficializaram à União dos Escoteiros do Brasil a criação do primeiro grupo de escoteiros do ar, o Grupo Escoteiro do Ar Tenente Ricardo Kirk. Alguns anos depois, em 19 de abril de 1944, foi criada a Federação Brasileira de Escoteiros do Ar, a qual congregava todos os grupos que desenvolviam a modalidade que, na época eram muito poucos, retringindo-se aos Estados do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Foi tamanha a expansão registrada por essa nova modalidade que, em 26 de julho de 1951, o Brigadeiro Nero Moura, então Ministro da Aeronáutica, reconhecendo seus valiosos objetivos entre eles o de incentivar o interesse dos jovens pela aeronáutica, determinou que todas as unidades da Força Aérea Brasileira dessem total apoio aos Grupos Escoteiros do Ar, o que acontece até os dias presentes. O fundador do Escotismo do Ar, Major Aviador Godofredo Vidal, nasceu em 3 de outubro de 1895 em Bagé no Rio Grande do Sul. Seu avô, Engenheiro José Maria Vidal, combateu na Guerra do Paraguai e seu pai, o General Alfredo Vidal, foi o fundador do Serviço Geográfico do Exército, tendo sido ainda o introdutor do processo estereo-fotogramétrico no Brasil. Após cursar o Colégio Militar do Rio de Janeiro, foi mandado pelos pais para estudar Engenharia na Suíça, onde se dedicou por dois anos a estudos e estágios em fábricas européias. Retornando ao Brasil durante a Primeira Guerra Mundial, matriculou-se na velha Escola do Realengo, da qual saiu em 1921 como Aspirante da Arma da Cavalaria. Com o entusiasmo da mocidade, dedicou-se ao pólo nos primeiros ensaios do Órgão Desportivo do Exército, integrando inclusive, a equipe brasileira desse nobre esporte quando em visita ao Chile. Nos devaneios dos sonhos de novas conquistas, matriculou-se na segunda turma do Curso de Pilotos Observadores da antiga Aviação Militar, então recém criada. Em 1928, foi nomeado instrutor da Escola de Aviação Militar por indicação da Missão Militar Francesa. Em 1931, juntamente com o então Capitão Archimedes Cordeiro e o Primeiro Tenente Francisco de Assis Corrêa de Mello, partiu em voo de confraternização pelas Américas, em um monomotor bombardeiro Amiot, de fabricação francesa, batizado como "Duque de Caxias". Este avião era um enorme biplano com entelagem de lona e carlinga descoberta, constituindo-se um desafio à coragem de seus tripulantes. A fatalidade fez com que um defeito mecânico obrigasse a realização de uma aterrissagem forçada entre as cidades de Guaiaquil e Quito, em plena Cordilheira dos Andes. Os tripulantes permaneceram sem contato com a civilização durante três dias até serem socorridos pelos nativos. O Primeiro Tenente Francisco de Assis Corrêa de Mello foi o mais ferido, tendo sofrido extensas fraturas e queimaduras. Em quanto se convalescia dos ferimentos do acidente com o "Duque de Caxias", o Coronel Aviador Godofredo Vidal matriculou-se no curso livre de pintura da Escola de Belas Artes, tendo pintado na época vários quadros. Incapaz para o voo durante o seu longo tratamento, dedicou-se ao magistério secundário, sendo professor do Instituto Lafayette e do Colégio anglo-americano, ambos no Rio de Janeiro. Dominava com perfeição vários idiomas, falando corretamente alemão, francês, espanhol e inglês, e por isso tinha situação privilegiada entre os seus pares. Em 1935, Godofredo Vidal idealizou a Semana da Asa que foi viabilizada pela Comissão de Turismo Aéreo do Touring Club do Brasil, a qual presidiu por muitos anos. A ideia era fomentar o “orgulho aeronáutico brasileiro”, numa época em que desenvolviam-se as primeiras iniciativas para produzir aeronaves em série no país. A data foi escolhida em alusão ao dia do aviador, comemorado em 23 de outubro que, por sua vez, remete ao primeiro voo de um aparelho mais pesado que o ar, o 14 Bis de Santos Dumont. Desde sua criação, a Semana da Asa colaborou sensivelmente para estimular o setor aeronáutico brasileiro. Foi uma festiva “Semana da Asa” do Aeroclube do Brasil, em Manguinhos, Rio de Janeiro, que praticamente consolidou a ideia do então Ministro da Aeronáutica Salgado Filho de criar a Campanha Nacional de Aviação, contando com o poderoso e entusiástico apoio do grande jornalista Assis Chateaubriand e que resultou na criação de quase três centenas de Aeroclubes por todo o Brasil. O Coronel Aviador Godofredo Vidal foi também um dos pioneiros do Correio Aéreo Militar, voando com todos os abnegados precursores pelo sistema "Arco e Flexa", na devassa patriótica dos nossos rincões, com os olhos presos às curvas dos rios, aos acidentes planimétricos e, até mesmo, aos dísticos dos telhados das estações das estradas de ferro, como pontos de orientação das rotas de voo. Em 1934 fundou e organizou o Serviço Metereológico Militar, instalando-o no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro. Por seus dotes de cultura e sociabilidade foi indicado para representar o Brasil nos seguintes conclaves internacionais: III Conferência Sul Americana de Meteorologia em 1936 no Rio de Janeiro; Conferência Sul Americana de Radiocomunicações também em 1936 no Rio de Janeiro; e a Conferência Interamericana de Aviação em Lima, no Peru, em 1937. Em 1941 sofreu um grave acidente aviatório escapando milagrosamente com os demais tripulantes. Foi durante um voo noturno juntamente com o então Tenente Coronel Carlos P. Brasil e o Capitão Rosemiro Menezes. Ao se aproximar do Campo dos Afonsos, na altura de Honório Gurgel, o avião perdeu a hélice mas conseguiu chegar à cabeceira da pista, que estava às escuras. Com incrível perícia, o piloto, o Capitão Rosemiro Menezes fez a aterrissagem onde todos os tripulantes sobreviveram apesar do avião ficar praticamente destruído. As estatísticas diziam que as chances de sobreviver a um acidente desses era de uma em mil. Por ironia do destino, três meses depois o Capitão Rosemiro morreu de malária, da qual falece um em cada mil doentes. Em 1942, o Coronel Aviador Godofredo Vidal cursou a Escola do Estado-Maior do Exército, dela saindo para integrar o quadro de instrutores da Escola de Guerra Naval, vindo posteriormente a colaborar para a criação da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, da qual foi o primeiro Subdiretor de Ensino. Nos Estados Unidos cursou a Escola Superior de Tática Aérea, em Orlando, na Flórida, realizando estágios de instrução na Aviação Naval Americana e na Força Aérea dos Fuzileiros Navais. Ainda durante a II Guerra Mundial participou do patrulhamento aéreo do Atlântico Sul; visitou as principais bases aéreas dos Estados Unidos na Comitiva do Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, o Brigadeiro Trompowski; e dirigiu o Curso de Defesa Passiva da Legião Brasileira de Assistência, realizando memoráveis conferências. Em 1948, no posto de Coronel, Godofredo Vidal transferiu-se para a reserva, sendo posteriormente promovido à Brigadeiro e Major-Brigadeiro. Dedicou-se às radiocomunicações como amador com o indicativo PY-1-AT e participou da direção da entidade Nacional que rege o radioamadorismo, a LABRE. Na reserva não parou a sua incansável atividade, dedicando-se aos estudos de Geografia e História, escrevendo artigos e monografias e realizando conferências no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. Entre seus trabalhos destacam-se os seguintes: "Próceres da Independência da América", "Estudos de Geopolítica", "Batalhas Aero-Navais da Última Guerra", e a tradução do original italiano da obra clássica de Douhet, "O Domínio do Ar". Exerceu a Vice-Presidência do Instituto de Geografia e História Militar, onde ocupou a cadeira 13, patrocinada por Bartolomeu Lourenço de Gusmão, de quem fez interessante estudo biográfico, ainda inédito. Integrou também os quadros dirigentes do Instituto Brasileiro de Geopolítica. Foi membro correspondente da Sociedade de Geografia de Lima (Peru) e do Instituto Geográfico Histórico da Bahia. Pertenceu também à Academia Valenciana de Letras. Dirigiu o Museu Santos Dumont de Petrópolis, instalando-o na casa onde Santos Dumont residira e dera mostras do seu genial talento, inclusive como arquiteto e construtor. Faleceu após curta doença, no dia 8 de dezembro de 1958.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Datas Especiais


SEMANA DA ASA - 2015
 

20 de outubro
Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo
O calendário da Aeronáutica brasileira reserva o dia 20 de outubro para celebrar o Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo. A data tem como origem o 1º Encontro Internacional de Controladores de Tráfego Aéreo, realizado em 20 de outubro de 1960, na Grécia. Formado e capacitado tecnicamente no Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA) e na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) e capacitado em gestão sistêmica no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), o profissional de controle do espaço aéreo desempenha múltiplas funções. Atua principalmente como operador em Torres de Controle, Controles de Aproximação e Centros de Controle de Área. Também pode atuar como membro do Serviço de Busca e Salvamento, gerenciamento de navegação aérea, pesquisador, gestor de unidades de proteção ao voo e instrutor. No Brasil, o universo de especialistas em controle de tráfego aéreo é responsável por cerca de 3500 voos comerciais diários, além dos voos internacionais, militares e da aviação geral. Isto movimenta 1% do PIB brasileiro e corresponde ao 4º maior tráfego aéreo doméstico mundial em 2014. Historicamente, tem-se que a primeira experiência de controle de aeródromo no país, segundo o livro Torres de Controle do Brasil, ocorreu em 1941, no Campo dos Afonsos (RJ). Os Controladores de Tráfego Aéreo brasileiros atuaram, com reconhecido sucesso, em importantes eventos, como a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, e a Copa do Mundo da FIFA, em 2014. Tal desempenho faz com que o controle do espaço aéreo brasileiro seja referência mundial em termos de segurança e eficiência. O desafio atual é manter a excelência dos serviços, dar suporte à realização dos Jogos Olímpicos, em 2016, e contribuir para a implantação de novas tecnologias de vigilância e apoio às operações aéreas no espaço brasileiro.

Imagem: "1º controle de aeródromo no Brasil, em 1941"
Desenho de Jefferson Nogueira.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Gripen NG

SEMANA DA ASA - 2015
 

Órgãos da Suécia e do Brasil anunciam cooperação na certificação do novo caça brasileiro
O Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e o Swedish Military Aviation Safety Inspectorate (FLYGI) formalizaram, na primeira semana de outubro de 2015, o reconhecimento mútuo de atividades relacionadas à certificação, a fim de garantir a aeronavegabilidade dos Gripen E/F que serão fabricados para a Força Aérea Brasileira (FAB). Tal formalização ocorreu por intermédio da assinatura de um Implementation Procedure (IP), que foi precedida de uma visita às instalações do FLYGI e da SAAB, indústria responsável pelo projeto. Esse reconhecimento mútuo tem por objetivo tornar mais eficiente o emprego da mão de obra especializada das duas organizações, bem como reduzir os gastos governamentais ao evitar a duplicidade de atividades relacionadas à certificação da aeronave Gripen E/F. Ele também pode servir de base para a realização de atividades conjuntas de certificação em quaisquer outros projetos aeronáuticos que envolvam ambos os países.

Fonte: DCTA

Foto: Maquete 1/1 do Gripen - NINJA

domingo, 18 de outubro de 2015

Especial de Domingo

Brindando a Semana da Asa - idealizada pelo aviador Godofredo Vidal em 1935 e viabilizada pela Comissão de Turismo Aéreo do Touring Club do Brasil - relembramos, hoje, a criação do Aeroclube do Brasil, instituição pioneira que tanto contribuiu para o fortalecimento da aviação nacional e que atualmente enfrenta mais um grande desafio.
Boa leitura.
Bom domingo!

SEMANA DA ASA - 2015
 

AEROCLUBE DO BRASIL

Fundado em 14 de outubro de 1911 por um grupo de idealistas, o “AEROCLUBE BRASILEIRO” foi verdadeiramente o berço da aviação brasileira. Foi o primeiro a ser fundado no Brasil e um dos primeiros no mundo. A Assembleia de Constituição foi realizada nas dependências do jornal “A NOITE”, gentilmente cedidas por seu diretor IRINEU MARINHO, grande incentivador do Aeroclube. Na ata de fundação, constam os nomes de civis e militares ilustres, políticos, professores, homens de negócios, todos irmanados pelo mesmo ideal: “fomentar no Brasil o desenvolvimento da novel e futurosa arte da aviação”. Porém o mais notável é o fato de que sua primeira diretoria teve como presidente de honra o sócio fundador ALBERTO SANTOS DUMONT, sendo o Almirante JOSÉ CARLOS DE CARVALHO Diretor Presidente. VICTORINO DE OLIVEIRA, redator do jornal “A NOITE”, foi seu primeiro Diretor Secretário. O atual aeródromo militar dos Afonsos nasceu do que foi o primeiro Campo de Aviação do Aeroclube, construído com muito esforço e perseverança pela primeira Diretoria e onde funcionou a “Escola Brasileira de Aviação”. Os primeiros aviões adquiridos pelo Aeroclube – com recursos arrecadados em subscrição pública – foram logo em seguida cedidos ao Exército para servirem pela primeira vez no Brasil como instrumento de observação aérea na histórica “GUERRA DO CONTESTADO” em Santa Catarina, onde perdeu a vida o Ten. RICARDO KIRK, engenheiro do Exército e Diretor da Escola de Aviação do Aeroclube. KIRK foi a primeira vítima da aviação brasileira em operações militares e é hoje o patrono da Aviação do Exército. Após a morte de RICARDO KIRK e com a demorada recuperação dos aviões emprestados ao Exército, somente em 1916 pode ser reiniciado o Curso de Pilotagem, agora sob a direção do Tenente BENTO RIBEIRO FILHO.
Infelizmente a primeira turma – composta de sete civis e dois militares – não chegou a brevetar-se, pois às vésperas dos exames os dois únicos componentes da banca examinadora – Tenentes BENTO RIBEIRO e VIRGINIUS DELAMARE, não puderam comparecer por terem sido mobilizados, em virtude da declaração de guerra do Brasil ao Império Alemão em outubro de 1917, pelo afundamento do navio cargueiro brasileiro “Panamá”. Em junho de 1918, EDU CHAVES é designado Diretor Técnico do Aeroclube e sugere a transferência dos aviões dos Afonsos para Guapira, onde funcionaria a “Seção Paulista do Aeroclube Brasileiro”. No ano seguinte foi efetivada a filiação do Aeroclube junto à FAI (Fédération Aéronautique Internationale), cujo processo de filiação fora iniciado em 1913 pelo Tenente RICARDO KIRK e interrompido durante o recesso provocado pela Guerra 1914/18. Como representante da FAI, passou o Aeroclube a exercer basicamente a função oficial examinadora dos pilotos formados no Brasil, concedendo-lhes os respectivos brevês. O brevê Número 1 foi dado ao piloto RAUL VIEIRA DE MELLO, Primeiro Tenente do Exército, em 21/08/1919. Neste ano o Ministro General Caetano de Faria informava ao Presidente do Aeroclube que o Exército iria precisar das instalações do Campo dos Afonsos para instalar sua própria Escola de Aviação Militar. Sem Campo de aviação no Rio de Janeiro, o Aeroclube agora sob a Presidência do Deputado MAURÍCIO DE LACERDA, dedicou-se a promover, estimular e a colaborar na criação de Escolas de Aviação em todo o Brasil, credenciando Delegados em vários estados. Em 1931, quando já existiam várias escolas de pilotagem no Brasil e a aviação comercial já era uma realidade, foi criado o Departamento de Aeronáutica Civil no Ministério de Viação e Obras Públicas, que passou a controlar e regulamentar as atividades aéreas civis.
Esvaziava-se assim a função normativa do Aeroclube e reduzia-se a importância da atividade de representação da FAI, já que os brevês concedidos pelo DAC tornavam desnecessários os da FAI, pelo menos para voar dentro do Brasil A crise financeira inviabilizava a manutenção do Aeroclube Brasileiro. Entregou-se então a direção do Aeroclube a uma Comissão composta dos senhores PAULO VIANNA, CEZAR GRILLO e ANTÔNIO GUEDEZ MUNIZ. Em 16 de março de 1932, foi realizada uma Assembléia Geral Extraordinária, homologando os poderes para o Triunvirato. Nessa mesma AssemblEia foi aprovada a proposta do então Major GUEDEZ MUNIZ mudando o nome da Entidade para AEROCLUBE DO BRASIL. Os terrenos de Manguinhos foram definitivamente eleitos pela comissão para o preparo do novo campo de aviação do Aeroclube. A ocupação do terreno se deu por consentimento tácito das autoridades federais e municipais, sem documento formal.

A causa era justa e contava com a simpatia de todas as autoridades, principalmente do Presidente GETÚLIO VARGAS. O instituto OSWALDO CRUZ permitiu que fosse desbastado um pequeno relevo em seus terrenos e PAULO VIANNA tomou a si a obra de aterro do manguezal, sempre com a participação de seus companheiros de comissão. Em 1936 o Triunvirato deu por terminada sua missão. Os primeiros aviões pousaram. Manguinhos era uma realidade. Renascia o Campo de Aviação dos sonhos dos fundadores do Aeroclube Brasileiro, especialmente de RICARDO KIRK. Lá estava agora como Presidente o Almirante VIRGINIUS DELAMARE, que em 1917, então tenente, tentava com BENTO RIBEIRO fazer voar a Escola Nacional de Aviação, nos Afonsos. Foi graças à inauguração de Manguinhos com o prestígio da presença do então presidente GETULIO VARGAS, que tomou impulso a “SEMANA DA ASA”, idealizada pelo aviador GODOFREDO VIDAL em 1935 e viabilizada pela Comissão de Turismo Aéreo do Touring Club do Brasil. A ideia era fomentar o “orgulho aeronáutico brasileiro”, numa época em que desenvolviam-se as primeiras iniciativas para produzir aeronaves em série no país. A data foi escolhida em alusão ao dia do aviador, comemorado em 23 de outubro que, por sua vez, remete ao primeiro voo de um aparelho mais pesado que o ar, o 14 Bis de SANTOS DUMONT. Desde sua criação, a SEMANA DA ASA colaborou sensivelmente para estimular o setor aeronáutico brasileiro. Foi uma festiva “Semanda da Asa” em Manguinhos, que praticamente consolidou a ideia do então Ministro da Aeronáutica SALGADO FILHO de criar a Campanha Nacional de Aviação, contando com o poderoso e entusiástico apoio do grande jornalista ASSIS CHATEAUBRIAND e que resultou na criação de quase três centenas de Aeroclubes por todo o Brasil. De Manguinhos saiu a grande maioria dos instrutores que viabilizaram a implantação das Escolas de Pilotagem dos novos Aeroclubes, então criados como resultado da CAMPANHA NACIONAL DE AVIAÇÃO. Paralelamente às atividades de formação dos instrutores, o Aeroclube não descuidou das suas funções institucionais, mantendo a Escola de Piloto de Recreio e Desporto (hoje piloto privado), incentivando as atividades aerodesportivas. 
Em Manguinhos foi realizado o primeiro Campeonato Brasileiro de Acrobacia. Ainda na década de 40 foram criados os Departamentos de Paraquedismo e de Aeromodelismo, que contaram com dezenas de participantes. O Departamento de Paraquedismo foi organizado e dirigido pelo saudoso CHARLES ASTOR. O Departamenro de Aeromodelismo, por MARIO SAMPAIO. No final da década de 50 surgiram problemas administrativos muito sérios e o aeródromo de Manguinhos foi interditado sob a alegação de interferência com o tráfego aéreo do Aeroporto Internacional do Galeão e do Aeroporto Santos Dumont. Sem poder utilizar as instalações de Manguinhos, por 10 anos o Aeroclube funcionou numa pequena sala cedida por um dos sócios e se dedicou a pugnar pelas novas instalações previstas para o mesmo local em que no final da década de 20 existia o Campo de Latecoere, em Jacarepaguá, e que deveriam compensar a tomada do campo de Manguinhos. 

Em 1967, lutando contra o tempo para conseguir o novo Campo de Aviação, evitou-se que o AEROCLUBE DO BRASIL fosse transformado em “Aeroclube da Guanabara” por força do DL número 205, de 27/02/1967, obtendo aprovação no Congresso Nacional da Lei 5.404, de março de 1968, alterando o artigo 5 e criando o parágrafo 2 para reconhecer o pioneirismo histórico do Aeroclube do Brasil:
 "O Aeroclube do Brasil, fundado em 14 de outubro de 1911, a primeira entidade da aviação brasileira com existência local, por seu pioneirismo e pela implantação da mentalidade aeronáutica a que deu curso, é considerada integrante das tradições nacionais na área da aeronáutica”.  

REABERTURA EM JACAREPAGUÁ
Finalmente em 1972 – dez anos sem voar – o Aeroclube reiniciou suas atividades no Aeródromo de Jacarepaguá, administrado então pela ARSA, contando apenas com um velho “Aeronca Sedan” (PP-DZW), comprado pelo Aeroclube em 1950, e mais três “FOKKER” (T21 e T22), desativados pela Academia da Força Aérea e cedidos pelo DAC para a formação de pilotos. PAULO VIANNA, um dos principais responsáveis pela construção de Manguinhos, agora aos 80 anos, novamente enfrenta o desafio de recomeçar tudo de novo em Jacarepaguá. Acostumado a duras lutas, lá estava ele voando novamente os velhos FOKKER e formando novos pilotos. Morreu poucos meses depois acreditando nas promessas das novas instalações que seriam construídas para repor as de Manguinhos. Após o fechamento de Manguinhos nos anos 60, o Aeroclube praticamente sem receita financeira suficiente, teve sua filiação à Fédération Aéronautique Internationale suspensa. Porém, em 1978, o então Presidente do Aeroclube, hoje sócio Benemérito, CLÁUDIO VIANNA, contando com a ajuda do antigo sócio PIERRE CLOSTERMANN, piloto francês, ÁS da RAF durante a Segunda Guerra e também formado no ACB em Manguinhos, conseguiu a aprovação da FAI para restabelecer de imediato a filiação do Aeroclube como “membro ativo”, dando assim cobertura a todas as modalidades de desporto aéreo praticados no Brasil. O Aeroclube dispõe em Jacarepaguá de uma sede social e administrativa, inaugurada em 1982, denominada “Mal. IVO BORGES” como homenagem ao segundo Presidente da era Manguinhos, responsável pela compra do conjunto de salas na rua Álvaro Alvim, na Cinelândia, cuja receira de aluguel permitiu a sobrevivência do Aeroclube nos dez anos sem as rendas de Manguinhos. 
Dispõe também de dois Hangares: “PAULO VIANNA”, inaugurado em 1989, e “RICARDO KIRK”, inaugurado em 1993. Todos estes imóveis pertencem a INFRAERO, entregues ao Aeroclube em regime de comodato. Em resumo, o AEROCLUBE DO BRASIL é a instituição de ensino aeronáutico mais antiga do país e o segundo aeroclube mais antigo do mundo. Tem seu legado anterior até mesmo a Força Aérea Brasileira e a Força Aero Naval da Marinha do Brasil, assim sendo, traduz em sua história o celeiro da aviação Brasileira tendo em seus quadros o registro de figuras relevantes da história do país. O AEROCLUBE DO BRASIL prioriza, como um dos mais importantes projetos, o resgate da memória histórica do Aeroclube. Trabalha também para dinamizar e modernizar suas atividades. 

2015
Neste outubro de 2015 a Justiça no Rio de Janeiro determinou que o interventor do AEROCLUBE DO BRASIL, comandante HAMILTON LOURENÇO, realize dentro de 60 dias a eleição dos quadros para a entidade “Retomar a sua autonomia o mais rápido possível'', cita a sentença. O centenário ACB - fundado em 14/10/1911, tendo como Presidente de Honra o sócio ALBERTO SANTOS DUMONT, um dos pioneiros da aviação no mundo - formou milhares de pilotos atuantes nas aéreas nacionais e mercado privado. Enquanto isso, continua na Justiça Federal o imbróglio criado pela Infraero, que pediu o despejo do ACB e de volta dois hangares que o Aeroclube usa como sede desde a década de 70 no Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste. A Infraero quer negociar o local para o mercado privado e alocar seu pessoal.

Fontes:
Resumo Histórico do Aeroclube do Brasil - Autoria do Sócio Benemérito J. Bonifácio, economista, Piloto de Recreio e Desporto, brevetado em Manguinhos em 1947.

Blog Esplanada - Leandro Mazzini

sábado, 17 de outubro de 2015

Helibras / Aviação do Exército

Helicóptero Pantera modernizado faz primeiro voo
A Helibras realizou, no dia 13 de outubro de 2015, o primeiro voo de um helicóptero Pantera totalmente modernizado pela empresa no Brasil. Na presença de comandantes da Aviação do Exército, a aeronave realizou os testes em voo depois de ter passado pelas etapas da modernização, executadas por mecânicos e técnicos brasileiros no hangar de manutenção da fábrica da empresa em Itajubá (MG). Esse foi o terceiro Pantera K2 do Exército que passou por intervenção, mas o primeiro cuja estrutura original foi totalmente modernizada, uma vez que os dois primeiros helicópteros recebidos pela Força em 2014 foram reconstruídos a partir de novas células. Esses primeiros, inclusive, completaram neste mês 1.000 horas de voo. Para realizar o trabalho de modernização, os mecânicos de manutenção da Helibras realizaram um treinamento na Airbus Helicopters que os capacitou a efetuar grandes intervenções nas aeronaves da família Dauphin. O programa para modernização dos 34 helicópteros Pantera da Aviação do Exército Brasileiro, adquiridos em 1988 dará às aeronaves mais 25 anos de vida útil. Novos e modernos sistemas de comunicação e aviônicos garantirão a atualização dos helicópteros e das missões da corporação. A unidade em modernização na Helibras foi equipada com novos itens de cablagem, capô do motor, motor Arriel 2C2CG, com 40% a mais de potência, além de painel Glass Cockpit com piloto automático de quatro eixos, permitindo mais autonomia, maior velocidade e menor carga de trabalho aos pilotos.

Fonte: Helibras

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Concurso para sargentos da FAB

Força Aérea tem 500 vagas para nível técnico
A Força Aérea Brasileira (FAB) realiza processo seletivo para a convocação, seleção e incorporação de profissionais com curso técnico de nível médio, no quadro de sargentos, voluntários à prestação do serviço militar, em caráter temporário. São oferecidas mais de 500 vagas para unidades da FAB em todo o Brasil. Inscrições até quinta-feira, 22 de outubro de 2015, pela internet. (DATA ALTERADA - VEJA NOTA AO FINAL DA MATÉRIA). As vagas são destinadas aos candidatos com nível técnico nas áreas de administração, arrumador, comunicações, eletrônica, eletricidade, enfermagem, informática, laboratório, motorista, obras, pavimentação, radiologia e topografia. Os requisitos específicos, carga horária dos cursos técnicos exigidos e demais informações podem ser consultados no aviso de convocação. A seleção será constituída das seguintes etapas:
Inscrição;
Avaliação Curricular;
Concentração Inicial;
Inspeção de Saúde Inicial (INSPSAU);
Concentração Final e
Habilitação à Incorporação.
Ao ser incorporado, o candidato será incluído no Quadro de Sargentos da Reserva de 2ª Classe Convocados (QSCon) e implicará na inclusão no Corpo de Graduados da Reserva da Aeronáutica. O candidato civil, depois de incorporado, realizará o Estágio de Adaptação para Praças (EAP) que se destina a preparar os incorporados às condições peculiares do Serviço Militar Temporário e ao exercício das demais atividades militares das áreas profissionais em que atuarão. O EAP terá duração total de doze meses. O candidato que seja militar da ativa ou da reserva não remunerada que não tenha pertencido ao QSCon também realizará o estágio.

Clique e saiba mais:    Inscrições       Requisitos

EM TEMPO:
Algumas horas após publicarmos o conteúdo acima, o Comando da Aeronáutica, em função de problemas técnicos no site do exame de seleção, suspendeu as inscrições do processo seletivo para a convocação, seleção e incorporação de profissionais com curso técnico de nível médio, no quadro de sargentos, voluntários à prestação do serviço militar. (Exame de seleção 2016 do QSCON - Quadro de Sargentos da Reserva de 2ª Classe Convocados).

Após o problema ser solucionado, será divulgado novo prazo e instruções.

Por enquanto, o candidato pode baixar os arquivos com instruções nos links abaixo:
- Aviso de convocação
- Instrução do Comando da Aeronáutica 160-6
- Instrução do Comando da Aeronáutica 33-23  

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

AFA - VANT

Além da sala de aula 

Próximo passo do projeto multidisciplinar é desenvolver programação do sistema autônomo de navegação 

De hobby a ciência. Assim nasceu o projeto do professor de tecnologias e sistemas de informação da Academia da Força Aérea (AFA), doutor Guilherme Augusto Gualazzi, que desenvolve um veículo aéreo não tripulado (VANT) para utilização em sala de aula. Gualazzi pesquisou durante um ano antes de começar a construção do VANT modelo Asa de Combate Zagui, com envergadura de 1,20 metro. O desenvolvimento durou quatro meses e foi finalizado com o primeiro voo experimental em 3 de agosto deste ano. O próximo passo será a programação do sistema autônomo de navegação. “Pretendo ainda embarcar alguns sensores, como altímetro, velocímetro e câmera”, planeja o professor. Ele conta que primeiro está aprendendo a desenvolver o VANT para depois ensinar aos alunos. “É um projeto multidisciplinar, envolve conhecimentos de aerodinâmica, eletrônica e programação de computadores. A proposta é que os cadetes assimilem conhecimento, por meio da prática, para quando chegarem ao oficialato poderem trabalhar em unidades como o Esquadrão Hórus.” A unidade aérea, localizada em Santa Maria (RS), opera os VANTS RQ-450 e RQ-900. Segundo ele, a aplicação do VANT no ambiente acadêmico da AFA pode ser diversificada. “A partir dessa plataforma, os cadetes poderão seguir várias linhas, por exemplo, para rastreamento de grupos em atividades de campanha, sensoriamento remoto, entre outras”.

Participação de cadetes 
O professor não está sozinho nessa empreitada. Participam do projeto os cadetes do terceiro ano Lucas Silva Lima, que elabora um algoritmo para estabilizar o eixo longitudinal da aeronave, e José Henrique Sitta Krawulski, que tem auxiliado no desenvolvimento do aeromodelo. O cadete Krawulski começou no aeromodelismo em 2006 e, desde então, passou a pesquisar sobre a prática de aeromodelismo e a relação direta com voos radiocontrolados. “A minha contribuição não é só pilotar o VANT, mas utilizar da experiência e dos conhecimentos aeronáuticos para aumentar a estabilidade e o desempenho da Zagui antes de embarcar a eletrônica específica para o voo autônomo”, explica. Já o cadete Lima propõe a criação de um semi-piloto automático de um dos eixos de voo de uma aeronave em sua monografia de final de curso. “O estudo deixará substrato para trabalhos para construção de um VANT pelos próprios cadetes da AFA. Além de nos aproximar de detalhes técnicos pertinentes à atividade-fim que exerceremos ao longo da carreira, é um incentivo a possíveis especializações na área”, destaca.

Orgulho de ensinar 
Filho de um ex-professor da AFA, Gualazzi segue os passos do pai. “Ministro aulas com grande satisfação e orgulho em formar os futuros líderes da FAB. Amo o que faço e procuro fazê-lo bem, por meio de minhas aulas, orientações e pesquisa”, diz entusiasmado.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Biblioteca NINJA

A um Sonho Feito em Fumaça...

Livro de poemas homenageia aviadores


"Louvado conjunto, perfeito, sublime...
"De homens de verde, de sonho e de raça.
"Legando a esperança que não mais se extingue:
"ter de novo em meu céu a Esquadrilha da Fumaça!!!"

Os versos da poetisa Carla Lima Abreu Cruz estão no livro “A um sonho feito em Fumaça”, lançado no dia 19 de setembro de 2015 em Barbacena (MG). O evento contou com a presença do futuro Comandante da Esquadrilha da Fumaça, Tenente-Coronel Aviador Líbero Onoda Luiz Caldas. Moradora da cidade de Barbacena (MG), onde está localizada a EPCAR - Escola Preparatória de Cadetes do Ar, a escritora conheceu a Esquadrilha da Fumaça nos eventos "Portões Abertos". "O cenário aeronáutico de Barbacena sempre foi muito movimentado. Havia sempre um encontro de turma ou formatura, com rasantes de Xavante, F-5 e a presença cativante da Fumaça", explica.

Dos três capítulos do livro, um é inteiramente dedicado à Esquadrilha da Fumaça. "Quando homenageio a Esquadrilha, homenageio a todos os aviadores que, com sua índole abnegada, compõem a defesa de nosso espaço aéreo”, afirma.

Um dos poemas

De início, para mim, nada mais que um folguedo...
que despertava o sorrir na menina da mata
como se fossem vós todos aviões de brinquedo
desenhando nos ares perfeição acrobata.

E quando tuas luzes despontavam no céu
numa última pirueta de habilidade e astúcia,
partiam de novo sem querer meu sorrir
deixando minh´alma com tristeza e angústia.

Volteando no além das montanhas sublimes
na minha vida de campo, bem longe dos mares
nutriu o sonho num coração de menina:
de morrer de amor por um homem dos ares!

Louvado conjunto, perfeito, sublime...
De homens de verde, de sonho e de raça.
Legando a esperança que não mais se extingue:
ter de novo em meu céu a Esquadrilha da Fumaça!!!

Fonte: FAB

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Videoteca NINJA

Amazônia: paraíso dos Araras

Assista neste vídeo com imagens vibrantes a homenagem do 1º/9º Grupo de Aviação (Esquadrão Arara), sediado em Manaus (AM), à floresta e ao povo que os inspiram ir cada vez mais longe. Uma produção do Esquadrão Arara, com apoio do CECOMSAER - Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Dia das Crianças

Força Aérea lança canal de internet exclusivo para crianças
As crianças têm um novo motivo para acessar o site da Força Aérea Brasileira (FAB): a partir de hoje , 12 de outubro de 2015, está disponível online um canal com conteúdos exclusivos para divertir e ensinar os pequenos. Lá, as crianças poderão assistir a um videoclipe com canções militares, acessar jogos e um audiobook, e conhecer os personagens da Turma do Fabinho, que passaram por uma reformulação. O responsável pelo novo traço que compõe os personagens é o Cabo Maclaudio Gomes Pereira. Ele explica que se preocupou em conferir características bem definidas a cada um dos membros da Turma, para que as crianças possam identificá-los e diferenciá-los com mais facilidade. “Também criamos um novo personagem, o Engrenado, que resolve tudo e consegue consertar as coisas”, explica o desenhista. No jargão militar, usa-se engrenado para se referir ao profissional que possui habilidades de destaque. Um dos principais conteúdos disponíveis é o videoclipe com uma animação em 3D do Hino do Aviador e da Canção do Especialista. Os personagens em 3D também foram protagonistas de um audiobook em que mais uma aventura da Turma é narrada. O vídeo, além de dar vida aos personagens, também traz um arranjo musical exclusivo para as crianças, composto pela Banda de Música da Base Aérea de Brasília. Segundo explica o responsável pela animação, Sargento Ednaldo da Silva, a maior dificuldade está em transpor os personagens para a linguagem 3D mantendo a fidelidade das características. “É um processo muito complexo que começa com a criação dos personagens e aplicação das cores. Em seguida, criamos um mecanismo para que eles se movimentem algo como um esqueleto; só então são desenvolvidos os cenários e sua iluminação. Depois de tudo isso pronto é que passamos à execução do roteiro”, afirmou o designer gráfico. Um dos publicitários envolvidos no projeto, Tenente Rachid Jereissati Lima, explica que o objetivo do canal é incentivar as gerações futuras para que compreendam o papel e a responsabilidade da FAB na soberania e no desenvolvimento do nosso País. “Quem nunca apontou para o céu e disse: olha lá um avião? Falar sobre aviação é fascinante para crianças. Já falar sobre o braço armado é sempre um desafio que exige cuidados. O rigor operacional dá lugar a cenas lúdicas, tornando tudo uma grande brincadeira”, disse.

Turma do Fabinho
A Turma do Fabinho surgiu em 2010, quando a FAB identificou a necessidade de criar formas de se comunicar com as crianças. Inicialmente, seria apenas um personagem, o Fabinho, mas devido à importante e crescente presença feminina nas fileiras da Força, ele logo ganhou uma irmã: a Fabiana. “A partir disso, a turma foi crescendo. Tentamos criar um personagem para cada segmento da Força Aérea e dar nomes curtos e fáceis de gravar, para que a criançada os identificasse com mais facilidade”, explica o Sargento Jobson Augusto Pacheco, desenhista do projeto original. Ele explica que, além das revistas em quadrinhos, a Turma já foi protagonista de encartes em outros produtos gráficos. A primeira aventura dos personagens, lançada dia 5 de maio de 2010, na comemoração de 40 anos do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), contou a história do terremoto no Haiti e da missão humanitária dos militares de ajuda àquele país. “Procurávamos fazer roteiros que se relacionavam com algo que foi importante para a FAB, para não só entreter as crianças, mas ensiná-las histórias e valores”, ressaltou o Sargento Jobson.

Acesse o canal da Turma do Fabinho:

domingo, 11 de outubro de 2015

Especial de Domingo

Abrindo a Semana da Criança, o NINJA - Núcleo Infantojuvenil de Aviação - selecionou alguns desenhos para colorir.
Imprima e participe com o seu filho, pintando também!
Invente outras brincadeiras e lembre-se sempre:
Pais e filhos brincando juntos: desejo de toda criança!
Boa diversão!
Bom domingo!

sábado, 10 de outubro de 2015

Concurso Dia das Crianças

FAB faz concurso de vídeo com a Turma do Fabinho
A Força Aérea Brasileira (FAB) lançou uma campanha para comemorar o Dia das Crianças. Para participar, basta gravar um vídeo de até 15 segundos com uma criança cantando um trecho do Hino do Aviador ou da Canção do Especialista e enviar pelo WhatsApp até as 23h do dia 12 de outubro de 2015. Os melhores vídeos, escolhidos por uma comissão avaliadora do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), serão divulgados nas redes sociais da FAB e os dois vencedores vão ganhar um kit com bonecos de pelúcia da aeronave T-27 Tucano, gibis da Turma do Fabinho, entre outros prêmios. O objetivo é aproveitar a data para aproximar a FAB do público infantil. “Pretendemos incentivar as crianças a conhecerem a cultura e os valores da nossa instituição por meio de uma atividade lúdica envolvendo dispositivos móveis, que são cada vez mais presentes nas brincadeiras da criançada de hoje. Também promover um momento de descontração familiar, em que pais, mães, irmãos, etc, possam levar um pouquinho do seu ambiente de trabalho para dentro de casa e ensinar as canções aos pequenos”, afirma um dos organizadores, major Marco Antônio Aidar Ribeiro. A divulgação dos vencedores está prevista para acontecer no dia 13 de outubro.

Tarefa para os adultos
Ensine o seu filho a cantar um trechinho do Hino do Aviador ou o Hino do Especialista, grave um vídeo com ele cantando no seu celular e participe da campanha! Aí é só enviar pra gente por WhatsApp para concorrer. Super fácil né? Então, já pensou? A Comissão Avaliadora selecionará dois vídeos diferentes, que serão publicados em nossas mídias sociais (Facebook, Instagram e Twitter). E como prêmio, as duas crianças vencedoras ganharão esse kit: 2 bonecos de pelúcia em forma da aeronave T-27 Tucano; 1 recorte e cole em forma da aeronave A-29 Super-Tucano da Esquadrilha da Fumaça; 2 gravuras para pintar e colorir; 3 gibis "A Turma do Fabinho", com os seguintes temas: Uma viagem no tempo, Uma viagem pelos 100 anos do Campo dos Afonsos e Escolas de Heróis; 4 marcadores de página; 1 pôster da aeronave Gripen NG; 1 pôster da Esquadrilha da Fumaça.
Regulamento
Os vídeos não deverão conter imagens ofensivas ou que vinculem as imagens das crianças com bebidas, cigarros ou a locais/imagens que ofendam a legislação vigente; Serão aceitos vídeos de crianças com idade de até dez anos, inclusive; Serão aceitos vídeos de, no máximo, 15 segundos; Será aceito apenas um vídeo por criança; O prazo limite de envio dos vídeos é até às 23h do dia 12 de outubro de 2015; Os vídeos deverão ser enviados via WhatsApp para o fone (61) 9844-9980. Em seguida, envie também uma mensagem constando autorização de uso da imagem do seu filho ou filha (por texto, no próprio WhatsApp) com o nome completo do pai e da mãe ou responsável. Exemplo: "Eu, João da Silva, e minha esposa, Laura da Silva, autorizamos o uso do vídeo contendo imagens do nosso filho, Mateus da Silva, para a campanha 'Cantando com a Turma do Fabinho'".

Regulamento do concurso e hinos:

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Aeronaves

Americana Flexjet adquire o Embraer Legacy 500
A Embraer anunciou que a Flexjet, empresa americana de propriedade compartilhada com sede em Dallas, no Texas, recebeu seu primeiro jato executivo Legacy 500. Além da certificação emitida pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), em agosto de 2014, o Legacy 500 já recebeu a aprovação das autoridades aeronáuticas dos Estados Unidos, México, União Europeia, Oriente Médio e Austrália.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Heróis Brasileiros

Cerimônia na Itália celebra a chegada do 1º Grupo de Caça brasileiro em 1944
O 71º aniversário da chegada do 1º Grupo de Aviação de Caça na Itália (1º GAVCA) para combater na Segunda Guerra Mundial foi celebrado com uma cerimônia realizada no portão da antiga base aérea da cidade de Tarquinia, na Itália. O evento realizado no dia 06 de outubro de 2015 também foi marcado pela inauguração do Gonfalone do 1º GAVCA na Itália. Segundo o Adido de Defesa e Aeronáutico na Itália, Coronel Aviador Frederico Alberto Marcondes Felipe, trata-se de um tipo de estandarte tradicional na Itália, usado por organizações civis e militares para representação. “Seu uso por parte da FAB indica a integração e a cooperação entre os povos brasileiro e italiano e representa o esforço realizado por uma Força Aérea recém criada para auxiliar no esforço de guerra”, explicou o adido. O estandarte permanecerá sob guarda da Adidância de Defesa e Aeronáutica na Itália, sendo usado em todos os eventos realizados pela adidância brasileira em solo italiano. A cerimônia contou com a participação do vice-prefeito da cidade de Tarquinia, Renato Bacciardi.

No dia 06 de outubro de 1944 os jovens pilotos brasileiros pisaram pela primeira vez em solo italiano, iniciando uma campanha de coragem, profissionalismo e competência, contribuindo para o restabelecimento da democracia e da liberdade na Europa e no mundo. 

Fonte: FAB

Fotos: solenidade - FAB
P47 - NINJA