Voar é um desejo que começa em criança!

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Espaço

Jornada Espacial reúne alunos em pólo tecnológico
A 13ª Jornada Espacial reúne, em São José dos Campos (SP), 45 alunos e 33 professores de ensino médio de várias regiões do Brasil para uma semana de palestras e visitas a laboratórios e oficinas no pólo tecnológico e espacial de São José dos Campos (SP), que engloba organizações da Força Aérea Brasileira, como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). O evento segue até 4 de dezembro de 2015 e é uma promoção do projeto AEB Escola (da AEB - Agência Espacial Brasileira) e conta com apoio de diversas instituições públicas e privadas. Os participantes foram selecionados a partir do seu desempenho na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que aconteceu no dia 15 de maio e envolveu mais de 800 mil alunos e 60 mil professores de todo o País. Segundo o engenheiro do IAE José Bezerra Pessoa Filho, o objetivo é mostrar aos alunos e professores um Brasil que eles não conhecem. “O trabalho na área espacial é muito pouco divulgado no Brasil; queremos demonstrar a importância do que vem sendo feito e tentar sensibilizar os jovens para que trilhem caminhos profissionais e desenvolvam conhecimento”, afirma. Um dos jovens sensibilizados pela atividade é Danilo José Franzim Miranda. Em 2004, ele participou da I Jornada e hoje, 11 anos depois, é engenheiro formado pelo ITA e trabalha na Visiona, holding brasileira responsável pela coordenação com empresas estrangeiras para o desenvolvimento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). O profissional conta que a Jornada o incentivou a acreditar que é possível construir uma carreira na área espacial no País. “Quando participei da atividade, tudo me encantou muito. Foi importante saber que nós tínhamos um pólo aeroespacial brasileiro, com institutos de pesquisa e indústrias. Isso amadureceu em mim a decisão de trabalhar com espaço”, conta Danilo. Os alunos e professores visitarão laboratórios, instituições e observatório espacial; terão oficinas de construção de foguetes de garrafas PET e a possibilidade de ouvir o astronauta brasileiro Marcos Pontes. A programação de palestras é o que deixa mais ansiosa a estudante Maria Eduarda Araújo, de 16 anos. “Todos os palestrantes são muito qualificados”, conta ela. A aluna, que mora na cidade de Laranjal do Jari, no interior do Amapá, viajou seis horas de ônibus até a capital e mais sete horas de voo até São Paulo. Maria Eduarda, que participa da OBA, ininterruptamente, desde o 5º ano do ensino fundamental, afirma que estuda ciências aeroespaciais nas horas vagas contando com ajuda de professores, pois a matéria não faz parte do currículo. “Estar na Jornada é a realização de um sonho”, afirma.