Voar é um desejo que começa em criança!

domingo, 10 de janeiro de 2016

Especial de Domingo

Selecionamos texto de Lucas Agrela, Editor-Assistente de Tecnologia de EXAME.com sobre o primeiro drone do mundo capaz de transportar uma pessoa.
Iniciando 2016, ao lembrar dos impressionantes avanços que o mundo testemunhou ao longo do século XX, é inevitável refletir: Em que velocidade ocorrerão as mudanças neste século XXI?
Como se vê, a nossa e as futuras gerações terão novidades em curtíssimo prazo.
Que venham todas, sempre para o bem da humanidade.
Boa leitura.
Bom domingo!

Empresa anuncia primeiro drone que transporta uma pessoa
A companhia chinesa Ehang anunciou na última semana, durante a feira de tecnologia CES 2016, o primeiro drone do mundo capaz de transportar uma pessoa.

Não é necessário pilotar, basta programar o percurso em aplicativo e levantar voo.

A distância percorrida, porém, pode não ser muito grande.

O aparelho chamado Ehang 184 Autonomous Aerial Vehicle (AAV) tem bateria para funcionar durante 23 minutos a nível do mar. 

Uma nova carga pode ser completada após passar de duas a quatro horas em um ponto de recarga. 

Como o passageiro não controla o drone, que tem tecnologia de condução autônoma, a fabricante colocou um sistema que faz com que ele pouse em uma área segura caso um dos propulsores apresente defeito.

Confira o vídeo de divulgação da Ehang:


A Ehang, que já recebeu investimentos que totalizam 50 milhões de dólares, também considera criar uma central que assumiria o controle dos drones quando necessário.

O drone pode atingir velocidade máxima de 100 km/h e chegar à altitude de até 3,5 km.

No entanto, a fabricante espera que ele voe a 300 ou 500 metros do chão.

O AAV já realizou mais de 100 voos de baixa altitude na região de Guangzhou, onde fica a sede da Ehang.

De acordo com o The Guardian, a cabine acomoda um passageiro e uma mochila pequena – suportando 100 kg no máximo –, ar condicionado e uma luz para leitura.

O drone foi feito para caber em uma vaga de estacionamento para carros, já que seus propulsores são retraídos quando desligados.

A empresa pretende vender o AAV por um valor equivalente à variação entre 830 mil e 1,2 milhão de reais.

Fonte: EXAME.com