Voar é um desejo que começa em criança!

quarta-feira, 22 de junho de 2016

FAB 100

Aeronáutica poderá incorporar duas empresas públicas
O Ministério da Defesa negocia com a Casa Civil e com a área econômica a criação de duas novas empresas públicas que ficarão sob a alçada do Comando da Aeronáutica. Uma é a Empresa de Projetos Aeroespaciais do Brasil S.A. (Alada), voltada para projetos e novas tecnologias do setor. A outra, ainda sem nome, operacionalizaria parte das atividades de controle do espaço aéreo e poderia absorver o setor de navegação aérea da Infraero, deixando para esta apenas o serviço aeroportuário. Um dos objetivos das novas empresas é criar condições legais para que os recursos obtidos com as tarifas aeroportuárias entrem diretamente nos cofres da Aeronáutica, sem passar antes pelo Tesouro Nacional. O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato, especifica que as duas novas empresas fazem parte do “Programa de Reestruturação Administrativa e Operacional da Aeronáutica”, que tem como horizonte o ano de 2041, quando a FAB completa 100 anos. Hoje, a FAB tem um efetivo de aproximadamente 75 mil servidores da ativa, incluindo os civis.