Voar é um desejo que começa em criança!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Força Aérea 100

Ala 10 é a primeira a ser ativada na Força Aérea
Na nova estrutura que está sendo implantada na FAB – como parte do projeto Força Aérea 100 -, desde o dia 09 de dezembro de 2016, foi ativada a Ala 10, a primeira das 15 que serão criadas por todo o País. Em consequência, foram extintas a Primeira Força Aérea (I FAE) e a Base Aérea de Natal (BANT). A ativação da Ala 10 é a primeira medida relativa às mudanças na área operacional. “A Ala não substitui as bases aéreas ou os comandos aéreos regionais, mas trata-se de uma nova visão, um novo conceito de gestão operacional”, afirma o Tenente-Brigadeiro Machado. Ele explica que, além de gerenciar os três esquadrões de especialização dos pilotos recém-formados na Academia da Força Aérea – Esquadrões Rumba (1º/5º GAV), Joker (2º/5º GAV) e Gavião (1º/11º GAV) - a Ala 10 irá contar com mais dois. Já em 2017, o Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), que opera os helicópteros H-36 Caracal, será transferido de Belém (PA) para Natal; e o Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo, de Recife (PE), ficará subordinado à nova ala. O comando da nova unidade é do Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic. A Ala repassará, ao Grupamento de Apoio, atividades administrativas e focará nas atividades operacionais. O projeto Força Aérea 100 refere-se à reestruturação da FAB até 2041, quando completará 100 anos.

Em Canoas (RS), a ativação da Ala 3
Uma cerimônia militar realizada em Canoas (RS), no dia 15 de dezembro de 2016, marcou a ativação da Ala 3, nova unidade operacional, que abrangerá atividades de defesa aérea, patrulha e transporte. A Ala substitui a Base Aérea de Canoas (BACO) e o Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR), desativados na mesma ocasião. A ação faz parte do programa de reestruturação administrativa e operacional da Força Aérea Brasileira (FAB) cujo principal objetivo é concentrar serviços e direcionar investimentos para a atividade-fim. Compõem a Ala 3 um grupo especializado em segurança e defesa, três esquadrões de voo, além de unidades jurisdicionadas que atuarão no controle de tráfego aéreo e defesa antiaérea. O comando da nova unidade está a cargo do Major-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, antes comandante do V COMAR. Com a ativação da Ala 3, as atividades administrativas das organizações da FAB em Canoas e Porto Alegre serão desempenhadas pelo Grupamento de Apoio de Canoas (GAP-CO). As aeronaves da Ala 3 são: C-95M Bandeirante, C-98A Caravan, C-97 Brasília, P-95M Banderulha, e F-5M Tiger 2.

Esquadrões e unidades jurisdicionadas
- Quinto Esquadrão de Transporte Aéreo - Esquadrão Pégaso (5º ETA);
- Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação – Esquadrão Pampa (1º/14º GAV);
- Segundo Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação – Esquadrão Phoenix (2º/7º GAV), transferido da Base Aérea de Florianópolis;
- Grupo de Segurança e Defesa (antigo BINFAE-CO);
- Segundo Esquadrão do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle – Esquadrão Aranha (2º/1º GCC);
- Primeiro Grupo de Defesa Antiaérea – Esquadrão Laçador (1º GDAAE);
- Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Canoas – Esquadrão Coruja (DTCEA-CO);
- Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Porto Alegre (DTCEA-PA).

Saiba mais sobre a reestruturação da FAB: