Voar é um desejo que começa em criança!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Mercado de aviões

Brasil reclama na OMC subsídios do Canadá à Bombardier
A Embraer considera de extrema importância a decisão do Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX) de abrir o procedimento de solução de controvérsias contra o Canadá no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC). O Conselho de Ministros da CAMEX é o órgão máximo no governo brasileiro com responsabilidades sobre as políticas de comércio exterior do país. Os questionamentos se referem aos subsídios de mais de USD 4 bilhões oferecidos pelo Canadá à Bombardier, concorrente da Embraer no setor de jatos comerciais. Somente em 2016, foram aportados USD 2,5 bilhões à fabricante canadense.

O entendimento do governo brasileiro, compartilhado pela Embraer, é de que os subsídios oferecidos à Bombardier pelo governo canadense, além de assegurar a sobrevivência da empresa, permitiram-lhe oferecer suas aeronaves ao mercado a preços artificialmente baixos, desorganizando o setor de jatos comerciais e ferindo os compromissos assumidos pelo Canadá na OMC. Após diversas tentativas de solucionar a questão no plano diplomático, a Embraer acredita que “a solução formal de controvérsias na OMC é a única maneira de assegurar condições equilibradas de competição no mercado de aeronaves civis”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO da Embraer. “Os subsídios fornecidos pelo Canadá têm causado importantes distorções no mercado, além de violar a normativa internacional vigente.”

Fonte: Embraer