Voar é um desejo que começa em criança!

domingo, 20 de agosto de 2017

Especial de Domingo

Sob chuva, público esperou e viu a Esquadrilha da Fumaça em São José dos Campos (SP)

Parecia que a chuva atrapalharia o evento Portões Abertos do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) em São José dos Campos (SP), ontem, 19 de agosto de 2017. Desde as nove horas da manhã, quando começou a chegada do público, um chuvisco intermitente, o dia todo, insistia em obrigar as pessoas a se valerem de guarda-chuvas ou se abrigarem em hangares.


A cobertura de nuvens era de oito oitavos, no jargão da aviação, e o teto era baixo. Poucos aviões se movimentaram em partidas e chegadas, mas não houve nenhuma demonstração aérea relacionada ao evento. Assim mesmo, milhares de pessoas circularam pelos pátios e dois hangares com estandes de organizações. Até que, por volta das 17 horas, mesmo em condição meteorológica adversa, num esforço e atenção ao público que se manteve na espera, a Esquadrilha da Fumaça decolou e, mesmo com o teto baixo, fez uma única passagem em voo de formação e prosseguiu para pouso, ao qual se seguiu contato direto com as pessoas.

Exposição
Como previsto, estava exposto, imponente, o protótipo do cargueiro KC-390, atraindo a atenção dos visitantes.


Outros aparelhos completavam a exposição estática de aeronaves: o helicóptero H36 Caracal da FAB e o seu similar HM-4 da Aviação do Exército - que podia ser visitado. Dois helicópteros Esquilo, um do Exército e outro da Polícia, também estavam à mostra.


Entre as aeronaves de asa fixa, além do KC, estavam o Bandeirante, um Lineage 1000, um R99 (versão militar do Embraer 145), dois Tucanos da AFA e um Brasília, na porta do qual havia extensa fila para entrada no seu interior, e oito aviões do Esquadrão de Demonstração Aérea, entre outros.

Estandes
No hangarete do DCTA foi montada uma área de alimentação e quiosques de produtos relacionados à aviação se espalharam pelos pátios. Em dois hangares foram montados estandes de institutos do campus do DCTA, com atrações para o público, como o do ICEA (Instituto de Controle do Espaço Aéreo) que apresentou seu Simulador Radar de Baixo Custo.


O Grupo de Reencenação Histórica Monte Castelo apresentou material relativo à participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, com os seus integrantes trajando uniformes próprios da época. A Associação dos Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais expôs material visual e distribuiu folhetos divulgando as formas de ingresso na Marinha.