Voar é um desejo que começa em criança!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Carreiras na Aviação

Visitas de estudantes à AFA ajudam escolher profissão
Qual profissão seguir? Essa é uma pergunta que aparece cedo na vida dos estudantes e transforma-se em verdadeiro dilema para os alunos do ensino médio quando prestam o vestibular. Na hora de decidir, nada melhor do que pesquisar e conhecer de perto as opções existentes. Ao longo do ano, a Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), recebeu a visita de 1.200 estudantes de 30 escolas privadas e públicas (militares e civis) do ensino fundamental e médio, dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Mato Grosso, e Amazonas. A AFA é o maior complexo de ensino de aviação militar no país, e além dos oficiais aviadores, a escola também forma os oficiais intendentes, responsáveis pela parte administrativa da FAB e apoio às missões operacionais; e oficiais de infantaria, responsáveis pela defesa das unidades da FAB. Segundo a Professora Maria Amélia Alcântara e Oliveira, do Colégio Rousseau, da cidade mineira de Sacramento, a visita à AFA contribui para “orientar os alunos na escolha da profissão futura, levando-os a conhecer a realidade de instituições educacionais que ofereçam cursos de excelência.” Os estudantes conhecem um pouco sobre a rotina do cadete, visitam as instalações da AFA e algumas aeronaves que ficam em exposição estática. A Academia da Força Aérea recebe a visita de escolas de ensino fundamental e médio às quartas-feiras, durante todo o ano letivo. As escolas interessadas devem enviar um ofício ao Comandante da AFA apresentando a escola e solicitando a visita, pelo fax (19) 3565 7001. A confirmação do recebimento da solicitação pode ser feita pelo telefone (19) 3565 7002. 

Fonte: AFA em www.fab.mil.br

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Aeronaves

O primeiro voo do Embraer Legacy 500
Voou, pela primeira vez, dia 27 de novembro de 2012, o novo jato executivo produzido pela Embraer. O Legacy 500, com capacidade para 12 passageiros, decolou do aeroporto de São José dos Campos, SP e voou por uma hora e 45 minutos, sob o comando dos pilotos de prova Mozart Louzada e Eduardo Camelier, acompanhados dos engenheiros de ensaios em voo Gustavo Monteiro Paixão e Alexandre Figueiredo. Segundo a Embraer, o voo foi considerado “impecável”, tendo executado todos os testes de sistemas e de características de desempenho e dirigibilidade. O novo avião deve ter suas primeiras entregas em 2014. Um dos diferenciais do Legacy 500 é a nova tecnologia que vai trazer mais segurança à aviação mundial, chamada de fly-by-wire, um sistema de controle de voo eletrônico que diminui a oscilação da aeronave, minimiza as turbulências e torna o voo mais suave e agradável. Especificações do Legacy 500: Alcance 5.556 km; Velocidade máxima de cruzeiro Mach 0,82; Comprimento da cabine 8,17 m; Largura máxima da cabine 2,08 m; Altura máxima da cabine1,82 m. 

Saiba mais: www.embraer.com

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Aeromodelismo

Aeromodelistas de Maringá-PR fazem voos até no escuro
Basta o sol se pôr para que misteriosos objetos façam suas aparições no céu de Maringá, PR. Em uma área descampada e afastada do centro, pequenas formas com luzes parecem brotar do chão. Ora se deslocam lentamente, ora disparam em alta velocidade. Após um breve espetáculo, desaparecem em meio à escuridão, deixando muita gente intrigada. Há quem acredite que os objetos sejam satélites ou aparelhos de espionagem. Já outros pensam se tratar de discos voadores. Mas eles nada mais são do que miniaturas de aviões equipadas com lâmpadas de LED. Os responsáveis pelos “contatos imediatos” são os integrantes de Clube Ingá de Modelismo Elétrico (Cime). Batizada de “Night Flying”, a modalidade surgiu como alternativa para que o grupo estenda o tempo de acrobacias aéreas. “Fora do horário de verão, chega 18 horas e já está escuro. Então alguns começaram a colocar lâmpadas nos aeromodelos para brincar até mais tarde”, explicou o ourives Agnaldo Gaigner, um dos 50 membros do grupo. 

Internet
Os voos noturnos começaram há dois anos. Sobrevoando a 300 metros de altura e alcançando até 120 km/hora, o aeromodelo não pode ser visto pelo observador, que no escuro enxerga só o movimento das luzes. Sem saber do que se trata, muita gente já confundiu os aviões com objetos voadores não identificados, os ovnis. As misteriosas luzes de Maringá ganharam destaque no início deste ano, quando um vídeo fez sucesso na internet. O registro foi feito pelo publicitário Ricardo Yoshio. “Vi de três a quatro luzes se movendo de maneira incomum. Fui atrás e gravei. Alguns dizem que é aeromodelo, mas não havia barulho e não consegui ver ninguém por perto”, comenta Yoshio, que disse não duvidar da existência de vida fora da Terra. O vídeo se espalhou por blogs e sites de ufologia, registrando quase 50 mil acessos. Com tamanha repercussão, outros também foram parar na internet. Quando souberam do ocorrido, integrantes do Cime mandaram mensagens aos sites explicando a situação. Mas muitos não acreditaram. “O pessoal duvida das minhas respostas. Não acredita que eu sou de Maringá, duvida que seja aeromodelista e que voe à noite”, contou Gaigner. 

Fonte: www.gazetadopovo.com.br

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Espaço

CLA inicia lançamento da Operação Iguaiba
O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, inicia a partir desta semana o lançamento de um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) como parte das atividades da Operação Iguaiba. A operação iniciada no último dia 19, em Alcântara (MA), é realizada em conjunto com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) com objetivo de lançar e rastrear o foguete de sondagem VS-30/ORION V10. O foguete irá portar uma carga útil científica com experimentos de universidades e institutos de pesquisas. O lançamento do FTI está previsto para ocorrer nesta próxima quinta-feira (29). O foguete de treinamento é o outro modelo do projeto FOGTREIN desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a indústria nacional. Além do FTI, faz parte do projeto iniciado em 2008 o Foguete de Treinamento Básico (FTB), ambos lançados do CLA e do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), no Rio Grande do Norte. O projeto tem o propósito de capacitar o pessoal de operações, verificar os meios associados aos lançamentos e obter a certificação e qualificação dos foguetes. O lançamento desta quinta testará também as condições do CLA para o lançamento do VS-30/ORION V10. A expectativa é que o veículo de sondagem carregado com experimentos do IAE, do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), possa ser lançado na segunda semana de dezembro. O veículo de sondagem, o décimo da série, é fruto de uma parceria com o Centro Espacial Alemão (DLR). Os especialistas alemães poderão discutir com as equipes do DCTA a integração da interface entre o primeiro e segundo estágios do veículo VS-30/ORION V10. Os alemães também participarão da obtenção de dados por telemedidas, por meio de uma Estação Móvel, doada pelo DLR e operada pelo IAE. O CLBI atuará como Estação Remota na Operação Iguaiba, rastreando por telemedidas e radar a parte alta (acima de 90 km) da trajetória do VS-30/ORION V10. 

FOGUETE DE TREINAMENTO INTERMEDIÁRIO
Comprimento total: 5.500 mm
Apogeu: superior a 54 km
Tempo total de voo: 203 s
Distância percorrida relativa ao local de lançamento: 90 km 

VEÍCULO DE SONDAGEM VS-30/ ORION V10
Comprimento total: 8.870 mm
Apogeu: aproximadamente 450 km
Tempo total de voo: 680 s
Distância percorrida relativa ao local de lançamento: da ordem de 35 km (1º estágio) e mais de 300 km (2º estágio com a carga útil)

Fonte: CLA

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Aeroportos

Guarulhos terá reformas nas duas pistas
A obra está prevista para ocorrer entre fevereiro e junho de 2013 e ficará a cargo da Concessionária Aeroporto Internacional de Guarulhos, que venceu leilão para administrar o aeroporto pelos próximos 20 anos. O trabalho será feito de madrugada, entre meia-noite e 6h, e resultará em remanejamento de horários de alguns voos. Entre as modificações, está prevista a construção de saídas rápidas, que são acessos em 45 graus que permitem aos aviões que aterrissam deixar as pistas em alta velocidade, liberando-a para outra aeronave que for pousar ou decolar. Atualmente, o avião tem que ir até o final da pista para sair dela; já a saída rápida fica na porção média da pista. A reforma também irá alargar uma das pistas, de 45 para 60 metros, permitindo ao aeroporto receber aeronaves como o Airbus A380 (o maior avião comercial de passageiros do mundo) e a reforma do asfalto das duas pistas. 

Texto: adaptado do original publicado em http://www1.folha.uol.com.br

domingo, 25 de novembro de 2012

Especial de Domingo

O PROJETO BRASIL DAS ÁGUAS

O Brasil representa a maior reserva de água doce da Terra, em torno de 12% do total mundial. Entre outubro de 2003 e dezembro de 2004, o aviador Gérard Moss, junto com a esposa Margi, coletaram 1.160 amostras de água doce de rios e lagos espalhados pelo vasto território brasileiro, utilizando um método inédito: um avião anfíbio. Em 2004, o projeto ganhou o Prêmio Ambiental Von Martius, na categoria Natureza, um belo reconhecimento da abrangência do empreendimento e o desafio de realizar tantos voos ousados. Os resultados das análises das amostras coletadas com tanta dexteridade ajudaram a desenhar um abrangente panorama da qualidade das águas do país para fins de alerta e conscientização.


LEGENDA
ÁGUAS NATURAIS
ÁGUAS COM TEORES MODERADOS DE NITROGÊNIO E FÓSFORO DE ORIGEM NATURAL
Em azul claro vêem-se os corpos de água limpos, onde não ocorrem interferências indesejáveis sobre os usos da água.
ÁGUAS COM BAIXO A MODERADO IMPACTO
Corpos de água com produtividade intermediária, com possíveis implicações sobre a qualidade da água, mas em níveis aceitáveis na maioria dos casos.
ÁGUAS IMPACTADAS
ÁGUAS COM IMPACTO PREDOMINANTEMENTE DE AGRICULTURA
Em laranja estão os corpos de água com alta produtividade em relação às condições naturais, de baixa transparência, em geral afetados por atividades antrópicas, em que ocorrem alterações indesejáveis na qualidade da água e interferências nos seus múltiplos usos.
ÁGUAS DE ALTO IMPACTO HUMANO
Corpos de águas afetados significativamente pelas elevadas concentrações de matéria orgânica e nutrientes, com comprometimento acentuado nos seus usos, podendo inclusive resultar em episódios de mortandade dos animais aquáticos que vivem no ambiente.
Presença de Cianobactérias potencialmente tóxicas

Em 2001, Gérard havia realizado outro desafio aeronáutico - a primeira volta ao mundo de motoplanador (Projeto Asas do Vento). No Brasil das Águas, aproveitou novamente das asas para concluir outro projeto inovador. Preocupado com a degradação dos rios vistos de cima, não só no Brasil, mas no mundo inteiro, ele idealizou uma forma de coletar amostras de água em voo rasante a bordo de um avião anfíbio. Após meses de consultas com cientistas e especialistas e testes do aparelho, foram acertadas as pesquisas que determinariam a qualidade da água coletada. Os cientistas brasileiros que analisaram, em laboratório, as amostras de água coletadas pelo Projeto Brasil das Águas, trabalham em instituições e universidades em três estados do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Cada cientista tem sua especialidade e contribuiu com novas informações que complementaram o estudo como um todo.

Amostras para análise de fitoplâncton - Foto:Nicolas Reynard 

AMOSTRAS COLETADAS EM VOO RASANTE

Dr. José Galizia Tundisi e Dr. Donato Seiji Abe
Instituto Internacional de Ecologia, São Carlos, SP. Estudavam a composição iônica e a concentração de carbono, nitrogênio e fósforo na água. Através da concentração de fósforo total, classificaram as amostras em um Índice de Estado Trófico (IET).

Dr. Rodolfo Paranhos
Instituto de Biologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ. Determinava a abundância celular do bacterioplâncton e compunha um panorama de sua distribuição em águas continentais brasileiras.

Dra.Vera Huszar
Departamento de Botânica - Museu Nacional do Rio de Janeiro, UFRJ. Estudava a biodiversidade do fitoplâncton nas águas coletadas de rios, lagos e represas de todo o Brasil.

Dr. Raphael Bragança Alves Fernandes e Dr. Maurício Paulo Ferreira Fontes
Departamento de Solos - Universidade Federal de Viçosa, MG. Analisavam as concentrações de alguns metais na água, comparando os resultados com a Legislação Brasileira.

Dr. Jean Valentin
Instituto de Biologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ. Auxiliava na aplicação da Estatística nos resultados obtidos com as análises das amostras.

AMOSTRAS COLETADAS EM PARADAS COMPLETAS DENTRO DA ÁGUA

Dr. Abílio Lopes de Oliveira Neto
Centro de Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada (São Carlos, SP) e Universidade de Santo Amaro, São Paulo, SP.

Dra. Takako Matsumura Tundisi
Instituto Internacional de Ecologia, São Carlos, SP. Pesquisavam a diversidade do zooplâncton, com ênfase nos grupos de rotíferos, copépodos e cladóceros, em amostras de água.

Dra. Ana Luiza Albuquerque e MSc. Doriedson Gomes
Departamento de Geoquímica, Universidade Federal Fluminense, RJ. Estudavam a presença de algas diatomáceas em amostras de água de superfície e de sedimento do fundo de lagos e represas.

Dr. Olaf Malm
Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ. Avaliou a presença de micropoluentes orgânicos em algumas amostras de sedimento do fundo de lagos remotos para pesquisar o histórico da contaminação destas áreas por mercúrio, analisando as amostras estratificadas do sedimento.

Dra. Maria Olímpia de Oliveira Rezende, Dra. Diva Landgraf e Dr. Claudemir Santana
Universidade de São Paulo, São Carlos, SP Analisaram algumas amostras de água de certas regiões específicas em busca da presença de pesticidas utilizados na agricultura.

Pesquisa e cidadania formam a base do projeto. Apoiado por instituições de ensino, pesquisa e empresas comprometidas com as questões ambientais brasileiras (Confira em Nossos Parceiros), Gérard e Margi Moss voaram 120.000 km – o equivalente a mais de duas voltas em torno da Terra – no avião anfíbio Talha-mar, transformado em laboratório aéreo, para coletar amostras em todas as regiões hidrográficas do país. As 1.160 amostras foram coletadas de 524 rios, lagos e reservatórios diferentes, sendo que mais do que uma amostra foi coletada de um número significante dos rios, devido à sua grande extensão (Amazonas, Paraná, Grande, Tocantins, Araguaia e São Francisco, por exemplo). O laboratório interno foi totalmente desenhado e montado pela própria equipe Brasil das Águas, com tecnologia 100% brasileira. 


Baseado nos resultados obtidos pelas análises realizados por pesquisadores em várias instituições em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerias (veja Pesquisas), foi possível desenhar um mapa mostrando a saúde das águas doces no momento da coleta e identificar ambientes não contaminados para que possam ser conservados. Utilizando a mesma metodologia em todo o país, a comparação dos resultados ajuda a entender a situação atual dos recursos hídricos e contribuir para um extenso banco de dados sobre um dos maiores bens do nosso povo: a água.

Fonte: Mundo Moss

sábado, 24 de novembro de 2012

EMBRAER

Cargueiro KC390 proporcionará mais de 20 mil empregos diretos e indiretos
A Embraer prevê a criação de 20.400 empregos diretos e indiretos durante as fases de desenvolvimento e produção do cargueiro militar KC-390, que está sendo projetado na unidade de São José dos Campos. A produção em série, porém, será na fábrica de Gavião Peixoto, SP. A expectativa da companhia é construir os protótipos e fazer o voo inaugural até o final de 2014. A primeira entrega foi prevista para 2016. O projeto entrará na fase de pico do desenvolvimento no primeiro semestre de 2013, com a geração de 1.300 empregos diretos e 6.500 indiretos. Atualmente, 1.000 engenheiros trabalham no projeto do cargueiro, cuja revisão preliminar foi concluída em agosto deste ano por técnicos da Embraer e militares da FAB (Força Aérea Brasileira). Um modelo em escala 1:6 do avião passou por testes em túneis de vento em empresas da Inglaterra, França, Estados Unidos e Holanda. Com 35,20 metros de comprimento e 35 metros de envergadura, o KC-390 será a maior aeronave construída pela indústria brasileira e já recebeu 60 intenções de compra. 

Fonte: www.ovale.com.br

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Azul e Trip

ANAC aprova compra do capital da Trip pela Azul
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou a transferência das ações que representam a totalidade do capital social da empresa Trip Linhas Aéreas para a Azul. A decisão foi publicada no dia 21 de novembro de 2012 no Diário Oficial da União. A fusão, no entanto, depende ainda do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). As duas empresas aéreas continuarão a operar separadamente. Para operação conjunta deverá haver nova solicitação à Anac. 

Texto: adaptado do original em http://veja.abril.com.br

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Recreio

Vencedora de concurso de desenho recebe capacete da Fumaça
A estudante Maria Luiza Lima Neves, de 7 anos, recebeu das mãos do Tenente-Coronel-Aviador Wagner de Almeida Esteves, Comandante do Esquadrão de Demonstração Aérea, um capacete usado pelos pilotos da Esquadrilha da Fumaça, no dia 17 de novembro de 2012, no evento Portões Abertos da Base Aérea do Recife. Ela foi a vencedora do concurso de desenho promovido pela Força Aérea Brasileira pela internet, com o tema "A Força Aérea na Minha Vida". A família de Maria, que reside na cidade de Campina Grande (PB), veio a Recife especialmente para o recebimento da premiação transportada por uma aeronave do Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo (2º ETA). Estudante está no 2º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Maria Cândida de Oliveira e ficou sabendo do concurso no último dia, por um primo aficionado pela aviação. "Se tivesse mais tempo, o desenho teria ficado melhor", disse. O concurso, teve caráter exclusivamente cultural, foi aberto a crianças até 12 anos residentes em território nacional brasileiro. Foram considerados vencedores os três desenhos que receberem o maior número de “curtir” até o dia 10/10/2012. 

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Centenário do Campo dos Afonsos

A MÚSICA CONTANDO HISTÓRIA
A programação, em andamento, das atividades comemorativas do Centenário da História da Aviação no Campo dos Afonsos, sob o título “Campo dos Afonsos – 100 Anos de Aviação”, enfoca vários eventos culturais artísticos, ligados a apresentações musicais. 

Evento 1 - Abertura da Temporada
No dia 19 de setembro foi iniciada a temporada com apresentação do Conjunto Musical do Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC), realizada no Auditório Marechal Fontenelle, para toda a guarnição do Campo dos Afonsos. Originalmente, criado com o nome de SOMDOC, o conjunto, formado com base em um quinteto de sopros, iniciou a temporada de atividades, durante a celebração do mês de aniversário da UNIFA. Ao interpretar um repertório de música popular brasileira e internacional, emocionou o efetivo da Guarnição dos Afonsos pelo talento de seus músicos e pela beleza sonora da orquestra.
SOMDOC - Abertura da temporada Musical 

Evento 2 - Dia do Aviador no Ano do Centenário do Campo dos Afonsos 
No dia 17 de outubro de 2012 foi realizado um recital do pianista Artur Moreira Lima, no Clube de Aeronáutica, comemorativo do Dia do Aviador no Ano do Centenário do Campo dos Afonsos.O Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito esteve presente no concerto, acompanhado de várias autoridades, entre elas o General de Exército Eron Carlos Marques, presidente da FHE/POUPEX que prestou apoio cultural ao evento. O pianista Arthur Moreira Lima apresentou um programa, inspirado durante a sua apresentação, que incluiu a Cantata 147 de J. S. Bach, “Jesus Alegria dos Homens”, a “Sonata ao Luar” de L. v. Beethoven, a Polonaise op. 53 de F. Chopin, a “Heróica”, além de peças brasileiras que lembraram Ernesto Nazareth, Radamés Gnattali, Luiz Gonzaga, os dois últimos em transcrições especiais que o próprio Arthur criou para homenagear os compositores nacionais. Os agradecimentos, em nome do Comando da Aeronáutica, foram realizados pelo Coronel Aviador Reformado Ubirajara Carvalho da Cruz, também pianista, que enfocou a importância do momento histórico comemorado naquela noite, numa analogia aos elementos artísticos da música, sintetizando a construção espiritual e temporal do homem numa visão teosófica, inspirando-se no privilégio de uma geração contemporânea ao evento do Centenário do Campo dos Afonsos.
Pianista Arthur Moreira Lima 

Evento 3 - Tarde de Choro
A tarde de Choro ocorrida na Base Aérea dos Afonsos foi protagonizada por um de seus ex-comandantes, Major Brigadeiro do Ar Wilson Freitas do Valle, exímio violonista, integrando com os colaboradores, Sr Cícero Roberto dos Santos, violão de 7 cordas e o Sr. Dary Quinhos Passos, no cavaquinho, o conjunto regional que teve a participação de músicos da Banda da Base Aérea dos Afonsos, regida pelo Maestro, Capitão Jair Brito de Oliveira. No programa, várias composições características desse tipo de música, cuja origem se liga ao folclore carioca, lembrando Pixinguinha, Abel Ferreira, Zequinha de Abreu, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo e André Victor Corrêa. Na assistência, o Major Brigadeiro do Ar Stefan Egon Gracza, Comandante da UNIFA, o Brigadeiro do Ar Stevam Júnior, Comandante da V Força Aérea e o Comandante da Base Aérea, Coronel Aviador Marco Aurélio acompanhado dos Comandantes das Unidades Aéreas sediadas na Base Aérea, além de todo o seu efetivo de civis e militares.
BAAF: Tarde de choro. Da esquerda para a direita: Dary Quinhos Passos, no cavaquinho; Cícero Roberto dos Santos, violão de 7 cordas; Maj Brig Ar Wilson Freitas do Valle, violão de 7 cordas; acompanhados no pandeiro pelo Sargento Condal

Evento 4 - Música no Museu
Para atingir a população estudantil, os organizadores do evento propuseram o engajamento do MUSEU AEROESPACIAL (MUSAL) que, inspirado no projeto “Música no Museu”, fará uma apresentação musical em seus hangares, amanhã, dia 21 de novembro, destinada a grupos de estudantes em visita àquela Instituição. O evento será realizado para jovens do ensino médio e fundamental, prevendo-se a participação do Colégio Newton Braga e escolas da rede pública estabelecidas nas vizinhanças do Campo dos Afonsos, entre elas a que leva o nome de Alberto Santos-Dumont. Estima-se uma plateia de 150 lugares, incluindo alunos, professores, responsáveis e representações da Força Aérea envolvidas no evento. O show musical ficará a cargo do Conjunto do CENDOC, agora composto, também, por talentosos instrumentistas, servindo no INCAER. 

Evento 5 - Recital "A Música que Santos-Dumont Ouviu" e os "Anos Dourados"
Encerrando a temporada, no dia 5 de dezembro, às 20 horas, no Clube de Aeronáutica,haverá um recital de piano, com a participação do CelAvRef Ubirajara Carvalho da Cruz, na condição de solista, e da Banda de Música da BAAF. O evento, em sua I Parte, recebe o título de “A Música que Santos-Dumont Ouviu”, considerando-se o repertório de peças para piano que será executado, evocando as obras dos compositores, precursores do advento do nacionalismo na música brasileira; o movimento ocorreu no final do Século XIX até o início do Século XX, servindo, portanto, de tema para o momento histórico objeto da comemoração do Centenário do Campo dos Afonsos. Na II Parte, a Banda de Música da Base Aérea dos Afonsos dará continuidade à linha do tempo musical, apresentando repertório que evoca a primeira metade do século XX, desde o período após a Primeira Guerra Mundial até os anos dourados, período de grandes transformações na jornada histórica do Campo dos Afonsos, quando a Escola de Aeronáutica nele sediada é transferida, gradativamente, para a Academia da Força Aérea em Pirassununga. A programação musical, conta, ainda, com a participação do Major Brigadeiro do Ar Refm Wilson Freitas do Valle que executará o choro “Brasileirinho”, em arranjo para violão e Banda de Música. Finalizando, haverá o encerramento do recital com solo de piano, em peça musical, especialmente transcrita para o evento, com a participação da Banda de Música da Base Aérea dos Afonsos, quando então será executada a “Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro”, do compositor Louis MoreauGottschalk (1829-1869)que dedicou essa sua peça à Princesa Isabel. Ainda nessa noite, a UNIFA faz o lançamento do livro “Memória do Campo dos Afonsos”, além da exposição promovida pelo MUSAL alusiva ao “CAMPO DOS AFONSOS – 100 Anos de Aviação”. 

Fonte: INCAER

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Datas Especiais

Operação Atlântico III

Forças Armadas realizam Operação Atlântico III nas regiões Sul e Sudeste
Unidades de defesa estratégicas, como portos, refinarias, usinas hidrelétricas e nucleares, estarão ocupadas pelas Forças Amadas a partir de hoje, 19 de novembro, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A ação faz parte da Operação Atlântico III, mobilização militar conjunta com o objetivo de realizar exercícios numa área dentro da chamada “Amazônia Azul” – espaço marítimo de 3,5 milhões de km² e que abriga reservas de petróleo e gás da chamada área do pré-sal. Segundo o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), órgão do Ministério da Defesa que coordena a operação, o objetivo é o adestramento das tropas da Marinha, do Exército e da Força Aérea. A ação, de acordo com o EMCFA, terá foco também nas linhas de comunicação marítima das regiões Sul e Sudeste e contará com a participação de 10 mil militares das três Forças. No exercício estão previstas ainda ações cívico-sociais (acisos) com atendimento médico-hospitalar e odontológico para populações carentes. “Esse é o último exercício de adestramento deste ano. Uma das finalidades é colocar em prática a interoperabilidade das tropas”, disse o chefe do EMCFA, general José Carlos De Nardi. A operação tem em seu planejamento o controle de área e tráfego marítimo; missões de interceptação; defesa de costa; patrulha marítima; transporte aéreo logístico; defesa antiaérea; e coordenação e controle do espaço aéreo. O ministro da Defesa, Celso Amorim, e os comandantes das três Forças irão conhecer uma das etapas do exercício. A visita vem sendo preparada por assessores do general De Nardi. A Operação Atlântico III contará com dois navios escolta dois navios de apoio, dois submarinos, três navios-patrulha e seis helicópteros da Marinha. O Exército participará com 96 viaturas leves, 101 viaturas de transporte, nove viaturas blindadas e nove ambulâncias. A Força Aérea colocará à disposição quatro aeronaves de ataque, cinco de patrulha, cinco de transporte e um helicóptero. Anualmente, as Forças Armadas realizam duas operações conjuntas de adestramentos. Nelas, os militares vivem uma situação real de guerra, mas utilizam munição de festim. Os exercícios permitem que as tropas estejam preparadas para o caso de enfrentar uma situação real. Em setembro, o exercício ocorreu na região Norte, com a “Operação Amazônia 2012”. Agora, o EMCFA completa o treinamento no Sul e Sudeste. Nesta edição, o comando da operação ficará a cargo do almirante de esquadra Gilberto Max Roffé Hirschfeld, comandante de Operações Navais da Marinha. O almirante Max terá apoio de um Estado-Maior Conjunto, composto por oficiais e praças das três Forças Armadas. A Atlântico III é planejada pelo Ministério da Defesa, e está sob comando do EMCFA. A operação tem por objetivo a preparação para a defesa dos recursos do mar e das estruturas estratégicas situadas em regiões próximas da costa brasileira.

Fonte: Tecnologia & Defesa

domingo, 18 de novembro de 2012

Especial de Domingo

WINDSHEAR 


Histórico: 
Em termos de antecedentes na aviação, as tesouras do vento sempre existiram, porém, provavelmente, foi a partir do exame detalhado do Flight Recorder (caixa preta) de uma aeronave da Eastern Airlines que caiu, a poucos metros da cabeceira 22L do Aeroporto John F. Kennedy (Nova York), em junho de 1975, que se verificou a presença e a importância desse fenômeno como causa principal ou contribuinte de inúmeros acidentes. A esse fato seguiram-se várias reaberturas de investigações de antigos acidentes aeronáuticos, inicialmente atribuídos a erros dos pilotos, mas que na realidade tinham esse importante fenômeno meteorológico por trás dos episódios. 

Definição: 
Windshear, também denominado cortante do vento, gradiente de vento ou cisalhamento do vento, pode ser definida como uma variação na direção e/ou na velocidade do vento em uma dada distância, segundo a escala abaixo: 

Cortante Vertical (mínimos de intensidade): 

Leve                   0 a 4kt/100ft
Moderada           5 a 8kt/100ft 
Severa                9 a 12kt/100ft 
Extrema                 >12kt/100ft 

Origem: 
Suas causas podem ter várias origens: trovoadas, presença de Cumulonimbus, virga, sistemas frontais, correntes de jato de baixos níveis, ventos fortes à superfície, brisas marítimas e terrestres, ondas de montanha, linhas de instabilidade e fortes inversões de temperatura, dentre outras. A presença de formação de Cumulonimbus é um bom indicativo de que possa vir a existir uma cortante do vento, mas não necessariamente a ocorrência de um microburst (forte descendente do vento), pois somente cerca de 5% dos CB produzem tal fenômeno. A existência de virgas (tipo de precipitação que ocorre na base de certas nuvens e que não chega ao solo) pode também ter Windshear associada, com a agravante de, abaixo da virga, poder haver um microburst seco, ou seja, invisível, que pode ser denunciado por poeira soprada logo abaixo da nuvem. Inversão de temperatura entre os níveis de 2.000 e 4.000 pés com ventos acima de 25 nós de intensidade também podem ser um bom indicativo. Entrada de frentes frias pode também causar Windshear, embora com menor intensidade. Há casos em que os ventos em altitude sopram de NW (típicos de sistemas pré-frontais) e, embora sua direção possa ser totalmente oposta à superfície, gerados por uma brisa, por exemplo. Os pilotos não devem se espantar, caso a Torre de Controle coloque-os com vento de cauda na final, pois, nesses casos, um vento de proa estará ocorrendo à superfície. Em virtude de aproximação da frente fria, os ventos à superfície e em altitude tenderão a alinhar-se. 

Nível de voo mais perigoso: 
Em aviação, o fenômeno pode ocorrer em todas os níveis de voo, entretanto é particularmente perigoso em baixos níveis, nas fases de aproximação, pouso e subida inicial, em face da limitação de altitude e de tempo para manobra das aeronaves. No Brasil, as Torres de Controle dos principais aeroportos estão instruídas a computarem todos os reportes de cortante do vento que ocorram da superfície até 2.000 pés (600 metros) de altura. 

Efeitos sobre a aeronave: 



O cisalhamento do vento pode causar diferentes efeitos nas aeronaves, como turbulência, aumento ou diminuição da velocidade indicada, bruscas e perigosas variações nos indicadores de velocidade vertical (VSI), de altímetro e de ângulo de ataque, sendo estes instrumentos os mais afetados em uma situação de Windshear. 

Como evitar o Windshear: 
Consultar as informações meteorológicas antes do voo, junto aos Centros Meteorológicos, é o primeiro passo para não se ter surpresas desagradáveis. Cabe ao piloto, verificar de maneira criteriosa todos os fatores meteorológicos relacionados, antes de efetuar pouso ou decolagem, em situações potencialmente perigosas devido ao Windshear. Para o Aeroporto de Guarulhos, por exemplo, é importante analisar as cartas prognósticas de vento dos FL050 e FL100 e a existência de ventos com velocidade de 20 a 25 nós soprando no través das serras, pois estes podem indicar a existência de Windshear sobre o aeródromo. O setor mais favorável é o que estiver a sotavento da serra (lado contrário ao de onde vem o vento ou lado protegido do vento). Já para o Aeroporto de Florianópolis, uma boa condição para o surgimento de Windshear é a existência de uma componente de oeste, da superfície ao FL050, com velocidade persistente acima de 20 nós na região de Lajes-SC, estendendo-se até o litoral catarinense. Em termos práticos, as informações mais atualizadas que podem ser obtidas sobre o Windshear são provenientes de outros pilotos que, rotineiramente, reportam tais ocorrências aos Controladores de Tráfego Aéreo. 

Estatísticas de ocorrência do fenômeno: 
Guarulhos, no período 1999-2011, foi o aeródromo brasileiro que apresentou um maior número de ocorrências de cortante do vento reportadas por aeronaves, nos procedimentos de pouso e decolagem, atingindo 1.737 reportes. O segundo aeroporto brasileiro em reportes de cortante do vento é o de Florianópolis, chegando a 740 casos. Em ambos, a principal causa é a onda de montanha, que se forma sobre o alinhamento das serras existentes ao norte/noroeste do aeroporto de Guarulhos e a oeste de Florianópolis. Devemos considerar que, por ser um fenômeno meteorológico reportado por aeronaves, o aeródromo com maior movimento passa a ter, teoricamente, maior possibilidade de reportes. Quanto a distribuição mensal de cortante do vento nos três aeródromos de maior reporte do fenômeno no Brasil, Guarulhos apresenta uma maior variação ao longo do ano, com picos em janeiro e novembro, enquanto que em Florianópolis as maiores ocorrências estão nos meses de inverno e Porto Alegre estão bem distribuídas ao longo do ano. 

Texto: 
Martim Roberto Matschinske - Maj- QOEMET 
José Carlos de Freitas – SO BMT 

Fonte: REDEMET

sábado, 17 de novembro de 2012

CENIPA

Inscrições abertas para curso de especialização
O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) está com inscrições abertas para o exame de seleção ao curso de Especialização em Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade Continuada (PE-Safety). 
Podem participar civis e militares que atuam diretamente na atividade de segurança de voo. 
O curso, que tem por objetivo uma abordagem científica para o crescimento da cultura de segurança na aviação, será desenvolvido pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). 
A duração será de 9 meses e as aulas acontecerão aos sábados das 8h30 às 13h e das 14h às 18h30, no auditório do CENIPA, em Brasília. 
O processo seletivo, com análise curricular, prova escrita e entrevista, está marcado para o dia 15 de dezembro no CENIPA. 
Aqueles candidatos que não puderem participar dessa primeira etapa, terão nova oportunidade em 15 de janeiro de 2013, na sede do ITA em São José dos Campos (SP). Os aprovados no exame de seleção deverão confirmar matrícula até o dia 31 de janeiro de 2013, devendo formalizar via mensagem eletrônica ddadonizeti@gmail.com . 
As disciplinas do curso terão ênfase em Engenharia Aeronáutica e Segurança de Sistemas Aeronáuticos, Sistemas de Gestão de Segurança na Aviação, além de disciplinas complementares. 
Será o único curso no Brasil com estas características sob a coordenação do professor Phd Donizeti Andrade, do corpo docente do ITA. 
A especialização é dirigida para profissionais envolvidos com a atividade de segurança operacional das Forças Auxiliares, Polícias Civis e Militares, Bombeiros militares dos Estados ligados à Secretaria nacional de Segurança Pública (SENASP), Secretaria de Aviação Civil (SAC), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Infraero, fabricantes aeronáuticos, empresas aéreas, bacharéis em Ciências Aeronáuticas. 

A instituição de ensino
O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), criado em janeiro de 1950, é uma instituição universitária especializada no campo do saber aeroespacial vinculado ao Comando da Aeronáutica (COMAER). Tem por finalidade promover, por meio da educação, do ensino, da pesquisa e da extensão, a formação de profissionais de nível superior nas especializações de interesse da Aeronáutica e do setor aeroespacial.

Saiba mais: CENIPA

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

EMCA

Gabarito do Processo Seletivo EMCA 2013
Foi divulgado o gabarito da prova do processo seletivo da EMCA - Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas, de Taubaté, SP. O exame, realizado em 11/11/12 contou com 260 inscritos disputando 70 vagas do curso técnico gratuito de Manutenção Aeronáutica, com duração de dois anos, oferecido pela escola. 
Confira:  GABARITO EMCA 2013 
A lista de classificação dos candidatos será divulgada, em 11/12/12, na EMCA, instalada na rua Tomé Portes Del Rei, 507, Vila São José, Taubaté-SP; no site da prefeitura www.taubate.sp.gov.br; no Blog da Escola (Hangar do Falcon) e no Blog do Astrônomo

Fonte: Eduardo Oliveira / Hangar do Falcon

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Aeroportos

Campinas-Viracopos passa a ser administrado pela iniciativa privada
A iniciativa privada assumiu a administração de Viracopos no dia 14 de novembro de 2012. Com isso, o aeroporto de Campinas, SP é o primeiro de grande porte do país que passa a ser administrado por empresa privada. A operadora, durante 30 anos, será a Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, que é formada por três empresas: Triunfo Participações e Investimentos, UTC Participações e a francesa Egis Airport Operation. O plano é investir R$ 9,5 bilhões ao longo das três décadas. A concessionária conduzirá todas as atividades funcionais do aeroporto, como a gestão de recursos humanos e capacitação de empregados, programas de segurança e vigilância, programas de operação e manutenção do sítio aeroportuário, programas de administração e finanças, operação comercial, além de ser responsável pela interação com os demais envolvidos no dia a dia de Viracopos, como usuários, lojistas e agentes governamentais. Viracopos é o segundo maior aeroporto de cargas do país, atrás de Guarulhos, e é responsável por movimentar cerca de 32% do total da carga aérea transportada no país. Em relação ao número de passageiros transportados, o aeroporto de Campinas é o sétimo do Brasil, com 6,6 milhões de passageiros, no período de janeiro a setembro de 2012. 

Texto adaptado do original em http://g1.globo.com

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Aeronaves

Bandeirante Patrulha
Versão do Embraer 110 Bandeirante para patrulhamento marítimo, o P-95 "Bandeirulha" (Embraer 111) veio ocupar uma lacuna na Aviação moderna. Seu desempenho é superior ao do avião que lhe deu origem, em razão dos motores PT-6A-34 e dos tanques de ponta de asa que lhe aumentam a autonomia. Equipado com potente aparelho de radar colocado no nariz, e pontos "duros" sob as asas para lançamento de foguetes. Os Bandeirulhas – com velocidade máxima de 420 Km/h e alcance de 2703 Km - patrulham a costa, executam a identificação e o controle do tráfego mercante e se engajam em operações de busca e salvamento. 

Fonte: www.abrapat.org.br

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Carreiras na Aviação

COMARA tem 179 vagas temporárias na Amazônia
A Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável por projetar, construir e equipar aeroportos na região Norte do país, iniciará as inscrições para o processo seletivo simplificado de contratação de 179 profissionais temporários, sendo 21 para funções administrativas e 104 para funções operacionais. As vagas disponíveis visam suprir as necessidades administrativas e operacionais dos canteiros de obras, destacamentos de apoio e da própria sede da COMARA. Atualmente, a Comissão de Aeroportos atua em Santa Rosa do Purus (AC); Moura, Estirão do Equador, Eirunepé, Palmeira do Javari, Yauaretê, Tunuí-Cachoeira, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Manaus, todos no Amazonas; Surucucu (RR); e, Monte Alegre (PA), e o candidato deve ter disponibilidade para viajar após a sua contratação. As inscrições serão realizadas entre 12 de novembro e 7 de dezembro de 2012, e o texto completo do edital e o formulário de inscrição estão disponíveis na página da COMARA na internet. O formulário preenchido deve ser entregue juntamente com a documentação relacionada no item 1.7 do edital, para conferência no ato de apresentação da inscrição. O processo seletivo ocorrerá em duas etapas: análise documental e avaliação de saúde. A lista geral dos candidatos classificados será publicada no site da COMARA, por ordem de classificação e por pólo de seleção, na data provável do dia 28 de janeiro de 2013.  

Currículos
Os currículos e o restante da documentação exigida poderão ser entregues nos seguintes locais, cujo horário de atendimento será de segunda a quinta-feira, das 10h às 12h, e de 14h às 16h: 

- Destacamento de Apoio da COMARA em Manaus (AM) - Rua Rio Guamá, s/n, 1 Vila Militar Rio Negro, Bairro Colônia Oliveira Machado; 

- Destacamento de Apoio da COMARA em Monte Alegre (PA) - Avenida Presidente Kennedy, nº. 1253, Bairro Cidade Alta; 

- Destacamento de Apoio da COMARA em Tabatinga - Rua T-26, nº. 1.246, Bairro Aeroporto; 

- Destacamento de Apoio da COMARA em São Gabriel da Cachoeira - Avenida Castelo Branco, nº. 633, Bairro Fortaleza; 

- Sede da COMARA em Belém (PA) - Avenida Pedro Álvares Cabral, nº. 7.115, Bairro Marambaia.  

Carreiras
Há oportunidades com vagas e cadastro de reserva nas seguintes carreiras:

Superior - Administrador, Administrador de RH, Analista de Sistema, Arquiteto, Assistente Social, Contador, Engenheiro-Agrônomo, Engenheiro Ambiental, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Florestal, Engenheiro Mecânico, Engenheiro Naval, Engenheiro Sanitarista, Engenheiro Segurança do Trabalho, Geólogo, Nutricionista e Psicólogo Organizacional, e Secretária Executiva. 

Intermediário - Almoxarife, Apontador de Obras, Arquivista de Documentos, Assistente Administrativo, Laboratorista de Solos, Programador de Sistema de Informação, Supervisor de Construção Naval, Técnico Agrícola, Técnico de eletricidade, Técnico de Gestão de Meio Ambiente, Técnico de Refrigeração, Técnico de Obras Civis, Técnico de Saneamento, Técnico Eletrônico, Técnico em Telecomunicações, Técnico em Contabilidade, Técnico em Manutenção de Equipamentos de Informática, Técnico em Secretariado, Técnico em Segurança no Trabalho, Técnico Florestal, Técnico Naval, Telefonista, e Topógrafo. 

Auxiliar I - Ajudante de Estruturas Metálicas, Auxiliar de Cozinha, Auxiliar de Limpeza, Auxiliar de Manutenção Predial, Auxiliar de Mecânico de Autos, Auxiliar de Pintor de Automóveis, Ferramenteiro, Servente de Obras e Vigia. 

Auxiliar II - Bombeiro Hidráulico, Borracheiro, Carpinteiro, Condutor Maquinista Fluvial, Contramestre Fluvial, Cozinheiro de Embarcações, Cozinheiro Geral, Detonador, Eletricista Predial, Eletricista de Instalação de Veículos Automotores, Encarregado de Usinagem de Metais, Encarregado de Soldagem, Ferreiro Armador, Funileiro de Veículos - Reparação, Garçom, Lixador de Peças de Metais, Lubrificador de Veículos Automotores, Marceneiro, Marinheiro Fluvial de Convés, Marinheiro Fluvial de Máquinas, Mecânico de Manutenção de Máquina em Geral, Mecânico de Manutenção de Veículos, Mecânico de Máquinas Pesadas, Mestre de Obras, Mestre Fluvial, Montador Naval, Motorista de Carro Pesado, Operador de Betoneira, Operador de Britador, Operador de Caldeira, Operador de Jato Abrasivo, Operador de Máquina Perfuratriz, Operador de Máquina Recobridora de Arame, Operador de Motosserra, Pedreiro, Piloto Fluvial, Pintor de Automóveis, Pintor de Obras, Prático de Portos, Serralheiro, Soldador e Torneiro Mecânico. 

Fonte: Agência Força Aérea

Saiba mais: www.comara.aer.mil.br e email comaraedital2012@gmail.com

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Espaço

Lançado o satélite StarOne C3 de comunicações no Brasil
A Embratel e seu braço de operações por satélite StarOne lançaram no dia 10 de novembro de 2012, a partir do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, o novo satélite StarOne C3. O satélite será utilizado para ampliar a capacidade da StarOne em bandas C e Ku na região andina, na região da Flórida e na área marítima onde estão localizadas as reservas de petróleo no pré-sal, a 300 km da costa brasileira. A cobertura no território brasileiro, obviamente, também será reforçada. O satélite é um artefato de 3,2 toneladas, produzido pela norte-americana Orbital, com 28 transpônderes em banda C e 16 em banda Ku e vida útil projetada de 15 anos. O projeto, construção e lançamento do C3 e do StarOne C4, que será lançado em 2014, consumirão U$S 600 milhões, mais ou menos metade para cada satélite. O lançamento bem-sucedido foi realizado pela Ariane Space. O StarOne C3 atenderá a crescente demanda por capacidade de TV e dados no Brasil, sobretudo com os eventos esportivos.. O C3 é o sexto satélite da frota da StarOne e substituirá o B3, já em final de vida útil, na posição 75° W. O satélite passará agora por uma série de testes e pelo posicionamento final e estará em operação em cerca de um mês. 

Texto: adaptado do original em www.teletime.com.br

domingo, 11 de novembro de 2012

Especial de Domingo

Adriano C. Teixeira é pai do Felipe. Moram em Ubatuba-SP, sede do NINJA - Núcleo Infantojuvenil de Aviação. Nesta semana, recebemos dele a carta abaixo. O conteúdo, por si só, traduz toda a nossa alegria, confirmando que trilhamos um bom caminho ao levar a cultura aeronáutica para crianças e jovens. 
Saboreie a leitura!
Bom domingo!

O NINJA não é um videogame
Felipe, piloto do NINJA, no museu TAM

Cena real, num bonito dia de sol, o piloto de uma aeronave deixa o aeroporto de Ubatuba para fazer um passeio panorâmico pela cidade. O avião se afasta bastante do centro e num dado momento o motor para. 

O piloto não entende o que aconteceu então, ao procurar identificar o problema, percebe que o motor parou por pane seca, uma vez que o mostrador do combustível demonstrava que o tanque estava vazio.

Erro do check-list da decolagem, o avião ainda estava longe do aeroporto e começou a perder velocidade e, consequentemente, sustentação. O avião corria o risco de “stolar” e cair matando a todos. 

Então o passageiro ao lado pergunta, o que vamos fazer ? O piloto então responde : “Vamos trocar altitude por velocidade”, desta forma o avião volta a ganhar sustentação e se comporta como um planador. 

Com habilidade o piloto consegue chegar ao aeroporto de Ubatuba e, mesmo com muita dificuldade, consegue fazer um pouso de emergência salvando todos a bordo. 

O passageiro que estava ao lado, sorri e cumprimenta o piloto pela ótima pilotagem em situação de extrema dificuldade. 

Quem são os personagens desta história ? O piloto Felipe P.T. 8 anos de idade, piloto do NINJA. O passageiro, professor Diogo, instrutor do NINJA. Local : Sala de simulação de voo do NINJA. 

Ninguém sofreria nenhum ferimento neste episódio, mas alguém mostrou que aprendeu o que é ensinado, aprendeu por que o faz com paixão, com vontade. O mascote do NINJA mostrou que não quer só jogar videogame, mostrou que leva a sério o aprendizado. 

Curiosamente fiquei sabendo desta história hoje, justamente quando encontrei o professor Diogo pedindo-lhe que, além de deixar o pequeno Felipe brincar, de fato lhe apresentasse os fundamentos da aviação e o assunto veio à tona, justamente quando o “pai amador” pediu que o professor ensinasse o mascote a fazer coisas sérias, como por exemplo, o check-list de decolagem. 

Quando o professor Diogo me contou essa história, ele disse que não contava com a resposta do jovem mascote, e disse “fiquei até arrepiado”, justo ele que confessou ter deixado o avião decolar com pouco combustível para testar o piloto. 

Duvido que se colocasse meu filho diante de um bom simulador de voo, com todos os recursos disponíveis, ele aprenderia o que aprendeu no NINJA. Por isso é que eu acredito no projeto. 

Obrigado aos coordenadores do NINJA, principalmente, muito obrigado Diogo por ter que aguentar o intrépido molequinho uma vez por semana. Este episódio mostra que vale à pena.

 Adriano C. Teixeira

sábado, 10 de novembro de 2012

Aeronaves

A futura operação do Airbus 380 no Brasil
Quatro companhias aéreas internacionais têm interesse em usar, no Brasil, o Airbus 380, maior avião de passageiros do mundo em operação. As interessadas são Air France, Lufthansa, British Airways e Emirates. Serão necessárias adaptações nos aeroportos de Guarulhos e Galeão para receber a aeronave. A América Latina é a única região no mundo onde o A380 ainda não é usado. O A380 pode levar até 853 passageiros, dependendo da configuração interna. A Airbus já recebeu 257 pedidos da aeronave de 20 companhias aéreas. Atualmente, nove empresas já utilizam a aeronave: Air France, China Southern, Emirates, Korean Air, Lufthansa, Malaysia Airlines, Singapore Airlines, Thai Airways e Qantas. 

Fonte: http://estadao.br.msn.com

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Operação Cruzex C2

Forças Aéreas de 13 países simulam guerra em Natal
Até o dia 16 de novembro de 2012, a Base Aérea de Natal recebe 280 militares de 13 países para o maior exercício de guerra aérea simulada da América Latina, a CRUZEX C2 2012. No mundo virtual, isso significa que nas duas próximas semanas a área entre Natal e Fortaleza (CE) será uma arena de combate com tudo o que uma guerra envolve, como aviões de combate, cercos, refugiados e até ameaça nuclear. Tudo, no entanto, vai acontecer só na tela do computador. Na realidade, neste ano a CRUZEX não irá empregar nenhuma aeronave de forma real. O objetivo agora é focar o exercício no Comando e Controle - daí a sigla C2 -, isto é, treinar os Comandantes nas tomadas de decisão necessárias em situações de conflito. Além dos brasileiros, militares da Argentina, Canadá, Chile, Equador, Estados Unidos, França, Reino Unido, Peru, Portugal, Suécia, Uruguai e Venezuela vão pensar, planejar e discutir missões como se estivessem em uma coalizão do modelo empregado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) em conflitos internacionais. Esta será a CRUZEX com a maior quantidade de países participantes. Canadá, Reino Unido e Suécia participam do exercício pela primeira vez. “A CRUZEX coloca o Brasil numa posição de liderança militar na América do Sul. Na prática, a vinda da forças aéreas estrangeiras é uma prova do profissionalismo observado desde as últimas edições da CRUZEX. Além disso, é uma importante oportunidade de compartilhar conhecimentos entre os participantes”, afirma o Major Brigadeiro Antônio Carlos Egito, Diretor do Exercício. 

Treinamento para Comandantes
Esta é a sexta edição do exercício. A primeira aconteceu em 2002, na região Sul e a terceira, em 2006, no Centro-Oeste. Natal foi sede da CRUZEX em 2004, 2008 e 2010. Todas as edições anteriores tiveram participação de aeronaves brasileiras e estrangeiras. A previsão é de que posteriormente a FAB organize um outro exercício voltado para o treinamento dos pilotos, com a presença dos aviões de caça. A ideia é seguir o modelo empregado por outros países, como os Estados Unidos, que realiza a Red Flag, com aeronaves, e a Blue Flag, exclusivamente de Comando e Controle. Ao contrário do que pode parecer, no entanto, esse novo modelo de CRUZEX, sem participação de aeronaves e totalmente simulada, proporciona melhores condições de treinamento. “No modelo virtual não há limite de meios. Ou seja, é possível colocar um número praticamente ilimitado de aeronaves voando. Isso torna o exercício muito mais flexível, trazendo novos desafios para as equipes de C2”, explica o Major Brigadeiro Egito. As ações de comando envolvem desde a inteligência até a escolha de alvos e armamentos de acordo com necessidades estratégicas e regras do Direito Internacional de Conflitos Armados. A guerra aérea simulada acontece a partir de um conflito fictício envolvendo a invasão do país Amarelo por tropas do país Vermelho e a posterior intervenção de uma coalizão liderada pelo país Azul. As forças aéreas aliadas têm que operar de forma coordenada, como em missões autorizadas pelas Nações Unidas. Desde as reuniões de planejamento até a discussão dos resultados de cada missão, a CRUZEX é conduzida de acordo com procedimentos adotados pela OTAN. O cenário criado é muito parecido com conflitos recentes, como os que aconteceram nos Balcãs, Oriente Médio e Líbia, que contaram com participações dos Estados Unidos, França, Canadá e Suécia, países que agora treinam lado a lado com o Brasil e nações da América do Sul. 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Biblioteca Ninja

ASAS DO PASSADO
"Asas do Passado", de autoria do Comandante e Piloto de Linha Aérea, Luiz Felipe B. de Barros, será lançado na Feira do Livro, de Porto Alegre, no próximo dia 09 de novembro (sexta-feira), às 17:00 horas. O peão que laçou um avião em pleno voo, no município de Santa Maria, no ano de 1952, é um dos episódios narrados neste livro. A obra tem o intuito de contar detalhes da campanha de doação de aeronaves, promovida por Assis Chateaubriand na década de 40, na qual aviões de treinamento eram solicitados a milionários que, por sua vez, doavam os equipamentos para treinamento de voo. Afora isso, o livro narra a Revoada da Confraternização Brasil e Argentina realizada em abril de 1952, fatos singulares ocorridos no Brasil, a dinâmica da formação histórico-econômica do Rio Grande do Sul, a evolução das empresas aéreas regionais, entre as décadas de 20 a 60, bem como a integração territorial do Estado. A história do "Gaúcho que laçou o avião", relembrada na obra de Luiz Felipe Barros de Barros, foi publicada na Revista "O Cruzeiro" em 23/02/1952. Trata-se de fato verdadeiro, retratado na reportagem do jornalista e professor universitário, Claudio G. Candiota, falecido, aos 90 anos, no último dia 24/10/2012.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Aeroportos

Joinville terá sistema de pouso de precisão
No aeroporto de Joinville (SC) estão em andamento as obras de estrutura para receber um ILS – Sistema de Pouso por Instrumentos (sigla em inglês para Instrument Landing System). Após a instalação, que pode acontecer até o final de 2012, serão realizadas inspeções pelo DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, para homologação. O ILS é um sistema de pouso de precisão que permite à aeronave empregar, na aproximação final, trajetórias eletrônicas que proporcionam o alinhamento da pista e a rampa de planeio. É como se fosse um “escorregador eletrônico”, que começa a cerca de 10 quilômetros da cabeceira da pista de pouso. As aeronaves homologadas para empregar este recurso poderão se aproximar para pouso com visibilidade reduzida e teto de até 60 metros.Teto é a altura da mais baixa camada de nuvens que cobre mais da metade do céu. Além disso, encontram-se em andamento processos de desapropriação de terrenos no entorno do aeroporto, para que haja uma ampliação do terminal de passageiros. 

Saiba mais: Blog do NINJA – Núcleo Infantojuvenil de Aviação de 14/07/2010 e 17/11/2011

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Espaço

Iniciada a operação Barreira VIII e Tangará I no CLBI
De 5 a 14 de novembro, no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), localizado em Parnamirim, a 12 km de Natal-RN, ocorrem as Operações Barreira VIII e Tangará I com previsão de lançamento de um Foguete de Treinamento Básico (FTB) e um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI), respectivamente nos dias 7 e 13 próximos, às 15h local. Estas Operações tem como finalidade garantir a qualificação técnica e operacional das equipes do Centro, a manutenção dos meios operacionais e a obtenção de dados para a qualificação e a certificação dos referidos veículos – FTB e FTI, cumprindo as metas do Programa Nacional de Atividades Espaciais. Será o primeiro lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário a partir das Plataformas do CLBI. Com massa total de 490 kg, a previsão do apogeu, alcance e duração do voo do FTI, é, respectivamente, 56 km, 80 km e 3 minutos e 44 segundos. Simultaneamente às Operações de Lançamento, o CLBI rastreará, no dia 9, o veículo ARIANE VA210, lançado na Guiana Francesa levando um dos satélites passageiros - STAR ONE C3 - para utilização brasileira. 

Fonte: CLBI/DCTA

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Operação Curumim 2

FAB e Exército apoiam atendimento médico na selva amazônica
A partir de hoje, 05 de novembro de 2012, a Operação Curumim 2 começará a prestar atendimento médico aos índios da região amazônica. As ações, coordenadas pelas Forças Armadas, têm como foco as crianças e gestantes, para reduzir os números de mortalidade infantil e materna, assim como a vacinação dos índios e a distribuição de medicamentos e cestas de alimentos. As tropas do Exército e da Força Aérea Brasileira (FAB) darão apoio logístico durante 30 dias para que as equipes do Ministério da Saúde possam atender a 17.294 índios de 14 aldeias. As equipes de saúde serão deslocadas para os pontos de atendimento a partir de Manaus, capital amazonense, e utilizarão as instalações dos pelotões especiais de Fronteiras (PEFs) do Exército. Os militares da FAB atuarão no Alto Rio Negro e Alto Solimões. O Exército terá maior participação na região do Alto Solimões. Nesta edição, o apoio da Marinha foi descartado devido ao baixo leito dos rios nessas áreas. Além disso, os técnicos de saúde contarão com bases nas cidades de São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga, onde o Comando Militar da Amazônia dispõe de unidades hospitalares. A Operação Curumim repete a tradição da FAB, da Marinha e do Exército em atender as populações que vivem em áreas remotas, “onde começa o país”, como frisa o coronel da reserva da FAB e criador da Embraer, Osires Silva.

domingo, 4 de novembro de 2012

Especial de Domingo

14ª Competição SAE Brasil AeroDesign


Encerra-se hoje, 4 de novembro, no DCTA, em São José dos Campos (SP), a Competição SAE Brasil de Aerodesign. O evento envolve mais de 1,4 mil estudantes de engenharia de 70 instituições de ensino do Brasil, Venezuela, México, Canadá e EUA. Os alunos construíram 98 pequenos aviões para alçar voo durante a competição. As equipes trabalharam durante um ano na pesquisa, projeto e construção de aeronaves dentro das respectivas universidades. Inovações tecnológicas não faltam nos modelos, construídos em novos formatos e diferentes materiais. O desafio é voar com cargas cada vez mais pesadas. O diretor técnico da competição, André Schepop, explica a dificuldade que os participantes enfrentam. “Tem uma carga diferente para cada uma das categorias, e todas as cargas são bem menos densas, cargas de menor densidade, se comparadas ao ano anterior. Então os aviões vieram com volumes muito maiores, com aerodinâmica muito mais difícil de ser obtida”, conta. Virgínia Campos, aluna da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sabe o que deve ser feito para obter sucesso na apresentação. “A gente sabe que o balanço da água gera forças em toda a região do compartimento de cargas. Então este é o desafio maior, balançar, mas não atrapalhar o voo”, explica.


Para construir as aeronaves, algumas equipes usaram cabo de vassoura, isopor parecido com o das bandeijinhas de frios e até chapa de raio-x. Novidade A equipe de São Carlos, oito vezes campeã no Aerodesign e cinco vezes campeã internacional, fez uma asa sem fuselagem. A carga será transportada em um compartimento feito com uma estrutura de fibra de carbono e sacolinha de supermercado. O projeto técnico vale pontos, mas é na pista de decolagem que os estudantes comprovam se todo o conhecimento aplicado no avião realmente funciona. Cerimar Oliveira, da Universidade Federal Campina Grande, na Paraíba, diz que o ambiente da competição é o que mais importa no evento. “A viagem é longa, é cansativa, mas o ambiente do ITA, da Embraer, é muito construtivo e muito útil para nós, engenheiros”, conta. Todas as aeronaves são avaliadas por engenheiros da indústria aeronáutica. A competição é oportunidade para o futuro engenheiro ingressar no mercado e para a indústria encontrar talentos. 

Novidades:

Água, madeira e bolas na bagagem - A competição abrange três categorias - Regular, Advanced e Micro - e este ano o regulamento inovou quanto ao tipo de carga a ser transportada. Em anos anteriores o requisito estabelecia que deviam ser barras de chumbo ou de aço. A partir de 2012, na classe Regular, a carga deve ser madeira do tipo MDF ou HDF (prensadas, largamente utilizadas na fabricação de móveis), enquanto na classe Advanced o volume transportado deve ser água, e, na classe Micro, bolinhas de tênis. O peso total transportado em cada aeronave varia de acordo com o projeto.

Asa voadora - Veterana, a equipe EESC USP Alpha, composta por 15 alunos da Escola de Engenharia de São Carlos da USP, construiu uma asa voadora, avião sem fuselagem, em que a carga é alojada dentro da própria asa. O projeto pesa 2 kg, transporta 13 kg de madeira e atinge velocidade máxima de 90 km/h. 

Pequena Asa Voadora - A equipe Micro-Raptor, formada por 10 alunos da Universidade Federal de Juiz de Fora, de Minas Gerais, também desenvolveu uma aeronave na configuração chamada de asa voadora, porém este projeto é da Classe Micro. A pequena aeronave pesa 550 gramas e transporta até 21 bolinhas de tênis.

Veterana e atual campeã mundial - Participante desde a primeira edição da SAE BRASIL AeroDesign e responsável pelo sexto título do Brasil na SAE Aerodesign East, conquistado este ano nos EUA, a equipe Uai, Sô! Fly!!, formada por 10 estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é uma das participantes. Da Classe Regular, a equipe construiu um avião de 5,7 metros, que pesa 2,4 kg e carrega 14,6 kg de madeira.

Pará - As equipes paraenses são todas da Classe Regular. A equipe Uirapuru construiu um avião em que 70% do volume é para o compartimento de carga, na fuselagem. O monoplano tem 2,6 m. de envergadura, transporta 12 kg de madeira (MDF) e pesa aproximadamente 4,2 kg. Como novidade, será utilizado um sistema de freio mecânico.

A equipe Águia de Marabá, também do Pará, construiu o compartimento de carga 90% maior em relação ao apresentado em 2011, quando estreou na competição. A fuselagem que media 50 cm de comprimento foi ampliada em 80%. O avião transporta 12 kg de chapas de madeira tipo MDF, pesa 3 kg e alcança velocidade de 16 m/s.

Avião peso pena - Única representante do Espírito Santo, a equipe Aves, formada por 15 estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), construiu uma aeronave 40% mais leve e 12% menor que o projeto apresentado em 2011. O avião pesa 2,5 kg, transporta 10 kg de madeira e atinge velocidade máxima e 54 km/h.

Fibra do Piauí - É outra equipe estreante. Na construção do avião, a equipe Delta do Piauí, composta por 15 estudantes da Universidade Federal do Piauí, inscrita na classe Regular, trocou o isopor pela fibra de buriti, planta nativa da região conhecida como coqueiro-buriti. O material é de baixo impacto ambiental, leve, resistente e barato, afirma Felippe dos Santos, capitão da equipe. O avião pesa 3,5 kg e transporta 5 kg de madeira.

Prêmio - Ao final do evento, previsto para este domingo, 4/11/12, às 18h, duas equipes da Classe Regular, uma Classe Advanced e uma da Classe Micro, que obtiverem as melhores pontuações ganharão o direito de representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2012, nos EUA, onde equipes brasileiras acumulam histórico expressivo de participações: seis primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Aberta e um primeiro lugar Classe Micro. A SAE East Competition é realizada pela SAE International, da qual a SAE BRASIL é afiliada.


Público pode acompanhar desempenho dos miniaviões no DCTA
Chico Pereira (Jornal O Vale - São José dos Campos-SP) 


Um voo perfeito. Da decolagem ao pouso, exclamou o estudante Rudá Bittencourt, 26 anos, ao deixar a pista com o aeromodelo projetado e construído pela equipe Etep Flying, da Etep Faculdades, de São José dos Campos, uma das participantes da 14ª edição do AeroDesign, que acontece no aeroporto do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial). As cerca de 90 equipes de 70 instituições de ensino do Brasil e do exterior que participam da competição têm até amanhã para mostrar na prática o resultado de um ano de trabalho. “É a hora da verdade”, disse Rudá, que comemorou com os colegas o sucesso do primeiro voo do aeromodelo da equipe, que volta hoje à pista para nova bateria de testes práticos. Assim como a Etep Flying, as equipes Orion e Suzaquim, da Unip (Universidade Paulista), campus de São José dos Campos, também tiveram sucesso no primeiro dia de prova prática. Os aeromodelos das duas equipes cumpriram as exigências da competição. “Fizemos um grande esforço, porque é a primeira vez que participamos e tivemos que fazer tudo na raça”, disse Daniel Fulvio Lopes, 21 anos, da equipe Orion. 

Sonho
O aeroporto do DCTA se transformou em uma verdadeira oficina de produção de aeromodelos de cores, pesos e tamanhos variados, que ontem atraiu mais de 1.000 pessoas para acompanhar a façanha de jovens estudantes de engenharia que sonham um dia ingressar na carreira aeronáutica e espacial. A competição foi aberta ao público. O acesso à pista de táxi do aeroporto do DCTA é pela avenida dos Astronautas, ao lado da Embraer.

Nível
Inovações tecnológicas não faltam nas aeronaves, construídas em novos formatos e diferentes materiais, e são capazes de voar com cargas cada vez mais pesadas, que é o grande desafio. A equipe Delta do Parnaíba, da Universidade Federal do Piauí, em Teresina, estreante na competição, é um exemplo de inovação. Na construção do avião, a equipe trocou o isopor pela fibra de buriti, planta nativa da região conhecida como coqueiro-buriti. “O material é de baixo impacto ambiental, leve, resistente e barato”, afirmou o estudante Felippe dos Santos, capitão da equipe. Para participar do evento, os quatro estudantes que representam a equipe estão pagando a hospedagem em São José do próprio bolso. “Esse evento é um grande aprendizado e fonte de conhecimento técnico”, disse Clésio Melo, professor da Universidade Federal e coordenador do grupo. André van de Schepop, um dos coordenadores do evento, disse que as equipes melhoraram o nível técnico e estão bastante competitivas. “Um dos desafios é a busca pela eficiência estrutural das aeronaves”.

Premiação
Ao final, duas equipes da classe regular, uma da classe advanced e uma da classe micro que obtiverem melhores pontuações vão representar o Brasil na SAE AeroDesign East Competition, em 2013, nos EUA. Torneio amplia aprendizado São José dos Campos Estudantes que participam pela primeira vez do AeroDesign dizem que estão fascinados pela competição e pela troca de informação. “Para nós é um aprendizado, uma troca de experiência importante”, relatou Felippe dos Santos, da equipe Delta do Parnaíba, da Universidade Federal do Piauí. Os integrantes da equipe Tuiuiú, da Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande (MS), também compartilham da mesma opinião e também são estreantes. “Não temos nada comparado no nosso Estado e estamos aprendendo e buscando introduzir essa cultura lá”, afirmou o estudante Vinícius Souza Morais, coordenador do grupo. Para o seu colega Altamir Olivo, o AeroDesign é uma oportunidade para troca de informações e experiências. “É um aprimoramento do ponto de vista prático”, disse. Um grupo de 19 estudantes e professores do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais, de Juiz de Fora, está em São José para conhecer a competição.

Fontes: O Vale, G1, VP Notícias

sábado, 3 de novembro de 2012

Esquadrilha da Fumaça

Futuro comandante conclui curso para liderar demonstrações
O Tenente-Coronel Aviador Marcelo Gobett Cardoso concluiu, no dia 30 de outubro de 2012, o Curso de Formação de Líder de Esquadrão em Demonstração Aérea, que abrange 49 missões durante três meses. Pela primeira vez, o oficial assumiu a liderança da Esquadrilha a bordo T-27 Tucano número 1. “É uma responsabilidade muito grande a condução de uma demonstração. É um desafio facilitar o trabalho dos alas (outras aeronaves da formação), ao mesmo tempo em que se busca atingir a beleza das manobras, a harmonia do conjunto e a segurança da demonstração”, disse o futuro Comandante da Esquadrilha da Fumaça. O Tenente-Coronel Gobett assumirá o comando do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) a partir do mês de dezembro de 2012, em cerimônia com data a ser definida. Comandará o time de acrobatas aéreos da FAB no momento de transição do T-27 para o A-29 Super Tucano. Na transição, durante o primeiro semestre de 2013, não haverá demonstrações. Após treinamentos, a Esquadrilha estreará com o A-29 a partir de agosto de 2013. 

Fonte: Agência Força Aérea

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Aeroportos

Guarulhos terá monotrilho
A concessionária responsável pela administração do aeroporto internacional de Guarulhos, planeja construir um monotrilho para viabilizar o transporte dentro do complexo aeroportuário sem que nenhum passageiro precise gastar mais de dez minutos entre uma e outra parada. O sistema elevado sobre trilhos, que tem uma estimativa preliminar de custo de US$ 40 milhões, deve estar em operação até 2016. O planejamento foi feito com paradas interligando os dois terminais de passageiros existentes (T1 e T2), o novo terminal em construção (T3) e o terminal remoto (T4) que está a dois quilômetros da estrutura principal. Tem ainda extensões previstas para a área reservada a um centro de convenções e para o setor que abrigará futuras estações de trem metropolitano. 

Fonte: www.emtemporeal.com.br