Voar é um desejo que começa em criança!

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Espaço

Centro de Lançamento de Alcântara lança 18º foguete de treinamento básico

Veículo voou por 2 minutos e 44 segundos até a dispersão na área de impacto no Atlântico

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) lançou, na quinta-feira (27/8), o 18º Foguete de Treinamento Básico (FTB). Além de treinar o efetivo da unidade, o lançamento permitiu obter dados para a qualificação e a certificação do veículo junto ao Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI). O processo faz parte da Operação Falcão I/2015, iniciada na segunda-feira passada (24/8) no CLA. O Comandante de Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, e demais oficiais-generais integrantes do Alto-Comando da Aeronáutica assistiram ao evento como parte da programação de atividades da reunião desses militares realizada em Alcântara (MA).

Lançado às 11:45 h (horário de Brasília), o veículo voou por 2 minutos e 44 segundos até a dispersão na área de impacto no Oceano Atlântico, a uma distância de 17 quilômetros do local de lançamento no CLA. Os dados coletados durante o voo apontam para uma trajetória real seguindo próximo da trajetória planejada para o FTB. “Esse lançamento é extremamente importante para manter a operacionalidade e preparar o CLA para receber, a partir de outubro, o foguete VS-40 SARA Suborbital a ser lançado durante a Operação São Lourenço”, afirma o coordenador geral da Operação Falcão I/2015 e Diretor do CLA, Coronel Cláudio Olany Alencar de Oliveira.

Saiba mais:

Os foguetes de treinamento básico e intermediário são fabricados pela indústria nacional e lançados desde 2009 tanto no CLA, quanto no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), localizado em Natal (RN). O objetivo é manter a operacionalidade dos meios técnicos e logísticos e treinar as equipes envolvidas com o lançamento e rastreio, de ambas organizações militares da FAB. A Operação Falcão I/2015, realizada pelo CLA, organização subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), cumpre ainda as atividades previstas no Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), em coordenação com a Agência Espacial Brasileira (AEB). A Marinha do Brasil (MB) e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) também participaram da operação, atuando na interdição do tráfego marítimo e aéreo, respectivamente.

Fonte: CLA

domingo, 30 de agosto de 2015

Especial de Domingo

Reproduzimos hoje o relato de uma investigação jornalística que esclareceu uma dúvida de mais de meio século: teria o aviador e escritor francês Antoine de Saint-Exupéry pousado em Ubatuba-SP? Boa leitura.
Bom domingo!

LÉON ANTOINE ou ANTOINE DE SAINT-EXUPERY?
A INCRÍVEL HISTÓRIA DE UM POUSO EM UBATUBA

Célia Regina e Léon Antoine

Era uma tarde luminosa do mês de junho de 1933 em Ubatuba, época de tantos peixes que as tainhas podiam ser apanhadas na praia, apenas com as mãos. Época em que os parcos 800 habitantes da cidade viviam ainda o espanto de seu primeiro contato com um automóvel, ocorrido poucas semanas antes. Mas nessa tarde o espanto seria maior: sem qualquer aviso ou preparação na praia do Cruzeiro, centro da cidade - cujas árvores haviam sido cortadas exatamente para uma emergência desse tipo na Revolução de 32, mas nunca sucedida - desceu um avião da Cia. Aero-Postale, que fazia a linha aérea regular entre França e Argentina. Nos 11 mil quilômetros do percurso passava pela costa atlântica brasileira e teria descido em Santos, na base aérea da Praia Grande, não fosse pela má visibilidade.
 

O avião era pilotado por um certo Antoine, que naturalmente não falava português, assim como os de Ubatuba não sabiam francês. No máximo um “vous voulez quelque chose?”, dos rudimentos ginasianos, recordados oportunamente por Washington de Oliveira, o Filhinho, que mais tarde ocuparia duas vezes a prefeitura da cidade e se tornaria seu principal historiador. Filhinho foi também, sem qualquer má intenção, uma espécie de cultor e divulgador de um mito que Ubatuba teve como verdade durante 52 anos. O de que, após a visita do alemão Hans Staden mais de quatro séculos antes, a cidade recebera outro visitante internacionalmente célebre. Antoine foi imediatamente dado como Antoine de Saint-Exupéry, o famoso aviador e autor de O Pequeno Príncipe, livro que provocaria erupções de sensibilidade banal em vários cantos do mundo, incluindo as passarelas por onde desfilavam as candidatas a miss Brasil.

Léon Antoine

Antoine, como esclarece hoje, após mais de 20 anos de pesquisa o jornalista, museólogo e pesquisador Luiz Ernesto Kawall, não era um prenome. Tratava-se do piloto Léon Antoine, também um dos grandes ases da aviação francesa em todos os tempos, com mais de 21 mil horas de voo, recordista mundial de voo livre com um tempo de 8 horas e 20 minutos, detentor da Legião de Honra e hoje em dia, aos 84 anos, aposentado e vivendo num bonito sítio em Javari, no Estado do Rio de Janeiro. Mas disso só se sabe agora. Tanto no folclore quanto na história de Ubatuba, o visitante que caiu do céu naquela tarde de 1933 acompanhado de um telegrafista chamado Chauchat, era mesmo Saint-Exupéry, embora em nenhum de seus livros se encontre uma única palavra sobre tal aventura.

Antoine de Saint-Exupéry

Kawall começou sua pesquisa a partir de uma notícia publicada em 9 de novembro de 1964. “Essa história foi criada como um conto de fadas. Em 1933, Ubatuba, isolada no Litoral Norte, onde só se chegava por mar ou então pelo céu – e aí só por acidente – estava reduzida a 110 casas, todas mais ou menos em ruínas e em dez anos poderia acabar. Matava-se peixe a paus e apanhava-se milhares de tainhas cujos cardumes vinham dar á praia e eram enterrados como sobras. Quando o aviãozinho desceu, um grupo logo correu à praia do Cruzeiro e cercou a nave. Hélice parada os tripulantes desceram, foram guiados por um agitado cortejo popular até a casa do radiotelegrafista da Aeropostale, Gilberto Nogueira Brandão. Léon Antoine e Chauchat queriam ficar hospedados em sua casa, mas o telegrafista não tinha acomodação suficiente e isto chegou até a causar um pequeno desentendimento.” A partir daí, Léon Antoine e Chauchat foram considerados hóspedes oficiais da cidade pelo então prefeito Deolindo de Oliveira Santos (aliás, tio do historiador Filhinho) e levados para o Hotel Felipe, de pau-a-pique, porém de linhas coloniais, hoje já demolido.


Hotel Felipe, em guache de João Teixeira Leite

Nas lembranças de Antoine, levado a Ubatuba 52 anos depois por Kawall, ele e Chauchat viveram uma noite memorável, regada por duas garrafas de um inesquecível vinho Sauternes, raro e caro até mesmo na França. Após o justo sono, os franceses, bem cedinho, no dia seguinte voltaram à praia, com o propósito de retirar do avião uma parte do combustível, ofertados à população, facilitando a decolagem. Antoine se lembra que chegaram com todo o tipo de vasilhame, de latas até penicos.



Depois todos, com compreensível entusiasmo, testemunharam o pequeno avião - um Latecoère - correr pela praia, até que o aparelho adquirisse velocidade suficiente para decolar. “Tomou sul, após uma suave evolução sobre a baía de Ubatuba.” A cena jamais seria esquecida, incorporou-se ao folclore local. A crônica ubatubense registra ainda dois outros casos de ruidosas descidas de aviões em suas praias, mas nada que provocasse o mesmo frisson.


Tornada pública a partir de 64 por uma série de reportagens do jornalista Ewaldo Dantas Ferreira, a inusitada visita de Saint-Exupéry passou quase imediatamente a ser pesquisada por Luiz Ernesto Kawall, que tornou-se, então, conhecedor da obra e da vida deste francês nascido em 1900 e cujo avião desapareceu sobre o Mediterrâneo no dia 31de julho de 1944, entre Grenoble e Annecy, depois de haver partido de um campo de pouso na Córsega. “Não encontrei na obra do escritor nenhuma referência ao incidente em Ubatuba; suas maiores referências ao Brasil estão contidas no capítulo 13 de Voo Noturno, onde fala sobre as montanhas ‘recortadas com nitidez no céu brilhante’, das florestas ‘sobre as quais brilham incessantemente, sem lhes dar cor, os raios do luar’ e de ‘uma lua sem desgaste: uma fonte de luz’”.

Por depoimentos, sem nenhuma imagem, especula-se sobre a presença de Saint-Exupéry em Natal, na Praia Grande, em Itaipava, em Pelotas e Porto Alegre. Mas a descida em Ubatuba tornou-se um mito tão forte que envolveu, ou foi corroborado, até por uma especialista imbatível na biografia do escritor-piloto-aventureiro, a dominicana irmã Rosa Maria. Ela ficou nacionalmente conhecida ao responder sobre Saint-Exupéry no programa O Céu É o Limite, tendo depois disso escrito um livro sobre ele. No prefácio fazia referências a pousos forçados em Santos, Praia Grande e Ubatuba. Mas, Kawall explica, irmã Rosa Maria foi das primeiras a alertá-lo de que Ubatuba tinha poucas possibilidades de ter sido pelo menos uma vez incluída em seus roteiros.



Kawall, entre muitas outras pessoas, foi ouvir em Ubatuba – onde criou o Museu do bairro do Tenório, para preservação da memória, história e paisagem da cidade – dona Isabel de Oliveira Santos, viúva do prefeito Deolindo, que considerou os acidentados franceses hóspedes oficiais. O raro vinho Sauternes servido a Antoine e seu companheiro foi possível por ser Deolindo “um comerciante que tinha em sua casa, vinhos de várias partes do mundo, especialmente franceses e portugueses, importava das casas de São Paulo e Rio...” Dona Isabel não se lembra bem dos aviadores no depoimento, tomado em agosto de 1973 (ela já faleceu), mas conta que “eles devem ter se hospedado no Hotel Felipe, que ficava defronte da nossa casa, na Rua Maria Alves e era o melhor e mais antigo de Ubatuba”.

Washington de Oliveira - "Filhinho"

A saga exuperyana foi confirmada pelo historiador e ex-prefeito Filhinho: “Quando o avião desceu houve aquele burburinho, o aparelho foi cercado pela população. Um húngaro, Júlio Kertz, tentou falar com o piloto em alemão, mas ele não entendeu”. Ele lembra que “no dia seguinte os franceses ainda passaram a pé pela frente de casa, junto à praça da Matriz, se despediram com um au revoir e foram embora. Não sei se passaram telegrama pelo correio, acho que não, pois se a própria Air France (nome da Aero-Postale de 1933 em diante) tinha estação telegráfica não precisariam disto”. Filhinho informou que não há mais registro dos livros do hotel porque seus proprietários morreram. Mas conseguiu descobrir o telegrafista Gilberto Brandão, da Air France, morando em Niterói e este confirmou numa carta “a estada de Saint-Exupéry entre nós”, embora sem conseguir precisar exatamente a data.



A “estada de Saint-Exupéry" está fartamente documentada em fotografias. Umas foram feitas pelo próprio piloto Léon Antoine e outras por um alemão (aliás, nascido na Guatemala), Herman Porcher, também já falecido, mas ouvido por Kawall. O “alemão” estava na cidade como turista e mais tarde compraria “metade da praia de Santa Rita”. “Localizei esse Porcher morando em Santo Amaro, me diziam que ele gostava de frequentar os bares do bairro e levei tempo até encontra-lo. O garçom de uma choperia me deu o telefone dele, marcamos um encontro em seu escritório de numismática – Ele trocara a fotografia pelo comércio de moedas.


Que descoberta! Porcher não só relatou o caso dos aviadores como, depois de me descrever o jantar na companhia deles, mostrou quatro fotografias batidas na manhã de sua partida. Em Ubatuba, onde se hospedava no Hotel de Idalina Graça e planejava caçadas nas matas vizinhas com alguns amigos, usando culotes, perneiras e capas sobradas da Revolução de 32, o ‘alemão’ lembrou-se de que eram por volta de cinco horas e já começava a escurecer quando o avião desceu na praia. Falou com os tripulantes em francês, ouviu deles que vinham de Natal, fazendo várias escalas e levando malas postais até Santos”.

– Quando os franceses pediram vinho o prefeito foi buscar. O mais alto ao ver a garrafa exclamou: "Mas onde o senhor arranjou isto? Na França este vinho custa um dinheirão!” Conversamos sobre aviões e a linha aérea francesa para a América do Sul e também sobre os voos do Zeppelin, que eu tinha fotografado em São Paulo naquele mesmo ano. Depois do jantar fomos ver o avião na praia, um caiçara entrara na cabine e estava divertindo-se. “Cuidado, João, o avião pode levantar voo”, alguém gritou, e ele saiu correndo de medo.


Jornalista Luiz Ernesto Kawall coletando informações.

Porcher contou também que, “por volta de 50 e poucos, quando Saint-Exupéry começou a ficar falado e famoso, eu soube que aquele homem alto e gentil que descera em Ubatuba era ele”. O fotógrafo morreu antes de desfeito o equívoco. Mas com as fotos na mão, Kawall foi em frente. Uma das primeiras pessoas que procurou foi a dominicana Rosa Maria, que não pode dizer com certeza se nas fotos estava ou não seu amado Saint-Exupéry. Talvez no lugar do escritor piloto estivesse outra celebridade, o grande pioneiro da aviação e grande herói Jean Mermoz, que também pilotara para a Generale Aero-Postale. Kawall tentou Joseph Halfin, da Air France, e escreveu cartas para a França, mas nada de levantar com certeza a identidade dos franceses que pernoitaram em Ubatuba. 

Jean Mermoz

A verdade começou a aparecer em setembro do ano passado (1985), quando se comemorava a travessia do Atlântico por Mermoz e a TV Globo entrevistou o jornalista francês Jean-Gérard Fleury, correspondente da revista Le Point. Ao vê-lo falar sobre o heroísmo pioneiro de Mermoz, Kawall intuiu que poderia ter dele um esclarecimento definitivo. Tinha razão. Fleury, que foi amigo de Saint-Exupéry, imediatamente se interessou pelo assunto, a partir de uma conversa telefônica. Viajou para a França e lá recebeu uma carta do jornalista brasileiro, com várias perguntas. Entre as respostas, a de que “as fotos enviadas não são de Saint-Exupéry” e “Saint-Exupéry nunca teve acidente no Brasil”. E completava: “Achando muito simpática sua pesquisa sobre um episódio acontecido em Ubatuba, tenho grande prazer em completar as informações solicitadas. O avião que pousou naquela cidade em 1933 era pilotado pelo veterano comandante Léon Antoine, acompanhado pelo radiotelegrafista Chauchat. Hoje ainda Antoine se lembra da triunfal acolhida tanto pelo prefeito como pelo povo da cidade e evoca sempre com emoção um vinho Sauternes de admirável paladar, assim como suas conversas com o prefeito e um cidadão alemão que falava francês. Quando lembrei a Antoine este episódio ele se comoveu e falou de sua grande vontade de rever o lugar do acidente e as pessoas que lhe prestaram tão fraternal assistência”.



A pesquisa estava terminada, ou quase. Luiz Ernesto Kawall decidiu então que tudo só ficaria completo depois de um encontro com o próprio Léon Antoine, sobre quem Fleury informara estar vivendo no Brasil desde que se aposentara na Air France. Antoine, casado, pela segunda vez, com Célia Regina, uma bela negra brasileira, de fato mora num sítio em Barão de Javari, no interior fluminense. Aos 84 anos, pai de dois filhos, tem cinco netos e dois bisnetos. Adora o Brasil e permanece um admirador de bons vinhos. Reconheceu imediatamente as fotografias feitas em Ubatuba do seu avião Late 26. Já pilotou todos os tipos de avião, do primitivo Brequet-14 até o Super G Constellation. Seu relato sobre o episódio:

Nossa próxima parada seria Praia Grande, mas na altura de Ubatuba a cerração impediu o voo visual. Nós nos guiávamos por carta da Marinha do Brasil, sempre observando os faróis e os homens da empresa acendiam fogueiras nos pousos de Praia Grande, Florianópolis e Pelotas para nos orientar. Com a cerração fechando o visual, baixamos um pouco e avistamos a torre da igreja de Ubatuba. Fizemos um voo em círculo, escolhemos uma praia onde a vegetação era rala e decidimos descer. Fomos imediatamente cercados pelo povo, alguns nos olhávamos como se fôssemos extraterrestres.

Sr. Lindolfo, último a direita, de chapéu e paletó branco, observa o avião, em 1933.
 Em 1985, sr Lindolfo aponta o local do pouso.

Antoine, entre muitas lembranças, conta que na hora da partida o dono do Hotel Felipe lhes ofereceu a compra do estabelecimento, “por seis mil contos, em moeda da época. Deve ter sido por causa do meu nome, Léon Antoine, que mais tarde se passou a acreditar que Saint Exupéry teria dormido na cidade. Eu era mesmo parecido com ele. Não apenas nas feições, mas também pela altura. Só que ele andava mais curvado do que eu. Além disso, Saint-Exupéry nunca fez regularmente a linha para a América do Sul, mas como passou dois anos em Buenos Aires certamente andou por aqui. Não foi meu amigo íntimo, mas eu o conheci bem, era um pouco do mundo da lua...” O piloto falou a Kawall de sua vontade de rever Ubatuba.

Luiz Ernesto Kawall, Léon Antoine e Célia Regina.

O capítulo final dessa história que remete a memória aos tempos da aviação, à lembrança de homens como Saint-Exupéry, Mermoz, Guillaumet e Dumesnil, foi encerrada a algumas semanas: Léon Antoine, após 52 anos, retornando a Ubatuba. Revendo os mesmos cenários hoje muito mudados, impossibilitado de hospedar-se no colonial Hotel Felipe, que não existe mais, para abrigar-se sob as sofisticadas quatro estrelas do Palace Hotel. As testemunhas da época são também poucas. Mas lá estava ainda Filhinho, o historiador, farmacêutico, ex-prefeito. O homem que ajudara cimentar um mito e que assistia à definitiva destruição do seu atraente mistério. Ubatuba, cujas areias receberam escritos de Anchieta, cujos índios foram introduzidos pelo padre Nóbrega aos rudimentos do que o Ocidente chama de civilização, cujas paisagens extasiaram o alemão Hans Staden, teria de abrir mão de sua mais palpitante história contemporânea: o Pequeno Príncipe jamais passou uma noite no Hotel Felipe.

Edição de textos e fotos após consulta a Luiz Ernesto Kawall, em julho de 2015, a partir de reportagem de Edmar Pereira, publicada no Jornal da Tarde em 11/1/1986.

Fonte: Doc-LEK

sábado, 29 de agosto de 2015

Aeroclube de Pirassununga

Aeroclube completa 73 anos e terá show da Fumaça
A Esquadrilha da Fumaça fará uma demonstração aérea em Pirassununga (SP), neste sábado, 29 de agosto de 2015, no Aeroclube da cidade. O evento celebra os aniversários de 73 anos do Aeroclube (22 de setembro) e de Pirassununga (06 de agosto). A apresentação será a partir das 16h. A entrada é franca.“É um prestígio muito grande para nosso aeroclube ter a presença da Força Aérea Brasileira nesse evento, pois esta será uma das primeiras apresentações do Esquadrão com as novas aeronaves A-29 Super Tucano”, destacou um dos diretores do Aeroclube, Thiago Sabino. O evento, que se inicia às 9h, também contará com sobrevoo de aviões T-27 Tucano da Academia da Força Aérea (AFA), exposição de veículos de combate do 13º Regimento de Cavalaria Mecanizado do Exército e exibição de carros e aeronaves antigas.

Histórico
No dia 17 de Julho de 1942, convidados pelo Sr Belarmino Del Nero, na época Prefeito Municipal de Pirassununga - SP, reuniram-se em sua residência diversos cidadãos, a fim de deliberarem sobre a fundação na cidade de Pirassununga de um Aeroclube com a finalidade de estimular a nossa juventude à prática de voo. Em 22 de setembro de 1942, na sala de seção da Prefeitura, realizou-se Assembléia Geral que culminou com a fundação da entidade. Desde 1942, o Aeroclube de Pirassununga formou centenas de pilotos dos quais muitos foram e hoje são comandantes de empresas aéreas. É escola de pilotagem aeronáutica, tendo por finalidade principal a formação e treinamento de pilotos civis. Possui infraestrutura composta por seis hangares, oficina de manutenção, sala de aula, sede social, dependências administrativas, sala de confraternização, pista de 860x30 metros, além de uma casa de moradia para Guarda Campo. Oferece cursos de pilotagem em avião, com a finalidade amadora ou profissional, e pilotagem de planadores para fins desportivos.

Contato
Aeroclube de Pirassununga
Rua Siqueira Campos, 4609
Telefone (19) 3561-1480.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Embraer KC-390

Começa em setembro de 2015 a certificação do KC-390
O primeiro protótipo da aeronave KC-390, que realizou o primeiro voo em fevereiro deste ano, voltará a voar a partir de setembro de 2015, para atividades de desenvolvimento e certificação. O segundo protótipo da aeronave está na linha de produção e deve estar pronto para voo ainda em 2015. A certificação está prevista para ser concluída em outubro de 2017. O IFI - Instituto de Fomento e Coordenação Industrial, organização ligada ao DCTA - Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, liderou, em 2015, o estabelecimento do processo de certificação do cargueiro KC-390 em conjunto com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A certificação militar do projeto será conduzida pela Embraer, atuando como uma Organização de Projeto Credenciada (OPC), processo pioneiro no Brasil que permite ao órgão certificador supervisionar todo o projeto. A adoção dessa estratégia, segundo um dos assessores técnicos do IFI, Tenente-Coronel José Renato de Araújo Costa, alia elevada agilidade processual à inclusão de mais um nível de supervisão, que aumenta a garantia do cumprimento seguro das missões para as quais a aeronave foi projetada.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Videoteca Ninja

O Pequeno Príncipe



Do diretor Mark Osborne vem a primeira adaptação animada da obra-prima de Antoine de Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe.

No centro de tudo está A Pequena Garota, que está sendo preparada por sua mãe para o mundo muito adulto no qual vivem – e é interrompida por seu excêntrico e amável vizinho, O Aviador.

O Aviador apresenta sua nova amiga a um mundo extraordinário, no qual tudo é possível.

Um mundo ao qual ele mesmo foi apresentado há muito tempo pelo Pequeno Príncipe.

É aí que começa a jornada mágica e emocionante da Pequena Garota pela sua própria imaginação – e pelo universo do Pequeno Príncipe.

E é onde a Pequena Garota redescobre sua infância e aprende que o que importa são as relações humanas e o que é realmente essencial somente pode ser visto com o coração.

Título original: The Little Prince

Gênero: Animação

Distribuidor: PARIS FILMES

Ano de produção: 2015

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Tecnologia

Alunos do ITA ganham medalha em competição de foguetes nos EUA
Fertilizante e açúcar. Foram esses os ingredientes usados por 14 estudantes do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) para superarem um desafio singular: como participar de uma competição internacional de foguetes, realizada nos Estados Unidos, sem poderem viajar até lá com o combustível necessário, um item considerado perigoso? Após comprarem os ingredientes no comércio da cidade de Green River, no Oeste do país, eles conseguiram participar da prova disputada em junho por universitários de 46 instituições de cinco países. E levaram a medalha de prata, ficando atrás apenas da equipe do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). "É uma experiência incrível poder ir mostrar que o Brasil tem força de fazer grandes projetos e ter uma grande representatividade no cenário internacional", conta o brasiliense Daniel Bontorin, de 22 anos. O foguete de dois metros de comprimento atingiu 758 km/h e 2,2 quilômetros de altura. Depois, os dois paraquedas abriram com sucesso e bólido pousou a 1,9 quilômetros do local de lançamento. O equipamento de bordo, um GPS e um sistema inercial, também funcionaram e transmitiram em tempo real a trajetória do experimento. O financiamento para a participação veio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Fonte: FAB

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Hora do Recreio

Crianças experimentam cabine de avião
Cerca de 100 crianças e jovens de 6 a 15 anos da associação Pró-Brejaru, organização sem fins lucrativos que atua no município de Palhoça (SC), na grande Florianópolis, conheceram a missão e o cotidiano dos militares da Base Aérea de Florianópolis (BAFL), no dia 19 de agosto de 2015. Os pequenos visitaram a Banda de Música, onde tiveram a oportunidade de conhecer os instrumentos e assistir a uma apresentação musical. No Batalhão de Infantaria presenciaram o dia a dia de um soldado da Força Aérea e uma exibição dos cães de guerra do canil. Já no hangar do Esquadrão Phoenix (2º/7º GAV) as crianças receberam explicações sobre a aeronave de patrulha marítima Bandeirante P-95 e experimentaram a sensação de estar na cabine de um avião e sentar-se na cadeira do piloto. O objetivo da BAFL é proporcionar uma atividade lúdica, que possibilite reforçar nas crianças valores importantes como respeito, disciplina e amor à pátria. 

Fonte: FAB

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Biblioteca Ninja

Em "Os aviões do menino", desenhos de um piloto de sonhos

Entre as sínteses de pensamentos norteadores do Núcleo Infantojuvenil de Aviação (NINJA) está a de que "Voar é um desejo que começa em criança!". Assim, o NINJA proporciona apoio cultural para iniciativas entre crianças e adolescentes relacionadas com a atividade aeronáutica. Uma dessas manifestações refere-se ao lançamento do livro "Os aviões do menino", de Gabriel Rodrigues da Costa, 9 anos, de Lorena (SP). Gabriel, como toda criança, é um sonhador. Desde os 3 anos é fascinado por aviões e seu passatempo preferido é pintar aeronaves existentes ou imaginárias. Seus traços foram se aprimorando ao longo da sua infância. Muitos de seus desenhos se extraviaram, por se tratarem de tarefas lúdicas, brincadeiras, passatempo.

Todavia, alguns foram reunidos e compuseram um livro para colorir, contendo várias de suas percepções sobre os aviões Super Tucano da Esquadrilha da Fumaça, T6, AMX, Migs e outras aeronaves existentes ou “projetadas” por ele, isoladas ou em cenas. Além de um mimo para os amigos, o livro é um registro de seus sonhos e brincadeiras de infância no fabuloso mundo da aviação.

domingo, 23 de agosto de 2015

Especial de Domingo

Apresentamos, nesta edição, matéria produzida pela redação do NINJA, a respeito do imperdível passeio que deve ser feito por todos os interessados em aviação e tecnologia, ao Museu da TAM, que reúne quase uma centena de aviões de todas as épocas.
Boa leitura.
Bom domingo!

Um dia no Museu da TAM, entre suas 90 aeronaves

Um senhor que com uma bola de tênis presa a um cabo de madeira esfrega o chão, de modo a remover resíduos de borracha de sola de calçado que marcam o piso. Um jovem que pacientemente limpa a parede de vidro protetora de uma área de exposição sobre corrosão. Um rapaz que retoca a limpeza e brilho das partes de um avião Mirage III. Adolescentes guiando crianças entre as aeronaves e explicando em detalhes o significado e a história de certas peças expostas. Assim é o suporte para o visitante do Museu da TAM em São Carlos (SP). O acervo do maior museu aeronáutico do mundo mantido por uma empresa de linhas áreas está numa grande área ao norte do município de São Carlos, a 15 quilômetros do centro, na estrada SP318, sentido Ribeirão Preto. O Museu TAM reúne cerca de 90 aeronaves de pequeno, médio e grande porte. O maior exemplar é um Constellation – avião com quatro motores a pistão, nas cores da extinta Panair do Brasil.

Também há aeronaves que fizeram a história da TAM: Fokker 100, Fokker 27, Embraer 110 Bandeirante e os monotores Cessna empregados na então Táxi Aéreo Marília. Na parte de aviação militar estão raridades da Segunda Guerra Mundial, como o Messerschmitt BF 109, empregado pela aviação nazista, o inglês Spitfire, o americano Corsair e o P47 Thunderbolt que equipou o 1º Grupo de Aviação de Caça da FAB, o “Senta a Pua”, lutando contra o nazifascimo nos céus da Itália.

Lembrando o conflito da Coréia, estão impecáveis exemplares de Mig (Mikoyan-Gurevich) 15, 17 e 21.


O acervo relativo à Força Aérea Brasileira remete ao lendário P47 Thunderbolt, ao monomotor Regente, caça supersônico Mirage III, HS 125, Búfalo C115, P16 Tracker, Gloster Meteor F8 e TF33. 

Já a Aviação Naval é representada por um helicóptero Sea King. Entre os pioneiros e clássicos, o visitante do Museu da TAM poderá apreciar o primeiro de todos, o 14-Bis, e o Demoiselle, criações do gênio brasileiro Alberto Santos Dumont. Verá, também, um Fleet II, de 1931, porém pintado nas cores da heróica Esquadrilha Lafayette, equipe formada por pilotos americanos a serviço da aviação francesa, durante a Primeira Guerra Mundial, e retratada no filme “Flyboys”. Graça e elegância são vistas no triplano American Flea Ship. Ao alto, planadores presos ao teto parecem voar acima dos visitantes.

O museu expõe, ainda, o avião Jahú que proporcionou a tripulantes brasileiros efetuarem, em 1927, a primeira travessia do Atlântico sem escalas e sem apoio de navios; o motoplanador pilotado pelo casal Moss na viagem ao redor do planeta, a partir do Brasil; o Cessna PT-ADV da recordista e pioneira Ada Rogato; e o Waco CSO operado pela aviação paulista na Revolução Constitucionalista de 1932.
Além das dezenas de aeronaves, impecavelmente bem cuidadas, o museu dispõe de ambientes de interação, como o espaço com motivos aeroportuários para crianças, ambiente de Torre de Controle, exposição de uniformes de aeromoças de várias épocas e instalações de comunicação audiovisual com filmes e imagens que narram a história da aviação, da TAM e do próprio museu.

O Museu TAM - que foi visitado por voluntários do NINJA - funciona de quarta a domingo, das 10 às 16 horas, com entrada até 15 horas. Dada a dimensão da coleção, é recomendável reservar de três a quatro horas para ampla observação da exposição. A taxa de ingresso é de 25 reais, com meia-entrada para estudantes de 7 a 12 anos, professores e maiores de 65 anos. Crianças até seis anos não pagam. Às quartas-feiras, o ingresso é gratuito para todos. Grupos podem agendar a visita e dispor de guias que proporcionarão importantes informações a respeito do acervo, principalmente no caso de escolares. O local dispõe de lanchonete e outros suportes ao visitante.

Texto e Fotos: Redação do NINJA

Saiba mais: www.museutam.com.br

sábado, 22 de agosto de 2015

Domingo Aéreo AFA 2015

Pirassununga terá evento aéreo neste domingo 23/08/15
A maquete do novo avião de caça da Força Aérea Brasileira (FAB), o Gripen NG, e as manobras da Esquadrilha da Fumaça estão entre as principais atrações que a Academia da Força Aérea (AFA) preparou para o Domingo Aéreo. O evento será realizado neste domingo, 23 de agosto de 2015, em Pirassununga (SP), entre 9h e 17h. A entrada será a doação de 1 kg de alimento não perecível que serão posteriormente entregues a instituições beneficentes da região. Segundo o Comandante da AFA, Brigadeiro do Ar Saulo Valadares do Amaral, o Domingo Aéreo é uma oportunidade para a sociedade conhecer de perto aquilo que é seu. “Queremos mostrar que somos parte de uma mesma sociedade. Prova disso é o envolvimento de grande parte do efetivo trabalhando e construindo com amor o nosso Brasil”, afirma. O dia será repleto de atividades para os amantes da aviação e para aqueles que procuram uma boa opção de recreação. A Fumaça fará duas apresentações ao longo do dia. A primeira será pela manhã por volta de 10h30. À tarde, às 16h30, o público tem uma nova oportunidade para ver as acrobacias dos sete aviões A-29 Super Tucano. O show aéreo tem duração de 35 minutos e conta com cerca de 50 acrobacias. As mais esperadas são a Lancevaque e a Chumboide. As duas manobras voltam a serem exibidas pelo EDA porque o avião A-29 Super Tucano oferece mais potência e capacidade operacional. A programação contará com sobrevoos de aeronaves de caça, paraquedismo e atrações infantis.

Acesso rodoviário
O acesso ao público será realizado somente pela Rodovia SP 225, km 39 - Estrada de Aguaí (Portão Sul). Com o objetivo de diminuir congestionamentos e auxiliar no fluxo de automóveis, a organização do evento solicita que os visitantes prefiram a “Carona Solidária”, excursões, bem como o uso do transporte coletivo, que no dia contará com linhas extras que atenderão a Academia. A Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo deverá promover um esquema especial para amenizar problemas de lentidão do trânsito e acidentes na chegada e saída dos visitantes.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Helibras

Simulador do helicóptero H225 é inaugurado no Rio
O simulador dos helicópteros H225 e H225M, respectivamente, versão civil e militar, será inaugurado nesta sexta-feira, 21 de agosto de 2015, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro (RJ). O simulador é do tipo Full Flight Simulator, ou seja, confere uma dimensão mais realística ao treinamento. O equipamento é capaz, inclusive, de simular situações específicas, como voos com óculos de visão noturna (NVG) e com imageador térmico infravermelho (FLIR). A partir de agora, pilotos militares e de offshore (operação em plataformas marítimas), que fazem voos da costa para pontos específicos como ilhas e plataformas de petróleo, ganham uma oportunidade de treinamento no Brasil. Até então a formação era realizada na França e na Inglaterra, onde estão os dois simuladores destes modelos de helicóptero. Por meio do Projeto H-XBR, firmado entre o Ministério da Defesa e o consórcio formado pelas empresas Helibras e Airbus foram adquiridas 50 aeronaves H225M para as Forças Armadas brasileiras. A Força Aérea Brasileira (FAB) já recebeu seis dos 16 helicópteros previstos para a instituição.
Na Aeronáutica, eles foram nomeados de H36 - Caracal e estão operando no Esquadrão Falcão, em Belém (PA). Juntas, todas as aeronaves em operação no Brasil já completaram mais de 10 mil horas de voo. A FAB receberá a versão operacional do H-36 Caracal com capacidade de realizar reabastecimento em voo (REVO).

Fonte: FAB

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Aeronaves

Tucano T-27 completa 35 anos
Há 35 anos acontecia o primeiro voo do protótipo 00 da aeronave T-27 Tucano, desenvolvida através de parceria entre Força Aérea Brasileira (FAB) e Embraer. Há mais de 30 anos, os T-27 são empregados pela FAB para instruções em voo aos novos pilotos. As aeronaves também foram utilizadas para demonstrações da Esquadrilha da Fumaça. O Tucano surgiu da necessidade da FAB de substituir a antiga aeronave de treinamento T-37, que seria descontinuada pela fabricante Cessna. Nascia assim uma máquina com desempenho notório, reconhecido internacionalmente. As características do T-27 fizeram com que o avião fosse exportado para város países. O protótipo do treinador voou pela primeira vez em 19 de agosto de 1980, com um desenho avançado para a época. Suas características acabaram tornando-se padrão para outras aeronaves de treinamento, com trens de pouso retráteis, assentos em tandem (um à frente do outro, sendo o de trás mais alto), pontos para utilização de armamento e, inclusive, sendo a primeira aeronave do gênero com assentos ejetáveis. Possui grande autonomia de voo - quatro horas e meia somente com o tanque interno, robustez, comandos precisos, boa margem de manobra mesmo à baixa altitude, confiabilidade, visibilidade e capacidade de voo em diferentes condições climáticas. Pensando no futuro do Tucano, está em curso a modernização de sua aviônica, permitindo a atualização da aeronave, tendo ainda mais de uma década de vida útil na instrução de novos pilotos.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Paraquedismo

Equipe da FAB é prata no Brasileiro de Queda Livre
A recém formada equipe feminina de paraquedismo da Força Aérea Brasileira (FAB) conquistou o segundo lugar, na categoria sênior, no 37º Campeonato Brasileiro de Paraquedismo de Formação em Queda Livre, realizado em Boituva (SP), no início de agosto de 2015. Formado por quatro sargentos entre 30 e 36 anos (Cássia Bahiense, Mayume Carolina, Débora Brescianini e Patrícia Andrade) o grupo Facões, que começou a treinar no início do ano no Rio de Janeiro (RJ), comemora o bom resultado na competição. "Ficamos muito felizes com o nosso resultado com menos de um ano de trabalho", afirma a Sargento Cássia, tricampeã brasileira de formação em queda livre e dona da medalha de broze inédita conquistada no Jogos Mundiais Miltares em 2011. Além das mulheres, um cinegrafista também faz parte da equipe. O Suboficial Márcio Chaves de Araújo é responsável por gravar as formações. O desafio do quarteto é realizar no ar o maior número de figuras durante 35 segundos.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Instrução Aérea

Grupo propõe novo manual de treinamento de pilotos
O subgrupo da Comissão Nacional de Treinamento apresentou a proposta do novo Manual Geral de Treinamento, que será a base para a formação das futuras tripulações da aviação civil brasileira. A divulgação, no dia 06 de agosto de 2015, ocorreu nas dependências do Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA V), em Canoas (RS). O conteúdo do manual engloba técnicas e práticas de instrução, planejamento, avaliação, brifim e debrifim, níveis de aprendizagem, entre outros temas. A nova proposta deve passar pela validação da ANAC para adequações à legislação vigente na instrução aérea. O subgrupo é formado por profissionais da Associação Brasileira de Pilotos da Aviação Civil (ABRAPAC), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Faculdade de Ciências Aeronáuticas (PUC-RS), Aeroclube de Eldorado do Sul, Abordo Fatores Humanos (Psicologia) e Centro de Treinamento de Helicópteros (Helipo). De acordo com o chefe do SERIPA V, Tenente-Coronel Luís Renato Horta de Castro, as contribuições do grupo de trabalho foram relevantes para formalizar a proposta do manual em sintonia com a reformulação de processos da Agência Reguladora, no que se refere às questões da aviação de instrução. O Manual Geral de Treinamento deverá estar disponível em maio de 2016. Até lá, cada membro da comissão desenvolverá e compilará os temas já definidos.

Fonte: FAB

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Voluntariado

Alunos dos ITA oferecem curso pré-vestibular gratuito

 O Curso Pré-Vestibular Alberto Santos-Dumont (CASDVest), mantido e administrado por voluntários alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), está com inscrições abertas para o concurso de admissão até o dia 30 de agosto de 2015. Os selecionados terão a possibilidade de frequentar aulas ministradas por alunos do ITA durante todo o ano de 2016 com o objetivo de se preparar para os principais vestibulares do País. O curso, realizado em São José dos Campos (SP), oferece aulas de segunda a sábado para alunos dos 2º e 3º anos do ensino médio, ou que já o concluíram, e que sejam moradores da região do Vale do Paraíba (SP). As inscrições serão realizadas somente pela internet através do site do CASDVest. A seleção é composta de um exame intelectual, que está previsto para acontecer em 13 de setembro, e de uma entrevista sobre a situação socioeconômica do candidato, sendo que ambas as etapas são classificatórias. São oferecidas 520 vagas neste ano. Segundo um dos responsáveis pelo projeto, o aluno Filipe Rolim Vieira Nogueira, o CASDVest visa a diminuir as diferenças de oportunidades enfrentadas pelos jovens de baixa renda na disputa por uma vaga em universidades públicas. Segundo o estudante de engenharia civil do ITA, a equipe do CASDVest acredita na educação como um fator de mudança social. "Conciliar as atividades administrativas do CASDVest com o estudo no ITA é, sem dúvida, um grande desafio. Posso assegurar que não existe uma fórmula aplicável a todas as pessoas, contudo, acredito que todas as formas possíveis são baseadas em três pilares: responsabilidade, organização e paixão pelo que faz. Muitas vezes, o cansaço nos leva a um desânimo transitório que rapidamente se dissipa diante do retorno pessoal, emocional e profissional que recebemos como voluntários do CASD. Ou seja, trabalhar no CASD não é um fardo e sim um grande presente", ressalta. O CASDVest foi reativado em 1997, com o apoio do ITA e da Prefeitura de São José dos Campos (SP), atendendo a 60 alunos. Em 2005, o curso construiu uma sede própria que permitiu garantir maior abrangência e aumentar o número de alunos. Em 2014, o processo seletivo teve 3.300 inscritos. Para este ano, o número previsto é de mais de 4 mil. Nos vestibulares 2014/2015, 208 estudantes que frequentavam o CASDVest foram aprovados.

Saiba mais: www.casdvest.org.br

domingo, 16 de agosto de 2015

Especial de Domingo

Reproduzimos matéria sobre os temas apresentados pelo Comandante da Aeronáutica à comissão do Senado, em Brasília, nesta última semana.
Uma boa síntese do que veremos no futuro próximo.
Boa leitura.
Bom domingo!

Comandante da Aeronáutica ressalta possibilidades econômicas de projetos estratégicos

Em audiência no Senado Federal, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato expôs expectativas dos projetos Gripen NG, KC-390 e PESE


O projeto de desenvolvimento e aquisição de 36 caças Gripen NG para a Força Aérea Brasileira (FAB) poderá gerar cerca de 14.500 empregos diretos e indiretos no Brasil.

A informação foi dada na última quinta-feira (13/8) pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, durante audiência pública realizada no Senado Federal pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional.

O Comandante da Aeronáutica apresentou o cronograma de entrega de aeronaves, entre 2019 e 2024, e a participação de brasileiros no projeto.

Segundo ele, 357 profissionais vão trabalhar na Suécia, e dos 36 jatos, oito serão construídos por eles no exterior e outros 15 no Brasil.


O Tenente-Brigadeiro Rossato lembrou ainda que as empresas estrangeiras participantes do projeto vão trazer aproximadamente 9,1 bilhões de dólares para o Brasil em compensações de natureza industrial, tecnológica ou comercial.

"Investir nos projetos estratégicos significa investir em empregos, conhecimento, geração de renda, tecnologia", disse o Senador Tasso Jereissati.

Já o Senador Ricardo Ferraço ressaltou que para aproveitar todo o potencial econômico dos projetos, é necessário não haver atrasos."Nós não estamos sozinhos na fronteira tecnológica", afirmou.

Sobre o projeto do KC-390, futuro avião de transporte da FAB, o Tenente-Brigadeiro Rossato disse haver estimativa de o Brasil exportar a aeronave.


O protótipo voou em fevereiro deste ano e 28 unidades estão encomendadas para a FAB.

"Ele é importantíssimo para nós, tanto para a integração nacional quanto no aspecto militar", explicou.


O modelo deverá permanecer em produção pelo menos até 2029, com geração de aproximadamente 15 mil empregos ao longo do seu ciclo de desenvolvimento e produção.

Investimento espacial

Outro ponto abordado durante a audiência pública foi o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE).


O mercado que o Brasil pode alcançar nesse setor, segundo o Comandante da Aeronáutica, é de R$ 41 bilhões.

Além de lançamentos de foguetes brasileiros e do uso dos dois centros de lançamento localizados no Rio Grande do Norte e no Maranhão, o valor viria do uso de satélites, hoje, um valor que o Brasil paga a outros países por serviços como comunicação e monitoramento de áreas.

"Nós da Força Aérea gastamos com satélites para o SISCEAB", disse o Tenente-Brigadeiro, em referência ao Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro.

No próximo ano, haverá o lançamento do Satélite Geoestacionário Brasileiro de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que será controlado no Brasil a partir de um centro de operações em criação pela Aeronáutica em Brasília.

Contudo, o satélite é francês e será lançado a partir da Guiana Francesa.

Já o PESE prevê o lançamento de várias unidades com tecnologia nacional.

sábado, 15 de agosto de 2015

Especialistas da FAB

Informações Aeronáuticas

Confira neste vídeo as atividades realizadas pelo profissional que é o primeiro contato do piloto: o Especialista em Informações Aeronáuticas. As principais atribuições desse profissional são coletar, selecionar e compilar os dados necessários à atualização de publicações contendo informações aeronáuticas, além de preparar boletins de informações prévias e planos de voo.

Fonte: FAB

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Efemérides Aeronáuticas de Agosto

1709
- O Padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão, considerado o inventor do “aeróstato a ar quente”, realizou dentro do Paço Real de Lisboa experiências com pequeno globo de papel que dentro trazia um foco ígneo (3 a 8 de agosto).

1905
- Santos-Dumont realizou em Trouville, no litoral do Canal da Mancha, experiências com o seu balão dirigível nº 14 (24 de agosto).

1916
- Criada a Escola de Aviação Naval pelo Decreto nº 12.167, sendo Presidente da República o Dr. Wenceslau Brás e Ministro da Marinha o Almirante Alexandrino de Alencar (23 de agosto).

1944
- O Decreto-Lei nº 6.796 criou as Unidades de Aviação, sendo fixada a sua distribuição pelas cinco Zonas Aéreas (17 de agosto).

1945
- O Decreto nº 19.477 criou a Comissão Aeronáutica Brasileira, com sede em Washington-DC, EUA (21 de agosto).

- O Decreto-Lei nº 7.892 organizou o Serviço de Intendência da Aeronáutica. Nesse dia, todos os anos, a Força Aérea Brasileira comemora o “Dia da Intendência” (23 de agosto). 

1946
- Realizou-se na pista de aviação da Fábrica Nacional de Motores, no estado do Rio de Janeiro, o voo de um Vultee BT-15 equipado com o primeiro motor Wright (450 HP) fabricado no Brasil (19 de agosto).

1950
- A Lei nº 1.176 concedeu honras de major-brigadeiro da Força Aérea Brasileira ao Major-General da Força Aérea Norte-Americana Ira Eaker, Comandante da Força Aérea Aliada do Mediterrâneo durante a Campanha da Itália, à qual esteve subordinado o 1º Grupo de Caça Brasileiro (10 de agosto).

Fonte: www.incaer.aer.mil.br

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Concurso EEAR

ÚLTIMOS DIAS
Inscrições no concurso para sargentos da FAB:
Até 24 de agosto de 2015
Estão abertas até o dia 24 de agosto de 2015 as inscrições para o concurso ao Curso de Formação de Sargentos da Aeronáutica – Turma 2 do ano de 2016. As inscrições começam no dia 30 de julho de 2015 e terminam no dia 24 de agosto de 2015. Para se inscrever basta acessar o site www.eear.aer.mil.br. A taxa é de R$ 60,00. Para participar do exame o candidato não pode ter menos de 17 anos e nem completar 25 anos de idade até 31 de dezembro de 2016 (conforme alínea “h”, inciso V, Art. 20 da Lei nº 12.464). Os interessados devem possuir ensino médio completo, entre outros requisitos estabelecidos no edital. O processo seletivo é composto de provas escritas (língua portuguesa, língua inglesa, matemática, física), inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação do condicionamento físico e validação documental. As provas escritas ocorrerão no dia 8 de novembro de 2015. Os aprovados em todas as etapas deste concurso deverão se apresentar na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP), no dia 26 de junho de 2016. O curso de formação tem duração de dois anos. Após a sua conclusão com aproveitamento, o aluno será nomeado Terceiro-Sargento e receberá um salário inicial bruto de R$ 3.686,25. 

QUADRO DE VAGAS

OPÇÃO 01
AERONAVEGANTES - SOMENTE SEXO MASCULINO
1. BMA - Mecânica de Aeronaves: 45
2. BMB - Material Bélico: 11 

OPÇÃO 02
AERONAVEGANTES - AMBOS OS SEXOS
3. BCO – Comunicações: 11
4. BFT – Foto-Inteligência: 6

OPÇÃO 03
NÃO-AERONAVEGANTES - SOMENTE SEXO MASCULINO
5. SGS - Guarda e Segurança: 22

OPÇÃO 04
NÃO-AERONAVEGANTES - AMBOS OS SEXOS
6. BEI – Eletricidade e Instrumentos: 15
7. BEV - Equipamento de Voo: 4
8. BMT – Meteorologia: 7
9. BSP – Suprimento: 11
10. SAI – Informações Aeronáuticas: 10
11. BEP – Estrutura e Pintura: 9
12. SEM – Eletromecânica: 6
13. SML – Metalurgia: 4
14. SBO – Bombeiro: 9

OPÇÃO 05
CONTROLE DE TRÁFEGO AÉREO - AMBOS OS SEXOS
15. BCT – Controle de Tráfego Aéreo: 128

LOCAIS DE REALIZAÇÃO DAS PROVAS:
Belém (PA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), São José dos Campos (SP), Campo Grande (MS), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Brasília (DF), Manaus (AM) e Porto Velho (RO).

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Cartografia

DECEA faz pesquisa sobre cartas de aproximação
O Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), organização subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), realiza, até 10 de setembro de 2015, pesquisa de satisfação sobre as Cartas de Aproximação por Instrumentos (IAC). O objetivo é conhecer as necessidades dos usuários de cartas aeronáuticas, pilotos e profissionais da área. O questionário está disponibilizado no endereço www.aisweb.aer.mil.br/pesquisa. Além da pesquisa, os usuários poderão enviar propostas de cartas (em formato pdf), textos explicativos e outras sugestões para a formulação de uma proposta padrão para a representação dessas cartas. As sugestões devem ser remetidas ao e-mail icapesquisaifr@gmail.com . O ICA, órgão brasileiro responsável pela cartografia e informações aeronáuticas, produz mapas, cartas e manuais – em meios impressos e digitais -, em conformidade com os requisitos de excelência e segurança preconizados pelo DECEA e pela Organização da Aviação Civil Internacional.

Cartografia Aeronáutica
Conheça aspectos da cartografia aeronáutica no vídeo a seguir:


Fonte: DECEA

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Espaço

Nanossatélite do ITA foi destaque em evento científico
O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), localizado em São José dos Campos (SP), está prestes a lançar seu primeiro cubesat, o ITASAT, que é um nanossatélite de órbita baixa – ou seja, deve atingir uma altitude entre 400km e 700km. Com cinco experimentos a bordo, será lançado no primeiro trimestre de 2016 a partir de uma base nos Estados Unidos. O ITASAT foi um dos projetos apresentados, em julho de 2015, na 67ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior evento científico da América Latina, realizado em São Carlos (SP). “Nosso objetivo é mostrar aos alunos de ensino médio e graduação que esse tipo de pesquisa existe no País e é desenvolvida por estudantes”, explica um dos pesquisadores envolvidos com o projeto, Luis Felipe de Paula Santos.

Foguetes
Uma equipe do ITA levou a medalha de prata no Rocket Design, uma competição mundial de foguetes universitários de sondagem, que ocorreu no final de junho em Green River, região de deserto no oeste dos EUA. A equipe foi a única a representar o Brasil e competiu com outras 46 instituições de ensino superior de todo o mundo. O primeiro lugar ficou com o Massachusetts Institute of Technology (MIT).

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

domingo, 9 de agosto de 2015

Especial de Domingo



O dia 8 de agosto de 2015 transformou-se numa data muito importante para o Núcleo Infantojuvenil de Aviação – NINJA.

Por toda a tarde de um sábado ensolarado, professores reunidos no Colégio Dominique - que atende crianças e jovens da educação infantil ao ensino médio em Ubatuba, SP - decidiram transformar a cultura aeronáutica em tema transversal da escola.

A decisão ocorreu durante o Workshop Pedagogia e Cultura Aeronáutica, promovido pelo Instituto Salerno-Chieus, organização vinculada ao colégio e que apoia diversificadas atividades culturais, atuando como uma autêntica incubadora de empreendimentos.

O NINJA, desde o seu surgimento, é uma destas atividades e tem - entre outras retaguardas - sua sede em instalações oferecidas pelo Instituto Salerno-Chieus e pelo Colégio Dominique.

Retrospectiva
O Núcleo Infantojuvenil de Aviação – NINJA - foi ideia desenvolvida por entusiastas da aviação reunidos no Aeroclube Regional de Taubaté, SP, no final de 2009.

O projeto foi apresentado aos alunos do Colégio Dominique (Ubatuba-SP) e o início das atividades ocorreu em 2010.

Clique aqui e conheça os Detalhes do Projeto.

De lá para cá, muitas crianças e jovens de escolas públicas e particulares tiveram acesso à cultura aeronáutica, gratuitamente, através de atividades desenvolvidas no contra turno ao horário escolar ou aos finais de semana, na sede do NINJA ou em visitas monitoradas à instituições aeronáuticas.

Vamos relembrar algumas delas:


















Workshop Pedagogia e Cultura Aeronáutica

Ana Maria Salerno de Almeida, Diretora do Colégio Dominique, abrindo os trabalhos

Desde o início, o Núcleo Infantojuvenil de Aviação – NINJA – quis desenvolver um portal interativo, onde crianças e jovens de todo o Brasil pudessem ter acesso a conteúdo numa linguagem acessível.

A estratégia inicial foi criar o Blog do Ninja, com notícias da aviação também para o público leitor adulto, na expectativa de conquistar aliados.

www.ninja-brasil.blogspot.com














Neste espaço, pais, professores, pesquisadores e empresários podem avaliar nossos objetivos, enriquecendo o projeto com novas ideias.

O foco foi conquistar mais voluntários dispostos a gerar conteúdo que permitisse a criação do portal com material para as diferentes séries do ensino básico, disponibilizado gratuitamente.

Sabíamos, entretanto, que só o tempo permitiria gerar a massa crítica suficiente para este importante avanço.

E, após sensibilizarmos diversos profissionais do setor, recorremos mais uma vez ao Colégio Dominique e ao Instituto Salerno-Chieus, já que alunos, famílias e professores envolvidos com estas entidades já tinham observado - e experimentado - muitas das atividades do NINJA.



Foi assim que surgiu a ideia do Workshop Pedagogia e Cultura Aeronáutica, voltado para os coordenadores e professores, na expectativa de buscar aprovação e apoio para tornar esta cultura no principal tema transversal da instituição, contribuindo para desenvolver conteúdo com linguagem adequada para crianças e jovens.

Para coordenar o Workshop convidamos os profissionais Samuel Alessandro Carlos, Roberto Tadeu de Araujo e Cesar Rodrigues da Costa, voluntários apoiadores do NINJA que atuam no serviço de proteção ao voo, respectivamente em: Inglês Aeronáutico, Meteorologia e Controle de Tráfego Aéreo.

Cesar Rodrigues

Samuel Carlos

Celso Teixeira Leite (esq), do Instituto Salerno-Chieus, entregando certificado ao palestrante Roberto Tadeu

O encontro que durou quatro horas garantiu a melhor notícia:
O Colégio Dominique adotou a Cultura Aeronáutica como principal tema transversal.

E, mais:
Os professores apoiadores atuarão como voluntários na geração de conteúdo didático para estudantes da educação infantil, ensino fundamental e ensino médio, autorizando a divulgação no portal interativo do NINJA, que está em fase de elaboração.

No Workshop acordamos uma rotina para a prévia análise do material por especialistas em aviação, contribuindo para possíveis correções conceituais.

Tal procedimento certificará que o material apresentado para crianças e jovens unirá:
 - Conteúdo específico para cada disciplina escolar.
 - Linguagem correta para as diferentes faixas etárias.
 - Chancela de profissionais da aviação.

Com entusiasmo, portanto, compartilhamos esta notícia neste domingo, Dia dos Pais, certos de que – se estivesse entre nós – o grande brasileiro Alberto Santos Dumont, Pai da Aviação, receberia esta boa nova como um significativo presente.

Bom domingo!!!