Voar é um desejo que começa em criança!

sábado, 7 de janeiro de 2017

Tráfego Aéreo

Brasil faz inédito serviço remoto de tráfego aéreo
Pela primeira vez na América do Sul está sendo prestado, desde o dia 13 de dezembro de 2016, o serviço remoto de atendimento ao tráfego aéreo nas imediações do aeródromo de Fernando de Noronha. Os pilotos evoluindo nas proximidades e no aeroporto do arquipélago recebem informações sobre dados meteorológicos e movimento de aeronaves numa dada frequência, cujos interlocutores estão fisicamente transmitindo a partir de uma sala dentro do Centro de Controle de Área em Recife (PE).

Estação Rádio
O órgão que presta o serviço é denominado Rádio Noronha e presta o Serviço de Informação de Voo em Aeródromo. Anteriormente a Rádio estava localizada na ilha, mas foi transferida para Recife, graças às possibilidades técnicas de difusão da comunicação radiotelefônica, a partir do continente, mantendo as mesmas capacidades de diálogo entre pilotos e operadores do serviço. Outra vantagem do serviço remoto foi aperfeiçoar o emprego de recursos humanos, já que havia constante troca do efetivo, pois os militares da FAB podem permanecer apenas dois anos morando naquela localidade especial, o que gerava periodicamente custos para formação inicial e os procedimentos de habilitação técnica aos novos operadores da estação.

AFIS
A estação de telecomunicação é tecnicamente chamada de rádio e presta o AFIS (Serviço de Informação de Voo em Aeródromo – Aerodrome Flight Information Service). No caso de serviço remoto, como o de Noronha, as publicações mencionam como R-AFIS. De acordo com nota emitida pela Agência Força Aérea, o projeto foi desenvolvido com foco na excelência do serviço prestado e das capacidades técnico-operacionais. A estrutura e a implantação do R-AFIS FN servem de gênese para projetos similares e vão fornecer resultados de grande potencial em alinhamento aos projetos em andamento no Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), trazendo benefícios como a redução significativa do custo operacional sem perda de qualidade e de segurança. Alterações nos serviços de Meteorologia e de Informações Aeronáuticas prestados atualmente pelo DTCEA-FN (Destacamento de Controle do Espaço Aéreo em Fernando de Noronha) não estão incluídas no âmbito inicial do projeto. As operações de aeronaves na ilha já ultrapassou a média de 280 movimentos mensais. O DTCEA-FN tem como missão básica o apoio às operações aéreas em Fernando de Noronha, provendo o Serviço de Informação de Voo de Aeródromo, o Serviço de Alerta (relacionado ao acionamento do serviço de busca e salvamento, quando necessário) e a manutenção dos auxílios à navegação e dos sistemas de telecomunicações. O serviço AFIS prestado por uma Rádio difere do serviço de controle prestado por um órgão de controle (Torre, Controle de Aproximação e Controle de Área). O operador expede informações meteorológicas e sobre presença de outras aeronaves nas imediações e outros dados úteis ao voo, todavia sem emitir autorizações ou instruções - atribuições típicas do serviço de controle. Cabe ao piloto tomar decisões, empregar as informações recebidas e fornecer dados que caracterizem sua evolução no espaço aéreo próximo e no aeroporto.

Texto: Redação do NINJA com informações da Agência Força Aérea