Voar é um desejo que começa em criança!

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Aeroporto de Botucatu - SP

AEROPORTO TANCREDO DE ALMEIDA NEVES
ICAO: SDBK - IATA: QCP
Avenida Alcides Cagliari, s/n
Botucatu - SP
Fone: (14) 3882-4008
10 km do centro
Pista: 1500 x 30 metros, pavimentada e sinalizada
Coordenadas: Latitude: -22º 56' 10" S / Longitude: -48º 28' 1" W
Horário de Funcionamento: HJ
Dimensões da Pista (m): 1.500 x 30
Designação da Cabeceira: 01 - 19
Frequência do Aeródromo: 123,45
Terminal de Passageiros (m²): 310
Estacionamento de Veículos: 20 vagas
Distância do Aeroporto até o Centro da Cidade: 10 Km
Atividades Comerciais: Aeroclube, Manutenção e Peças

Fonte: DAESP

domingo, 29 de abril de 2012

Especial de Domingo

A comemoração dos 74 anos dos Escoteiros do Ar e o lançamento do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - na cidade de Taubaté-SP, foi uma festa que ficará em nossos pensamentos e em nossos corações.
No Aeroclube Regional de Taubaté, um EncontrAr - Encontro de Escoteiros da Modalidade do Ar, mostrou, ontem, 28 de abril de 2012, a união de esforços de várias entidades para levar a cultura aeronáutica para crianças e jovens da região.
Destaque especial merece o incansável Luiz Carlos dos Santos, o Chefe "Fumaça", do 259/SP - Grupo Escoteiro do Ar "Aviação do Exército", que comandou o evento com brilho e maestria.
Estiveram unidos neste projeto: a Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas-EMCA, a Aviação do Exército, a Universidade de Taubaté-UNITAU, o Aeroclube Regional de Taubaté-ART, o Colégio Dominique (sede do NINJA em Ubatuba-SP), o Aeroclube de Ubatuba, a Polícia Ambiental-SP, diversos Grupos Escoteiros e Aeromodelistas da região.
A Aviação do Exército de Taubaté, comandada pelo General Diniz, deu apoio total.
A Banda da AvEx tocou o Hino Nacional e o Hino dos Aviadores, comovendo os participantes.
Bombeiros do Exército simularam uma operação de salvamento.
Os helicópteros da base aérea puderam ser visitados, tornando mais estimulante o evento.
A dedicação da diretoria do ART, sob o comando do Presidente João Bosco, foi indispensável para o sucesso do encontro.
O aeroclube, além de apresentar suas aeronaves, expôs um girocóptero, um ultraleve pendular e um ultraleve avançado, promovendo as explicações sobre estas máquinas extraordinárias.
A EMCA, sob a liderança do Cel Lacerda, montou diversas bases, explicando aos jovens os cursos que oferece, contribuindo para despertar vocações.
O apoio do Reitor José Rui, da UNITAU, foi reforçado pela participação do Prof. Marcelo Pimentel, que representou a Universidade e divulgou o curso de Engenharia Aeronáutica.
Os Grupos Escoteiros abrilhantaram a festa, confirmando o belíssimo trabalho desenvolvido por seus Chefes.
Aeromodelistas deram um show, com uma diversidade de equipamentos que encantou a todos.
Ninjas e integrantes do Aeroclube de Ubatuba, além da direção do Colégio Dominique, participaram do EncontrAr, garantindo uma maior integração entre todos os envolvidos nesta nobre causa.
A união de tantas forças, recebendo em Taubaté, de braços abertos, o Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - sinalizou as muitas ações que estaremos promovendo, contribuindo para divulgar a cultura aeronáutica com mais intensidade para a juventude do Brasil.
Agradecemos o apoio e o envolvimento de tantos colaboradores e brindamos mais esta conquista.
Bom domingo!

sábado, 28 de abril de 2012

Conhecimentos Técnicos

Quanto pesa um litro de querosene de aviação?
A quantidade mínima de combustível necessária para qualquer voo é "i", resultado de um minucioso cálculo que leva em conta, inclusive, o consumo em terra durante o taxiamento que antecede a decolagem. Este procedimento vale tanto para uma curta e repetitiva "ponte aérea" como para um vo intercontinental de milhares de quilômetros.Estes extremos podem ser representados por duas das mais conhecidas famílias de jatos no mundo: Boeing 737 e Boeing 747. O primeiro, que é o jato mais utilizado no mundo em rotas curtas e médias tem uma capacidade máxima de combustível que varia entre os 20.000 e 26.000 litros, enquanto que o "Jumbo" - que 30 anos após o lançamento da primeira versão ainda é o jato de maior alcance no mundo - pode transportar até 217.000 litros em seus tanques.Para os especialistas que, em terra, preparam o vôo em seus mínimos detalhes - inclusive a quantidade e consumo/horário do combustível - e para os pilotos, todo o "gerenciamento" do combustível é expresso em quilos, pois o que interessa no processo de queima é o conteúdo em peso do combustível misturado a determinado peso de ar.  O peso do querosene O peso médio de um litro de querosene de aviação é de 800 gramas (o de um litro de água fica em torno de 1000 gramas). Na mente de despachantes de voo e pilotos, os 737 podem transportar, no máximo, de 16 a 21 toneladas de querosene enquanto os tanques de um Jumbo 747-400 podem conter até 175 toneladas de combustível.É um peso considerável de querosene que, qualquer que seja o modelo de jato, é transportado principalmente no interior das asas, em diversos compartimentos, transformados em verdadeiros tanques. No caso do Boeing 747 são três em cada asa, mais um tanque na fuselagem e outro no estabilizador. No extremo oposto estão os dois tanques em cada asa dos jatos menores. Maiores ou menores, estes tanques, mesmo quando não totalmente abastecidos, representam uma força que, naturalmente, tende a flexionar as asas para baixo. No caso dos 737 e 747 as asas ainda suportam as toneladas de peso dos motores montados sob as mesmas. Mas o que parece, à primeira vista, um enorme desafio para as asas - exigindo uma pesada estrutura para resistir ao peso conjunto do combustível e dos motores, é na verdade uma benção para os especialistas em estruturas aeronáuticas. O efeito conjunto permite que eles projetem estruturas - e asas - mais leves. O motivo é simples: em voo, as asas suportam todo o peso contido na fuselagem e sua sustentação provoca uma forte flexão para cima. Ela só não é maior porque é neutralizada em parte pelos pesos nas asas. É também o motivo pelo qual, durante o voo, usa-se primeiro o combustível nos tanques internos (mais próximos à fuselagem), reservando para o final aqueles que ficam mais próximos às pontas das asas onde o peso de combustível tem maior efeito para equilibrar a flexão para cima, que é apenas a consequência natural do próprio processo de sustentação.
Texto: Ernesto Klotzel, engenheiro de voo e jornalista de aviação.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Datas Especiais

Centenário do histórico voo de Edu Chaves na rota SP-RJ
Nesta sexta-feira, 27 de abril de 2012, às 9h30, a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), sediada em Guaratinguetá, SP, realiza cerimônia em homenagem aos 100 anos do primeiro pouso realizado em Guaratinguetá, feito realizado pelo aviador Eduardo Chaves, em 28 de abril de 1912.Eduardo Pacheco Chaves, ou simplesmente, Edu Chaves, nasceu em São Paulo em 18 de julho de 1887 e foi para a Europa realizar seus estudos. Apaixonado por aviões, encontrou na França o lugar ideal para aprender a pilotar e, em 1911, recebeu seu brevê da Federação Aeronáutica Internacional. Ele foi um dos pioneiros da aviação mundial, estabelecendo diversos recordes e marcas importantes.
A exemplo de Alberto Santos Dumont, Edu Chaves também deslumbrou os franceses com as suas proezas aéreas, tornando-se o primeiro aviador a fazer uma travessia noturna, entre Paris e Orleans, em 31 de outubro de 1911, conquistando o "Prix des Escales".
No Brasil, o primeiro grande feito do aviador foi ter completado, juntamente com o francês Rolland Garros, o percurso São Paulo-Santos, no qual enfrentaram perigos como nevoeiros da Serra do Mar. Após esse feito, o aviador planejou outra façanha, voar de São Paulo ao Rio de Janeiro.Pilotando um avião Bleriot, Edu Chaves decolou de São Paulo, em 28 de abril de 1912, munido apenas de um mapa e uma bússola. Rota Como Guaratinguetá ficava no meio do percurso, ele aterrissou na cidade para reabastecer sua aeronave. “Foi uma das grandes proezas da aviação brasileira, ainda muito incipiente. Quando se anunciou o propósito ousado, muita gente duvidou do êxito. A figura de Edu Chaves já se tornara conhecida, estampada com frequência nos jornais com entusiasmo. Todos queriam apresentar o espetáculo inteiramente inédito para a população de Guaratinguetá”, afirma um relato da época.Após o reabastecimento, ele seguiu acompanhando os trilhos da Estrada de Ferro Central do Brasil. Entretanto, fatores atmosféricos causaram uma pane no monoplano, que obrigou o aviador a pousar no mar. Edu Chaves escapou com vida e três dias depois os jornais noticiaram a sua chegada à praia de Itacuruçá, a nado.Porém, o piloto não desistiu da empreitada. Após vários estudos na rota Rio-São Paulo e com um avião mais potente e autonomia maior, aguardou uma nova oportunidade, que chegou com a festa aviatória em 5 de julho de 1914, no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro.
Desta vez, o céu estava claro, ajudando na orientação pelos trilhos, onde estavam os pontos de navegação anotados no mapa do aviador. Após 3h40 de voo, ele chegou ao Campo dos Afonsos, onde se encontrava o então Presidente da República Hermes da Fonseca. O súbito aparecimento do aviador transformou a festa numa grande homenagem ao piloto, que inaugurava, assim, a rota mais importante da aviação comercial brasileira.Edu Chaves faleceu em 21 de junho de 1975, em São Paulo, aos 88 anos.

Fonte: Agência Força Aérea

Pesquise: Blog do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - em 22/2/11.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Carreiras na Aviação

Voo solo em curso de especialização de caça
O Aspirante Aviador Gregor Gaspar realizou, no dia 24 de abril de 2012, o primeiro voo solo do Curso de Especialização Operacional da Aviação de Caça (CEOCA 2012). A decolagem ocorreu às 9h, a bordo de uma aeronave de caça A-29 do Esquadrão Joker (2º/5º Grupo de Aviação). "São sete anos de espera por este voo, que simboliza a primeira conquista dentro da aviação de caça”, afirmou.Para marcar o momento, o Aspirante Gaspar recebeu a bolacha do Esquadrão Joker, foi submetido ao tradicional banho comemorativo e, na sequência, fez soar o toque do sino localizado na unidade aérea, prerrogativa exclusiva dos pilotos de caça que voam solo. Este feito remete ao treinamento iniciado há 68 anos, com a formação dos primeiros pilotos de caça para combater nos céus da Itália, durante a 2ª Guerra Mundial.O Esquadrão Joker tem como missão formar os pilotos de caça para a Força Aérea Brasileira, já tendo formado mais de 700 pilotos, empregando a aeronave AT-26 “Xavante” e mais recentemente, o A-29 “Super Tucano”.
Fonte: Agência Força Aérea

quarta-feira, 25 de abril de 2012

ITA

CENTRO DE COMPETÊNCIA DE MANUFATURA
Acontece hoje o VII Workshop de Manufatura Automotiva do Centro de Competência de Manufatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (CCM) com o tema “Sustentabilidade e Indústria Automotiva”.
Este evento, promovido pelo CCM-ITA, é realizado desde 2006 com a intenção de reunir profissionais da área automotiva e equipes de manufatura e desenvolvimento de produto, bem como instituições acadêmicas. O encontro conta com palestras e minicursos oferece também uma oportunidade para potencializar futuras ações conjuntas e trocas de informações entre os participantes.
O workshop tem como palestrantes, o Professor e Coordenador do CCM-ITA, Dr. Anderson Borille (Sustentabilidade na visão do CCM); o Presidente da Tavares de Carvalho Consulting, Luis Tavares (Inovação e Sustentabilidade); o Diretor Corporativo de Inovação e Tecnologia da BRASKEM, Luis Cassinelli (Polímero Verde para o Setor Automobilístico); o Supervisor Executivo da Área de Planejamento Ambiental da Volkswagen, Marcio Lima (Práticas industriais e iniciativas corporativas de sustentabilidade na Volkswagen do Brasil); o Diretor de Usinagem da TUPY, Cássio Andrade (Gerenciamento do ciclo do processo de fundição e correlações com sustentabilidade) e o Gerente de Engenharia de Produto das Américas da Renaut, Flávio Lima (Renault na América: Foco Engenharia Produto / Processo).
O encontro também oferece os seguintes minicursos ministrados por membros da equipe CCM, entre técnicos, mestrandos e doutorandos: Fabricação “Formas sustentáveis de refrigeração MQL com óleos vegetais na usinagem de ligas ferrosas e não-ferrosas”, com a Janaína Fracaro, Milena Chanes e Samir Lutif; Manufatura Digital “Projetos de arranjos físicos com avaliação multicritério”, com Jéssica Monteiro, Rodrigo Portelinha, Tiago Gonçalves e Tales Vieira; e Fabricação ”Usinagem em 5 eixos e análise de vibrações em processos de Usinagem” com Juliano Giordani, Diego Sant’anna, Michel Rocha e Rafael Mundim.
Sobre o CCM
O CCM-ITA possui um ambiente multidisciplinar que ocupa uma área de 650 m2 e é composto por três áreas técnicas complementares: Projeto e Análise de Produtos, Planejamento da Produção e Fabricação. O CCM provê aos alunos de graduação e pós-graduação, pesquisadores e à comunidade em geral, a oportunidade de visualizar e compreender o processo de desenvolvimento integrado de produtos (DIP). Para alcançar esse objetivo, além do ensino e pesquisa, as atividades do CCM incluem projetos desenvolvidos em parceria com empresas e indústrias, seminários e workshops.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do ITA

Jornalista colaboradora: Carla Dutra

domingo, 22 de abril de 2012

Especial de Domingo

O Dia da Aviação de Caça, 22 de abril, celebra a data em que os pilotos brasileiros que lutavam na Segunda Guerra Mundial, nos céus da Itália, quebraram recorde de missões num único dia na campanha contra o nazismo. Comemorando a data, o Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - reproduz um texto de Luís Gabriel, editor do site Sentando a Pua!, que resgata a memória dos integrantes do 1º Grupo de Aviação de Caça brasileiro durante a Segunda Guerra Mundial.
Boa leitura.
Bom domingo!

Lições do Grupo de Aviação de Caça
Em 22 de abril de 1945, o norte da Itália foi palco de um momento histórico para nosso país: o Grupo de Aviação de Caça teve seu dia mais bem-sucedido, em termos de missões cumpridas e alvos atingidos, e mostrou ao mundo o valor do povo brasileiro. Hoje, o Brasil comemora mais um Dia da Aviação de Caça e, passados 67 anos, ainda podemos tirar muitas lições dessa singular experiência vivida por nossos compatriotas. A primeira delas é o respeito pelo nosso país. Apesar do número reduzido de pilotos (oito tinham sido mortos, sete haviam caído atrás das linhas inimigas e cinco estavam afastados por motivos de saúde), aqueles que restaram não aceitaram a sugestão da Força Aérea dos Estados Unidos de poupá-los da Ofensiva da Primavera. Disseram ao comandante Nero Moura que queriam se manter operacionais, mesmo que precisassem voar mais de uma missão por dia, pois não fazê-lo mancharia o nome do Brasil. Entre os dias 22 e 25 de abril o Grupo de Aviação de Caça voou 41 missões, quase 10% do total realizado ao longo da Campanha da Itália. O tenente Lara foi o recordista daquele período, com nove missões; outros seis pilotos voaram oito missões, exatas duas por dia. O comandante Nero Moura foi o grande aglutinador do espírito de corpo, presente no 1.º Grupo de Aviação de Caça até os dias de hoje.
Não há, entre seus comandados, nenhuma voz que não se refira a ele com respeito e admiração, principalmente pela forma como ele conduziu com retidão e senso de justiça a unidade, não só durante os 18 meses que se passaram desde a criação do Grupo de Caça até o retorno ao Brasil, mas até o dia em que se foi. O eterno comandante do 1.º Grupo de Aviação de Caça forjou uma geração de militares que, infelizmente, foi ofuscada no pós-1964, pois não compactuou com o movimento, e por isto foi perseguida e teve seus direitos cassados. Enquanto o último de seus homens não foi anistiado, Nero Moura recusou-se a participar das festividades alusivas ao Dia da Aviação de Caça, mantendo-se fiel ao espírito de corpo por ele criado e dando exemplo de liderança. Os pilotos e mecânicos brasileiros superaram, em muito, as expectativas da Força Aérea norte-americana, cujo comando achava que o Grupo de Caça viria apenas para ser coadjuvante. Entretanto, com sua experiência adquirida no Correio Aéreo Nacional, os pilotos brasileiros foram fundamentais no apoio ao avanço das tropas terrestres. Os mecânicos eram frequentemente elogiados pelo comando norte-americano pelo porcentual de aviões mantidos em condição de voo, superior ao das unidades norte-americanas. O desempenho da unidade foi tão importante para a Ofensiva da Primavera que o grupo foi agraciado com a Presidential Unit Citation, medalha outorgada a unidades militares por extraordinário heroísmo. Para ser merecedora de tal homenagem, a unidade necessita demonstrar coragem, determinação e espírito de corpo acima do esperado no cumprimento de missão realizada sob condições extremamente difíceis, de maneira a se destacar acima de outras unidades envolvidas em uma mesma campanha militar. O 1.º Grupo de Aviação de Caça brasileiro foi a única unidade aérea estrangeira a receber essa distinção norte-americana. Esses verdadeiros heróis deixaram um legado de ensinamentos que enche os brasileiros de orgulho e que faz refletir, neste momento de comemoração do Dia da Aviação de Caça, sobre como há material humano no Brasil para criarmos uma sociedade melhor.

Texto: Luís Gabriel


Saiba mais: Blog do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - de 22/4/10, 7/3/11, 20/11/11, 18/12/11, 30/1/12 e 19/2/12.

sábado, 21 de abril de 2012

Museus

Ana Raio no MAB
A partir de hoje, os fãs de aviação podem conhecer a aeronave Super Tucano EMB 312H,  chamada de 'Ana Raio', que desde ontem está exposta no MAB (Memorial Aeroespacial Brasileiro), em São José dos Campos-SP. O modelo é uma peça única, desenvolvida no início da década de 90, e foi revitalizado pela Embraer em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Ontem, a cerimônia de entrega da aeronave ao MAB reuniu engenheiros responsáveis pelo projeto de desenvolvimento do 'Ana Raio', militares do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), entre eles, o ex-diretor da instituição, Pedro Frazão; representantes da Embraer, entre outros convidados."Esse projeto de recuperação de aeronaves históricas começou em 2008 e desde então pegamos gosto pela coisa" , afirmou o diretor do Instituto Embraer, Pedro Ferraz. A cerimônia também contou com a entrega de maquetes do 'Ana Raio' para funcionários que atuaram no projeto de desenvolvimento da aeronave como os profissionais do primeiro voo da aeronave, o piloto Gilberto Pedrosa Schittini e o engenheiro de ensaios em voo Mauro César Mezzacappa. Essa foi a sétima aeronave recuperada pelo Centro Histórico da Embraer, que a partir do próximo mês irá trabalhar na revitalização do caça Xavante, do DCTA. O MAB está localizado na Av. Brigadeiro Faria Lima,s/nº, acesso para o Aeroporto de São José dos Campos-SP. O telefone para informações é o (12) 3947-3046.

Fonte: O Vale

Saiba mais: Blog do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - em 22/04/10.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Videoteca Ninja

A BATALHA DA INGLATERRA
Com um elenco de grandes estrelas , que inclui Michael Caine, Trevor Howard, Laurence Olivier, Christopher Plummer, Michael Redgrave, Robert Shaw e Susannah York, A Batalha da Inglaterra é um filme espetacular, resultado de um magnífico esforço e de 12 milhões de dólares investidos. Uma superprodução que retrata com bastante fidelidade a Batalha da Inglaterra, mostrando o conflito sob vários ângulos: os alemães, inicialmente cheios de auto-confiança, após expulsarem os ingleses da França; os pilotos ingleses, exigidos ao máximo, muitos deles inexperientes e em fase de treinamento; as estações de radar e seus operadores, grande parte deles mulheres, desempenhando seu papel com calma e coragem; a população de Londres, massacrada dia após dia pela Blitzkrieg; a tensão e a angústia que os pilotos dos dois lados experimentavam antes durante e após os combates; o placar diário de aviões derrubados, na contagem, tanto da RAF (transmitida pela BBC, como se fosse o score de uma partida de football aos empolgados Londrinos) como da Luftwaffe.A fita consegue prender a atenção, tanto de entusiastas da Segunda Guerra, entusiastas de aviação como para o público em geral e sua produção acabou contribuindo para preservar várias aeronaves, incluindo um raro exemplar de Spitfire Mk II que estava sendo usado como monumento decorativo na entrada da Base Aérea da RAF em Colerne.Para o elenco internacional (predominando ingleses e alemães) foram contratados vários atores e atrizes famosos à época (1969). Muitas falas do filme são em alemão, com legendas em inglês. A trilha sonora, por sua vez, também não fica nada a dever.

Citação:
"Hitler sabe que terá de nos vencer nesta ilha ou perderá a guerra. Se nós conseguirmos resistir a ele, toda a Europa poderá se libertar e a vida no mundo inteiro poderá progredir para situações mais amplas e ensolaradas. Mas, se fracassarmos, o mundo inteiro, incluindo os Estados Unidos, incluindo tudo o que conhecemos e que nos é importante, afundará no abismo de uma nova era de trevas, transformada em algo mais sinistro e talvez até mais desesperado, pelas luzes de uma ciência pervertida. Por esse motivo, vamos aceitar nossos deveres e nos preparar para que, se o Império Britânico e a sua Commonwealth conseguirem existir por mais mil anos, os homens continuem afirmando: - Este foi o seu momento de glória."
Winston Churchill, em seu célebre discurso "Finest Hour", Câmara dos Lordes, Londres, 18 de Junho de 1940.

A BATALHA DA INGLATERRA
Ficha Técnica: Battle of  Britain
Gênero: Guerra, Drama, Ação
Diretor: Guy Hamilton
Roteiristas: James Kennaway e Wilfred Greatorex Produtores: Benjamin Fisz, John Palmer e Harry Saltzman
Trilha Sonora: Ron Goodwin
Elenco: Harry Andrews, Michael Caine, Christopher Plummer, Ian McShane, Kenneth More, Nigel Patrick, Patrick Wymark, Ralph Richardson, Trevor Howard, Laurence Olivier, Michael Redgrave, Robert Shaw, Curd Jürgens
Duração: 133 minutos
Ano: 1969

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Oshkosh 2012

Esquadrilha da Fumaça voará em Oshkosh
Pela primeira vez, o EDA – Esquadrão de Demonstração da FAB – Força Aérea Brasileira, a Esquadrilha da Fumaça, fará exibições na maior feira de aviação do mundo: Oshkosh. Oshkosh é uma cidade no nordeste dos Estados Unidos, no estado de Wisconsin. Durante uma semana, no final de julho de cada ano, a cidade reúne em seu aeroporto, o Witman Field Regional Airport, mais de 10 mil aeronaves estacionadas. São aeronaves antigas, clássicas e modernas, de todas as formas aerodinâmicas possíveis. Os shows aéreos são espetaculares. É possível caminhar entre as aeronaves, sem as costumeiras cercas de isolamento que são vistas nas feiras de aviação do Brasil. O público assiste aos inúmeros shows posicionando-se, numa distância segura, bem próximo da pista e sem nenhuma barreira de retenção. Todos observam o limite definido por marcas ou cones no chão.Tradicionalmente, todo ano, grupo de brasileiros visitam Oshkosh, para o evento chamado de AirVenture Oshkosh. Uma das operadoras brasileiras que oferecem pacotes para a viagem é a Candiota Turismo. Neste ano, a viagem será de 22 a 29 de julho.

Saiba mais: www.candiota.com.br e Blog do NINJA – Núcleo Infantojuvenil de Aviação de 22/06/2011 , 17/04/2010 , 08/07/2010, 28/11/2010 e 17/12/2010.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Carreiras na Aviação

FAB abre concurso para oficiais engenheiros
Estão abertas as inscrições para ingresso no Quadro de Oficiais de Engenharia da Aeronáutica. São destinadas 37 vagas, distribuídas nas seguintes especialidades: Engenharia Civil (11), Engenharia Eletrônica (4), Engenharia Elétrica (6), Engenharia Cartográfica (2), Engenharia da Computação (5), Engenharia Metalúrgica (2), Engenharia Química (1), Engenharia de Telecomunicações (1) e Engenharia Mecânica (5).A seleção do concurso será composta por provas de português, conhecimentos especializados, exames de saúde, avaliação psicológica e condicionamento físico, além de prova prático-oral para o candidato das áreas de saúde. As provas escritas serão realizadas no dia 17 de junho de 2012, em diversas cidades do país. Para se inscrever, o candidato não poderá ter completado 36 anos até 31 de dezembro de 2012 e deve preencher outros pré-requisitos disponíveis no edital. Em caso de aprovação, o candidato fará o Curso de Adaptação Militar no CIAAR, em Belo Horizonte, com início previsto para 28 de janeiro de 2013, e duração de 17 semanas. Concluindo-o com aproveitamento, será nomeado primeiro-tenente.

Profissionais de Saúde - Também estão abertas as inscrições para ingresso nos Quadros de Oficiais de Saúde. Os profissionais interessados em participar dos exames de admissão aos Cursos de Adaptação para Médicos, Dentistas e Farmacêuticos (CAMAR/CADAR/CAFAR) poderão se inscrever de 11 de abril a 10 de maio de 2012.

Saiba mais: CIAAR-Concursos e Blog do NINJA – Núcleo Infantojuvenil de Aviação de 14/04/2012.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ano III

A primeira postagem do Blog do NINJA ocorreu em 17 de abril de 2010. Um ano depois, ultrapassávamos as 53 mil visualizações e convidávamos para a inauguração da Sala Gastão Madeira, sede do Núcleo Infantojuvenil de Aviação, em Ubatuba-SP. Hoje, ao entrarmos no terceiro ano do blog, com mais de 166 mil visualizações, temos a alegria de anunciar o lançamento do NINJA em Taubaté-SP, em festa conjunta, num EncontrAr, comemorando os 74 anos dos Escoteiros do Ar. Sob o comando do 259/SP Grupo Escoteiro do Ar "Aviação do Exército" o evento tem o apoio do Aeroclube Regional de Taubaté-ART, Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas-EMCA, Universidade de Taubaté-UNITAU, Aviação do Exército, Aeroclube de Ubatuba e Colégio Dominique. A festa contará com jogos escoteiros, simulação de voo em computador, aeromodelismo, plastimodelismo, video aulas, palestras, exposição de aeronaves e acontecerá em 28 de abril, sábado, das 9h30 às 13h, no ART, localizado na estrada dos Remédios, 2135, no bairro Itaim, próximo a Aviação do Exército, em Taubaté-SP.
Assim, com uma bela festa, muita dedicação, persistência e entusiasmo, iniciamos o terceiro ano do Blog do NINJA, contribuindo para levar a cultura aeronáutica para crianças e jovens do Brasil, despertando vocações, revelando talentos!

Saiba mais: Ano II e NINJA-Detalhes do Projeto.

domingo, 15 de abril de 2012

Especial de Domingo


O Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - presta neste domingo uma singela homenagem ao empresário FERNANDO DE ARRUDA BOTELHO, que faleceu nesta última sexta-feira na queda de seu avião North American T-28 Trojan (PP-ZFE).

Fernando Botelho, apaixonado por aviação, consagrou-se como um dos maiores incentivadores de eventos do gênero. Dentre grandes iniciativas, financiou a construção de uma réplica do Demoiselle, aeroplano criado por Santos Dumont.

Fernando criou, em 1984, o Instituto Arruda Botelho, uma organização que desenvolve projetos nas áreas ambiental, social, preservação de patrimônio histórico-cultural e aviação.
A marca de sua paixão pelas atividades aeronáuticas é percebida em todo BROA FLY-IN, grande encontro da aviação brasileira, promovido por Fernando Botelho que, neste ano, em sua 12ª edição, sentirá o impacto da ausência de seu comandante.

Nós, do NINJA, sempre comentamos como ainda é longo o caminho a percorrer para irradiar a cultura aeronáutica para crianças e jovens de todas as regiões do país, despertando vocações, revelando talentos.
Devemos este compromisso à brasileiros como Santos Dumont e outros pioneiros.
O Brasil esteve presente nesta história desde o início e merece um programa de incentivo e divulgação de maior intensidade.
A Força Aérea Brasileira faz a sua parte com muita competência.
A iniciativa privada precisa avançar, atuando com mais energia.
Fernando Botelho deixou seu exemplo de dedicação à causa.
Incentivar entusiastas como ele é tarefa necessária para o fortalecimento da cultura aeronáutica no país.

Visite: www.institutoarrudabotelho.org.br e www.broafly-in.com.br

sábado, 14 de abril de 2012

Carreiras na Aviação

FAB abre concurso para Dentistas, Farmacêuticos e Médicos
Estão abertas, de 11 de abril a 10 de maio de 2012, as inscrições para os cursos de adaptação de oficiais da Aeronáutica para profissionais Dentistas (CADAR), Farmacêuticos (CAFAR) e Médicos (CAMAR) ano letivo 2013.As vagas são 20 para dentistas, 14 para farmacêuticos e 75 para médicos, distribuídas entre várias especialidades.O formulário de solicitação de inscrição e o detalhamento das instruções estão disponíveis nos endereços eletrônicos da FAB – Força Aérea Brasileira.

Saiba mais: www.fab.mil.br e www.ciaar.com.br.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

OBSERVO

Nascida em 2009, a Organização Brasileira de Segurança de Voo - OBSERVO - é uma instituição da sociedade civil, organizada e fundada por um grupo de amantes da aviação que elegeu a Segurança na Pratica Aérea, voltada à população brasileira, seja ela jovem ou adulta, de todas as classes sociais, o foco maior de suas intervenções.
A razão desta escolha não é aleatória. Em um País com um aumento crescente de acidentes aéreos como o Brasil, onde a média de desastres aéreos no ano anterior à sua fundação (2008) foi de 1,76 para cada 1 milhão de voos, quantia maior à média mundial no mesmo ano que foi de 0,4 acidentes para cada 1 milhão de voos (dados divulgados pela Agência Brasil e pelo Correio Braziliense), e considerando a precariedade das políticas públicas voltadas para este segmento, o trabalho desenvolvido pela OBSERVO vem ao encontro das demandas apresentadas por este enorme contingente da nossa população.
No que se refere à capacidade profissional, a OBSERVO tem como sua maior prioridade no ramo aeronáutico não somente realizar um bom trabalho, mas sim buscar uma melhora cada vez maior em suas investigações, dispondo assim de profissionais que possam realizar esse trabalho da melhor forma possível. Quando juntamos, de um lado, o déficit de atuação nessa área e, de outro, a qualificação de nossa comissão investigativa, fecha-se o cerco à favor da segurança aeronáutica.
Ao priorizar esta área de atuação, a OBSERVO, desde a sua fundação, abraçou como missão o cuidado de um dos maiores bens da terra, que é o próprio homem. Com esta iniciativa, é nosso desejo contribuir para a construção de uma sociedade segura, na qual o ser humano tenha plena consciência de seus direitos e limites para se ter uma melhor qualidade no que diz respeito ao voo, tanto profissional como por lazer.
Ao longo deste tempo a OBSERVO vem desenvolvendo atividades no pais, dando concretude e visibilidade a sua missão. Não foram poucas as iniciativas para que a Segurança e a Paixão por Voar andassem juntas.
Atualmente, com o apoio da iniciativa privada e de voluntários, a OBSERVO segue firme na busca pela realização de sua missão.
Nosso trabalho é árduo, porém gratificante é a tarefa de cuidar do ser humano.

Saiba mais: www.observo.com.br

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Aeronaves

P-3AM participa de simulação de guerra antissubmarino
"Drop, now, now, now! Bóias na água." Com estas palavras do operador de armamento informando à tripulação da aeronave P-3AM sobre o lançamento das sonobóias, equipamento utilizado para a localização de submarinos, foi desfeito um hiato de 16 anos em que a Força Aérea Brasileira não participava deste tipo de missão. Desde 1996, com a saída de serviço das aeronaves P-16 Tracker, pertencentes ao extinto 1º Grupo de Aviação Embarcada, a guerra antissubmarino não fazia parte da extensa gama de missões realizadas pela Aviação de Patrulha. O batismo das aeronaves P-3AM do Esquadrão Orungan (1º/7º GAV) em missões de guerra antissubmarino foi realizado durante a Operação ADEREX da Marinha do Brasil, com decolagens efetuadas a partir da Base Aérea de Santa Cruz no Rio de Janeiro. Segundo o esquadrão, as características do exercício propiciaram um grande crescimento operacional aos tripulantes. “A tripulação pode utilizar os equipamentos em um ambiente de guerra simulada, na qual os navios e os submarinos utilizam táticas reais de evasão, possibilitando um excelente treinamento para nossos operadores”, afirmou o Capitão-Aviador Fabrício Nery Fernandes, coordenador tático na operação. A participação do Esquadrão Orungan na Operação ADEREX transcorreu com voos realizados próximo ao litoral do Estado do Rio de Janeiro, entre os dias 3 e 10 de abril.

Fonte: Agência Força Aérea/BASV

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Aeroclube de Voo a Vela CTA

O Aeroclube de Voo a Vela CTA (CVV-CTA) nasceu junto com o ITA e ensina pilotagem de planadores há mais de 50 anos. Foi criado inicialmente para que os estudantes de engenharia do ITA pudessem exercitar na prática os conhecimentos obtidos em sala de aula.
Todavia os benefícios de aprender a pilotar e praticar esse esporte não se limitam aos que pretendem trabalhar na área aeronáutica. Qualquer que seja a sua área de atuação, encontrará no voo a vela um ambiente de excepcional convivência entre colegas, exercitando o trabalho em grupo, fundamental na maioria das realizações humanas.
Voando de planador você terá contato com a natureza, experimentará a incrível sensação de voar e começará a compreender os fenômenos meteorológicos visando aproveitar a energia abundante na atmosfera.
É um esporte altamente educativo, pois desenvolve habilidades como saber trabalhar em equipe, senso de responsabilidade, disciplina, tomada de decisão, iniciativa, paciência, além do respeito ao meio ambiente.
Se você gosta de passar horas agradáveis praticando uma atividade relaxante aos finais de semana, ou tem espírito competitivo e prefere encarar novos desafios, venha voar conosco.

REQUISITOS PARA SE TORNAR UM PILOTO DE PLANADOR

Para se tornar um piloto de planador são necessárias no mínimo 25 horas totais de voo e 45 reboques, divididas como segue:

■15 horas realizadas em voo duplo comando (aluno e instrutor) com 30 reboques.

■10 horas de voo solo, fase em que o aluno já começa a voar sozinho, com 15 reboques.

■Certificado de capacidade Física de 1ª ou 2ª classe ou Certificado Médico emitido por médicos credenciados pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) válido.

Nota: Se possuidor das licenças de PP ou PC avião, o total de horas cai para 15, sendo 10 horas em voo duplo comando e 5 horas em voo solo, com 15 reboques totais.

CENTRAL DE MATRÍCULAS
Aeródromo de São José dos Campos (SBSJ)
Acesso pela Rodovia dos Tamoios, km 6,5

BASE OPERACIONAL
Aeródromo Fazenda Ipuã (SDIP)
Estrada Caçapava-Monteiro Lobato, km7

INFORMAÇÕES
(12) 3944-4177
aeroclube@vooavelacta.com.br
www.vooavelacta.com.br

terça-feira, 10 de abril de 2012

Tecnologia

Embraer se alia à Boeing para os jatos do futuro
A Embraer anunciou parceria com a gigante do setor aeroespacial, a norte-americana Boeing, para cooperação em projetos voltados à melhoria da eficiência de aeronaves e pesquisas de novas tecnologias, como biocombustível. O acordo foi firmado em meio aos estudos para o desenvolvimento de uma nova família de jatos da Embraer, com previsão para entrada no mercado em 2018. A parceria pode resultar, a longo prazo, no desenvolvimento conjunto de aeronaves entre as duas empresas. No entanto, o comunicado sobre o acordo não especifica os detalhes do projeto. “Tenho certeza que a colaboração com a Boeing em assuntos de ponta será benéfica para a indústria e estreitará as relações entre o Brasil e os Estados Unidos”, disse o diretor-presidente da Embraer, Frederico Curado, em comunicado. O executivo integra a comitiva da presidente Dilma Rousseff, que se reuniu com o presidente Barack Obama e líderes empresariais norte-americanos.“Este acordo entre duas empresas reconhecidamente líderes da indústria aeroespacial traz oportunidades reais para a redução de custos operacionais dos clientes e melhoria da eficiência de suas frotas”, disse o presidente da Boeing, Jim Albaugh, também em nota.

Avaliação
O consultor de mercado aeronáutico e ex-presidente da Embraer, Ozires Silva, considerou a possibilidade de desenvolvimento conjunto de aeronaves algo natural.“As duas empresas não são concorrentes diretas, mas se aproximam cada vez mais uma do segmento da outra. (A parceria) é um grande caminho para a aviação comercial”, disse Ozires, um dos fundadores da fabricante de São José dos Campos-SP. Ele afirma que a demanda por novas tecnologias no setor aeronáutico pode ter acelerado o processo de cooperação entre Embraer e Boeing.“São duas empresas com produtos muito competitivos. Os próximos aviões vão ter que evoluir muito, como na questão de biocombustível. Novas tecnologias terão que ser adotadas”, disse. A mesma ideia é compartilhada pelo economista da Unicamp, especialista em mercado aeronáutico, Marcos Barbieri. “Além do biocombustível, existem outros custos, um conjunto de tecnologias. Mesmo uma grande empresa como a Boeing está buscando parcerias”, disse. Barbieri considera o desenvolvimento conjunto de aeronaves possível, mas que, num primeiro momento, novas tecnologias poderiam ser implantadas em segmentos paralelos. “Isso possibilita que a Embraer use tecnologias avançadas para até 100 passageiros e a Boeing em seu segmento. Nada impede que isso encaminhe para o desenvolvimento conjunto. Não digo que isso irá acontecer, mas é possível”, disse Barbieri.

Aproximação
Boeing e Embraer assinaram em outubro passado acordo de apoio a pesquisas voltadas ao biocombustível. Na semana passada, a Boeing anunciou a construção de um centro de pesquisas e tecnologia em São Paulo. A Embraer é hoje líder no mercado mundial de aviação comercial até 120 assentos e a Boeing lidera a faixa de aeronaves a partir de 130 lugares.

Acordo vai influenciar no FX-2
Especialistas do mercado aeronáutico acreditam que a parceria assinada ontem entre Embraer e Boeing possa ter influência direta nas concorrências dos programas F-X2, da Força Aérea Brasileira, e LAS (apoio de ataque leve) da Força Aérea dos EUA.
“(O acordo) vai interferir sem dúvida alguma” , afirmou Ozires Silva. No caso do programa LAS, no qual a Embraer chegou a ter a vitória anunciada para o fornecimento de 20 caças Super Tucano em contrato estimado em US$ 355 milhões, Ozires considerou que a ratificação da vitória da brasileira seja questão de tempo. “Esse é um período complicado por causa das eleições, mas a concorrente (Beechcraft) tem uma dívida monstruosa”, disse. Já o economista Marcos Barbieri disse que a parceria pode colaborar, mas não é determinante. O F-X2 se arrasta há duas décadas e está estimado em R$ 10 bilhões.

Texto: Arthur Costa

Fonte: O Vale

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Portões Abertos AFA

Dias 12 e 13 de Maio - 60 anos da Esquadrilha da Fumaça
Nos dias 12 e 13 de maio de 2012, na AFA - Academia da Força Aérea - Pirassununga/SP, a Esquadrilha da Fumaça irá comemorar seus 60 anos de criação com o maior show aéreo do Brasil! Será um evento sem precedentes na história do país, com a presença confirmada das melhores esquadrilhas civis e militares das Américas, diversos aviões de combate, shows musicais, além da tentativa da Fumaça de incrementar seu próprio recorde mundial voando em formação com 13 aeronaves em voo invertido, na presença de um público estimado em mais de 100 mil pessoas. Faça parte dessa festa histórica! Fumaça... Já!

Saiba mais: Fumaça 60 Anos

domingo, 8 de abril de 2012

Especial de Domingo

Neste 8 de abril, selecionamos um texto do Portal da FAB sobre Tereza de Marzo, uma grande personalidade, que há exatos noventa anos conquistou o primeiro brevê de uma brasileira. Seus exemplos de coragem ecoam no tempo, valendo como estímulo e incentivo para as mulheres do século XXI.
Boa leitura.
Bom domingo!

Há 90 anos, o primeiro brevê para uma brasileira
Quando a mulher se decide a preterir as funções domésticas pela atividade fora do lar, quase sempre consegue destacar-se, elevando-se além do nível de boa profissional. Mas, quando ela se dedica a uma atividade inusitada para a época, essa ascensão mais se acentua. E, então, vêm as perguntas:

Quem foi a primeira brasileira a voar sozinha?
Qual a primeira brasileira a ser brevetada?
E logo sobrevém a resposta: Tereza de Marzo!

Tereza de Marzo nasceu em 6 de agosto de 1903, na Praça da Sé, em São Paulo. Filha de industrial, muito cedo se apaixonou pela Aviação.
Tratava-se de uma aspiração surpreendente para a época, pois ainda predominavam aqueles ultrapassados princípios de que lugar de mulher era no lar. Poucas eram as que ousavam exercer profissão fora de casa. Ainda não haviam surgido os primeiros sinais da emancipação feminina.
Como é natural Tereza jamais poderia praticar a pilotagem sem contar com o apoio dos pais, a menos que assumisse a atitude drástica de sair de casa. O pai era radicalmente contrário à sua pretensão. Entretanto, ardilosamente, trabalhou para conquistar o apoio de sua mãe, sempre mais fácil de conseguir.
Vencida a resistência materna, abriu-se caminho para a aceitação paterna e, assim, pôde iniciar seu aprendizado com os Irmãos Robba. Quando estes emigraram para o interior do estado, ela encontrou Fritz Roesler, que era outro fanático pela Aviação, como ela.
Com apenas vinte e poucas horas de treinamento, em março de 1922, habilitou-se perante a Banca Examinadora do Aero Club Brasileiro, tendo sido aprovada com distinção no Aeródromo Brasil, campo de aviação existente no Jardim América, pilotando um Caudron, modelo G-3, de 120 HP, motor rotativo e extremamente barulhento. Estavam presentes os Irmãos Robba, Antonio Prado Júnior, o engenheiro da Prefeitura de São Paulo Domício Pacheco e Silva e o Instrutor Fritz Roesler. Tereza de Marzo tinha apenas 19 anos quando realizou a façanha. No dia 8 de abril de 1922, recebeu o brevê nº 76 de Piloto-Aviador da Fédération Aeronautique Internacionale.
Mas aconteceu o imprevisto; uma circunstância não imaginada, e que cortou uma carreira promissora.Voando sob orientação de Fritz Roesler, acabaram por se casar, em 25 de setembro de 1926. Após o casamento, dedicada ao marido, dizia ela, quando lhe perguntavam:
“Depois que nos casamos, ele cortou-me as asas. Disse que bastava um aviador na família. Mas nem por isso perdi meu interesse pela Aviação.”
Muito grande deve ter sido a colaboração do casal na divulgação das alegrias da Aviação Civil, mesmo porque Tereza de Marzo aliava a sua habilidade de aviadora a um perfeito trabalho de publicitária. Num avulso existente no Museu Aeroespacial, lê-se:

“Depois de magnífico exame em que foi aprovada com distinção, por vários anos puderam paulistas e brasileiros ver nos céus de nossa terra a Condor dos Ares, que apregoava a todas as mulheres uma mensagem luminosa e sublime de valor e coragem. Inaugurou um novo capítulo na História brasileira. Ninguém jamais esquecerá o São Paulo, um minúsculo Caudron, incipiente como era a própria Aviação, tripulado por uma intrépida jovem que ainda hoje é o símbolo da mulher brasileira.”


Além das 329 horas e cinquenta e quatro minutos de voo anotadas em sua Caderneta , Tereza de Marzo realizou dezenas de horas não computadas. Antes de seu casamento com Fritz Hoesler, trabalhou com ele nos hangares, nas oficinas e em topografias aéreas, ganhando muita experiência na mecânica de motores a explosão de aviões e planadores. Vale lembrar que, em setembro de 1922, Tereza realizou um ousado reide aéreo São Paulo-Santos, como parte das comemorações do Centenário da Independência do Brasil.
Em 1976, recebeu do então Ministério da Aeronáutica a Medalha de Honra ao Mérito.
Em 1986, falecia Tereza de Marzo, uma mulher que tinha no sangue a liberdade de voar e que, aos dezessete anos, na Ladeira Dr. Falcão, onde morava, de frente para o Vale do Anhangabaú e Viaduto do Chá, olhando a tarde pela janela, ao avistar um avião, disse de estalo: “Vou voar também!”

Saiba mais: Blog do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA em 17/3/11, 5/1/12, 14/9/10 e 10/7/10.

sábado, 7 de abril de 2012

Pioneiros

ARMANDO FIGUEIRA TROMPOWSKY DE ALMEIDA
O Marechal-do-Ar Trompowsky, nascido a 30 de janeiro de 1889, iria em sua juventude viver, no século XX, os grandes acontecimentos da conquista do ar. Sob a orientação segura e inteligente de seus pais, Armando Trompowsky entra para a Escola Naval no início de 1906. A 23 de outubro desse ano, novamente se consagra Santos-Dumont no seu histórico voo no 14-Bis. É de se imaginar o entusiasmo que deve ter envolvido os alunos daquela Escola voltada para o patriotismo , em plena formação . Sai da Escola em 1909 e, em 1914, já é Primeiro-Tenente.
Por decreto de 23 de agosto de 1916, é criada a Escola de Aviação da Marinha, que logo começa a formar pilotos. No ano seguinte, a 17 de abril, o Primeiro-Tenente Armando Trompowsky matricula-se nessa Escola, onde completa o curso de piloto a 3 de outubro do mesmo ano. Permanece ali como instrutor e em outras funções até 1921. Neste ano, é promovido a Capitão-Tenente. Vai para a Inspetoria da Marinha e, em 1923, para o Comando de Defesa Aérea do Litoral. Depois para o Comando da 2ª Esquadrilha de Bombardeio, Escola de Guerra Naval e Diretoria Geral da Aeronáutica e volta para a Escola de Guerra Naval. Em 1932, é promovido a Capitão-de-Corveta; em 33, a Capitão-de-Fragata. Em 34, serve na Escola de Aviação Naval. Em 35, vai a Capitão-de-Mar-e-Guerra. Em 1936 e 37, comanda a Escola de Aviação Naval. Exerce a Vice-Direção da Aviação Naval. Em 16 de fevereiro de 1940, é promovido a Contra-Almirante e assume a Direção Geral da Aeronáutica Naval.
Vem para o Ministério da Aeronáutica com a criação deste, em 20 de janeiro de 1941. Em novembro deste ano, assume a Chefia do recém–criado Estado-Maior da Aeronáutica. Em 1º de abril de 1942, é promovido a Major-Brigadeiro-do-Ar. Em abril de 1945, foi Delegado do Brasil na Conferência de Organização Internacional das Nações Unidas, realizada em San Francisco, nos EUA. Ainda nesse ano em 30 de outubro, deixa a Chefia do Estado-Maior para assumir as funções de Ministro da Aeronáutica, em consequência da renúncia do Presidente da República e, naturalmente, de todo seu Ministério.
No final do ano, é eleito o novo Presidente, o General Eurico Gaspar Dutra, que competira com o Brigadeiro Eduardo Gomes. A 31 de janeiro de 1946, o então Maj Brig do Ar Armando Tromposky é confirmado, pelo novo Presidente, no Ministério da Aeronáutica, função que exerceu até o final do mandato do Presidente Dutra, tendo sido exonerado das funções por decreto de 29 de janeiro de 1951.
Já era Tenente-Brigadeiro-do-Ar, posto a que fora promovido em 20 de setembro de 1946. No mesmo dia da sua exoneração , passa a exercer as funções de Ministro do Superior Tribunal Militar.
Foi promovido a Marechal-do-Ar em 30 de janeiro de 1959.
Na condução dos destinos da Aeronáutica Brasileira, Armando Trompowsky pode ser considerado, com justiça, o Consolidador do Novo Ministério.
Terminada a Segunda Guerra Mundial, o Ministro Trompowsky depara-se com os problemas que decorriam da consolidação do Ministério e do recebimento das bases americanas do Norte e Nordeste brasileiros. Com efetivos pequenos, naqueles locais, para que as bases fossem preservadas e mantidas em funcionamento, foi necessário utilizar os aspirantes da Escola de Aeronáutica e os oficiais da Reserva Convocada.
Ao término da Guerra, iniciava-se uma nova ordem de coisas. A evolução do equipamento aéreo pedia novas estruturas, pessoal capacitado e, sobretudo, a longo prazo, o desenvolvimento de uma indústria nacional como fator básico de independência, condição mandatória do Poder Aéreo.
Para a consolidação do Ministério da Aeronáutica, pelos Decretos-Leis nº 9.888 e 9.889, de 16 de setembro de 1946, o Ministro Trompowsky reorganizou a Força Aérea Brasileira.
Dentre as muitas providências, cabe destacar:
- Criação da Diretoria de Ensino.
- Reorganização e ampliação do Estado-Maior da Aeronáutica.
- Reorganização das Unidades Aéreas.
- Reorganização das Bases Aéreas.
- Criação da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica.
- Criação do Curso de Tática Aérea.
- Criação da Escola Preparatória de Cadetes do Ar.
- Criação das Auditorias.
- Aquisição de prédio na Av. Marechal Câmara, reunindo nele os diversos órgãos do Min. Aeronáutica que se achavam espalhados em diversos prédios.
- Ampliação e instalação da Escola de Especialistas da Aeronáutica, em Guaratinguetá , São Paulo.
- Instalação do Curso de Oficial Mecânico, em Curitiba.
- O Correio Aéreo Nacional, no período da Administração do Ministro Trompowsky, estimulado pelo apoio oficial, bem como, fortalecido pela atualização profissional e um fluxo de novo material, consequências da nossa participação na Segunda Guerra Mundial , viveu uma grande expansão no seu memorável objetivo de integração nacional. Com os aviões C-47, iniciou as linhas sobre os Andes e penetrou a fundo pelo Brasil. Inaugurou a primeira linha transandina para La Paz e, em 1947, a do Acre, integrando as Regiões Oeste e Amazônica do Brasil.
- Criação da Comissão de organização do Centro Técnico Aerospacial, cujas obras de construção iniciaram-se em 1947 e permitiram o funcionamento do ITA, em 1950.
- Criação dos Parques de Material Aeronáutico de Belém, Recife e Porto Alegre.
- Construção de duzentos e trinta e quatro aviões Fairchild PT-19.
- Criação da Comissão de Estudos Relativos à Navegação Aérea Internacional (CERNAI), órgão que viria a se firmar no campo internacional, como solução racional para defesa de nossos interesses no setor da Aviação Comercial.
- Ativou e ampliou os Serviços de Proteção ao Voo através dos Serviços Regionais de Proteção ao Voo, tendo como órgão central a Diretoria de Rotas Aéreas.
- Ainda no Universo da Aviação Civil, muitos problemas foram enfrentados. Houve, após a Guerra, uma proliferação de companhias aéreas , consequência do baixo custo dos aviões que sobraram daquele conflito. Pelo controle das concessões de linhas e restrições às iniciativas aventureiras, aos poucos o problema foi sendo dominado. O Táxi Aéreo foi regularizado. Foi criada a homologação dos serviços técnicos. Expandiram-se as linhas de integração pelo mecanismo das subvenções. Ao final de 1949, o número de Aeroclubes atingira 331, dos quais 230 tinham escola de pilotagem.
- Reaproveitamento de Oficiais da Reserva da FAB.
Pelo Decreto nº 9.889 foi reorganizada a Força Aérea Brasileira, tendo como pontos marcantes:
- Os Regimentos e Grupos passam a Grupos e Esquadrões, ficando mais adequados ao empregado na 2ª Guerra Mundial, recentemente terminada.
- Todas as Unidades Aéreas tiveram suas denominações e organizações mudadas; exceto os Grupos de Transportes.
Em decorrência daquele Decreto, por Portaria Ministerial, as Bases Aéreas tiveram uma organização harmonizada com a nova concepção operacional.
Com a evolução rápida da Aviação nessa época, havia necessidade de engenheiros aeronáuticos.
Vários engenheiros foram formados na Escola Técnica do Exército. Foi criada a Comissão de Organização do Centro Técnico da Aeronáutica (COCTA), em 29 de janeiro de 1946, subordinada ao Ministro da Aeronáutica, para dar curso à implantação do Plano elaborado pelo Professor Richard H. Smith, acompanhado pelo Tenente-Coronel Aviador Montenegro, no qual o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) teria a prioridade de implantação.
As obras do CTA, iniciadas em 1947, permitiram que o ITA passasse a funcionar no primeiro semestre de 1950.
O Ministro Trompowsky foi, portanto, um dos grandes responsáveis pela existência do CTA e do ITA.
A Diretoria de Intendência, tendo sido criada, construiu o Depósito Central de Intendência, em Marechal Hermes, RJ; instalou o Reembolsável Central de Intendência e os Reembolsáveis Regionais; organizou as Fazendas de Pirassununga e de Jacarepaguá, assim como a Lavanderia da Aeronáutica.
Concedeu autonomia administrativa aos Núcleos de Parque de Aeronáutica de Recife, de Belém e de Porto Alegre, que passaram a funcionar como 4º Escalão de Suprimento e Manutenção. A Diretoria do Material foi reorganizada com um novo Regularmento, e foi implantado o Sistema Kardex nos Parques do Rio de Janeiro e de São Paulo e no Depósito de Aeronáutica do Rio de Janeiro.
Foi criado o Serviço de Transporte e ativado o Parque de Viaturas.
Em 5 de dezembro de 1947, o nome de Alberto Santos-Dumont foi incluído, em caráter permanente, no Almanaque do Ministério da Aeronáutica no posto de tenente-brigadeiro.
Em 1948, foram aprovados o regulamento para o Serviço de Investigações de Acidentes Aeronáuticos e as Instruções para a Concessão de Funcionamento e Realização de Tráfego das Empresas de Táxi Aéreo.
Na área de Saúde, restruturou o Serviço de Saúde, criou o Quadro de Farmacêuticos de Saúde da Aeronáutica e o Curso de Formação de Enfermeiros da Aeronáutica.
Através da Diretoria de Aeronáutica Civil, o Ministério subvencionou várias Linhas de penetração interiorana, assim como, aeroclubes do interior e os que possuíam escola de formação de pilotos.
As obras da construção da ponte, que ligava o continente à Ilha do Governador, iniciada com o Ministro Dr. Salgado Filho, foi inaugurada em 31 de janeiro de 1949 pelo Ministro Trompowsky.
Naquele ano, 1949, ficaram prontos o Edifício Central do Aeroporto Santos-Dumont e do hangar nº 3, iniciado em 1945.
Durante a sua gestão, foram adquiridas várias aeronaves para a Força Aérea Brasileira.
No ano de 1947, foram trazidos por tripulações brasileiras, cem aviões de treinamento avançado North American AT-6.
Ao final de 1947 e o início de 1948, foram adquiridos 25 aviões de caça Republic P-47 “Thunderbolt” e 60 aviões de bombardeio médio North American B-25 “Mitchell”.
Foram adquiridos, também, de 1946 a 1950, 64 aviões bimotores Beechcraft(AT-7, AT-11 e C-45) e 30 aviões de transporte bimotores Douglas (C-47 e DC-3).
Muitos outros fatos poderiam ser lembrados para enaltecer a administração do segundo Ministro da Aeronáutica. Numa síntese de tudo, basta lembrar sua atuação serena e patriótica durante os tempos atribulados de então. Quando iniciou sua gestão, a Aeronáutica acabara de viver horas difíceis. As paixões políticas estavam exacerbadas. O final de 1945 fora difícil para o país culminando essas dificuldades com a renúncia do próprio Presidente da República. Este, por suas ligações com a Aeronáutica, e pela simpatia e eficiência do seu Ministro Salgado Filho, naturalmente tinha seus admiradores e amigos. Por outro lado, o grande líder da Aviação, Eduardo Gomes, ao perder as eleições para a Presidência da República, trouxera uma frustração para os seus liderados.
Dentro desse clima, não deve ter sido fácil ao Ministro conduzir, no início, os negócios da Aeronáutica. Sua grandeza, porém, fez com que se amainassem os ressentimentos e, aos poucos, as consciências e as atenções foram se voltando para os grandes objetivos da nossa Aviação.
Por decreto de 9 de janeiro de 1951, vinte dias antes de deixar o Ministério, foi nomeado Ministro do Superior Tribunal Militar. Em 30 de janeiro de 1959, é aposentado por completar setenta anos. Nesses oito anos de magistrado, distribuiu justiça, pois era digno, independente, sereno e compreensivo. Em 12 de março de 1959, é promovido a Marechal-do-Ar de acordo com a legislação em vigor. A 16 de janeiro de 1964 veio a falecer.

Leia o texto completo: INCAER

Autores: Cel Av João Vieira de Sousa e Cel Av Celso Paulino da Silva

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Biblioteca Ninja

A MISSÃO 60
"Fiz 59 missões, repito, e este livro é a sexagésima. Para melhor cumpri-la, tomei como ala Demosthenes Gonzalez, inteligência de mérito que me assessorou durante a feitura da obra. A ele, meus agradecimentos. E assim, realizei mais esta missão, a última, e que denominei Missão 60.
Este livro, pois, é a história romanceada de um piloto de caça brasileiro na II Guerra Mundial. Os nomes e os personagens são verdadeiros e todos os fatos narrados são a pura verdade.
Eu vi a guerra e, por isso, não a quero. Se outro mérito não tiver este livro, que fique como o meu protesto contra a luta fratricida entre os povos."
FERNANDO PÉREYRON MOCELLIN

Com um texto direto e emocionante o autor nos revela sua trajetória de vida, sua formação em piloto militar, o voluntariado no 1º GAvCa e a sua visão da guerra.
Revela suas angústias e a sua determinação ao enfrentar sua própria consciência.
Texto integral revisado - dentro da nova regra ortográfica da língua portuguesa.
Simplesmente imperdível!

Editora: Adler
Medida: 17 x 24 cm
Capa: semi-rígida - lombada quadrada
Miolo: 208 páginas em P&B
ISBN:978-85-89015-20-2

Visite: Adler-Books

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Carreiras na Aviação

Cadetes da AFA treinam salto com paraquedas
No período de 11 a 31 de março de 2012, 199 Cadetes do 1º Esquadrão do Corpo de Cadetes da Aeronáutica, Turma Kratos, receberam a instrução de salto de emergência. O exercício faz parte do currículo dos cursos de formação e tem por objetivo instruir o futuro Oficial, quando pilotando, tripulando ou sendo transportado por uma aeronave militar, a abandoná-la em voo, em situação de emergência.A turma foi dividida em dois grupos que, juntamente com 22 Cadetes do 2º Esquadrão e 26 oficiais da Marinha do Brasil, passaram por uma semana de intenso treinamento teórico e prático que incluiu treinamento físico especializado; instruções de aterragem de plataforma de 60cm e 120cm e do balanço; manuseio de equipamento; técnica de controle do paraquedas e instruções para situações de emergência. Os cadetes também puderam utilizar a aeronave C-115 Buffalo, em monumento na AFA, para o treinamento de saída de aeronave.Os saltos foram realizados em dois finais de semana. A aeronave utilizada para o exercício foi um C-105 Amazonas, da Base Aérea de Campo Grande.

Fonte: AFA

quarta-feira, 4 de abril de 2012

EMCA

Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas

A Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas - EMCA é uma Escola de Aviação Civil, homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), mantida e administrada pela Prefeitura Municipal de Taubaté. Tem por finalidade formar técnicos em mecânica de manutenção aeronáutica, nas habilitações aviônica, célula e grupo motopropulsor, proporcionando aos alunos significativa oportunidade de ingresso no ramo aeronáutico, em grande fase de expansão. A duração do curso é de 2 anos e visa atender às necessidades de mão-de-obra especializada das empresas aeronáuticas instaladas ou que venham a ser instaladas em Taubaté-SP.
Idealizador deste magnífico projeto, o Diretor Técnico Administrativo da EMCA Cel. da Reserva EB José Fernando de Lacerda Machado traz, também, em seu extenso e brilhante currículo, duas belas contribuições para a região do Vale do Paraíba-SP: a fundação do Aeroclube Regional de Taubaté e do 259/SP Grupo Escoteiro do Ar "Aviação do Exército".
Neste instante, o Cel. Lacerda colabora intensamente para consolidar o Núcleo Infantojuvenil de Aviação-NINJA em Taubaté, o que nos garante a honra de conviver com este generoso e competente entusiasta da aviação.
Brasileiros como o Cel. Lacerda confirmam que a nação deve concentrar a maior parte de sua energia para garantir o acesso de crianças e jovens à melhor formação possível. Seus belos exemplos reforçam o pensamento do saudoso educador Theodomiro Carneiro Santiago: "Revelemo-nos mais por atos do que por palavras, dignos de possuir este grande país."

terça-feira, 3 de abril de 2012

Esquadrilha da Fumaça

EDA faz sucesso no Chile
A Esquadrilha da Fumaça (EDA – Esquadrão de Demonstração Aérea) foi uma das atrações no sábado, 31 de março de 2012, na Feira Internacional do Ar e do Espaço (FIDAE), no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, em Santiago, no Chile. As duas demonstrações marcaram o primeiro dia de visita pública à feira, que recebeu cerca de 70 mil pessoas. As palavras “Chile – Brasil” iniciaram uma demonstração aérea com 35 manobras e acrobacias, que mostraram a ousadia e o treinamento dos pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB) e o desempenho da aeronave T-27 Tucano. Além da apresentação dos militares brasileiros, foram destaques na FIDAE as manobras da Esquadrilha de Alta Acrobacia da Força Aérea do Chile, os Halcones, e a passagem do caça T-50 da sul-coreana Korea Aerospace Industries (KAI).
A Fumaça realizou demonstrações aéreas durante todos os dias do evento. O público se impressionou com a versatilidade e com o alto grau de dificuldade das manobras nas apresentações da Esquadrilha. “É a primeira vez que vejo a Esquadrilha da Fumaça e estou impressionado pelas lindas acrobacias e pelo desempenho dos pilotos. A aeronave é grande e tudo parece ser muito preciso. É emocionante”, disse o chileno Juan Sebastian Velaquez, que compareceu ao evento com toda a família.

Fonte: Agência Força Aérea

Visite: www.esquadrilhadafumaca/2012

segunda-feira, 2 de abril de 2012

EncontrAr

Núcleo Infantojuvenil de Aviação em Taubaté-SP
Em 28 de abril de 2012, no Aeroclube Regional de Taubaté-SP, instalado próximo a Aviação do Exército, na estrada dos Remédios, 2135, bairro Itaim, acontecerá o EncontrArEncontro de Escoteiros da Modalidade do Ar.
O evento é uma iniciativa do 259/SP – Grupo Escoteiro do Ar “Aviação do Exército” para comemorar os 74 anos da modalidade e oficializar o lançamento regional do Núcleo Infantojuvenil de Aviação – NINJA.
No dia 28 de abril de 1938, em Curitiba, o Major Aviador Godofredo Vidal, o Tenente Coronel Aviador Vasco Alves Secco e o Primeiro Sargento Telegrafista Jayme Janeiro Rodrigues, oficializaram à União dos Escoteiros do Brasil a criação do primeiro grupo de escoteiros do ar, o Grupo Tenente Ricardo Kirk.
Hoje, a modalidade do ar do escotismo comemora a implantação do Núcleo Infantojuvenil de Aviação – NINJA - em Taubaté-SP e preparou uma festa para isto.
A programação na manhã de 28 de abril é para toda a família, com início às 9h30m e término às 13h e estão previstas atividades como simulação de voo em computador, aeromodelismo, jogos escoteiros, vídeo aulas, mini-palestras e apresentação de aeronaves, contribuindo para despertar o interesse de crianças e jovens para o fascinante mundo da aviação.
Além dos Escoteiros do Ar, o evento tem o apoio da EMCA - Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas, UNITAU – Universidade de Taubaté, Aeroclube Regional de Taubaté, Aeroclube de Ubatuba e Colégio Dominique, de Ubatuba-SP.
Saiba mais sobre o Núcleo Infantojuvenil de Aviação-NINJA em Detalhes do Projeto.

domingo, 1 de abril de 2012

Especial de Domingo

Os 69 anos do Paulistinha
Amanhã, 2 de abril, completaremos os sessenta e nove anos da produção do primeiro avião "Paulistinha", que tanto contribuiu para a formação de muitas gerações de pilotos. Relembrando a data, o Núcleo Infantojuvenil de Aviação-NINJA registra hoje um pequeno extrato desta grande história.
Boa leitura.
Bom domingo!
O interesse do empresário paulista Francisco Pignatari pela aviação data do final da década de 1930, quando ajudou o projetista italiano L. Bresciani na construção de dois protótipos. Em fins de 1940, a Laminação Nacional de Metais, uma das empresas do Grupo Pignatari, criou uma divisão de aviação e passou a produzir planadores. A boa recepção dos planadores no meio aeronáutico encorajou Pignatari a criar uma empresa de construção de aviões. Assim, em agosto de 1942, surgiu a Companhia Aeronáutica Paulista - CAP. Além de toda a estrutura industrial herdada do Grupo Pignatari a CAP associou-se ao IPT de São Paulo e passou a trabalhar no projeto do avião IPT-4, renomeado CAP-1 "Planalto" e nos seus derivados, o CAP-2, o CAP-3 e o CAP-3A. Mas o projeto de maior sucesso comercial foi o CAP-4 "Paulistinha".
O projeto do Paulistinha baseou-se na aeronave EAY-201 Ypiranga(foto abaixo), cujos direitos de fabricação, pertencentes à Empresa Aeronáutica Ypiranga, foram adquiridos.Novamente com a ajuda de técnicos do IPT, o projeto foi revisto e em 2 de abril de 1943 o primeiro exemplar deixou as linhas de montagem.
O Paulistinha foi produzido em três versões, sendo que o modelo CAP-4A era a versão de instrução com 777 unidades produzidas. As outras duas versões eram o CAP-4B, capaz de transportar uma maca (somente dois protótipos produzidos), e o CAP-4C "Paulistinha Rádio" para regulagem de tiro de artilharia (um protótipo construído).
Além das suas boas qualidades aeronáuticas, o sucesso comercial do Paulistinha deveu-se também à Campanha Nacional de Aviação, um movimento criado em 1941 para levantar recursos para a compra de aeronaves de instrução de fabricação nacional, visando sua distribuição aos diversos aeroclubes do Brasil.O Paulistinha era robusto, de pilotagem simples e manutenção fácil. Por ser de construção simples, a CAP chegou a fabricar um Paulistinha por dia em 1943, no auge de sua fabricação, que encerrou em 1948. Com exceção dos motores, que vinham dos EUA, praticamente todos os demais itens eram de fabricação nacional.
Em 1955 a Sociedade Construtora Aeronáutica Neiva adquiriu os direitos de fabricação do Paulistinha, bem como alguns gabaritos e todas as plantas do modelo CAP-4. O projeto foi ligeiramente modificado e rebatizado de Paulistinha 56. Mais de 240 exemplares foram fabricados nessa "segunda vida".
A Marinha do Brasil adquiriu apenas uma única aeronave para emprego geral e instrução em 1962. Não se conhecem maiores detalhes da aeronave, mas acredita-se que a mesma tenha sido uma das fabricadas pela Neiva da década de 1950. Passou para a FAB em 1965, onde não recebeu matrícula.O esquema de cores e indicativos visuais mostrado acima baseia-se no padrão adotado pela MB no início da década de 1960 para aeronaves de instrução.A FAB usou 20 aeronaves Neiva 56C Paulistinha para reconhecimento e observação com a designação L-6 e O-6 e foram utilizadas no período de 1959 até 1974.

E s p e c i f i c a ç ã o
Origem: Brasil (Companhia Aeronáutica Paulista)

Dimensões: comprimento: 6,71 m; envergadura: 10,67 m; altura: 2,10 m; Superfície alar: 17,00 m2.

Pesos: vazio: 320 kg; máximo na decolagem: 535 kg.

Motores: um motor ContinentalA-65-8 de 4 cilindros em linha, desenvolvendo 65 HP, refrigerado a ar.

Desempenho: velocidade máxima: 160 km/h; razão inicial de subida: 240 m/min; teto de serviço: 3.800 m; Autonomia 4 h.

Tripulação: dois tripulantes em tandem

Fonte: Café Modelismo

Saiba mais: Blog do Núcleo Infantojuvenil de Aviação-NINJA em 2/5/10, 3/5/10, 23/5/10, 4/7/10.