Voar é um desejo que começa em criança!

domingo, 24 de abril de 2016

Especial de Domingo

A seguir, mais um vez, publicamos texto selecionado do excelente Aeromagia.
Boa leitura.
Bom domingo!

Sempre há alternativas quando se pensa com antecipação
Por Jean Gabriel Charrier

Você toma decisões todos os dias, e, estando no comando de seu avião, algumas delas podem ser cruciais

Por exemplo, para um mesmo voo podem haver duas estratégias diferentes de gestão do mau tempo. 

Bem entendido, a realidade não é tão simples, mas uma simples repassada de como os acontecimentos podem se encadear irão te ajudar a antecipar suas decisões no dia em que você estiver diante de situações similares. 

Pessoalmente, já mentalizei diversas ‘meia-voltas’, retornos, mudanças de planos.

Essas decisões são sempre mais fáceis (menos difíceis) de tomar quando já foram previamente visualizadas e programadas no seu espírito: “Cedo ou tarde eu estarei diante de uma necessidade de fazer meia volta, desviar rota, ou não decolar. Isso é certo.”

Aqui, em algumas linhas, uma pequena análise de acontecimentos.

1 – O ser humano tem tendência a subestimar naturalmente os riscos; isso é algo que todos sabem. E alguns subestimam mais do que outros! Se há alguma coisa que deve ser retida no tocante a ‘Fatores Humanos’, é a mensagem seguinte: Você é vulnerável.

2- Tanque cheio, coração leve – Uma pane seca em carro é uma coisa, em avião é outra!

3 – A diferença entre uma situação normal em voo e uma situação perigosa é marcada às vezes por uma linha tênue, assim como são as diferenças de espessura de agulhas.

4 – Antes de tomar uma decisão, você deve analisar objetivamente a realidade da situação. Ou seja, se você admite que não é um ‘bom nadador’, você teve ficar sempre onde ‘dê pé’.

5 – O principal desafio do piloto é de ficar dentro dos seus limites de competência, porque senão a pressão é um fator que irá empurrá-lo insidiosamente para sair ignorando certos riscos.

6 – Um piloto desportivo voa para seu lazer.

7 – Os pilotos que prestam atenção regularmente às suas margens de segurança trabalham sem dar brecha para o azar.

8 – Ao tomar uma decisão acertada de forma rápida, o piloto pode lidar melhor com novas contingências que surgirem em seguida.

9 – O julgamento do piloto é motivado por diversas razões. Uma decisão de insistir em algo crítico não é racional diante da segurança.

10 – Um piloto deve aprender a passar de uma situação para outra rapidamente, como de uma situação normal para uma de estresse.

11 – É muito difícil haver meras ‘fatalidades’ na aviação. Tenha sempre diversos planos B.

12 – Um simples conhecimento pode se transformar em capacitação… a partir do momento em que tudo isso estiver em harmonia com suas decisões.

Bons voos!!

Jean Gabriel Charrier foi instrutor de avião, planador e acrobacia, piloto de linha aérea e inspetor de segurança de voo na França. Possui cerca de 13.000 horas de voo, e é titular de um diploma de Fatores Humanos em Aeronáutica, pela OACI.

Fonte: Aeromagia