Voar é um desejo que começa em criança!

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Tráfego Aéreo

Brasileiros em evento internacional discutem o futuro do tráfego aéreo com o SWIM 
O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA) e a empresa brasileira ATECH Negócios em Tecnologia S/A formaram a equipe que representou o Brasil no evento final do Projeto Mini-Global II, realizado na última semana de abril de 2016. As ações foram promovidas pela Federal Aviation Administration (FAA), órgão que regulamenta a aviação civil nos Estados Unidos, junto à empresa Embry-Riddle, em Daytona Beach, nos Estados Unidos. Foi a primeira participação brasileira no projeto que almeja a interoperabilidade, harmonização e eficiência dos sistemas e dados globais da aviação. O Projeto Mini-Global II é um esforço colaborativo entre a FAA e outros Prestadores de Serviços de Navegação Aérea (ANSP) em vários países. O objetivo é aperfeiçoar e simplificar, através de padronização, o fluxo e gerenciamento de informações aeronáuticas, meteorológicas e de voo. O conceito System Wide Information Management (SWIM) proporciona um modelo uniforme de troca de informações pertinentes ao gerenciamento de tráfego aéreo, tornando-as mais ágeis, confiáveis e acessíveis. Além dos debates por videoconferência, houve a visualização de simulações de deslocamentos de aeronaves e provimento de serviços ao longo das rotas, o que foi compartilhado por rede de dados e imagens por todas as equipes participantes em vários países.

Participação do Brasil 
O Brasil foi o único país da América do Sul no evento. Canadá, Japão, Portugal, Singapura e Tailândia também participaram da demonstração realizada nos dias 26, 27 e 28 de abril de 2016. O Tenente Rafael de Araújo Almeida, da equipe do ICEA, informou que o cenário do Brasil consistiu em um voo partindo do Rio de Janeiro com destino a Nova York, com o intercâmbio de informações entre os sistemas. Essa rota envolveu Brasil, Trinidade e Tobago e Estados Unidos. A futura sistemática para a navegação visa atender ao Aviation System Block Upgrades (ASBU), contendo metas globais de aprimoramento estabelecidas pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). Desta forma, busca redução de atrasos de voos, economia de combustível e aperfeiçoamento do controle de tráfego aéreo.

Saiba mais: Blog do NINJA de 27/10/2015