Voar é um desejo que começa em criança!

domingo, 23 de outubro de 2016

Especial de Domingo


SEMANA DA ASA - 2016
 

23 de Outubro:
Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira 

No dia 23 de outubro de 1906, o brasileiro Alberto Santos Dumont, realizava o primeiro voo com uma aeronave mais pesada que o ar, capaz de decolar por seus próprios meios mecânicos e, mediante reações aerodinâmicas, voar com o 14-Bis. Para rememorar aquele feito, nesta data, portanto, comemora-se o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

Santos Dumont no desfile do Dia do Aviador e da Força Aérea
Encenação do encontro de Santos Dumont com a Força Aérea Brasileira atual, desfile militar com cadetes da Academia da Força Aérea e imposição da Ordem do Mérito Aeronáutico. Esses foram os destaques da cerimônia em comemoração ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, realizada sexta-feira, 21, em Brasília (DF).

Homenagem aos aviadores e à FAB 

Em vídeo produzido pelo CECOMSAER, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, homenageia os aviadores e o efetivo da Força Aérea Brasileira (FAB).

Mensagem alusiva ao Dia do Aviador 

"Celebrar o voo do mais pesado que o ar transcende a importância do feito do brasileiro Alberto Santos Dumont e de seu imensurável legado para a humanidade.

Sua contribuição no campo da aviação, assim como nas outras linhas de pesquisa que desenvolveu, repercutiu em sólidas modificações para nossa sociedade e representa a consolidação da engenhosidade e da persistência em prol de um objetivo, o desenvolvimento.

Dessa feita, cabe a celebração de hoje homenagear os esforços de nossos antecessores e o permanente empenho daqueles que, na atualidade, dão prosseguimento aos feitos do nosso Patrono da Aviação. 

Assim sendo, a Força Aérea Brasileira registra e externa as congratulações para os aviadores, mantenedores, equipes de solo e de apoio, os aficionados, enfim, todos que dão vida à atividade de voar e fazer voar.

Neste momento de celebração, volto minhas palavras aos integrantes da Força Aérea Brasileira.

No ano do nosso septuagésimo quinto aniversário devemos fazer uma reflexão sobre o que somos, onde estamos, o que queremos ser e onde estaremos dentro de vinte e cinco anos, quando completaremos o centenário de nossa criação.

Se olharmos para trás, veremos que construímos uma Força Aérea sobre sólida base de idealismo e carregada de responsabilidade em relação ao destino de nossa nação.

Nascemos sob o fogo da segunda grande guerra e, desde cedo, sentimos a dor do sangue derramado dos nossos jovens aviadores. Marcaram naquele ano de 45 que nosso destino seria vencer ou morrer. Essa forte motivação para encarar desafios traçou o rumo de nosso futuro.

Percebemos e decidimos, já naquela década, que o Brasil teria um futuro com fortes vínculos com a aviação.

Tivemos nestes 75 anos diversas gerações, que foram agregando valor ao nosso espírito aeronáutico, digno de Santos Dumont e de nossos predecessores da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.

Neste contexto, destaca-se a figura de nosso patrono Eduardo Gomes, um dos heróis dos Dezoito do Forte e criador do Correio Aéreo Nacional, o CAN, que jamais deixou de ter sua fundamental existência para a integração de nosso imenso território. Até os dias de hoje nosso país depende fundamentalmente da aviação para integrar as remotas regiões do norte e noroeste brasileiro.

Não podemos perder a consciência dessa responsabilidade. Devemos, pois, manter o mesmo espírito de Eduardo Gomes, Protásio, Camarão e tantos outros.

Ao valorizar nossa missão de integração nacional, atendemos uma de nossas três grandes responsabilidades, que são integrar, defender e controlar.

Não devemos, entretanto, dispensar menos atenção à grande responsabilidade de defender e garantir a integridade de nosso território.

É primordial ter a consciência da dimensão de nossa área de responsabilidade, de nossas riquezas no mar e em regiões pouco habitadas e carentes de infraestrutura.

Para tanto, devemos estar preparados! As ameaças podem estar ocultas, mas existem e podem mostrar suas garras como temos visto ao redor do mundo em tempos recentes.

Neste contexto, a indispensável incorporação de novos vetores e armamentos, a modernização da estrutura organizacional, o domínio de tecnologias e a plena integração com as Forças coirmãs centrada em um Ministério da Defesa estruturado e coeso, concorrerão para o sucesso de nossa missão.

Outra grande responsabilidade de nossa Força Aérea é manter o controle de 22 milhões de quilômetros quadrados, durante 24 horas do dia, sete dias da semana. Uma missão hercúlea que temos cumprido com maestria, a despeito das restrições financeiras que afetam o sistema. Este trabalho é reconhecido internacionalmente, colocando o Brasil entre os primeiros países em excelência dos serviços prestados.

Para que possamos manter a vanguarda de nossas ações e estarmos plenamente capacitados aos desafios do futuro, nesse ano em que comemoramos o jubileu de 75 anos de nossa Instituição foi lançado um estudo ousado e inovador, o projeto Força Aérea 100.

Um importante conceito, baseado em estudos complexos e estritamente alinhado com o que existe nas modernas Forças Aéreas de todo o mundo, possui como objetivo primordial a centralização de atividades administrativas e a otimização do emprego operacional de nossos vetores.

Assim sendo, o momento nos impele a focar as ações para nossa missão institucional e, motivados pela engenhosidade e perseverança de nosso Patrono, iniciamos esta jornada que nos conduzirá a uma Força Aérea mais forte e operacional.

Integrantes do Comando da Aeronáutica,

Ao celebrar o marcante voo de Santos Dumont, manifesto minhas saudações a cada um dos membros deste efetivo responsável pelo cumprimento das inúmeras atribuições de nossa Força.

Neste contexto de regozijo, rogo que cada um dos senhores e senhoras estejam convictos que o fruto de suas atividades é um Brasil mais justo e soberano. Mantenham, portanto, a radiante chama da motivação. A nação brasileira reconhece seus trabalhos, seja por meio da integração nacional, do desenvolvimento tecnológico, do gerenciamento do tráfego aéreo ou, da permanente vigilância de nossos céus.

Dessa forma, permaneçam serenos e confiantes no fiel cumprimento de suas atribuições para que possamos navegar ombreados por nossos irmãos de armas rumo ao futuro promissor que todos almejamos.

Parabéns pelo Dia do Aviador!

Parabéns a toda a Força Aérea Brasileira!"

Tenente-Brigadeiro do Ar NIVALDO LUIZ ROSSATO
Comandante da Aeronáutica.