Voar é um desejo que começa em criança!

sábado, 14 de junho de 2014

Cbers-4

Grupo discute missão Cbers-4 no Inpe

Técnicos do Inpe durante testes com satélite da missão Cbers. 

A Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban) reuniu-se esta semana no Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José dos Campos (SP), para discutir a viabilidade da missão do Cbers-4 (Satélite de recursos terrestres) e a continuidade do programa sino-brasileiro de satélites com o desenvolvimento dos Cbers-5 e Cbers-6. O andamento dos preparativos para o lançamento do CBERS-4, que deve ocorrer na primeira quinzena de dezembro, foi, também, tema da reunião. A perda do satélite Cbers-3, causada por falha do foguete chinês, em 9 de dezembro de 2013, levou ambos os países a decidirem adiantar o Cbers-4, que estava previsto para ser lançado apenas em 2015. De acordo com os especialistas brasileiros e chineses, todas as etapas da montagem, integração e testes do Cbers-4 estão sendo cumpridas normalmente. No início de setembro, o satélite deverá passar pela Revisão Final de Projeto (FDR, na sigla em inglês), que antecede o envio do satélite para o lançamento, a partir da base de Tayuan, na China. Participaram da reunião do Grupo de Trabalho da Cosban especialistas e dirigentes do Inpe, da AEB (Agência Espacial Brasileira) e de órgãos chineses ligados ao desenvolvimento de atividades espaciais, como a Cast (Academia Chinesa de Tecnologia Espacial ( na sigla em inglês), contraparte chinesa do Inpe. na execução do Programa Cbers.

Gerador
Em maio, o Brasi encaminhou à China o Gerador Solar (SAG, Solar Array Generator) do Cbers-4 para ser integrado ao corpo do satélite que está em fase de montagem naquele país. Durante o tempo que permaneceu no LIT (Laboratório de Integração e Teste) do Inpe, o gerador passou por uma série de testes até ser plenamente aprovado. O SAG é projetado e fabricado pela empresa Orbital Engenharia Ltda, possui mais de 16 metros quadrados (6,3 x 2,6 m) e será responsável por captar a luz do Sol e convertê-la em energia para alimentar os equipamentos do satélite. Apesar do tamanho, o gerador pesa apenas 55 quilos.

Fonte: O Vale