Voar é um desejo que começa em criança!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Esquadrilha da Fumaça

Pilotos do EDA tornam-se instrutores de A-29
O “Curso de Formação de Instrutor da Aeronave A-29 Super Tucano” ocorre no Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) desde o dia 14 de outubro de 2013. O primeiro piloto a participar foi o Major Marcelo Oliveira da Silva que teve como instrutor o Major Ubirajara Pereira Costa Júnior, também integrante da esquadrilha. “A formação é pré-requisito básico para que o piloto possa transmitir seus conhecimentos aos novos alunos que ingressarão na Fumaça a partir de 2014”, afirma o Major Marcelo. Nos próximos dias, mais oito pilotos da Fumaça também realizarão o curso. No Esquadrão, já existem três aviadores que ingressaram no EDA em 2012 como instrutores de A-29 e são responsáveis pela formação dos outros integrantes da equipe. Para se tornar instrutor, as etapas necessárias consistem em missões na nacele (cabine) traseira. São elas: adaptação diurna, voo noturno com o uso de instrumentos e participação no voo em formação com duas aeronaves. “Para o EDA, trata-se de uma das etapas do processo de implantação do A-29. Todos os outros pilotos também serão formados pelo curso. Isso é a Fumaça ganhando as próprias asas, pois aqui o militar é aluno, piloto e instrutor ao mesmo tempo. E com o curso, ganhamos experiência, pois quando ensinamos, aprendemos também, sempre na busca pelo aperfeiçoamento. É uma satisfação muito grande ficar habilitado para ser professor dos novos integrantes da Esquadrilha”, diz o Major Marcelo.

Foto: Núcleo Infantojuvenil de Aviação

Fonte: EDA / CECOMSAER

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Transporte Aéreo

Airbus pede que aviação defina padrão de conforto dos passageiros
A Airbus revelou no dia 28 de outubro de 2013 uma nova pesquisa sobre o impacto da largura dos assentos no nível de conforto de passageiros da classe econômica, a bordo de voos de longo curso, pedindo que o setor de aviação defina uma largura mínima padrão de 18 polegadas (45,72 cm) para melhorar o conforto em viagens aéreas de longa distância. A pesquisa, conduzida pela médica Harley Street, do The London Sleep Centre, calculou que uma largura mínima de assento de 45,72 cm melhora a qualidade do sono dos passageiros em 53% quando comparada ao padrão de 17 polegadas (43,18 cm) implementado na década de 50. “A diferença foi significativa. Todos os passageiros tiveram noites de sono mais profundo, longo e menos perturbado nas poltronas de 45,72 cm. Eles passaram de um estágio do sono para o seguinte, da maneira esperada sob circunstâncias normais. Enquanto isso, na poltrona com assento mais estreito, de 43,18 cm, os passageiros foram afetados por vários incômodos durante o sono – o que significa que raramente tiveram um sono profundo restaurador. Quando se trata de voar longas distâncias na classe econômica, uma polegada faz uma diferença enorme no conforto dos passageiros”, comenta o doutor Irshaad Ebrahim, MBChB MRCPsych do The London Sleep Centre. O transporte aéreo mudou consideravelmente nos últimos 50 anos. Há mais passageiros voando mais para distâncias mais longas. Somente nos últimos cinco anos, o número de voos acima de 6 mil milhas náuticas (tempo de voo de mais de 13 horas) aumentou 70%, de 24 para 41 voos diários. Em 1998, não havia nenhum voo com mais de 7 mil milhas náuticas. Nos próximos 15 anos, o tráfego de passageiros duplicará e, até 2032, as companhias aéreas receberão mais de 29.220 novos aviões de passageiros e cargueiros. “Se o setor da aviação não se posicionar agora, colocaremos em risco o conforto dos passageiros até 2045 e no futuro – especialmente se levamos em conta os prazos de entrega de aeronaves combinados com os anos esperados em serviço, o que significa que mais uma geração de passageiros ficará condenada a assentos baseados em padrões obsoletos”, disse Kevin Keniston, chefe de Conforto de Passageiros da Airbus. 

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Aeroportos

Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, RN fica pronto em abril de 2014
O aeroporto internacional que está sendo construído em São Gonçalo do Amarante, região leste do Rio Grande do Norte, será entregue em abril de 2014. A tentativa é viabilizar o uso do aeroporto durante os jogos da Copa do Mundo de Futebol que serão realizados em Natal. O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante terá um terminal de passageiros de 40 mil m², 1.500 vagas de estacionamento e capacidade de operação de 6,2 milhões de passageiros por ano. O total de investimento é de R$ 410 milhões, dos quais R$ 326 milhões de financiamento do BNDES. O acesso norte ao Aeroporto deverá ser finalizado até 30 de março de 2014, enquanto a pista sul será concluída até 30 de maio. Na região metropolitana de Natal, a obra atenderá aos municípios situados na zona de crescimento norte, em ritmo acelerado de desenvolvimento urbano e econômico.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Ninjas em Guaratinguetá-SP

Ontem, 27 de outubro, foi um dia especial. Um grupo de participantes do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA - esteve no Aeroporto Edu Chaves, junto a Escola de Especialistas de Aeronáutica, em Guarantinguetá-SP, em mais um Portões Abertos da FAB. Paraquedismo, exposição de aeronaves, aeromodelismo, divulgação das várias possibilidades de carreiras na aviação e diversas atividades recreativas, num domingo ensolarado, certamente ficarão para sempre na lembrança da garotada. Confira...e vamos em frente, levando a cultura aeronáutica para crianças e jovens!

domingo, 27 de outubro de 2013

Especial de Domingo


Transporte de médicos e provas do Enem mobilizam Forças Armadas
Uma das maiores operações logísticas para transporte de passageiros e mobilização de material será colocada em prática neste fim de semana pelas Forças Armadas. Coordenados pelo Ministério da Defesa, a partir do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica têm como missão levar cerca de 1,8 mil profissionais do programa Mais Médicos para os 26 estados do país e o Distrito Federal, além das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para municípios de difícil acesso no norte do país. As operações envolvendo as Forças Armadas começaram ontem, sábado (26), na Base Aérea de Brasília. A partir das 5h30, a unidade militar começou a receber os primeiros médicos para serem deslocados em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Com o emprego de onze aeronaves, os médicos foram transportados para as 27 capitais do país. São profissionais formados no exterior, participantes do programa Mais Médicos, do Governo Federal. O programa prevê o recebimento de 2.182 médicos, 361 dos quais não utilizarão os voos da FAB, por já se encontrarem nas cidades às quais se destinam. Em função de avaliação dos profissionais, a cargo do ministério da Saúde, os números finais poderão ser reduzidos. Ao desembarcarem nas capitais, os médicos serão levados aos locais onde permanecerão hospedados. Essa missão será executada por militares da Marinha ou do Exército. O processo de ambientação se dará durante quatro dias. A expectativa do Governo é que esse contingente seja levado para os locais onde atuarão já a partir do dia 4 de novembro. De acordo com o planejamento do EMCFA, a distribuição de cerca de 500 médicos na Amazônia Legal caberá às Forças Naval e Terrestre. Nas demais cidades, o deslocamento ficará a cargo das Secretariais Estaduais e Municipais de Saúde. A Marinha encaminhará os profissionais que chegarem a Manaus (AM), Belém (PA) e São Luís (MA). O Exército estará incumbido dos médicos em Macapá (AP), Boa Vista (RR), Porto Velho (RO), Cuiabá (MT), Palmas (TO) e Rio Branco (AC).
Aeronave de transporte C-105 Amazonas Agência Força Aérea

Transporte aéreo
Pelo planejamento elaborado pela Força Aérea, os primeiros voos partem de Brasília (DF), Vitória (ES) e Recife (PE) levando profissionais para Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Aracaju (SE), Teresina (PI), Petrolina (PE), Natal (RN), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Rio (RJ), Belo Horizonte (MG), Manaus (AM), Maceió (AL) e Boa Vista (RR). A operação prevê o desembarque em 12 bases aéreas e nos principais aeroportos brasileiros. O transporte aéreo segue hoje, domingo (27) e só será concluído na terça-feira (29), com partida de cerca de 200 médicos de Fortaleza (CE) e Vitória (ES) para São Luís (MA). As aeronaves empregadas no transporte são C-130 Hércules, Embraer 145, C-95 Bandeirante e C-105 Amazonas. Essa é a segunda etapa com a participação das Forças Armadas no programa Mais Médicos. A primeira se deu no recebimento de 679 profissionais que chegaram do exterior. Há previsão de uma terceira etapa para meados de dezembro.

Provas do Enem
A realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste fim de semana, também conta com o apoio logístico das Forças Armadas. Atendendo solicitação do Ministério da Educação (MEC), o MD determinou a participação de militares no esquema de transporte, armazenamento e guarda do material, além de segurança dos técnicos envolvidos na aplicação do exame. Desde a última quarta-feira (23), a Marinha e a FAB deram início ao transporte das provas para os locais do exame em 55 localidades de difícil acesso na região Norte. O Exército presta segurança ao material guardado em 67 organizações militares da Força Terrestre. Uma unidade da Marinha também servirá de espaço físico para armazenamento das provas Na próxima segunda-feira (28) a Marinha e a FAB trazem de volta o material e os cartões respondidos pelos candidatos durante o fim de semana nas cidades de aceso remoto. A desmobilização das Forças Armadas na megaoperação do Enem está prevista para a próxima quinta-feira (31). O efetivo das Forças Armadas varia conforme a estrutura de cada local. O Enem conta com 7,1 milhões de inscritos.

Fonte: MD

sábado, 26 de outubro de 2013

15º SAE Brasil AeroDesign

AeroDesign abre as portas ao público
Estudantes fazem testes com aeromodelos antes de competição no DCTA 

Os entusiastas em aviação podem conferir hoje em São José dos Campos-SP, gratuitamente, o terceiro dia de provas da 15ª competição SAE Brasil AeroDesign. As provas práticas têm sido feitas, desde ontem, no ponto de táxi do aeroporto do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) e estão abertas ao público. Ontem, 97 equipes, de um total de 105 inscritas, compareceram à pista para colocarem suas máquinas no ar. Segundo o vice-diretor técnico da competição, Tarik Orra, este ano a taxa de desistência foi mais baixa do que nos anos anteriores. Destas 97 equipes, 36 foram classificadas logo na primeira etapa de voo. Os participantes têm três chances de voo para obter uma classificação. Na prova de ontem, o peso médio carregado pelas aeronaves foi de 7 quilos. Hoje, as aeronaves classificadas devem carregar uma carga maior, que pode chegar a 14 quilos. Para serem aprovadas, as máquinas devem cumprir alguns requisitos. “Tem que completar o circuito padrão, decolar, fazer uma volta, obedecer uma distância de 50 metros para decolar e pousar dentro dos limites preestabelecidos. É como se fosse um aeroporto comum. A aeronave tem de estar pronta para voar de novo”, explica o vice-diretor. “Muitas equipes não têm engenharia aeronáutica e fazem relatórios tão bons quanto os (alunos) de engenharia aeronáutica. O nível tem subido constantemente”, completa. A competição continua hoje, das 7h até as 18h e a entrada para o público é pela Avenida Faria Lima, São José dos Campos-SP.

Foto: Flávio Pereira

Fonte: O Vale

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Aeronaves

Brasil doará aviões Tucano para Moçambique
O Congresso Nacional analisará autorização para o governo do Brasil doar três aviões Tucano T-27 para a Força Aérea de Moçambique, no momento em que o país africano vive seu momento de maior tensão desde o fim da guerra civil, em 1992. O repasse, que precisa ser aprovado pelo Congresso, faz parte de pacote que inclui também a doação de 25 carros de combate blindados do Exército Brasileiro para o Uruguai. Usada para treinamento pelo Brasil, a série de aviões Tucano T-27, da Embraer, foi adquirida pela Força Aérea Brasileira há 30 anos. 

Fonte: www1.folha.uol.com.br

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Tecnologia

O 1º voo comercial com biocombustível no Brasil
Decolou na tarde do dia 23 de outubro de 2013, do Aeroporto de Congonhas para o Aeroporto de Brasília, o primeiro voo comercial brasileiro com bioquerosene. A operação com combustível renovável, feita pela companhia Gol Linhas Aéreas, pode reduzir em até 80% a emissão de gases de efeito estufa. A empresa espera disponibilizar cerca de 200 rotas com essa tecnologia durante a Copa do Mundo de 2014. O evento marcou o Dia do Aviador, celebrado na data em que Santos Dumont fez o primeiro voo em um avião. A tecnologia do biocombustível, exclusiva para a aviação, foi desenvolvida pela empresa Amyris e não necessita de nenhum ajuste nos motores dos aviões. "O bioquerosene é uma mudança de paradigma. Você passa a ter, a exemplo do carro a álcool e veículos de biodiesel, também os aviões com essa possibilidade", avaliou Donato Aranda, professor do curso de engenharia química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O processamento do combustível do voo utilizou uma mistura de óleos vegetais, incluindo o de milho e o de cozinha já usado. O primeiro voo com essa tecnologia em caráter experimental foi feito no ano passado, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. "De todos os biocombustíveis, esse é o mais novo. E para a adoção de um parâmetro novo na aviação, a segurança exigida é quatro vezes maior do que qualquer outro veículo. É uma tecnologia mais sofisticada", justificou Aranda. Foram pelo menos cinco anos de estudos até que fossem concluídas as validações de especificações técnicas pela indústria aeronáutica e órgãos como a ASTM Internacional (um órgão norte-americano de normalização, originalmente conhecido como American Society for Testing and Materials) e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

23 de Outubro

DIA DO AVIADOR E DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

Caros amigos do Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA:

Num 23 de outubro, em 1906, perante a Comissão Científica do Aeroclube da França, prestigiado por grande multidão, o inventor brasileiro Santos Dumont - com o 14 bis - confirmou definitivamente a possibilidade de um homem voar.

Sabemos que voar é um desejo que começa em criança!
Pensando nisso, o NINJA continua sua gratificante tarefa de levar a cultura aeronáutica para crianças e jovens, contribuindo para tornar realidade este desejo fascinante.

Parabéns aos aviadores de todos os tempos, de todos os lugares.
Com um brinde especial ao eterno inspirador, Alberto Santos Dumont!


Brasília, 23 de outubro de 2013

A VERDADEIRA OBRA-PRIMA DO SEGUNDO OCUPANTE DA CADEIRA DE NÚMERO 38 DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, O BRASILEIRO ALBERTO SANTOS DUMONT, NÃO FOI ESCRITA, MAS PUBLICADA EM VERTIGINOSAS EDIÇÕES INTITULADAS – A CONQUISTA DOS CÉUS.

CURIOSAMENTE, ESSE AUTOR DE DOIS SINGELOS VOLUMES LITERÁRIOS HABITA O IMAGINÁRIO COLETIVO ACIMA DOS MAIS BELOS LIVROS, ACIMA DA TERRA E DO MAR, NA IMENSURÁVEL CIRCULAÇÃO DOS SEUS VERDADEIROS POEMAS, ESCRITOS EM VOLUMES DE AÇO E ALUMÍNIO – NA FORMA DOS INTRÉPIDOS DIRIGÍVEIS DE OUTRORA E DOS MODERNOS AVIÕES DA ATUALIDADE. 

COM IRRETOCÁVEL SAPIÊNCIA, O LENDÁRIO REI SALOMÃO ESBOÇARIA A FONTE DE INSPIRAÇÃO DESSAS MEMORÁVEIS FAÇANHAS PELOS CÉUS DA CIDADE LUZ: 
“COMO A AVE QUE PERCORRE O ESPAÇO, NÃO DEIXANDO VESTÍGIO DE SEU ROTEIRO, FAZENDO APENAS OUVIR O RUMOR DAS ASAS, AÇOITANDO O VENTO LEVE E ABRINDO, À FORÇA, CAMINHO PELO AR.” 

NÃO SERIA POR COINCIDÊNCIA QUE, PASSADOS QUASE TRÊS MIL ANOS, AO ALÇAR VOO, DOMINANDO A DIRIGIBILIDADE DOS BALÕES, O GENIAL PAI DA AVIAÇÃO CONCLUIRIA QUE OS PÁSSAROS DEVIAM EXPERIMENTAR A MESMA SENSAÇÃO, AO DISTENDEREM AS SUAS LONGAS ASAS NO INSTANTE EM QUE, COMO SETAS, ATRAVESSAVAM O FIRMAMENTO. PARA AQUELE AUDAZ REPRESENTANTE DA PACATA CIDADE MINEIRA DE PALMIRA – “NESSE DIA COMEÇOU A MINHA VIDA DE INVENTOR”

NO ENTANTO, SABENDO QUE O OBJETIVO MAIS NOBRE DA INTELIGÊNCIA É A BUSCA DA VERDADE, SANTOS DUMONT CONTINUOU ACRESCENTANDO LÍDIMAS CONTRIBUIÇÕES AO ROL DA SABEDORIA HUMANA, POIS, DE TRIUNFO EM TRIUNFO, PASSANDO POR SEVERAS PROVAÇÕES INTELECTUAIS E VENCENDO SITUAÇÕES DE IMINENTE PERIGO, APRESENTOU A UM MUNDO MARAVILHADO A SOLUÇÃO COMPLETA PARA O ENIGMA DO VOO AUTOPROPULSADADO DO MAIS-PESADO-QUE-O-AR.

AO ESCREVER COM A PENA FIRME O PRIMEIRO CAPÍTULO DA HISTÓRIA DO AEROPLANO, UM ORGULHOSO FILHO DE HENRIQUE DUMONT DESAFIARIA OS PROGNÓSTICOS DE QUE – “DEUS NUNCA PERMITIRÁ QUE TAL MÁQUINA TENHA ÊXITO... PARA EVITAR MUITAS CONSEQUÊNCIAS, QUE ALTERARIAM AS RELAÇÕES CIVIS E POLÍTICAS DA HUMANIDADE”

ESCRITA EM 1670 PELO JESUÍTA ITALIANO FRANCESCO LANA DE TERZI, PIONEIRO DA ENGENHARIA AERONÁUTICA, TAL PREMISSA SERIA REFUTADA PELOS DESÍGNIOS DO CRIADOR, AO REPOUSAR SOBRE OS OMBROS DE SANTOS DUMONT, UM PRESTIGIOSO CIDADÃO DO MUNDO, ESSA IMENSURÁVEL RESPONSABILIDADE, CONFIANDO, ACIMA DE TUDO, NO SEU HUMANITARISMO E FILANTROPIA.

HERDEIROS DESSE LEGADO UNIVERSAL, ESTEJAM CERTOS DE QUE A CIÊNCIA NÃO SE ATÉM A LIMITES GEOGRÁFICOS, ELA NÃO RECONHECE DIFERENÇA QUER DE IDIOMA OU DE COSTUMES. MAS RESULTA, COMO DEMONSTROU O NOSSO PATRONO, DE UM ESFORÇO HERCÚLEO E DEDICAÇÃO A TODA PROVA NA BUSCA POR UM OBJETIVO MAIOR.

FOI INCORPORANDO ESSE ENSINAMENTO À EDIFICAÇÃO DA NOSSA AGUERRIDA FORÇA AÉREA BRASILEIRA, QUE OS SENHORES E SENHORAS, CIVIS E MILITARES DE TODAS AS ÉPOCAS, TÊM CONTRIBUIDO, ABNEGADAMENTE, PARA BEM POSICIONARMOS O PODER AEROESPACIAL BRASILEIRO ENTRE OS MAIS MODERNOS E DESENVOLVIDOS DO CONTINENTE AMERICANO.

NA HISTÓRIA RECENTE DO PAÍS, TAMANHA CONQUISTA VEM SENDO ASSEGURADA PELO PROFISSIONALISMO DE BRAVOS AVIADORES QUE CONDUZIRAM, BRILHANTEMENTE, SOB SUAS ASAS, PARCELA SIGNIFICATIVA DO PROGRESSO QUE ALAVANCA NOSSA PUJANTE NAÇÃO.

EM ESPECIAL, SINTO-ME HONRADO EM PODER ENALTECER AS REALIZAÇÕES DA FORÇA AÉREA DO TERCEIRO MILÊNIO EM SUA DATA MAGNA, EGRÉGIA INSTITUIÇÃO QUE, NO AZUL DO CÉU, ZELA PELA DEFESA DA PÁTRIA E PELA GARANTIA DOS PODERES CONSTITUCIONAIS.

EMBALADOS POR ESSAS SUBLIMES MISSÕES, CRESCEMOS VERTIGINOSAMENTE A CADA DIA, ELEVANDO O BRASIL AO PATAMAR DE EXCELÊNCIA NO CENÁRIO INTERNACIONAL EM UM EMINENTE SETOR DA ECONOMIA GLOBALIZADA – A INDÚSTRIA AEROESPACIAL.

ESSE PROMISSOR RAMO INDUSTRIAL VEM SENDO ROBUSTECIDO PELA FRUTÍFERA INTERAÇÃO ENTRE OS PODERES PÚBLICO E PRIVADO, AO PROVEREM SUPORTE À ESPECIALIZAÇÃO DE UMA MÃO-DE-OBRA ALTAMENTE SENSÍVEL, CAPAZ DE ABSORVER E GERAR O CONHECIMENTO QUE PROJETA A NAÇÃO COMO UM VULTOSO PÓLO TECNOLÓGICO.

EM MEIO A ESSE CENÁRIO DE INOVAÇÃO, É QUE TEMOS FORNECIDO O ADEQUADO SUPORTE DE RECURSOS HUMANOS À COMUNIDADE CIENTÍFICA, AO PLANEJARMOS, POR ORIENTAÇÃO DA EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTA DA REPÚBLICA, A AMPLIAÇÃO DO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA – O NOSSO ITA – VISANDO DOBRAR O NÚMERO DE ENGENHEIROS PARA AS NECESSIDADES FUTURAS. 

COMO O 14BIS FRUTIFICOU DA INVENTIVIDADE DE UM HOMEM DE ROTINA SOLITÁRIA, MAS DE ALMA INTEGRADORA, OS CONCEITOS DOS MODERNOS – A29 SUPERTUCANO, DOS JATOS EMBRAER SÉRIES 130/140/170/190 E DO AUDACIOSO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO KC 390 – VICEJAM NO FÉRTIL TERRENO DESSAS PROMISSORAS PARCERIAS EM PROL DO DESENVOLVIMENTO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA AVIAÇÃO BRASILEIRA.

É SEDIMENTADO NESSE SINÉRGICO ESPÍRITO DE COOPERAÇÃO QUE O COMANDO DA AERONÁUTICA, AO OMBREAR ESFORÇOS COM VALOROSAS EMPRESAS DO SETOR DE DEFESA, TEM ALCANÇADO INCONTESTE SUCESSO NO FORTALECIMENTO DESSE IMPORTANTE SEGMENTO DA CADEIA PRODUTIVA NACIONAL.

TAL VIGOR TECNOLÓGICO DA FORÇA AÉREA TEM ULTRAPASSADO OS LIMITES DAS NOSSAS NACELES, ABRANGENDO TODA A CIRCULAÇÃO DE AERONAVES NO IMENSO TERRITÓRIO BRASILEIRO.

POR MEIO DO AGREGADOR PROJETO SIRIUS, ESTAMOS BUSCANDO COMPATIBILIZAR AS ROTAS VOADAS ÀS RESPECTIVAS PERFORMANCES DAS AERONAVES NAVEGANDO NO ESPAÇO AÉREO NACIONAL, SEMPRE MIRANDO A EFICIÊNCIA EM TERMOS DE VOLUME DE TRÁFEGO PROCESSADO, DE ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL E DA NOTÁVEL DIMINUIÇÃO NAS EMISSÕES DE GASES E RUÍDOS.

ESSA INCESSANTE BUSCA DE MODERNIDADE NOS VARIADOS CAMPOS DO SETOR AERONÁUTICO REPRESENTA, PARA OS HOMENS E MULHERES DE AZUL, O ATRIBUTO FUNDAMENTAL PARA O CUMPRIMENTO DE SUAS MISSÕES EM PROL DE UMA PÁTRIA SOBERANA, VOLTADA PARA A SUBLIME GARANTIA DO CONVÍVIO PACÍFICO ENTRE OS POVOS.

HOJE, APÓS 107 ANOS DE UMA CONQUISTA UNIVERSAL, VISLUMBRAMOS COMO A INTELIGÊNCIA DE UM AUTÊNTICO HERÓI BRASILEIRO FEZ DO ARCO DO TRIUNFO O LEGÍTIMO ARCO DE ALIANÇA ENTRE OS POVOS, AO VIABILIZAR O INCOMPARÁVEL VOO DO HOMEM SOBRE A TERRA.

QUE O CRIADOR FAÇA BRILHAR NA POSTERIDADE O LEGADO DESSE BANDEIRANTE DOS CÉUS!

Tenente-Brigadeiro do Ar 
JUNITI SAITO
COMANDANTE DA AERONÁUTICA

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Aeroclube Regional de Taubaté - 20 anos

Comemoração do 20º Aniversário de Fundação do ART
O Aeroclube Regional de Taubaté (ART) estará comemorando o 20º aniversário neste sábado, 26 de outubro, das 10 h às 16 h, com exposição de aeronaves militares e civis (AFA, EEAR e CAvEx). O Presidente do ART, José Amado de Aguiar Filho convida os entusiastas para prestigiar o evento, brindando as duas décadas desta importante instituição.

Endereço
Estrada Municipal dos Remédios, 2135 - Itaim - TAUBATÉ - SP

Apoiadores
O evento tem o apoio do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), da Academia da Força Aérea (AFA), da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAer) e da Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas (EMCA).

Berço do NINJA
Parabenizamos toda a equipe do Aeroclube Regional de Taubaté, em cuja Escola de Aviação Civil, em 2009, nasceu o Núcleo Infantojuvenil de Aviação - NINJA. 
Em frente, ART! 
Rumo aos 21!!!

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

EPCAR & Mini-ONU

Alunos da EPCAR participam de Modelo Intercolegial das Nações Unidas
A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) participou da 14° edição do Modelo Intercolegial da Organização das Nações Unidas, o Mini-ONU. O evento foi realizado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) entre os dias 12 e 15 de outubro, em Belo Horizonte (MG). Orientados pelo Professor Robson Bonifácio da Silva, os quinze alunos da EPCAR assumiram a função de representar diplomatas e defender a política externa de países, além da representação em Organizações Internacionais como a Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Em sua primeira simulação, o Aluno Guilherme Carvalhaes enfatizou o ganho que a experiência trouxe. “Precisamos compreender o posicionamento defendido pela política externa das nações que representamos, além de respeitar a soberania dos demais Estados presentes. Não existe nada que você possa impor. É preciso ter argumentos bem embasados para conseguir um consenso ou gerar um impasse nos debates”, explica. O Mini-Onu possui função pedagógico-cultural, possibilitando aos estudantes desenvolverem suas capacidades de percepção e compreensão dos acontecimentos internacionais. A preparação para o Mini-ONU na EPCAR aconteceu através de reuniões realizadas semanalmente no Núcleo de Estudos Geopolíticos que existe desde 2010. Para o aluno Carvalhaes, a participação ainda mostra como os alunos da EPCAR são diferenciados. “Dentro de um grupo de jovens com uma idade próxima, nós nos vimos destacados. Muito do que nos é cobrado na rotina da EPCAR nos auxiliou no nosso bom desempenho e, com isso, vários alunos foram elogiados”, conclui o estudante. 

Fonte: EPCAR

domingo, 20 de outubro de 2013

Especial de Domingo

Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo
20 de Outubro de 2013
O calendário reserva o dia 20 de outubro para comemoração do Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo. De acordo com o livro “Torres de Controle do Brasil”, a formação e capacitação dos controladores de tráfego aéreo ocorrem por intermédio de duas organizações: a EEAR - Escola de Especialistas de Aeronáutica, sediada em Guaratinguetá, SP; e, o ICEA - Instituto de Controle do Espaço Aéreo, localizado em São José dos Campos, SP. Os profissionais de tráfego aéreo - como operadores, instrutores, gestores e pesquisadores - podem ser civis ou militares e fazem parte de organizações como o Comando da Aeronáutica, Exército Brasileiro, Marinha do Brasil, Infraero – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária e empresas privadas e públicas com concessão para prestação de serviço de tráfego aéreo, como é o caso, respectivamente, das equipes da Torre Jundiaí e Torre Maringá. Conforme registrado naquele livro, entre outras habilidades desejáveis para o desempenho da função de controlador de tráfego aéreo estão: raciocínio rápido, controle emocional, raciocínio espacial, capacidade de rápida adaptação às mudanças operacionais, capacidade de atuar em grupo, capacidade física e orgânica para atuar em turnos durante o dia ou noite, domínio de informações geográficas, conhecimentos de navegação aérea, meteorologia e comunicações. 

Mensagem do DGCEA

Para registrar a data, o Diretor Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo emitiu a seguinte mensagem aos controladores de tráfego aéreo:

Quando olhamos para uma aeronave cruzando os céus de nosso imenso País, dificilmente conseguimos ter a exata dimensão dos recursos humanos e tecnológicos envolvidos na garantia de um voo seguro, realizado com o apoio do que há de mais moderno e eficiente para o controle do espaço aéreo. O Brasil tem sob sua responsabilidade mais de 22 milhões de Km² de espaço aéreo, compreendendo o espaço aéreo continental e o espaço aéreo oceânico, que se estende até o meridiano 10º W, sendo este espaço aéreo divido em cinco Regiões de Informação de Voo (FIR): Brasília, Curitiba, Recife, Amazônica e Atlântico. As constantes evoluções na estrutura do nosso espaço aéreo com a implantação da Navegação Baseada em Performance (PBN), já realizada com sucesso nas áreas terminais de Brasília e Recife, e brevemente, no mês de dezembro, concretizada nas áreas terminais do Rio de Janeiro e de São Paulo, materializam a obstinada busca da prestação do melhor serviço aos usuários do Sistema de Controle do Espaço Aéreo por parte de todos os integrantes do Departamento de Controle do Espaço Aéreo. A prestação desse serviço de salvaguarda da vida humana é proporcionada por uma série de relacionamentos envolvendo pessoas e máquinas em um complexo sistema de mútuas verificações que sintetizadas garantem a segurança de aproximadamente 9.500 operações diárias em nosso País. Dentre os diversos componentes do sistema de controle do espaço aéreo, destacamos a profissão de controlador de tráfego aéreo, cujo dia internacional comemoramos hoje. Desse profissional dedicado, e quase anônimo, são exigidas habilidades como raciocínio rápido, controle emocional, raciocínio espacial, capacidade de adaptação a novos cenários, resistência à fadiga e capacidade de atuar em equipe, dentre outras. A esse recurso humano, selecionado entre os que possuem as características indispensáveis ao bom desempenho de suas funções, são agregados conhecimentos específicos da especialidade em nossas escolas de formação e, ao longo da carreira, são proporcionados os cursos de aperfeiçoamento necessários para fazer frente aos desafios diferenciados desse verdadeiro novo mundo tecnológico. Parabenizamos pela passagem deste dia a todos os oficiais, graduados e civis que compõem nossa grande equipe de controladores de tráfego aéreo, que atuam diuturnamente, com responsabilidade e competência, no gerenciamento da Circulação Aérea Geral (CAG) e da Circulação Operacional Militar (COM) de nosso País. Rendemos, assim, nossa justa homenagem àqueles que contribuem de forma ímpar para a garantia da soberania e da segurança do espaço aéreo brasileiro.

Assina: Tenente-Brigadeiro do Ar Rafael Rodrigues Filho, Diretor Geral do DECEA 

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Tecnologia

Avião elétrico bate recorde de autonomia
Cerca de um terço do peso do e-Genius consiste em bancos de baterias recarregáveis
 capazes de fornecer 56 kWh

Os aviões elétricos já haviam dado provas de sua eficiência. Agora, pelo menos um deles deu provas de que voar alimentado apenas por baterias é um conceito que pode ir longe. O avião elétrico e-Genius, projetado e construído por engenheiros da Universidade de Stuttgart, na Alemanha, bateu o recorde mundial da categoria em termos de distância percorrida sem reabastecimento - isto é, sem precisar recarregar as baterias. Foram duas marcas sucessivas: primeiro o e-Genius percorreu uma distância de 393 km, marcando um novo recorde de autonomia para aviões elétricos. Não satisfeita, a equipe partiu para outro voo uma semana depois, estabelecendo uma nova marca de 405 km. 

Eficiência energética
E não foi apenas o recorde de autonomia que o e-Genius bateu: ele superou de longe os aviões com motores a combustão ou turbinas em termos de eficiência energética. Em comparação com aviões comuns de dois lugares, voando à mesma velocidade, o e-Genius completa os percursos gastando apenas um quinto da energia. O recorde de distância foi batido a uma velocidade de 160 km/h. Fazendo a conversão entre fontes de energia, o avião elétrico apresenta um consumo equivalente a 100 km/litro de gasolina de um avião comum. Com 16,85 metros de envergadura de asas e pesando aproximadamente 900 kg em condições de decolagem - incluindo os dois passageiros - o e-Genius alcança uma potência máxima de 65 kW. Cerca de um terço do seu peso - 300 kg - consiste em bancos de baterias recarregáveis capazes de fornecer 56 kWh. 

Enviado por Luiz Carlos Lima 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Datas Especiais

Dia da Indústria Aeronáutica Brasileira
17 de outubro é o Dia da Indústria Aeronáutica, numa referência ao dia que voou, pela primeira vez, em 1935, um avião fabricado em série no Brasil, o Muniz M7. O aparelho foi projetado pelo tenente-coronel Antônio Guedes Muniz.Em setembro de 1936 eram entregues os dois primeiros de uma série de 26 aviões Muniz M7, inaugurando a produção seriada de aeronaves no Brasil. 

Embraer
A Embraer é hoje uma das maiores empresas aeroespaciais do mundo, motivo de orgulho para os brasileiros. Em mais de 40 anos de história em que muitos desafios foram vencidos, como a prova de fogo da privatização e reestruturação, em 1994, a Embraer constituiu uma base global de clientes e importantes parceiros de renome internacional. Hoje, a empresa vem contribuindo para integrar o mundo pela aviação, para diminuir distâncias entre povos e oferecer o que existe de mais moderno em tecnologia, versatilidade e conforto em aeronaves. Apesar desse sucesso, a Embraer não teve o mérito de iniciar a produção de aviões no País, ao contrário. Quando foi criada, em 1969, beneficiou-se de um longo passado de realizações de muitos brasileiros que, desde o início do século XX, se lançaram à verdadeira aventura de aqui projetar e construir aviões. Ainda que eles não tenham alcançado um grau de desenvolvimento que garantisse sua sobrevivência, tiveram o mérito de legar à Embraer esse espírito empreendedor. A partir daí, uma conjunção de diversos fatores – sociais, políticos, científicos e tecnológicos – permitiu com que a Embraer levasse adiante o sonho dos pioneiros da indústria aeronáutica brasileira, elevando-o a patamares que, provavelmente, nem eles chegaram a cogitar. 

Fontes: Blog do NINJA e Centro Histórico da Embraer

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

VANT

IAE testa pouso automático do VANT Acauã
O Projeto DPA-VANT concluiu, entre os dias 03 e 07 de outubro de 2013, a sétima campanha de ensaios (Operação DPA 7), realizada na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga - SP. O Projeto, coordenado pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), tem o objetivo de desenvolver um demonstrador de tecnologia de um Sistema de Decolagem e Pouso Automáticos (DPA) para Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT). Nesta etapa da operação, foram realizados nove voos com o Protótipo 03 do VANT Acauã. Durante os ensaios, as equipes pesquisaram ajustes dos ganhos das malhas de controle do piloto automático na rampa de aproximação em preparação para os ensaios de pouso automático da aeronave. A operação foi apoiada pela Academia da Força Aérea com a utilização das pistas do Esquadrão de Instrução Aérea (1° EIA), além de ter alocado durante os ensaios tripulados um helicóptero H-50 Esquilo como aeronave “paquera”, que tem a função de acompanhamento e verificação da segurança dos testes. O projeto, que conta com a participação do Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e do Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM), é também apoiado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) com recursos financeiros da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). A Operação DPA 7 contou ainda com cerca de 40 participantes de diversos setores do DCTA e com integrantes das empresas BCC (software) e Flight Technologies (controle). 

Fonte: IAE

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Videoteca Ninja

Astronauta Marcos Pontes fala das imprecisões do filme Gravidade
O astronauta Marcos Pontes, o único brasileiro a ir para o espaço, comentou ao portal eletrônico UOL alguma imprecisões do filme Gravidade, comparando a parte real com a ficcional. Ele conta que o acidente que acontece no filme - partes de um satélite destruído atingem os astronautas que ficam à deriva no espaço - poderia acontecer na vida real, mas que os procedimentos adotados seriam bem diferentes. O filme Apolo 13 é apontado pelo astronauta como mais preciso em questões técnicas. Para começar, o processo de acoplamento e desacoplamento de naves demora horas, mas no filme se passa em minutos. "Tem que checar milhões de coisas para o procedimento. E a parte mecânica mesmo, para soltar, é mais extenso do que mostrado ali", explica. Depois, os astronautas presos à estrutura da Estação para o conserto seguem o que aconteceria na realidade - inclusive o suporte para pés usado pela personagem de Sandra Bullock. Mas o outro astronauta, que estava voando ao redor é totalmente ficcional. "Não há ali a preocupação de ficar preso à estrutura da estação, uma preocupação que temos a todo momento. Você não se desconecta a não ser em situações controladas. E sempre com dois cabos retrateis, um de cada lado da cintura. É o protocolo", conta. 

O filme
Imagine-se a 600 km da Terra, onde tudo é silencioso e vazio, sem oxigênio ou gravidade. A experiência pode parecer extraordinária, até que você amplie a imagem e se veja à deriva nessa imensidão, sem perspectiva de retorno. Essa é a sensação que norteia “Gravidade”, filme do diretor mexicano Alfonso Cuarón (de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”) que estreia nos cinemas, estrelado por Sandra Bullock e George Clooney. Nas primeiras cenas do filme, a doutora Ryan Stone (Bullock) e o veterano Matt Kowalsky (Clooney) se encontram no espaço, em situações opostas: experiente em missões do tipo, ele está prestes a se aposentar. Já ela, faz a sua primeira viagem extraterrena. Fora da nave, os diálogos divertidos entre eles e o comandante que os auxilia de uma base na Terra logo são interrompidos pelo anúncio de uma tragédia: destroços de um satélite que a Rússia acaba de explodir se aproximam.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Aeronaves

FAB desativa os Boeing KC-137
Após 27 anos de atividade, chegou a hora das aeronaves que levaram a Força Aérea Brasileira (FAB) para os quatro cantos do mundo se aposentarem. Os KC-137, versão militar do Boeing 707, saíram de atividade no dia 10 de outubro de 2013, em solenidade realizada na Base Aérea do Galeão (BAGL), no Rio de Janeiro (RJ). Os aviões pertenciam ao Segundo Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte, (2º/2º GT), o Esquadrão Corsário. "Não lamentamos que o KC-137 se foi e, sim, nos rejubilamos pelos feitos da aeronave. Nas asas do avião, nós vemos o trabalho de nossa Força Aérea, da nossa gente e do país. Eu agradeço àqueles que voaram o KC-137 e o fizeram voar. E, agora, olhamos para o que o futuro nos reserva", disse o Comandante do Esquadrão Corsário, Rogelio Azevedo Ortiz. 

História do KC-137
Os KC-137 chegaram à FAB em meados dos anos 1980. Desde então, conquistaram um lugar na história da aviação nacional ao integrar as principais missões humanitárias promovidas pelo Brasil, além do resgate de brasileiros vítimas de guerras e catástrofes. A versatilidade das aeronaves permitiram sua aplicação tanto no transporte de tropas em missões de paz no Haiti, em Angola e no Timor Leste, como também em apoio a atividades científicas, desportivas e sociais de interesse do Brasil. Entre 1986 e 1987, o Esquadrão Corsário recebeu quatro unidades Boeing KC-137 que pertenceram à empresa aérea VARIG e passaram por modificações na Boeing Military Aircraft Company, Wichita, no estado norte-americano do Kansas. Foram batizadas então de FAB-2401, FAB-2402, FAB-2403 e FAB-2404. As aeronaves possuem como marca registrada a capacidade de reabastecimento em voo (REVO), além de transporte de carga e de pessoal, o que representou uma significativa mudança no comportamento operacional e logístico de manipulação de cargas, potencial de REVO e operação de grande volume de passageiros na FAB. Até 2005, o Boeing FAB-2401, ficou responsável pelo transporte do Presidente da República, quando foi substituído com a chegada do Airbus VC1A, o Santos-Dumont. A unidade, adaptada para a missão, realizou diversas viagens ao exterior em compromissos oficiais da presidência e de ministros de Estado. Embora desativado como aeronave presidencial, os KC-137 concentraram a sua função estratégica no reabastecimento em voo de caças F-5EM, F-2000 Mirage e A1, graças à elevada capacidade de conduzir combustível (90.000 litros) à maior distância e maior altitude, com possibilidade de transferência de 1700 litros por minuto, e a atuação como aeronaves de transporte de longo alcance e grande capacidade. 

Fonte: Agência Força Aérea

domingo, 13 de outubro de 2013

Especial de Domingo

Doze anos do DECEA
Foi realizada em 10 de outubro a cerimônia de 12 anos de atuação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), unidade do Comando da Aeronáutica responsável pela segurança do tráfego aéreo em uma área de 22 milhões de Km², que compreende o território brasileiro mais uma ampla área sobre o Atlântico Sul. O Tenente-Brigadeiro Rafael Rodrigues Filho, Diretor do DECEA, ressaltou as inovações incorporadas ao longo destes 12 anos. "O DECEA vive em constante evolução e investe constantemente em capacitação e em novas tecnologias com o objetivo de nos igualarmos ao que temos de melhor no mundo no sistema de tráfego aéreo. Nós vivemos um momento peculiar com a inserção de modernas tecnologias, como a Navegação Baseada em Performance", afirmou. Com um crescimento do tráfego aéreo no Brasil na média de 6% ao ano, o DECEA está em processo de implantação do Sistema Sírius, que aumenta a eficiência no controle do espaço aéreo e promete resultados como a redução dos tempos de voos, redução de consumo de combustível, redução de ruídos em tornos de aeroportos e até a diminuição da poluição.

Reconhecimento
No início do mês, o trabalho do DECEA mais uma vez foi reconhecido pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI): o Brasil foi reeleito membro do Conselho da Organização após alcançar 92,5% dos votos possíveis. O País fica agora ao lado do seleto grupo de onze nações que ajuda traçar os rumos da aviação civil no mundo. Na solenidade realizada hoje, que também contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro, Juniti Saito, também houve o momento de reconhecimento aos militares e civis que fazem parte do DECEA. Houve a entrega dos prêmios graduado, praça e servidor público destaques, além de entrega de medalhas por tempo de serviço. 

SISTEMA SIRIUS

Com um crescimento do tráfego aéreo no Brasil na média de 6% ao ano, o DECEA está em processo de implantação do Sistema Sírius (Confira vídeo acima). O sistema aumenta a eficiência no controle do espaço aéreo e promete resultados como a redução dos tempos de voos, redução de consumo de combustível, redução de ruídos em tornos de aeroportos e até a diminuição da poluição.

Fonte: Agência Força Aérea

sábado, 12 de outubro de 2013

Aeroportos

Santos Dumont é o segundo melhor do país
O aeroporto Santos Dumont subiu no conceito dos usuários, conforme pesquisa da Secretaria de Aviação Civil (SAC), divulgada dia 08 de outubro de 2013. O terminal saltou da oitava para a segunda posição no ranking de indicadores de desempenho, ficando atrás apenas do aeroporto de Curitiba. Demora na retirada da bagagem, altos preços das refeições e do estacionamento são algumas das queixas apontadas pelo levantamento nos 15 aeroportos avaliados. Promovida entre abril e junho deste ano com 23 mil passageiros nas salas de embarque nacional e internacional, a pesquisa avaliou 41 itens, como tempo de espera para imigração, instalações, e acesso ao wi-fi. Os usuários ouvidos pontuaram com notas de 1 a 5 a estrutura oferecida. 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Espaço

Sonda Voyager 1 é o primeiro objeto humano a sair do sistema solar
A sonda norte-americana Voyager 1, lançada em 1977, saiu do Sistema Solar, tornando-se assim o primeiro objeto enviado pelo homem a entrar no espaço interestelar (região do espaço que fica fora do Sistema Solar). Segundo cálculos publicados pela revista Science e confirmados pela Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), a sonda abandonou o Sistema Solar há mais de um ano, em agosto de 2012. “Agora que temos estes novos dados essenciais, pensamos que a humanidade deu um passo histórico ao entrar no espaço interestelar”, congratulou-se Ed Stone, responsável científico da missão no Instituto de Tecnologia da Califórnia. Novas análises às densidades do plasma em torno da nave revelaram-se similares às densidades que se encontram na região interestelar previstas nos modelos, segundo os pesquisadores da Universidade de Iowa, que divulgaram o seu estudo no site da internet da revista norte-americana Science. De acordo com os astrofísicos, a Voyager, que se encontra a mais de 18 bilhões de quilômetros do Sol, saiu da heliopausa, a zona fronteiriça do Sistema Solar, para entrar no espaço interestelar por volta do dia 25 de agosto de 2012. 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Piloto por um dia

Passageiro pousa avião, após piloto ter desmaiado
Depois que o piloto de um monomotor Cessna 172, matrícula G-BCYR, desmaiou em pleno voo na Inglaterra, na noite do dia 08 de outubro de 2013, a aeronave foi conduzida até o pouso pelo passageiro, praticamente sem experiência de voo. Apenas o piloto e o passageiro estavam no avião de quatro lugares. Eles retornavam ao pequeno campo de pouso de Sandtoft, próximo a Doncaster, norte da Inglaterra, quando o piloto sentiu-se mal e desmaiou. A aeronave foi direcionada então para um aeroporto maior, de Humberside, onde um instrutor de voo foi chamado e os serviços de emergência alertados, disse um porta-voz do aeroporto. O instrutor Roy Murray foi levado à Torre de Controle e instruiu o passageiro, identificado apenas como John, por mensagens no rádio. A situação era adversa: estava ficando escuro; o rapaz estava com apenas meia hora de experiência de voo; nunca havia pousado um avião; estava sentado no assento da direita; e, tinha que pousar a aeronave. Após sobrevoar o aeroporto duas vezes, o passageiro conseguiu pousar a aeronave, na quarta tentativa, com pequenos choques anormais de partes da aeronave com o solo. O instrutor disse que o rapaz realizou um "lindo pouso"

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Defesa Aérea

Tiro em aeronaves suspeitas. O que é isto?
Lei do Tiro de Destruição foi o tema do seminário Fronteiras do Brasil, promovido pelo Clube Militar do Rio de Janeiro, no dia três de outubro de 2013. O evento fez parte dos festejos alusivos ao Dia da Força Aérea e do Aviador, comemorado no próximo dia 23. O seminário foi acompanhado por militares da Força Aérea Brasileira (FAB) e por estudantes do curso de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF). O comandante do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), Major-Brigadeiro-do-Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, realizou uma apresentação sobre a legislação que trata das aeronaves hostis ou suspeitas de tráfico de drogas. O Decreto 5.144, de 2004, regulamenta os artigos da Lei Federal 7.565, de 19 de dezembro de 1986, que dispõe sobre o Código Brasileiro de Aeronáutica, no que concerne às aeronaves hostis, e ficou conhecido como Lei do Tiro de Destruição. Em seguida, o professor da UFF, Gustavo Sampaio Telles Ferreira, realizou uma análise jurídico-constitucional da questão. A participação no seminário possibilitou o acesso dos estudantes a conhecimentos que não são muito difundidos no meio acadêmico. “É muito interessante pensar que o tiro de abate, mesmo sendo decidido pelo Presidente da República, está sujeito à Constituição Federal e todas as implicações”, observou a estudante do terceiro período de Direto da UFF, Príscia Soares. 

Fonte: Agência Força Aérea

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Aeronaves

T-27 Tucano completa 30 anos na FAB
Vista por multidões nos céus do Brasil com a Esquadrilha da Fumaça, a aeronave T-27 Tucano completa, em 2013, três décadas voando na Força Aérea Brasileira (FAB). Desenvolvida pela Embraer em conjunto com a FAB, possui tecnologia da indústria nacional. O avião foi responsável pela formação de todos os aviadores que passaram pela Academia da Força Aérea (AFA), desde sua chegada em 1983, em Pirassununga (SP). O Tucano surgiu da necessidade da FAB de substituir a antiga aeronave de treinamento T-37, que seria descontinuada pela fabricante Cessna. Nascia assim uma máquina com desempenho notório, reconhecido internacionalmente. As inúmeras características do T-27 fizeram com que o avião fosse exportado para países como Argentina, Colômbia, Venezuela, Peru, Paraguai, Honduras, Irã. No Reino Unido, foi escolhido para se tornar aeronave de treinamento básico, licenciado e produzido localmente. O protótipo do treinador voou pela primeira vez em 19 de agosto de 1980, com um desenho avançado para a época. Suas características acabaram tornando-se padrão para outras aeronaves de treinamento, com trens de pouso retráteis, assentos em tandem (um a frente do outro, sendo o de trás mais alto), pontos para utilização de armamento e, inclusive, sendo a primeira aeronave do gênero com assentos ejetáveis. Possui grande autonomia de voo - quatro horas e meia somente com o tanque interno, robustez, comandos precisos, boa margem de manobra mesmo à baixa altitude, confiabilidade, visibilidade e capacidade de voo em diferentes condições climáticas. 

Fonte: Agência Força Aérea

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Embraer

​Belavia adicionará dois jatos E195 à frota
A Belavia, de Minsk, na Bielorússia, assinou um contrato com a Embraer Aviação Comercial para a compra de dois jatos E195. O acordo foi anunciado em 3/10/13 em uma coletiva de imprensa em Salzburgo, durante a Assembleia Geral da Associação de Companhias Aéreas Regionais Europeias (European Regions Airline Association – ERA, www.eraa.org). O pedido firme estará incluído na carteira de pedidos da Embraer do terceiro trimestre de 2013. As aeronaves vão se juntar a dois jatos E175 já em operação. A aquisição faz parte da iniciativa da empresa aérea de renovação da frota em substituição a aeronaves mais antigas. O primeiro E195 será entregue no primeiro semestre de 2014. “A Belavia viu o enorme potencial dos E-Jets e selecionou o E195 para complementar o E175 com ambos substituindo aeronaves de maior capacidade”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “O excepcional custo de assento-quilômetro do E195 e a comunalidade com o E175, em termos de peças e tripulação, proporcionarão mais economia e eficiência operacional à companhia aérea.” A Belavia selecionou o E195 para substituir jatos narrow-bodies mais antigos. Os aviões estão configurados com 107 assentos em duas classes. O E195 permitirá que a companhia aérea possa aumentar frequências em algumas rotas e desenvolver sua rede a partir da base operacional no Aeroporto Internacional de Minsk. “Identificamos o E195 como o avião ideal para satisfazer o crescimento esperado na demanda em algumas de nossas rotas”, disse Anatoly Gusarov, Diretor-Geral da Belavia. “Foi uma escolha natural, por causa da semelhança técnica com o E175 e o excelente conforto da cabine.” Desde que entrou em operação, em 2004, a família de E-Jets recebeu mais de 1.300 pedidos. A Embraer entregou recentemente a milésima aeronave produzida para a Republic Airways, dos EUA. Atualmente, os E-Jets estão voando com 64 companhias aéreas de 45 países. Na Europa, 24 companhias aéreas já adicionaram os E-Jets às frotas. A versátil família de quatro aviões 70 a 130 lugares está voando com empresas aéreas tradicionais, de baixo custo e regionais. Coletivamente, a frota de E-Jets acumulou mais de 10 milhões de horas de voo. Sobre a Belavia Criada em 1996, a Belavia é uma companhia aérea 100% estatal da Bielorrússia. A Belavia tem acordos cooperação (code-share) com AZAL, airBaltic, Austrian, CSA, Finnair, KLM, LOT, Rossiya, Transaero, S7, Air France e Ural Airlines, Severstal e Etihad Airways. A empresa Atende 44 destinos na Europa, Ásia e Oriente Médio. A frota da Belavia é composta por 21 aeronaves. A empresa transportou mais de 1,2 milhão de passageiros em 2012. 

Saiba mais: www.belavia.by

domingo, 6 de outubro de 2013

Especial de Domingo

Do excelente site AEROMAGIA selecionamos o texto de hoje.
Boa leitura.
Bom domingo!


DISCIPLINA AERONÁUTICA: 
COISA DO PASSADO OU DO FUTURO?



Por Christophe Brunelière

Quando iniciei minha formação de piloto militar, a disciplina aeronáutica era tratada em pé de igualdade com os regulamentos. Nos ensinavam como nos tornarmos melhores aviadores e como jamais deveríamos ‘pegar atalhos’. Nós éramos considerados como ‘profissionais’. Um dicionário define o profissional como sendo uma “pessoa qualificada, especialista (oposta ao amador)”

Um “profissional” pode ser automaticamente um expert em disciplina aeronáutica? Ou a disciplina aeronáutica é uma qualidade adquirida com anos de experiência? Para responder a essas questões, nós devemos compreender os princípios mais fundamentais. 

A disciplina aeronáutica deveria ser observada em seu conjunto. Ela compreende a própria disciplina, as atitudes, a competência, o autoconhecimento, o conhecimento da aeronave, o conhecimento do ambiente de voo, bem como dos riscos que o cercam. E compreende também a consciência da situação, e um julgamento seguro. 

Os três princípios fundamentais são: a atitude, a competência e a disciplina. Quando os três são aplicados ao mesmo tempo, o piloto se torna mais seguro e mais eficaz. 

As atitudes se apresentam de acordo com quatro níveis (Tony Kern): 

Nível 1: a segurança (suficiente para voar protegido do perigo) 

Nível 2: a eficácia (ser capaz de agir em um contexto particular e de maneira a poder se virar sozinho) 

Nível 3: a eficiência (realizar um objetivo utilizando o mínimo de recursos possíveis)

Nível 4: a precisão e aperfeiçoamento permanentes.

Um piloto mediano da aviação geral atingirá provavelmente o nível 2. Para passar do nível 3, somente será possível por meio de uma formação suplementar.

A competência é mais fácil de adquirir. Logo de início, quanto mais se voa regularmente, mais a capacidade de voar aumenta. Uma competência pobre é um fator de risco tão elevado quanto uma pobre experiência. É o caso em que não se pode hesitar em pedir o auxílio de um instrutor após um longo período sem voar – você pode estar certo que uma hora de voo de ‘reciclagem’ te fará muito bem e reduzirá sensivelmente os riscos.

Geralmente, a maioria dos pilotos desportistas voa de forma ocasional, quando as condições meteorológicas são propícias. E a competência pessoal, enquanto sendo uma característica peculiar de cada um, se torna difícil de conceituar genericamente, seja do ponto de vista da regulamentação ou como resultado de estudos.

A disciplina em voo é o fundamento da disciplina aeronáutica. Uma boa disciplina aeronáutica não admite ‘brechas’ deliberadas nas regras, nos procedimentos e no bom senso. A infração à disciplina em voo constitui um fator essencial de numerosos acidentes causados por fatores humanos. A disciplina aeronáutica implica também uma maximização da consciência situacional, a fim de que o piloto esteja sempre pronto a dar uma resposta a acontecimentos inesperados. Uma estrutura sólida de disciplina aeronáutica conduz naturalmente a um julgamento seguro e a decisões corretas.


Na condição de pilotos, nós devemos estar prontos a encarar qualquer situação. Não esqueçamos que voar comporta riscos, e que nós devemos constantemente reduzir e gerenciar esses riscos a um nível minimamente aceitável. Cada um de nós tem ao alcance dos dedos os remédio para essa onda de acidentes e incidentes ocasionados por fatores humanos: o auto-aperfeiçoamento. Nós, na condição de pilotos, podemos agir na evolução da cultura aeronáutica. Pensemos e atuemos como pilotos “profissionais” cada vez que nos prepararmos para pegar os comandos, por mais simples que seja o avião!

Bons voos! 

Christophe Brunelière foi piloto da Marinha Francesa, instrutor de aviação desportiva, e atualmente é instrutor e comandante em linha aérea, voando B747 e B777, totalizando cerca de 22.000 horas de voo. Também é praticante de voo a vela, especializado em Fatores Humanos.

Fonte: AEROMAGIA

sábado, 5 de outubro de 2013

Portões Abertos FAB

Sábado Aéreo deve levar 20 mil pessoas à Base Aérea de Brasília
Cerca de 20 mil pessoas devem comparecer à Base Aérea de Brasília neste sábado, dia 5 de outubro, quando ocorre os Portões Abertos, conhecido como Sábado Aéreo. O evento, que é gratuito, faz parte das comemorações do Mês da Asa. Entre as atrações estão paraquedismo, exposição de aeronaves, feira de equipamentos militares, aeromodelismo e acrobacias aéreas. Os visitantes vão ter a oportunidade de conhecer 14 aeronaves militares, entre elas o P-3 Orion, de patrulha marítima, conhecido como “guardião do pré-sal”, os caças A-29 e F-2000 e as aeronaves de transporte. O público poderá ainda participar de uma oficina odontológica, que vai orientar quanto à higiene bucal. Para as crianças, haverá uma área recreativa. Quem comparecer ao evento também poderá visitar a Mostra Base Industrial de Defesa (BID-Brasil), focada nos setores de defesa e segurança. 

Fonte: Agência Força Aérea

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

ITA

Instituto terá curso grátis online em TI
O ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) oferecerá, a partir do primeiro semestre de 2014, uma especialização online em Tecnologia da Informação. O curso será aberto a qualquer interessado. O conteúdo do curso é composto de videoaulas, fóruns e exercícios, e estará disponível gratuitamente por meio do portal Veduca. O curso gratuito, no entanto, não oferece todas as ferramentas às quais a plataforma dá acesso. Por isso, estudantes interessados em obter uma certificação poderão optar pelo programa pago, que também oferece o acompanhamento de tutores, provas presenciais em polos de instituições parceiras em todo o Brasil e, ainda, um trabalho de conclusão de curso. Os valores para essa opção ainda não foram divulgados.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ozires Silva

A DECOLAGEM DE UM SONHO
Em 1998, comemorando os 30 anos do primeiro voo do protótipo do avião Bandeirante, pude escrever um livro com o título acima, representando sonhos que nutríamos, com grande confiança, imaginando que, um dia, poderíamos tornar vivos os sonhos do nosso grande pioneiro, Alberto Santos Dumont. Mesmo com recursos produtivos e financeiros bem limitados, desejávamos dar partida para começar a fabricar aviões de transporte aéreo, algo considerado muito presunçoso na época, aviões que fossem capazes de cobrir todo o território deste Brasil imenso, que clamava por integração nacional. E, se isso não fosse suficiente, que deveriam ser exportados para o mundo. Sempre encontrávamos bons brasileiros que acreditavam na possibilidade de se chegar a um país melhor, mais desenvolvido e mais presente no mercado mundial. Brasileiros pioneiros, ainda vivos e que olham agora e dizem com surpresa que a realidade superou os sonhos. Começamos com alguns primeiros passos. Nosso argumento para justificar a iniciativa lembrava que as cidades menores estavam progressivamente perdendo seus voos regulares, pois os novos jatos, então entrando no mercado mundial, requeriam infraestruturas melhores do que as disponíveis. Colocamos enormes crenças naquele projeto e imaginávamos que estávamos criando uma prova de um conceito novo, procurando materializar e mostrar que era possível haver empresas de Transporte Aéreo Regional, não somente no Brasil, mas também em todo o mundo. Desde então, muito foi mudado. Demos aqueles passos iniciais e não deixa de ser surpreendente constatar que as operações do Transporte Aéreo Regional estejam agora vivas em todo o mundo, nas cores de centenas empresas de variadas nacionalidades. Um passo pequeno naqueles tempos, mas sem dúvida vital, foi a criação da Embraer, uma empresa entre as melhores do mundo no campo do transporte aéreo. Poucos acreditaram naquele avião, naqueles sonhos e naquela decolagem da manhã de 22 de outubro de 1968, em São José dos Campos-SP. Não se tinha em alta a conta do que se iniciava naquele trabalho emocionante, que nos contagiava, numa verdadeira torcida para que o nosso avião pudesse ser ponto de partida para o que temos hoje. Aviões brasileiros, aqui criados, projetados e fabricados voando em quase 90 países, vendidos diretamente ou não, levando as asas do nosso país, da nossa São José dos Campos, transportando passageiros das mais diferentes nacionalidades de países dos cinco continentes. Na atualidade, vivemos o período de maior velocidade de transformações das sociedades e das nações que a humanidade já enfrentou. Podemos dizer que estamos desafiados a viver sob realizações permanentemente novas, sob condições que preenchem nossas vidas, ampliando nossa capacidade para sermos mais eficientes e mais presentes, com realizações jamais esperadas até o passado recente. Tudo vindo da competência, do conhecimento, da capacidade de pessoas e organizações, crescentemente capazes e criativas. Vivemos num novo mundo que não mais nos satisfaz com o que se vê, ao contrário, que pensa avante, acima de horizontes, ou seja, em ideias visionárias que buscam caminhos desconhecidos e, os encontrando, trabalham com a crença do sucesso. Infelizmente, as contribuições do nosso Brasil para abrir espaços para novas tecnologias têm sido pequenas, mas podem ser ampliadas, por força de ousadia, crenças como aquelas que animou aqueles pequenos grupos do final da década dos 1960, que trabalhando com afinco, abriu uma imensa rota para o progresso futuro. Sim, o Brasil agora fabrica aviões, e a cidade de São José dos Campos tornou-se a grande protagonista do que aconteceu. Olhando para isso, podemos desejar, de formas amplas e seguras, que todas as cidades, por força da criatividade do seu povo e de seus governantes, possam seguir o mesmo exemplo, trabalhando intensamente, e que, empreendendo para o futuro, possam encontrar os caminhos do progresso e do desenvolvimento!

Texto: Ozires Silva (Engenheiro aeronáutico e fundador da Embraer)

Fonte: O Vale

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

EMCA

Inscrições para o processo seletivo EMCA 2014 para curso gratuito de manutenção de aeronaves vão té 19 de outubro. Confira material para download.

Já começaram as inscrições para o processo seletivo 2014 da Escola Municipal de Ciências Aeronáuticas (EMCA), em Taubaté, SP. A conceituada escola oferece 70 vagas de um curso técnico gratuito de manutenção aeronáutica com dois anos de duração. Os aprovados no processo seletivo matricularão-se para o Módulo Básico. Com a nota deste período, eles escolheram a habilitação técnica do Módulo Especializado: célula (estruturas, sistemas hidráulicos, pneumáticos, etc.), aviônica (sensores, instrumentos, sistemas elétricos, etc.) ou grupo motopropulsor (motores).
As inscrições terminam em 19 de outubro, sexta-feira, e poderão ser feitas de segunda a sexta das 14h30 às 22h e aos sábados das 9h ás 11h na EMCA. Não haverá inscrições nos dias 5, 12 e 13 de outubro. A Escola fica na rua Tomé Portes Del Rei, 507, no bairro Vila São José, perto da EMEF Dom José Antônio do Couto, ao lado da antiga Casa do Menor, na rua dos museus, e ao lado da Escola Técnica Estadual Dr. Geraldo Alckmin – Fundação Paula Souza. 

REQUISITOS
O candidato deverá, no mínimo, completar 17 anos até 31 de dezembro de 2014 e não possuir diploma de Ensino Superior. Neste ano, há uma alteração: não é mais necessário comprovar residência na cidade. Para efetuar a matrícula, é necessário Ensino Médio completo. Como as matrículas dos aprovados serão realizadas em janeiro do ano que vem, alunos do 3º anos podem participar do processo seletivo. Os interessados devem comparecer à EMCA para retirar um envelope com o edital, formulários e o boleto da taxa de inscrição. O boleto de R$ 32,00 pode ser pago em qualquer agência bancária ou casa lotérica. Para a efetuar a inscrição, é necessário apresentar o comprovante do pagamento e fotocópia e original do RG, do título de eleitor com comprovante da última eleição e de comprovante de residência.

PROVA
A prova acontecerá em 10 de novembro, domingo, das 7h30 às 12h30 na FATEC de Taubaté-SP, na Rua Tomé Portes Del Rei, 525, próxima à EMCA. A prova possui 80 questões de múltipla escolha e uma redação. Há 20 questões de matemática, 20 de português, 20 de física e 20 de inglês. Cada questão vale 1 ponto e a redação vale 20 pontos. A classificação dos candidatos será divulgada em 4 de dezembro, quarta-feira, na EMCA, no site da Prefeitura Municipal de Taubaté, no blog Hangar do Falcon e aqui no Blog do Astrônomo. 2014 As matrículas serão efetuadas na escola de 13 de janeiro de 2014, segunda, a 17 de janeiro, sexta, das 8h30 às 12h e das 14h30 às 17h. As aulas terão início no dia 22 de janeiro, quarta, às 19h30 com uma palestra de uma renomada autoridade do ramo aeronáutico aberta a convidados.
As aulas são de segunda a sexta, das 19h às 22h20 e aos sábados das 8h às 11h20. No segundo ano do curso, os alunos têm a oportunidade de um estágio de 450 horas no Batalhão de Manutenção e Suprimento da Aviação do Exército, acompanhando atividades de manutenção de helicópteros, bem como em empresas civis de aviação. Durante o curso, há várias visitas a empresas e eventos de aviação. Também há palestras e atividades esportivas como passeios ciclísticos e um campeonato interclasses de futebol. Sob o lema "Você tem que merecer estar aqui", o índice de aprovação dos alunos nas avaliações na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) é de 86% – o mais alto do país. É comum que alunos formados na EMCA façam a prova novamente para conseguir outra habilitação técnica. Ano passado, para facilitar a entrada de novos alunos, a direção da escola determinou que no máximo 10 vagas serão destinadas a alunos já formados. Além disso, a EMCA está disponibilizando para os candidatos um CD com informações sobre o processo seletivo e a escola e as provas dos anos anteriores para que os candidatos possam se preparar melhor para a prova. Você pode baixar as provas, o edital e uma apresentação da escola. Para maiores informações, o telefone da EMCA é (12) 36087579 e o e-mail é emcataubate@yahoo.com.br.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Espaço

Graduação em engenharia aeroespacial na UFABC
O prazer em construir objetos e paixão pela aviação fizeram com que o estudante Eber Calebe optasse pela graduação em engenharia aeroespacial. O aluno do oitavo semestre da Universidade Federal do ABC (UFABC) conta que atualmente faz pesquisa patrocinada pela Agência Espacial Brasileira (AEB), por meio do programa Uniespaço. O objetivo é integrar o setor universitário às metas do Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae). "Estou desenvolvendo um motor de foguete acadêmico de baixa emissão. Ele utiliza álcool, um combustível verde, como um dos propulsantes e tem a água como como subproduto da combustão." Calebe conta que a rotina de pesquisa se mistura com as aulas. "No laboratório, coloco em prática o que aprendo na sala de aula e posso relacionar os conhecimentos teóricos com o desenvolvimento da pesquisa. Gosto de saber que meus colegas e eu somos a mão de obra futura para o desenvolvimento aeroespacial brasileiro", afirma. Segundo o coordenador da graduação da UFABC, Annibal Hetem Junior, a formação pode ter três aplicações: aeronáutica, satélites e lançadores de satélites. "O objetivo do curso é oferecer conhecimento nessas áreas, que se sobrepõem muito ao longo dos anos. Os egressos acabam sendo especialistas nas três." O curso da UFABC existe há sete anos e é o mais antigo do País. "O ITA já possuía o curso de aeronáutica e implantou o aeroespacial, assim como a UNB."